13 – JESUS: A SERPENTE LEVANTADA NO DESERTO

13 – JESUS: A SERPENTE LEVANTADA NO DESERTO

Vamos abrir nossa Bíblia em João capítulo 3, versículos 14 ao 21:

E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,Para que todo o que Nele crer tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho Unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crer será salvo; quem nele não crer, já está condenado. Porquanto não crê no nome do Unigênito filho de Deus. O julgamento é esse: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus.

E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o filho do homem seja levantado”. Importa por quê? O que é que quer dizer essa serpente levantada no deserto? Quem já ouviu falar sobre isso? Quem já ouviu contar essa história? Já ouviu, Welmo?

[Welmo] Sim, já ouvi. Na caminhada no deserto, várias pessoas estavam sendo picadas por serpentes; aí, Deus falou que todo aquele que fosse picado, morreria, mas aquele que fosse picado e olhasse para essa serpente que Moisés fez, não morreria.

E o que tem a ver isso, comparar isso com Jesus? “Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, importa que o filho do homem seja levantado”. O que tem a ver uma coisa com a outra?

Eu acho que realmente precisamos entender mais.  Cada vez que Deus traz uma explicação, cada vez que vem uma coisa assim, tem detalhes, como foi falado ontem, tem coisas importantes nas Escrituras e que ajudam demais você. Por exemplo, não havendo acordo, como foi dito ontem, não adianta a pessoa insistir, por quê? Pois a palavra já disse, já determinou, Deus sabe e não adianta a pessoa insistir quando não há acordo. Um outro detalhe importante: não se pode servir a dois Senhores, se não há acordo entre os dois é porque existe alguma outra coisa que quebra a unidade. E aí, você pode esquecer, porque não vai funcionar, não adianta.

As Escrituras têm determinados pontos de afirmação que, ou você faz aquilo ou você não faz. Aqui está dizendo assim: “Quem crer Nele não é julgado, mas quem não crer já está julgado”. Eu pergunto a vocês: tem meio termo? Tem como mexer nisso aí? Tem? Quem crer não será julgado e quem não crer já está julgado. Não tem como você remendar isso aí, não tem como você criar alguma coisa que possa facilitar. As Escrituras são bem claras. Nessas coisas o Evangelho está bem resumido e disse taxativamente: Não havendo acordo, não tem como andar junto.

A Igreja vai distanciando, vai se dispersando se ela não estiver de acordo com Deus. E não adianta você tentar arrumar, consertar, passar uma tinta. Não resolve. A Igreja que estiver em desacordo com Deus (e quando eu falo Igreja, eu falo é você em particular, você é o templo de Deus), então, enquanto eu estiver brigando com Deus, enquanto eu estiver resistindo a Deus, enquanto eu estiver contra Deus, como eu vou andar com Deus, se não existe acordo entre eu e Ele?

Foi assim  que aconteceu lá no deserto.  Vamos dar uma olhadinha lá e ver o que aconteceu no deserto?

4) Então partiram do monte Hor, pelo caminho que vai ao Mar Vermelho, para rodearem a terra de Edom; e a alma do povo impacientou-se por causa do caminho. 5) E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para morrermos no deserto? Pois aqui não há pão e não há água: e a nossa alma tem fastio deste miserável pão. 6) Então o Senhor mandou entre o povo serpentes abrasadoras, que o mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7) Pelo que o povo veio a Moisés, e disse: Pecamos, porquanto temos falado contra o Senhor e contra ti; ora ao Senhor para que tire de nós estas serpentes. Moisés, pois, orou pelo povo. 8) Então disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente de bronze, e põe-na sobre uma haste; e será que todo mordido que olhar para ela viverá.  9) Fez, pois, Moisés uma serpente de bronze, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, tendo uma serpente mordido a alguém, quando esse olhava para a serpente de bronze, vivia.  (Números 21: 4-9)

Então, partiram do monte Hor, pelo caminho do mar Vermelho, a rodear a terra de Edom; e a alma do povo impacientou-se por causa do caminho”. Então, começa a reclamação. Um reclama, o outro reclama, e outro reclama, e outro começa a reclamar. Começam as reclamações, as murmurações. O povo fica impaciente. “Eu quero isso. Outro: eu quero aquilo. Desse jeito não dá. Desse jeito eu não dou conta”. E você corre e satisfaz um e o outro fica com raiva. O outro fica com ciúme. O outro fica com inveja. E você vai e satisfaz aquele e o outro… E assim vai indo.

O Velho Testamento cumpre na nossa vida, ele está inserido no Novo Testamento. E as coisas acontecem exatamente como eram. A mesma coisa! E o povo falou contra Deus. Aí, quando estas coisas começam acontecer, começa a falar contra Deus, o povo começa a maldizer,  começa a rebelar,  começa a estabelecer a sua própria justiça; e reclama, e começa a apontar os defeitos. Então, o povo começa a falar contra Deus, pois, quando você começa a falar contra o povo, você está falando contra Deus.

Quem falou contra Moisés, falou contra Deus. “Não é possível! Você nos trouxe aqui, você nos fez andar nesse caminho, para quê? Para que nós passássemos por toda essa dificuldade? Agora eu quero isso, agora eu quero aquilo. Eu não suporto isso não”. Interessante, pois são detalhes que, às vezes, vemos claramente acontecer.

