Free songs

7) É MAIS DIFÍCIL LUTAR CONTRA A CARNE

7) É MAIS DIFÍCIL LUTAR CONTRA A CARNE

Que a paz do Senhor, a paz que tanto precisamos, seja com vocês. Gostaria que vocês participassem da reunião. Estava comentando com o Walfredo Júnior que a nossa luta não é contra a carne e sangue, mas contra os principados e potestades, os dominadores desse mundo. Qual luta vocês acham mais fácil, a luta contra a carne ou contra os principados? O que vem em nossa cabeça?
Ramiro – Que é mais fácil contra a carne.
A nossa luta não é contra carne e sangue, nem contra as pessoas, mas, antes fosse. Por quê? Se fosse contra a carne, por exemplo, e a carne estivesse em Goiânia, eu mudaria pra Brasília. Teria como fugir da carne. Antes fosse contra a carne, mas a luta não é contra carne. Olha a dificuldade! Que rabo de foguete.
“Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.” (Mateus 10: 34). Vocês acham que Deus veio trazer paz à terra? Não temos que esperar paz, pois não vai ter. “Curam superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz.” (Jeremias 6: 14). Um dos grandes problemas da igreja é ficar sempre esperando de Deus uma coisa que não vai existir. Concordam que a igreja fica sempre esperando a paz? Não é muito melhor viver em paz? No começo da reunião desejei que a paz do Senhor estivesse com todos vocês. Mas desejei a paz do Senhor, não a paz do mundo. Ele disse: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo dá.” (João 14:27). Nós queremos é a paz do mundo e não a paz de Deus. Qual a diferença de uma pra outra?
Adilson Júnior – A paz de Deus é verdadeira e a do mundo não.
Pergunta se alguém gostou da sua resposta. A reunião de casais é isso, temos que trabalhar. Lucas, você gostou da resposta dele? É muito pouco, Júnior. Você não está errado, porque a paz do mundo não é verdadeira. A paz de Deus é verdadeira, só que a resposta não satisfaz as pessoas. Elas querem mais explicação. O que falamos ontem sobre o vendedor de remédios? Ele tem que estudar a bula, explicar direitinho o efeito do remédio. Se alguém na rua perguntar pra você qual a diferença entre a paz do mundo e a paz de Deus? “Dou-vos a minha paz, não vo-la dou como o mundo dá.” Se não estudarmos direito a bula, não vamos saber responder. E nós temos que dar uma satisfação, uma resposta.
Quando servimos, trabalhamos pra Deus, como falamos em Mineiros, você vai tirar aquela pessoa das mãos do diabo, vai salvá-la do poder de Satanás. Então, você precisa ter argumento, porque, do outro lado, vai estar o diabo, e se você não tiver argumento como Jesus teve… O diabo disse para Jesus: “Ah! Salta daí pra baixo…” Jesus respondeu: “Também está escrito: não tentarás o Senhor teu Deus.” (Lucas 4:12). Ele sempre tinha uma resposta, não é como nós que não sabemos responder. Por isso não pegamos o boi. Não estudamos a bula, não analisamos, perdemos realmente muito tempo. Nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os principados, potestades e demônios. A minha missão aqui é essa: abrir os seus olhos. Se eu chegar e der tudo mastigado pra você, seus olhos não serão abertos. Se eu chegar e não forçar a barra, vocês não vão aprender nunca, não vão ter os olhos abertos. Jesus falava por parábola e ia embora. O pessoal ficava na luta com a parábola: “Meu Deus, e agora? Ficou do mesmo jeito.”
“Saiu o semeador a semear…” (Lucas 8:5). Semear o quê? Que semente? Depois de muito baterem cabeça, perguntavam: “Senhor, quem é o semeador? Semeiam o quê? Que tipo de semente?” Lá na frente, Ele explicou: “O semeador é aquele que semeia; a boa semente são os filhos de Deus… A semente é a palavra de Deus.” Saiu em algum lugar a resposta daquela parábola, mas a pessoa precisa meditar, pensar, trabalhar, é assim que seus olhos vão ser abertos. Antes a luta fosse contra a carne? Não é contra a carne, mas contra os principados e potestades, mas antes fosse contra a carne, por quê? “Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” Mateus 10: 35-36.
