Free songs

Capítulo I Libertando os filhos de Abraão

Capítulo I

Libertando os filhos de Abraão

É um prazer, após tanto tempo juntos, receber mais uma vez os    irmãos em Goiânia. Fortaleza, Palmas, Paraíso, Araguaína, Mineiros, Pires do Rio, além da igreja local. Parece que teremos inclusive alguns irmãos de Brasília. Sejam bem vindos, a casa é de vocês, razão pela qual, dispensadas todas as formalidades, fiquem todos  à vontade, mesmo aqueles que estão vindo aqui pela primeira vez.

A começar de agora, todas as reuniões são importantes. É interessante que você participe e acompanhe a seqüência do que Deus vai falar conosco. As recomendações são as mesmas de sempre, creio que não é necessário repetir: horário das reuniões, do almoço e janta, alojamento do pessoal… Com o decorrer do tempo vocês serão inteirados da programação. Aliás, ela está afixada no mural. Dêem uma olhadinha durante o intervalo. Amém? Vamos ganhar tempo. Abra a sua Bíblia em Lucas 19:1-10:

“Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade.

Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico.

Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, porque era de pequena estatura.

E correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque havia de passar por ali.

Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa.

Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria.

Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador.

Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.

Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão.

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.

“Também este é filho de Abraão”. Na sua Bíblia está assim? Por que Jesus usou essa expressão? Nós temos notícia de outra pessoa que Ele tenha dito que era filha de Abraão? Quem se lembra? A mulher que há muito tempo andava encurvada. Então, vamos localizar onde está escrito. Vejam bem, comecem já a prestar atenção no que  Deus quer falar conosco. Se Ele disse: “também este é filho de Abraão”, é porque já tinha dito a mesma coisa antes em relação a alguém.

Ao dizer “filho de Abraão”, Jesus está se referindo aos filhos de Deus, àqueles que se encontravam perdidos e necessitados de salvação. A pessoa, a qual disse ser filha de Abraão, estava presa, amarrada e escravizada, mas era filha de Abraão e, conseqüentemente, filha de Deus. Leia para nós, Sirlei, o capítulo 13 do livro de Lucas, versículos 10 a 13.

 

“Jesus estava ensinando numa das sinagogas no sábado.

E estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade havia já dezoito anos; e andava encurvada, e não podia de modo algum se endireitar.

Vendo-a Jesus, chamou-a, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade;

e, imponde-lhe as mãos, ela imediatamente se endireitou e dava glórias a Deus…”.

E no versículo 16:

 

“E não devia ser solta desta prisão, no dia de sábado, esta que é filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás matinha presa?”

 

“Esta que é filha de Abraão”. Quando Ele fala com Zaqueu, diz também: “Porquanto também este é filho de Abraão”. Amém? E logo em seguida Ele diz: “Porque o filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”. Então, aquela mulher estava perdida, Zaqueu estava perdido. Não é assim? E quantos Deus veio salvar? Quantos não estavam perdidos? Agora, qual a forma que Deus usou? Preste atenção. O Silvano está acrescentando que Deus disse: “1 Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão”.

Nem todos que são filhos de Abraão, são filhos de Deus. Por quê? Porque Abraão tinha um filho que não era legítimo, não é? Seu nome era Ismael. Agora, Isaac era legítimo e seus descendentes são legítimos filhos de Deus. Por quê? Porque ali, em Isaque, Deus elegeu sua descendência. Mas, e agora? Qual é a nossa situação? Somos filhos de quem?

Zaqueu era um homem rico, chefe de publicanos, era um pecador. Jesus, inclusive, foi censurado quando entrou na casa dele. “Porque come e bebe ele com os pecadores?”2  Mas é exatamente este o mistério de Deus, querendo e fazendo tudo para salvar o pecador. E o diabo? Fazendo tudo para impedir a recuperação dos perdidos. De que maneira ele vai agir para impedir a nossa salvação? O que Zaqueu pensou logo em fazer? Veja você mesmo:

“Dou aos pobres metade dos meus bens”. Não foi isso que Zaqueu disse? O que o diabo fez para escravizá-lo? Deu-lhe muitos bens. E como ele fez para escravizar aquela mulher? Colocou nela uma enfermidade, deixou-a numa situação difícil, sem a necessária liberdade para servir a Deus.