Se o diabo vê você faltando em alguma coisa, ele vai aproveitar aquela brecha. Se você tiver que fazer uma compra(e sempre estamos querendo comprar alguma coisa), ele está ali por perto e  vai aproveitar para ver se ele consegue alguma coisa naquilo. Aí, você tem que namorar, você é jovem, ele vai ver se nesse namoro ele tira alguma coisa. “Ah, mas eu não vou deixar passar, nesse relacionamento eu vou tirar alguma coisa para mim – diz o diabo”. E ele tira. Você vai construir… Tudo o que você for fazer. Eu me lembro que quando estava sendo construída a casa do Serginho,  o Ramiro falou para ele: “Olha que você vai perder a salvação por causa dessa casa”. Foi um desastre, o Serginho quase…

Mas, em parte, o Ramiro tinha razão. A prova que o Ramiro tinha razão, foi o mal que isso fez para o Serginho. A prova que às vezes temos razão é a reação negativa que a pessoa tem. Quando você não deve, sua reação é diferente. Às vezes, chamamos a atenção, até de filho mesmo, vamos falar e a pessoa faz cara feia. Acontece muito isso entre a Suzane e eu. Vamos falar, vamos chamar a atenção, a pessoa pula longe. Aquela reação é uma prova da fase que a pessoa está passando. Às vezes, passa numa fase, na outra, mas acaba sendo reprovado em uma delas.

E o povo ali pecava, falava contra Deus, falava contra Moisés, falava contra o povo.  E cada vez que isso acontecia, ia dificultando mais a vida deles. Moisés ficava sem saber o que fazer. Eu vou resolver o problema do Carlinhos, o outro aqui reclama, acha ruim.  Aí, eu vou resolver o problema do lado de cá, aí o Carlinhos: “Ah, eu não agüento essa Igreja desse jeito… Eu estou quase afastando dessa Igreja. Sabe o que eu vou fazer?  Eu vou ficar aqui e nem quero saber o que vai dar”. Aí, começa cada um a resolver a coisa de uma forma errada, cada vez mais errada, cada vez pior. “Por que nos  fizestes subir do Egito, para que morramos no deserto”?

“Para a Igreja, eu tenho que fazer? Eu tenho que ensinar? Eu tenho que ser exemplo? Eu tenho que amar sem ser amado? Eu tenho que dar sem esperar receber? Sem esperar ganhar? O que eu quero para mim, eu tenho que fazer para os outros”?

Vamos esquecendo essas coisas. “Aqui não tem pão, não tem água; a nossa alma já está enjoada, a nossa alma tem fastio desse miserável pão; eu já estou de saco cheio desse povo”. E, aí, ele toma a providência dele e fica quietinho em um canto.

O que Moisés fez? “Pelo que o povo veio a Moisés, e disse: Pecamos, porquanto temos falado contra o Senhor e contra ti; ora ao Senhor para que tire de nós estas serpentes. Moisés, pois, orou pelo povo” (Números 21:7). Então, quando o povo começou a se rebelar contra Moisés e contra Deus, o que aconteceu? As serpentes… O povo começou a pecar, e o que o pecado faz? O pecado distancia você de Deus; o pecado afasta você de Deus. É a mesma coisa da luz e das trevas. Nós já explicamos isso nas reuniões lá atrás, muitas vezes. Nós falamos: “Olha! Não há comunhão entre Cristo e  Belial. Ou você entra em acordo com Cristo, ou você entra em acordo com Belial. Não há comunhão entre a luz e as trevas. Ou você fica do lado das trevas ou você fica do lado de Deus.  Pois, senão, você vai andar com ele, você não vai andar com Deus. Não há acordo entre Cristo e Belial. Não há acordo entre a luz e as trevas.”

Quando o povo começou a pecar, automaticamente se afastou de Deus e, com certeza, se aproximou da serpente, e começou a ser mordido pela serpente. Então, quando você vê uma pessoa assim… Você pode saber, o que aconteceu? Quando você vê um irmão matando reunião, vem em uma, vem em outra,  não tem mais compromisso com Deus, não tem compromisso com o povo, não tem compromisso com a Igreja, perdeu o rumo… Quando você vê um irmão irado, nervoso, tenha paciência. Quando você vê um fazendo uma coisa, o outro fazendo outra coisa, etc.; quando você percebe esse reboliço… a pessoa resolve andar em seu próprio caminho, resolve tomar sua própria decisão. A primeira coisa  é  se rebelar contra o povo, contra Deus, pois, quando você se rebela contra o povo, você se rebelou contra Deus. Pelo fruto você conhece a árvore.

Aí, não é mais aquela pessoa que tem paciência,  que ajuda, não é mais aquela pessoa calada,  submissa, não é aquela pessoa tranqüila, não é mais,  vai ficando diferente. O que aconteceu? Foi mordida pela serpente. Qual serpente? A Jaracuçu? Cascavel? Coral? Não sei. Conforme a serpente que mordeu é a reação que tem. Agora, é claro, ninguém acha que foi mordido. A Sônia não foi. A Sônia está pensando aqui: “Eu não fui, graças a Deus que eu não fui”. Você olha assim, você não vê nenhum buraquinho. Aí, o Zé também está ali tranqüilo: “Graças a Deus que eu não fui”. E a Suzane a mesma coisa. Olha, examina e pensa: “Lá na Real, eu nunca vi uma cobra”.