É fácil você viver sabendo que o demônio está aqui? Você tem que dormir, almoçar, jantar com o demônio. É isso que estou perguntando. Antes a nossa luta fosse contra a carne; eu daria um jeito de separar, eliminar, mas não posso! Vou mandar meu pai embora? Ele disse: “eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” (Mateus 10:35 e 36). Pensa, raciocina. É fácil mandar seu pai embora? Você tem que aguentar! Está aguentando quem, seu pai ou o diabo? É fácil? A não ser que você se acostume. Aí está o grande perigo, se você acostumar fica pior. Não é fácil! Nossa luta não é contra carne, mas antes fosse.
Judas andando com Jesus… Se Ele pudesse ficar livre de Judas… Mas Ele podia? Não! E também não adiantaria mandar a pessoa embora. Por quê? Se o demônio realmente tiver que te perseguir, o que ele vai fazer? Você tira a pessoa e ele entra no cachorro, no tio, na tia, numa visita… O certo é que ele não vai sair de perto. A luta não é contra a carne, não adianta você tirar a pessoa; a carne, o demônio vai entrar em outra coisa, porque ele quer ficar perto de você, quer perseguir, tentar você. Não vai deixar você sossegado nunca. Nossa luta não é a contra carne, mas contra os principados e potestades.
Qual luta é mais fácil, contra a carne ou contra as potestades? O Ramiro disse: antes fosse contra a carne, por quê? Se fosse contra a carne você mudava de cidade, evitava a pessoa! A carne somos nós. Poderíamos evitar a carne, não ter contato com aquela carne, aí acabaria o problema. Estávamos dizendo que não é fácil porque a carne nós não podemos evitá-la. Como você manda seu pai embora? “Eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” Filho contra pai, filha contra mãe, nora contra sogra… Como isso acontece? Não é um inferno, uma situação difícil, uma pessoa que você carrega a vida inteira? Judas estava ali e chamava Jesus de Senhor, mas era o cão. Aí que está a grande dificuldade, pois dá vontade de pegar a carne pelo pescoço, porque você sabe que aquela carne não ama a Deus, não quer nada com Deus, não serve a Deus e está ali junto de você e não pode ser mandado embora.
Você pode mandar seu pai, seu filho embora? Não pode mesmo! Jesus falou: “você não pode desmontar a sua casa, senão você nunca vai servir a Deus.” Você não vai servir a Deus se mandar a sua mulher, o seu filho, o seu pai embora. O que você vai explicar pra Deus?
É mais fácil lutar contra os principados ou carne? É mais fácil contra os principados!!! É! É verdade! É bom discordar, comentar… É mais fácil contra os demônios, o Fernando acha que não. Por quê?
Fernando – Porque quando a luta é contra pessoa, é de igual pra igual. Mas quando é espírito não tem como fugir do espírito. Se eu fugir pro Oiapoque ele vai estar lá.
Quem concorda com o Fernando? Eu digo que é mais fácil contra o espírito, e você? Claro que é mais fácil contra o espírito. Já mostramos que você não pode mandar a mulher embora, mas o espírito você pode mandar. Se ele vier amanhã, depois, você pode mandar. O problema é que ficamos contra a carne, e não contra o espírito. Aí está o defeito, fico com raiva da carne e Deus está mostrando que contra a carne não resolve. Você tem que mandar embora o espírito. O espírito você manda embora. “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós.” (Tiago 4:7). Talvez nunca mais ele apareça, mas a carne você só fica livre quando ela morrer. Deus disse: resiste ao diabo… Mas, infelizmente, quando menos esperamos, estamos lutando contra a carne, com raiva, com ódio da carne.
O demônio está lá, o espírito está lá ‘na maior’, porque ele está cumprindo, alcançando seu objetivo que é te irritar, tirar sua paciência, roubar sua fé. Vem de encomenda, no pacote, sedex. Aquilo vem de encomenda pra torrar… A nossa luta é contra principados e potestades, mas lutamos contra a carne. A palavra tanto é pra nós como pra qualquer um que ouvir. A pessoa que não entender, não entendeu. A pessoa pode até não concordar, mas a palavra é essa, não pode fazer confusão. Ele precisa abrir os olhos e ver que realmente o que estou falando é verdade. Vamos voltar e entender porque estou falando isso.
“Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” (Mateus 10: 35-36). Então, converteu, começou a buscar a Deus, a servir, a trabalhar, começou a luta, a guerra entre os filhos de Deus e os filhos do diabo, entre a luz e as trevas, entre o que serve a Deus e o que não serve. Pra servir a Deus tem que obedecer, seguir as orientações Dele e uma delas é: “E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” Você pode mandar seus familiares embora, Fernando? Não pode! Tem que ser seu filho, marido, pai, mãe, avó pra poder surtir efeito mesmo. O que é mais difícil, não é aquele que está ali pertinho de você, que deveria te ouvir?
O que nos faz pôr o joelho no chão? É pelo vizinho? Mas o que faz você pôr o joelho no chão é… Você se apaixona, começa a chorar é pelo namorado; começa a sofrer, se volta contra a família, contra Deus, contra tudo, mas você quer é o namorado. Depois casa, o inimigo aperfeiçoou porque ficou mais evidente. Até então, ele escondia muita coisa, você não via, acreditava que estava casando com São Tomé de Aquino e não adianta ninguém falar mal do infeliz que você não acredita. Estou começando de baixo pra cima. Aí você se casa. Aí pode mandar a mulher embora? Você descobre que não se casou com um filho(a) de Deus. Você não pode mandar embora, trocar por outro, repudiar, torcer pra… Quanto mais você torce, mais o bicho fica forte.
Teve o primeiro, o segundo filho… Filho pequeninho, você ama aquela criança demais, tudo o que faz é bonitinho, faz você sorrir durante certo tempo, você até esquece o que está do seu lado… Os bichinhos vão crescendo, crescendo, aí de repente você fala: “Meu Deus, é filho meu!” Aí não te obedece, não te escuta, não te ouve. Você começa a sofrer por causa daquilo. Você começa a colocar seu joelho no chão por causa do filho dos outros? Não, é por causa do seu filho. E seu filho converte com facilidade? Busca a Deus com facilidade? Quer Deus com facilidade? Por que ele não quer Deus, não busca Deus com facilidade, só escolhe o que não presta? O que está ali? Se não for o diabo é parente dele, algum sobrinho.
Não estou dizendo que é minha casa, do Ramiro, do Fernando… O Evangelho diz que é assim. Então, cada um põe a sua barba de molho; daqui dez, quinze, vinte anos a vida de vocês muda radicalmente. Não é assim toda vida. Vai chegar o momento que você vai chorar de raiva do seu marido, e o seu marido vai morder os lábios por sua causa. O marido vai fazer coisas que vai magoar a esposa profundamente. Não estou profetizando aqui não! Ela vai fazer coisas que vai te magoar e você diz: “não é possível que ela foi capaz de fazer isso.” Começa uma luta entre uma pessoa e outra e esquece que o cão está rodeando ali. O diabo, nosso adversário, está rodeando ali. Se você soubesse, você se casaria, teria filho, faria isso? Não faria! Cuidado pra não brigar, não se voltar contra sua esposa. Nós todos erramos, pecamos, por quê? Ao invés de lutarmos contra o demônio, lutamos contra a pessoa. E o que acontece? Perdemos a pessoa e ganhamos o demônio, um inimigo. Por isso Deus mandou você andar a segunda milha, sofrer o dano, porque é assim que você resiste ao diabo. Deveríamos resistir ao inimigo desde o começo. Deus manda: trata seu filho com bondade, corrige seu filho antes que você o perca.
Eu e a Suzane tivemos experiência assim; percebemos o que o diabo queria fazer. Eu falava pra ela: “Você não vai fazer desse jeito, vai fazer assim.” Mas se a pessoa não vigiar, ela faz do jeito que o diabo quer; e perde o filho, o marido, a esposa, a casa.
Ninguém falou nada pra magoar, ofender ninguém. Nós estamos abrindo os olhos e todos vão chegando à conclusão que é a verdade. Por que Deus falou: “eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares?” Porque só assim para aprendermos, para você se salvar. Caso contrário, você vai passar pelo mundo pior do que o ímpio. Você tem que desiludir, porque o mundo para nós é ilusão. Os jovens casais ainda vivem um pouco da ilusão. Às vezes você diz: não vou mais a reunião de casais porque vai destruir o nosso casamento. Não! Estamos abrindo os seus olhos porque é uma ilusão, infelizmente é assim. É muito melhor você se prevenir, precaver, tirar a roupa do arame, pegar o guarda chuva do que tomar chuva. Entenderam?