E o que dizem as escrituras? Que você encosta em um lugar e é picado por um escorpião; você desvia e encosta em outro e é mordido por uma serpente (Isaías 59:5; Amós 5:19). É muito difícil você passar pelo mundo, é muito difícil você andar pelo mundo, pelo deserto e não ser picado pela serpente. Só Jesus Cristo não foi picado pela serpente, só Ele conseguiu não ser picado pela serpente. O resto… todos nós fomos. Você precisa só reconhecer que a serpente o picou. E a hora que você reconhecer que a serpente o picou, você tem uma solução, qual? Você tem uma salvação: olhar para aquele que foi levantado ali.

As pessoas estavam doentes, aí Deus falou para Moisés: “faz uma haste, (e ela simboliza a cruz), e você pega a serpente… Levanta a serpente lá e todo mundo que passar, todo mundo que tiver andando por ali e olhar para aquela serpente, vai ser curado. Não importa qual foi o tipo de cobra que o mordeu. Não importa qual foi o pecado que ele cometeu. Não importa qual foi o mal. Pois ele vai ficar livre daquele mal”. Bastava isso.

Mas aquilo foi a solução só para aquele povo. Lá, eles não tinham outro caminho, todos estavam juntos e eles tinham que passar por ali. Moisés foi e colocou a serpente ali no lugar onde eles tinham que passar. Moisés foi lá, inteligentemente,  e disse:  “Todo mundo vai ter que passar por aqui, então, eu vou colocar aqui.” Mas resolveu o problema só daquele povo. Não resolveu o problema da humanidade.

Para resolver o mesmo problema, para resolver a mesma questão, para poder trazer a mesma solução, o que Deus fez? A haste simboliza a cruz e a serpente simboliza Cristo. Achamos estranho: “Então, Cristo simboliza a serpente e a serpente simboliza Cristo!”

Não adianta lermos; se  não tivermos esse entendimento, aquela leitura fica vazia, sem sentido; mas agora nós começamos a entender. “Mas Cristo comparado a uma serpente! Pois esta serpente aqui simboliza Cristo.  Por quê?”

Veja bem: a causa da doença do povo, a causa da insatisfação do povo, a causa das intrigas, brigas, contendas, qual era? Quem foi que causou tudo aquilo? Quem foi o responsável pela doença do povo? Quem foi o responsável pela enfermidade do povo? Quem foi o responsável pelas pisaduras, pelas perturbações, intrigas? Não era a serpente que vinha e mordia? Então, a causa era a serpente. Quem você teria que eliminar? A causa! Quando você elimina a causa, você tem um efeito diferente. Qual é a causa da sua febre? É uma infecção. Onde está essa infecção? Aí, você vai descobrir onde essa infecção está e a trata. Você toma um tilenol, toma um analgésico para suportar, para esperar.

Adianta ficar dando analgésico durante um, dois, três anos?  Não. Vai dar analgésico enquanto se descobre a causa. Uma vez descoberta a causa, elimina a causa.  Não precisa mais de analgésico. Não precisa de mais nada.

Qual era a causa? Eram as mordidas das serpentes. O povo foi mordido pela serpente. E por causa da mordedura da serpente, acontecia toda aquela doença do povo, aquela insatisfação toda. Então, se você elimina a causa, você tem o efeito diferente.

O que Deus fez? Ele pegou a serpente, simbolizando o pecado, representando a causa dos problemas do povo (a serpente é que era responsável).   Mas, na verdade, o responsável é o diabo. É isso que eu quero que você entenda: o responsável, na verdade, é o DIABO. Ele aproveita da sua fraqueza. Não adianta, nós não vamos conseguir, você não vai conseguir lutar contra o diabo, você não vai conseguir sem Deus, sem ajuda de Deus. Você não vai conseguir vencer o diabo sem Deus. O responsável por esses problemas é o diabo, são os demônios.

Aí, quando você ignora, você acha que não tem cobra aqui, que não tem serpente ali, ninguém tem serpente, ninguém tem cobra; aí, você fica tranqüilo, mas o diabo é o responsável e a causa de todo o pecado e de toda maldição. Os demônios são a causa de tudo; a briga que você teve com a esposa; o ciúme que você teve da esposa; a infidelidade que você cometeu; o vício; tudo tem um demônio responsável; tudo tem um espírito responsável; a prostituição, o roubo, o assassinato.  Você não fez aquilo sozinho, você não fez aquilo sem ajuda dele não.

Quando você pegou no seu guarda-roupa uma roupa indecente,  quando você passou a mão na bebida,  quando você passou a mão na faca, quando você passou a mão no revólver, você não fez sem ajuda do diabo não. Você fez com ajuda dele; foi ele que o levou ali; foi ele que provocou você; Foi ele que o conduziu, que o enganou. Eva não comeu da árvore do conhecimento do bem e do mal sem ajuda dele. Adão não pecou sem ajuda de Eva que foi ajudada pela serpente.