Ana – É verdade. A palavra nos convenceu que é mais fácil a luta contra o espírito. Se a gente resistir, vigiar, usar as armas, ele vai embora.
Suzane – Pelo menos tem sucesso, vitória, resultado. Porque contra a carne não resolve, você fica com o mesmo problema, aquilo continua. Você dá murro na boca de um, só vai trocar de boca, dá murro na boca do outro, aí você vai quebrar todas as bocas? E não resolve. A eficácia, o tratamento, como o senhor fala: existe um remédio certo para aquele tipo de doença. Então você pode usar todos os outros antibióticos, mas só aquele ali que vai funcionar. É o caso, por exemplo, da luta nossa.
Um irmão – Interessante, como o senhor fala: o que você pode esperar? É muito triste saber, nos convencer que a ilusão não vai levar a gente a nada. Você falar assim: “Estou fazendo isso,” mas não vai adiantar mesmo. “Vou amar o meu marido, mas se ele não me amar, não tem problema não. Vou fazer isso para o meu filho, mas se ele não fizer isso…” Mas é isso que vai salvar. Como o senhor falou: o que faz a gente dobrar o joelho, chorar? É o alívio que você tem, é o seu consolo. Você não saiu bem? Porque você ficou consolado, é assim mesmo e é assim que você alcança a vitória. Ouvindo essa palavra temos muito mais chance de permanecer, de ter sucesso. Já pensou você olhar assim, a pessoa fez ruindade e você fala: é o cão, não é a pessoa de jeito nenhum! Aí você fica alegrinho com a pessoa, ela continua fazendo ruindade, mas você sabe que é o cão. Se isso entrar na nossa cabeça, vai ser a nossa salvação. Por fim o diabo ia ficar tão sem graça que ia embora, por não ter conseguido fazer o que ele queria fazer. É ótimo ouvirmos isso; é com filho, com mãe, com irmão… Está escrito que vai haver dissensão entre o homem e seu pai, então não é coisa que estamos inventando ou jogando praga. Quem tem que entender é a gente.
O pai contra o filho que converteu e vice-versa. Aquele que tem Deus tem o outro como inimigo. E como você trata inimigo? Quem tem que ter paciência, bondade, se humilhar? Já pensou você se humilhar, calar para o filho? Você vê uma coisa bonitinha, que você perde a noite vigiando e amanhã tem que se humilhar pra ela. Ela vai mentir, enganar… Você fala: não tem lógica! Lógica realmente não tem!
Se quisermos a nossa salvação é assim, não se iluda. Chega lá na frente ainda tem o problema de querermos colocar a culpa… Aí começa alimentar mais ainda o inimigo. Começa jogar um contra o outro. Magoa, ofende, começa chorar. Você pensa: mas mãe não faz isso, pai não faz isso!
O que vocês acharam da reunião de casais?
Um irmão – Uma bênção. Deus abriu nossos olhos, nos fez entender; porque, às vezes, a gente briga com a pessoa e não é a pessoa, é o espírito; e no mundo acontece isso, é um matando outro porque fica contra carne.
No mundo é assim, e entre nós?
- Do mesmo jeito. Agora a gente vai ver que é o espírito. Graças a Deus.
Se você quiser se salvar no meio dessa… Deus disse que você foge da cobra e esbarra no urso, no leão… Esse Evangelho que ensinamos aqui não é qualquer um que aguenta. Dou liberdade pra qualquer um contradizer. Sossegar mesmo, só quando você tiver cercado de flores por todos os lados. Mas isso não quer dizer que a pessoa não vai casar, vai se casar. Agora, precisa aprender a viver como casal.
Ramiro – Como o senhor falou: o Evangelho é de arrebentar. Eu ia até perguntar por que o senhor está rindo. É desse jeito, a gente não pode discordar, na realidade é o diabo, e a gente não pode lutar contra a carne. Falar é fácil, até papagaio fala, quero ver na hora de dizer que é o diabo e ficar quieto, é muito difícil. Por isso é que tem que orar e pedir ajuda à Deus, porque se a gente não souber disso, acaba destruindo a carne e o espírito sai dali e vai em outro.
Às vezes ri pra não chorar. Deixo para chorar à hora que estiver sozinho e que eu abrir o meu coração para Deus, aí eu reclamo e choro.
Quando estamos falando, abrindo os olhos da igreja, não queremos oprimir a igreja, pesar o fardo. Queremos que a igreja seja madura, inteligente, não se deixe levar. Porque fico com dó, pena, quando vejo o inimigo pisando, machucando, quando a solução é tão fácil. Resiste o diabo e ele foge, acabou o problema. Humilha para seu filho, vira a face para sua esposa(o), deita no chão e deixa passar em cima. Não resistas ao mal; se você tentar querer resistir, explicar, falar, não tem nada que convence… Você querer explicar para o inimigo, porque ali é um inimigo, você está perdendo seu tempo. A hora de resistir ao diabo é a hora de se humilhar, calar a sua boca; o máximo que você pode fazer é fugir para o seu cantinho, para o lugar de oração. Fala para Deus, com Ele você pode falar tudo. Nós temos um sumo sacerdote no céu que você pode falar tudo pra Ele, confessar seus pecados: “Senhor, eu realmente estou magoado, estou profundamente chateado, fui cuspido, pisado, chutado…” Pra Deus pode falar, só para Ele, ninguém pode ouvir. Para Deus você vai falar de uma forma mais decente, sem briga, sem confusão. Ele vem, mostra um salmo, uma palavra que, às vezes, Ele passou. Você chora bastante, sai dali aliviado. Daí um pouquinho seu filho vem, te abraça, senta no seu colo. Daí um pouquinho você vai ter dó, pena do seu filho. Eu preciso ajudar meu filho, preciso ajudar minha mulher, coitado do meu marido. Isso depois da oração, depois que Deus convenceu você. Ele veio e te convenceu que tem que ser desse jeito. Acabou, não tem briga, confusão, volta ao normal. Esse é o verdadeiro caminho.
André – E se a pessoa já tiver agravado, falado alguma coisa que atingiu, ofendeu, já tiver lutado contra carne.
Se você acordar em tempo, antes de matar um ao outro… Lá fala assim: “corrige seu filho, não para o matar…” Eu diria: corrige sua mulher, sua casa, antes que você acabe com ela. Se você percebeu em tempo de voltar atrás, volte. Compensa porque é a sua salvação, mesmo que você não salve a mulher, mas pelo menos você se salva porque voltou atrás, pediu perdão, reconheceu sua falha. Mas não faça mais aquilo. Está escrito assim: “aquele que se arrepende do seu pecado e o deixa…” “Eu posso fazer que depois peço perdão,” não é assim, não brinca com coisa séria. Você realmente se arrependeu, houve compulsão, arrependimento. Eu não queria fazer isso, o diabo me venceu, era para suportar isso, era pra aguentar isso. O diabo me venceu, me fez reagir. Ainda tem tempo. Graças a Deus que Deus nos deu as armas. “Deus nos tem dado tudo que diz respeito à salvação” (II Pedro 1:3).
Não tem situação que você não resolva com Deus, com oração, com a palavra, com obediência ao Evangelho. Mas é preciso levar realmente a sério. Seja com quem for, família, patrão, vizinho, porque se o inimigo não conseguir de uma forma, vai tentar de outra. Tem coisas que vem de fora, vem de encomenda.
Ajudou Dilza? Você tem dois filhos, é fácil? Não é. E você imaginava que eles iam dar o trabalho que dão?
Dilza – Quando pequenos são tão engraçadinhos, e hoje a gente fala algo e eles têm a resposta na hora. Na verdade a gente desconhece, não é o dia todo, mas acontece. É difícil.
Se você não usar as armas certas… Meu Deus, o que é a natureza humana! Depende muito da nossa sabedoria, do nosso Evangelho, se é que você quer se salvar e salvar a sua casa, seus filhos, sua mulher, seu marido. .
Dilza – Se conseguirmos salvar pelo menos a gente, já está de bom tamanho.
Deixa os filhos encaminhados. Júnior, suas considerações finais.