Sinuca, quem já jogou? Você quer a bola 7, então, eu vou tacar na bola 2 para pegar na bola 3 e a bola 3 pega na 7 e derruba a 7. Eu quero a bola 7. O diabo, às vezes, não chega diretamente em você; mas ele vai dando tacada até chegar aonde ele quer: ENCAÇAPAR VOCÊ. O que ele quer é colocar você na caçapa. Ele não vai chegar de uma vez e dar a tacada não. Ele chegou e disse a Eva: “Eva, olha lá para você ver, não é bonito? Que árvore bonita. Amanhã voltaremos”. Depois ele foi ajudando: “Eva vem cá. Você já viu?   Bonito, não é Eva?” E Eva ficou ali namorando. Até que um dia…

O diabo vai rodeando você, vai, vai, até ele conseguir aquilo que ele quer. A hora que ele conseguir aquilo que ele quer, você está na caçapa. E só tem uma forma de você sair da caçapa: é alguém enfiar a mão lá e puxar a bola (você). É difícil demais gente. Presta atenção nisto que eu estou falando; é sério o que eu estou falando.

E aquele problema ali foi resolvido, pois a causa, na realidade, não era tanto o que eles fizeram, o que eles fizeram foi uma conseqüência; mas, na realidade, a causa era o diabo. Aí você pensa assim: “Ah, mas foi por que o Carlinhos comprou fiado. O Carlinhos fez uma conta e não está dando conta de pagar”. Mas isso foi a conseqüência, a causa foi a mordedura da serpente. Foi quando a serpente mordeu. A CAUSA FOI A SERPENTE. Foi o diabo que ele não resistiu, foi o diabo que ele deixou e permitiu, foi o diabo que mordeu; e depois que mordeu, aí não tem mais jeito. Depois que mordeu, agora você vai administrar o veneno que está rodando no seu corpo, não tem mais jeito.  Aí, você vai ter que fazer teste de gravidez, tem que correr atrás do prejuízo, tem que casar fora da hora, você tem que arrumar qualquer coisa, pois, senão, o filho nasce…

Um dia, dois, uma semana, três semanas… Daí um pouquinho, começa aparecer aquilo que você fez. Ou não começa? A mordida, a picada da serpente… Você foi picado e, depois, começa a vir… O veneno vai, vai, vai e se você não  cuidar, não combater, aquilo vai levá-lo a morte.  Então, Deus levantou a serpente ali, mostrando que um dia Ele resolveria, não só o problema daquele povo, mas Ele resolveria o problema de toda humanidade.

São várias espécies de cobra que existem. Agora, quando Jesus Cristo se fez pecado, o que Ele fez? Aí você fala: “ah, Ele se fez pecado por mim, se fez carne, etc.” Mas se você não entender, vai ficar por aí.

Vamos abrir em Mateus capítulo 23, versículo 1 ao 3: “Então falou Jesus às multidões e aos seus discípulos, dizendo: 2) Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e fariseus. 3) Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam”. Jesus falou à multidão e aos seus discípulos, Ele não falou só com um e nem com dois. Ele falou à multidão e aos seus discípulos, juntou todo mundo.

Mateus capítulo 23, versículos 32 e 33: “Enchei vós, pois, a medida de vossos pais. 33) Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?”

Vamos voltar agora em João:

14) E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; 15) para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna. 16) Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17) Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18) Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Como escapareis da condenação do inferno? Como você vai escapar? Com quem Ele estava falando? Com a multidão e com os discípulos. Ele falou: “Pedro, se você não crer em mim, você não vai escapar da condenação. João, se você não crer em mim, você não vai escapar da condenação. Não pense que você é melhor do que eles não. E eles também não são melhores do que vocês não. Todo mundo é raça de víboras.  Eu quero que vocês cheguem aqui: vocês todos são raça de víboras.” Por que raça de víbora? Porque é gente. Nós também não somos filhos de Deus, nós nos tornarmos Filhos de Deus.

Eu preciso entender isso: que eu faço parte dessa geração, eu faço parte desse povo. E eu preciso de salvação. Mais do que comprar um carro, mais do que casar, mais do que viver bem, mais do que ter paz e sossego, MAIS DO QUE TUDO, EU PRECISO DE SALVAÇÃO. Eu preciso sair dessa situação, pois, enquanto eu estiver aqui, eu vou estar sendo mordido pela serpente.

Preciso sair disso.  Então, eu preciso nascer de novo, aí agora é uma outra coisa,  é diferente. E o que Jesus fez? Qual era a causa do pecado? Era exatamente a serpente que mordia. O que precisa fazer? Eliminar uma coisa aqui, eliminar uma coisa ali, é dessa forma que você acaba com o pecado. Não tem mais pecado. Você quer ver não ter mais pecado? Tira o povo. Acabou, não vai mais existir o pecado. Tirou o povo, acabou o pecado.  Quem vai gostar de mim, quem vai me amar? Eu vou ter ciúmes de quem? Não tem mais gente. Eu vou torcer para qual time? Não tem mais time. Como que vai ser?  O dia que eliminar a carne, acabou o problema. Isso aqui é a condenação, isso aqui está condenado. E Jesus estava onde? No meio das cobras? Não! Ele se fez cobra! Por isso que Ele foi levantado, a serpente foi levantada. Ele se fez cobra sem ter pecado, sem ter feito nada.

Ele também ia ser condenado. Olha que coisa tremenda! Meu Deus, como isso é tremendo! Ele também ia ser condenado, Ele entrou na condenação, mas havia escrito em algum lugar… Na palavra de Deus estava escrito que havia uma salvação, para quem? Todo aquele que cresse em Deus, que acreditasse em Deus, aquele que cumprisse a lei seria salvo dessa condenação; ia nascer de novo. Havia a promessa de um novo povo, de uma nova geração – Somos de uma nova geração…  que não faz aquilo que Deus manda...  Somos uma geração que ainda não entendeu as coisas; somos uma geração que ainda está pelejando para poder fazer as coisas, para entender.

Havia uma salvação preparada, havia um caminho que Deus proveu. Um cordeiro que saiu sem ninguém esperar de onde. Está escrito que  um homem haveria de morrer pela nação. Então, alguém assumiu a responsabilidade, assumiu toda a responsabilidade. “Você é a oferta pelo povo: um cordeiro sem defeito, sem mancha…” Um cordeiro que não fez nada, que não pecou, não teve ciúmes, não teve inveja e que não foi amado… Um cordeiro sem defeito; um cordeiro que abaixou a cabeça e  foi tosquiado; foi humilhado, injustiçado.

Presta atenção para você ver se isso não tem lógica! O preço, a oferta que foi dada por nós, nós que estamos aqui.  Pegou um sem defeito, sem culpa, sem nada. “Mas por que eu? Eu não tenho culpa, eu não fiz nada!” Mas Ele foi a oferta pela causa do nosso pecado. Aí, Ele vem, como a serpente foi destruída no deserto… O bronze foi destruído, foi partido… Jesus Cristo veio, subiu na cruz e foi crucificado. E todas as vezes que você olha, você lembra que quem tinha que estar lá era você, mas Ele foi no seu lugar.

Então, a causa do meu pecado não existe mais, é mentira do diabo, é um engano de satanás. Por quê? Porque, a causa do meu pecado não é a serpente? Mas a causa já foi eliminada daqui. Pois Ele morreu no meu lugar, morreu no lugar do Welmo, morreu no lugar da Suzane, do Ramiro…

Então, nós aceitamos o sacrifício que Jesus fez por nós. De repente, aquela tribulação que eu estava passando, começo a perceber que está aliviando. Eu tomei um analgésico. Presta atenção nisto! Aí, eu olho e vejo Jesus morrendo por mim, no meu lugar. Eu pequei e quem tinha que morrer era eu, mas Ele morreu no meu lugar. Aí, eu começo a agradecer a Deus, a louvar a Deus: “Senhor obrigado, graças te dou meu Pai, amém, amém”.

Aí, eu começo a sentir que a febre começou a passar. Por que a febre passou? Eu começo a sentir que aquele ódio que eu estava sentindo dos outros está acabando; começo a sentir que aquela dor, que aquele mal, que aquela angústia, começa a aliviar, por quê? Porque eu fui lá, olhei e disse: “Meu Deus, está ali a causa”. Quando eu olhei a cruz, eu não vi Jesus, mas sim,  uma serpente sendo morta, sendo destruída. Eu vi ali a serpente que me matava; eu vi ali aquela que havia me mordido; vi ali o pecado sendo destruído. Você não quer fazer, mas faz. Você não quer ser simples, humilde? Pois você não tem força!  Mas quando você olha para a cruz,  você vê a causa do seu mal ali; você vai ver uma serpente sendo destruída, sendo consumida, sendo aniquilada.

Eu sei que é difícil de explicar, mas você vai ter que subir ali no calvário,  vai ter que arrumar um jeito de entender,  vai ter que arrumar um jeito de ir lá e olhar para a CRUZ;  você vai ter que ver isso, você tem que arrumar um jeito. E talvez esteja aí a dificuldade; qual? Onde que Ele foi levantado? Lá em cima, para todo mundo ver. Então, qual é a dificuldade que você tem, que eu tenho, que nós temos? Pois, onde é que Ele foi crucificado? Onde ficava o calvário?

[Welmo] O calvário fica no monte. Às vezes não subimos esse monte e ficamos lá embaixo. Simbolizando o nosso pensamento, o nosso entendimento. Lá embaixo não se consegue entender a razão pela qual  Jesus Cristo foi para a cruz.

Agora eu vou falar da dificuldade que você vai ter.  qual? Pegar a sua cruz e subir o monte. Quando você pega a sua cruz… Olha que coisa tremenda!  Parece até que eu sabia. Quando você pega a sua cruz e caminha seguindo Jesus, para onde você está indo? Para o caminho da cruz. Você vai arrastando a sua cruz. Quando você chega lá, tem que ser fincada a cruz. E você vai para a cruz. Mas quando você chega lá, você vai ter aquela surpresa agradável: “Não, meu filho…”. Quando você chega lá… Abraão, quando pegou o menino, o cutelo, simboliza isso, e ele subiu no monte. Você pega a sua cruz e caminha, e o cordeiro? “Eu é quem vou para essa cruz? Eu é quem vou ser pregado nessa cruz?” Pois eu vou levando a minha cruz e começo a subir o calvário. E o diabo vai perguntar para mim: “E o cordeiro?” Quando você chegar lá, você vai ser crucificado, você vai ser cravado na cruz, pois você é a serpente, você é a causa disso. Você é a causa de todo o mal no mundo. Você é a causa de todo o pecado no mundo.

Mas, quando eu pego a minha cruz e começo a caminhar, logo vou ver, lá no alto, o cordeiro, a providência de Deus, a minha salvação, Cristo no meu lugar, eu não vou ser crucificado. Amém!? Ele morreu por mim.