Walfredo Júnior – Foi muito esclarecedor, importante. É realmente uma palavra tremenda, uma profecia que se cumpre toda hora, todo dia. Se a gente ouvir, guardar o que foi falado aqui, vai nos ajudar muito nessa luta que é difícil, mas que precisamos vencer. Vamos continuar ali com o filho, com o pai, com a esposa e continuar bem, não é só continuar. O Artur está ficando grande, pegando corpo, e esses dias ele aprendeu e começou a me tratar de homem pra homem. Me chamou: Moço! Mas moço! ’Ele me chamou atenção. A Dilza não gostou muito não, ela me chamou e disse: ‘se você não meter a mão nele agora, ele não vai te respeitar mais nunca’. Eu falei: não é possível! Se ele for me respeitar agora por eu meter a mão nele, eu estou perdido. Vou mostrar pra ele que sou moço, mas sou um moço diferente. Ele vai ter que entender isso pelo que falo, passo com ele, pelo carinho, respeito que dou à minha casa. Ele vai ter que ver isso em mim. Não vou bater nele por isso não! Não é fácil realmente ouvir um “moço” como ele estava falando, mas eu percebi que aquilo estava querendo criar algo entre nós, mas graças a Deus não criou. Entre nós existe um relacionamento muito bom.
Ele usou um discípulo, naquele momento ele usou a Dilza, pra quê? Para chegar para o marido… Quantos maridos, para mostrar para as esposas que realmente são machos, vão lá e metem a mão na boca do menino. Pergunto: resolve? Vai resolver? Ou vamos irritar mais, distanciar mais, tornar aquela criança, aquele menino mais… Se ele era filho do diabo, vai ficar duas vezes filho do diabo. Não é assim?
Walfredo Júnior – Achei muito importante por causa desse detalhe. A Dilza me ajuda muito, ótima esposa, exemplo, mas no momento de descuido, ela foi usada. É isso que estou entendendo aqui, a importância de estarmos atentos, que isso vai acontecer hoje, amanhã e nós precisamos saber, não ir contra a pessoa, mas saber lutar, usar a arma certa contra aquele espírito.
Você estava comigo quando deixei o Fleury Neto?
Walfredo Júnior – Estava. Ele trocou só os lugares, parecia que ele era o avô e o senhor, o neto. O senhor agiu com muita paciência, mostrou carinho, amor… Quem fica observando, talvez até repreenda o senhor. Às vezes, algum demônio que está ali por perto vê a atitude do senhor e até repreenda o senhor. Mas quem está ganhando com Deus é o senhor. É assim que a gente ganha, perdendo.
Ele tem uma naturezinha… Ali realmente você vê que é o inimigo querendo esculhambar. Os meninos fazem a gente de gato e sapato. Principalmente os netos, mas cabe a nós agir com muita prudência porque ali não é contra carne. Por que falo que é mais fácil? Porque você pode repreender o espírito, mandar embora quantas vezes você quiser, mas o menino, o pai, você não pode. O pai que manda filho pra fora de casa está errado. Você tem que ajudá-lo, cuidar dele… Vai chegar um momento em que ele vai reconhecer. Deus vai salvar seu filho, sua casa, pelo seu procedimento, seu comportamento. Eu faço o possível, tenho feito o possível pra ajudar a igreja. Quero que vocês vivam bem, tenham a paz do Senhor, que apliquem as armas celestiais e vivam em paz.
Vamos curvar nossas cabeças.
Não estamos dizendo que isso está acontecendo em nossas casas. Certamente Deus está abrindo nossos olhos pra mostrar como que Ele deixou o mundo. Ele sabia da dificuldade que íamos enfrentar, da luta que não seria nada fácil, mas ele nos deixou os meios, a fórmula que devemos aplicar em cada situação. Temos uma orientação de Deus, e seja feita a vontade de Deus. Tenho certeza que ao alimentarmos da sua palavra, nós encontraremos força, disposição, coragem, capacidade para não só suportar, mas também ensinar, orientar, ser luz para os que estiverem em trevas, ser o caminho para aquele que estiver confuso, sem direção. Certamente o Senhor será nossa força, vida, nosso refúgio, esconderijo, nosso Deus tremendo. Ajuda Senhor, não deixa que essas coisas, por mais difíceis que parecem ser, possam nos intimidar, nos afastar do céu, desviar o nosso caminho. Nós te pedimos Pai, em teu nome, Jesus. Amém!

One comment

  1. Como é importante se entendermos esta lição. Vai mudar a nossa vida para sempre. Amém!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>