Então, meu irmão, tem uma diferença enorme de você sentar e assistir uma reunião, de apenas você sentar religiosamente e cumprir uma obrigação: “Eu já assisti a reunião da noite, então, eu não preciso assistir a reunião de dia”. Não é bem isso! Estamos falando aqui de algo mais;  estamos aqui comentando algo mais;  estamos aqui preocupados em não pecar mais; estamos aqui preocupados em vencer o pecado; ou o pecado acaba conosco. Pois está escrito que se nós não vencermos o pecado, ele vai nos vencer. E eu só tenho uma maneira de me salvar: é pegando a minha cruz e caminhando para o lugar onde Ele foi levantado. E, às vezes, o diabo vai dizer: “não, tem outro caminho, tem um outro lugar, passa por outro lugar mais perto”. Não! Só tem um lugar, qual? É ali.

Como que eu posso ver, se eu estou longe?  Mas se eu passo a mão na minha cruz e começo a caminhar, eu vou chegar lá onde eu deveria ser crucificado, mas quando eu chego lá, o que eu encontro?

[Welmo]  Jesus Cristo na cruz.

Você vai encontrar exatamente aquela figura ali de Isaque e de Abraão.

[Welmo] Para Abraão foi uma surpresa. Quando ele chegou ao monte, viu um cordeiro preso…

Quando ele subiu, ele já subiu crendo que…

[Welmo] Que Deus ia prover.

Como você vai ficar livre dessa vida que você leva? Como você vai ficar livre de uma vida de pecado? Como você vai ficar livre da condenação do inferno? Como você vai ficar livre de satanás? Eu não sei, Deus proverá. Eu vou pegar a minha cruz e vou arrastá-la até o calvário.

Então, “toma a tua cruz e siga-me”. E como que vai ser isso, Senhor? “Não sei, Deus proverá”. É muito difícil! Não tem como entendermos se não pegarmos a cruz e caminhar.  “Senhor, me explica isso!”. Quantas pessoas chegavam para Jesus: “Senhor, explica isso! Explica direito, explica melhor!”. E Ele falava exatamente o que eu quero dizer para você, meu irmão: “não tem jeito”. Eu sei que você queria uma explicação melhor; na hora que terminar a reunião, vocês não venham atrás de mim, pois tudo o que eu queria falar para vocês, eu já falei. Todo mundo queria uma explicação melhor de Jesus. Todo mundo queria entender melhor. Mas Ele falava exatamente isso: “pega a sua cruz e siga-me”.

Se você  não entender que é preciso pelo menos levar a sua cruz até o calvário… Na hora de sacrificar, você não vai ser sacrificado. Na hora que você tem que morrer… Isso que é o milagre. Pois a causa seria a sua morte, não tem jeito, pois você simboliza a serpente. Mas quando Deus ia  sacrificá-lo, o cordeiro apareceu e morreu no seu lugar; foi sacrificado no seu lugar.

Pode pegar a sua cruz e ter  fé,  certeza que Deus proverá o livramento. A doença que você está com ela, de onde vem a libertação? De onde vem a cura? De onde vem todas as coisas? A enfermidade, a tribulação, foi uma serpente que mordeu; e aquela serpente precisa ser eliminada. A causa do problema é a mordida da serpente. Uma vez eliminada a causa, a sua doença vai embora, sua tribulação vai embora, a sua angústia vai embora.

Jesus morreu por causa da minha enfermidade; e eu peguei a minha cruz e caminhei, e quando eu entendi isso, aquela doença foi embora, aquela enfermidade foi embora, aquela tribulação foi embora. Eu não falei para vocês agora mesmo que a causa da sua febre era aquela inflamação no dedão? Aí, eliminou a inflamação no dedão, eliminou a causa.

Mas aí, o ouvido inflamou e veio a febre; mas você curou o ouvido, e a febre? Foi embora! Mas aí, veio uma gripe danada e a febre veio de novo. A febre é um sinal de que alguma coisa está errada na minha vida, e, mais uma vez, eliminou aquilo, a febre foi embora. E, assim, nós vamos caminhando… lutas, tribulações e etc. Eu olho sempre para aquele que morreu por mim, para aquele que fez por mim: “Senhor Jesus, apaga o meu pecado,  pois eu estou olhando para o Senhor. Olha no meu ombro e o Senhor vai ver a cruz”. Mas se você não quiser fazer nenhum sacrifício, se você não quiser tomar a cruz, se você não quiser subir, caminhar em direção a Ele, você não vai vê-lo;  não vai ver a cura, não vai ver a libertação,  não vai ver a salvação, não vai ver o milagre. Abraão só viu o cordeiro porque ele estava lá em cima. Outra pessoa não viu o cordeiro saindo ali do mato, pois só ele estava lá em cima.

Aí você diz: “é muito difícil esse discurso”. Eu também acho. Mas o que você tem que fazer agora? Pegar a cruz e caminhar. Eu não sei como é que vai ser, mas eu pego a minha cruz. A fé manda você fazer coisas sem pensar muito, sem ficar: “como é que vai ser lá em cima do monte?”. Os servos de Abraão ficaram perguntando para ele: “e aí? Como é que vai ser? E o cordeiro?”.

Mas ele não quis saber: “eu não sei como é que vai ser.  Eu pego o meu menino… Peguei tudo o que eu tinha e não podia nunca ficar sem ele”. “Eu não posso ficar sem a minha vida, eu não posso ficar sem isso, sem aquilo… Senhor, eu não posso ficar sem o meu carro, eu não posso ficar sem a minha saúde”. Mas eu pego o meu carro e a minha saúde, eu pego todas as fases que eu tinha que passar, o meu concurso, o meu trabalho… Eu pego tudo e vou para onde? Vou sacrificar aquilo. A minha ilusão, a minha vontade de namorar, a minha vontade de casar, a minha vontade de ter uma esposa boa, a minha vontade de ter um marido. Essas coisas são o seu Isaque; e você as pega e caminha para onde? Para sacrificar. Você vai sacrificar aquilo, vai entregar tudo aquilo para Deus.

E aí, você começa a subir o calvário  com uma tristeza danada. A única coisa que eu tenho é o Alisson.   E agora, como é que eu vou fazer?  Minha gráfica… E o Isaque ali debaixo do braço… E aí, vai subindo, carregando tudo aquilo. O que você vai fazer com aquilo que você está levando? Vai sacrificar, vai colocar  no altar de Deus: “Senhor, o meu Wilmar, meu Lucas. Se o Wilmar não quisesse, eu (Rossini)  não ia chorar pelo Wilmar, o Wilmar não pesa nada para mim; por isso, cada um tem a sua cruz. Cada um tem o seu Isaque.

Aí, quando chega lá, você vai crucificar aquilo. Você vai colocar aquilo no altar. Não é todo mundo que tem coragem.   Põe a metadinha lá e fica com a metadinha. Não é todo mundo que tem coragem não! Mas é exatamente isso que Deus quer, que você tenha coragem. Se nós não fizermos isso, estamos condenados; não tem como vivermos mordidos pela serpente. Temos que chegar e oferecer a Deus, para participarmos do sacrifício que Ele fez por nós. Do contrário, você nunca vai ser participante do sacrifício que Ele fez por você. A hora que você sentir: “eu participo desse sacrifício, eu achei, eu realmente encontrei… Ah, como é bom!”.

Eu sei o que vocês estão pensando: “isso é muito difícil”.  Quando será que Deus vai poder falar isso novamente? Mas deu para entender?   Aí, quando você chega lá, Deus diz: “não meu filho, você não vai precisar jogar fora o seu Alisson, a sua Ana Luíza. Não vai precisar jogar a sua gráfica fora. Não vai precisar jogar o seu trabalho fora. O que você precisa tirar é só a serpente. E o pecado? Jesus diz: “Eu morri por você, Eu me sacrifiquei por você.” A providência de Deus foi Jesus Cristo na sua vida. Uma vez eliminada a causa, o meu dedão volta a funcionar.

[Welmo] Em todas as reuniões Deus sempre fala alguma coisa, mas essa de hoje eu estou bobo. Estou de boca aberta, pois  eu achei essa palavra de uma sabedoria muito grande, e trouxe para nós um entendimento muito grande.  Eu  creio que essa palavra pode nos ajudar muito. Se entendemos o que foi falado aqui, vai nos ajudar bastante na nossa luta contra a dificuldade que temos. Achei assim, tremendo, foi uma mensagem de Deus. E são muitos os detalhes, mas dois detalhes eu achei muito importantes. O primeiro deles foi por que no deserto foi levantado a serpente. Deus levantou uma serpente para que o povo entendesse qual seria a causa daqueles males que estavam vindo sobre ele. E a serpente ali, com o entendimento que temos hoje, entendi que simbolizava o próprio diabo. Uma vez eliminada a serpente, eliminou o problema. Só que aquilo foi uma solução para eles, e para nós, qual seria a solução? Por que  Cristo simboliza a serpente? Pelo fato que, quando nós, olhando na cruz,  vemos um homem como nós, então, olhamos e vemos que a causa do pecado é o homem, é essa carne, é essa natureza, é a humanidade. Na verdade, quem deveria estar lá, éramos  nós! Mas quando nós olhamos para a causa, achei esse detalhe interessante, ele levantou a serpente para que o povo entendesse qual era a causa: “Vocês estão morrendo porque a serpente está picando”.

A nossa vida pode mudar, e muito! Pois começamos bem. Começa confiando em Deus. Começa esperando em Deus, mas chega a um ponto, você muda isso. Você estabelece a sua própria justiça e começa a achar que você mesmo vai resolver os seus problemas.

[Welmo] Quando lembramos desse sacrifício que Jesus fez, seja qual for a situação, às vezes a serpente está ali nos tentando, mas se lembrarmos desse sacrifício que Jesus fez, pois ele tem uma força muito grande, é na hora de pecar, é na hora que a serpente vier nos morder, se lembrarmos  disso, aí somos salvos na hora.

Exatamente, o Sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. Quando você lembra que o sangue derramado foi no seu lugar, isso quer dizer: “já paguei”. E se você já pagou, você não tem mais o que pagar. Ou seja, Ele já fez por mim. Ele já derramou, já pagou o preço que tinha que ser pago. Agora não tem mais razão eu estar com febre se a causa já foi eliminada.

Mas como o Welmo está dizendo, se você ficar lá embaixo, você não vai ver isso não. Se você ficar longe do caminho, você não vai ver isso não. Você só vai ver se estiver no caminho.

Às vezes, nós estamos bem perto, mas vem um e esbarra, vem outro e esbarra e vem outro que quer pesar nossa cruz. A cruz já está pesada e aí vem toda essa dificuldade para aumentar mais o peso.

Vamos curvar nossas cabeças.

Ter essa preocupação: tudo o que eu tenho… Ó Deus, tenha misericórdia. E eu quero dizer a você o seguinte: “quanto menos coisas você tiver que levar, melhor. Se tiver muita coisa para levar, é difícil. Que você tenha bem pouquinha coisa para levar, pois a cruz fica menos pesada.

Eu sei que é difícil de entender,  sei que é difícil para a Igreja compreender. É muito difícil! Eu sei que é difícil para a Dora, para a Margarida, para mim, para a Geralda; eu sei que é difícil, mas quem sabe, nós já estamos ali no calvário, quem sabe nós já chegamos lá e basta agora olhar para o sacrifício que o Senhor já providenciou. Olhar e ver que eu não tenho que pagar nada, eu não tenho que morrer, pois o Senhor morreu em meu lugar. Eu posso viver com as minhas coisas, mas sem a mordedura da serpente. Eu posso viver com a minha paz, com a minha saúde, pois a causa não mais existe, apesar do diabo querer fazer com que eu não esqueça que eu sou um pecador, que a causa do meu mal é o meu pecado.

Meu Deus, me faça entender esse sacrifício; que o Senhor perdoou os meus pecados; então, não tem mais razão o meu sofrimento, não tem mais razão a minha dor, não tem mais razão eu estar distante de Ti, não tem mais razão as minha brigas, ofensas, maldições; não tem mais razão as minhas angústias, tribulações; não tem mais razão a minha dor, a minha enfermidade, uma vez que a serpente foi eliminada ali na cruz, a causa foi eliminada. A causa do meu mal foi eliminado na cruz.  Ajuda-nos, revela-nos o entendimento, revela-nos  essa salvação.

Ajuda-nos, ó Deus, nesta manhã difícil… Quando a nossa cruz se mostra, às vezes, pesada, só o Senhor pode nos salvar, só o Senhor pode nos ajudar.  É para Ti que nós olhamos.   É para o Senhor que nós olhamos. É para o cordeiro que foi providenciado. Eu não tenho força para sacrificar as minhas coisas, para sacrificar os meus filhos, para sacrificar a minha casa, eu não tenho força para isso.

Ajuda-nos ó Deus, providencia para mim o cordeiro, providencia para mim algo que o Senhor já fez por mim. Talvez o Senhor está exigindo de nós essa fé, essa coragem de chegar e colocar no altar do Senhor, tudo aquilo que nós temos, em nome de Jesus!

Louvor

Um pecador a Ti suplica

Sem merecer estou aqui

Minhas forças se acabaram

E a lei não me deu a perfeição

Peço a ti o Espírito Santo

Senhor, eu só tenho a Ti

Os meus pecados não podem me impedir

Sei que a graça está em Ti

Esse louvor em mim é o que me faz prosseguir

De tudo que eu vivi

De tudo que eu já senti

Amor igual ao Teu eu nunca vi

Amor que não tem fim

Amor capaz de morrer por mim

E é por causa desse amor que venho a Ti

Alguém que foi mordido, que foi picado… Dá-me, Senhor Deus, o entendimento, o Espírito que vai se sacrificar no meu lugar. Dá-me, Senhor Deus, força para eu poder levar a minha cruz. Dá-me, Senhor Deus, fé para eu carregar, para eu levar e sacrificar no altar do Senhor e acreditar que o Senhor proverá, e acreditar que o Senhor tem uma providência, que eu não preciso temer. Amém! Deus proverá. Amém!

Continuação do louvor

Os meus pecados não podem me impedir

Sei que a graça está em ti

Esse louvor em mim é o que me faz prosseguir

Isso! Deus dá sempre forças para você continuar. De tudo que eu já vivi, de tudo que eu  já senti, amor igual a esse…

Continuação do louvor

De tudo que eu vivi

De tudo que eu já senti

Amor igual ao teu eu nunca vi

Amor que não tem fim

Amor capaz de morrer por mim

E é por causa desse amor que venho a ti

Vamos confiar, acreditar que alguém fez por você aquilo que você nunca iria conseguir fazer. Amém! A fé, crer. Agora é hora de realmente você acreditar que Deus proverá.  Deus proverá. Acreditar, aceitar o sacrifício que Ele fez por você. Deus proverá. Eu não sei como vai ser, mas Ele proverá para mim o que eu preciso.

Continuação do louvor

De tudo que eu vivi

De tudo que eu já senti

Amor igual ao teu eu nunca vi

Amor que não tem fim

Amor capaz de morrer por mim

E é por causa desse amor que venho a ti

1 Resposta para “13 – JESUS: A SERPENTE LEVANTADA NO DESERTO”

  1. Elizeu disse:

    Realmente, Jesus se fez pecado por nós. Ainda não tinha ouvido, nem lido uma explicação assim. Hoje, falando com uma mulher católica aqui da minha cidade, ela falou que uma explicação porque ela acreditava nos “santos” da igreja católica era também por causa dessa serpente que foi levantada no deserto, e eu não tive uma explicação plausível para falar para ela, do porquê a serpente foi levantada no deserto e foi comparada com Jesus, sendo que a serpente sempre foi relacionada ao diabo.
    A partir desse texto vou orar a Deus e voltar a falar com ela dando-lhe uma resposta, porque eu falei que ia falar para ela.
    Por favor ore também a Deus para que Ele e o Espírito Santo me oriente na hora em que eu estiver falando com ela.
    Grato,
    Elizeu Lara de Souza
    Eldorado – SP

Comente esta materia...

Login - Desenvolvido por: Rafael de Miranda