Aquela mulher, então, também tinha uma dificuldade enorme para se relacionar com Deus por causa de sua enfermidade. Você que tem a saúde perfeita já passa por diversas lutas, imagine, então, alguém na situação daquela mulher. Ontem mesmo na vigília, nós estávamos aqui, e quantos não queriam louvar a Deus, mas não eram capazes. E por que não conseguiam? Certamente alguma coisa os impedia de assim proceder. E o que estava tirando a sua liberdade, era um bem ou um mal? Um mal! Poderia ser uma doença, uma riqueza, uma mágoa, um relacionamento mal sucedido, e assim por diante.

Olhe para você perceber a distância de uma coisa para a outra. Não é? No caso de Zaqueu, tinha ele algum problema relacionado com doença? Parece que não, mas se encontrava escravo de sua riqueza e não podia servir a Deus livremente. Quando recebeu a visita de Jesus, certamente O ouviu falar e o Espírito Santo o fez entender, imediatamente, o que deveria fazer para se libertar, levando-o a pensar o seguinte: “Eu vou fazer de tudo para me livrar dessa riqueza”.

Então, meu irmão, enquanto Deus nos oferece a liberdade, Satanás, com suas idéias, nos serve de tropeço3 . Não foi isso que ele quis fazer com Jesus? Assim, fica claro o desejo do diabo em nos manter sob o seu poder4 . Sem nos dar tempo a pensar, nos impõe alguma coisa: religião, enfermidade, riqueza, pobreza, fama, etc. Todavia, sendo Jesus a luz que veio ao mundo para nos iluminar, abrir os nossos olhos, nada disso pode nos impedir de conquistar a nossa liberdade.

Muito cuidado! Amém, gente? O que nós vamos trabalhar nestes dias é nesse sentido. Quem sabe você descobre que está preso em alguma coisa.  Deus quer uma igreja totalmente livre. Tanto faz aqui, em Paraíso, em Palmas, em Fortaleza, seja lá onde for, Deus quer um povo livre para serví-lo. Ninguém pode servir a dois senhores5 . Livre de marido, mulher, filhos, pai, mãe. Olhe, não é fácil! É ter como se não tivesse.

Muita gente pode se escandalizar com isso, mas é verdade. Por exemplo: sendo eu escravo da minha esposa ou vice-versa, podemos ser felizes no casamento?6  É um desafio ou não é? É um desafio para esta igreja. Deus está levantando um povo que nestes dias consiga ver do ponto de vista dEle.

- Onde está a irmã que na primeira reunião teve uma visão, eu gostaria que ela a contasse aqui. É uma visão pequena, mas importante. Nós estamos aqui com liberdade, ninguém está pagando nada, graças a Deus por isso! Tudo, quase tudo de graça. Amém, aleluia!

- Na visão tinha um homem todo vestido de branco, só que eu não vi o rosto dele. Ele chegava para mim e dizia: “Eu vou te mostrar a minha planta, como ela era, como ela está sendo e como ela vai ser”. E me mostrava uma semente e nesta semente estava toda igreja dentro. Aí, ele a plantava, a aguava e ela ia crescendo. Ela chegava até uma certa altura, não muito grande, média; e Ele dizia: “Ainda tão pequena e já produz tantos frutos. E desses frutos já nasceram outras plantas, e ela ainda vai crescer muito mais e dará muitos frutos”. (Ir. Emanuela- Ed.)

- O que vocês entenderam? Era uma semente e Ele falou: “Vou mostrar como ela era, como é e como vai ser”. Era uma semente e, dentro da semente, ela via a igreja. A semente foi plantada e ela viu uma planta, era como se fosse um jardim. O detalhe do jardim…

- Era como se fosse um jardim. Aí, Ele aguava a planta e ela crescia, não muito, como se fosse uma árvore. Ele falava: “Tão pequena e já produzindo tantos frutos; e desses frutos outras plantas”. Havia outras plantas, um pouco longe, e Ele falava: “Mas ela ainda vai crescer muito mais e dará muitos frutos”. (Ir. Emanuela – Ed.)

Então, é isso aí, é um começo, vai depender de nós, do nosso entendimento para que a planta continue crescendo. Ele disse que ela vai crescer, queira você ou não, ela vai crescer. Se não quisermos, vai crescer assim mesmo. Agora, se nós quisermos, podemos fazer parte dela. Um outro detalhe que Ele disse: “Ainda tão pequena e já tem dado muitos frutos, mas ela vai dar muito mais ainda, ela vai crescer, vai ser uma árvore”.

Amém, gente? E ela já tem crescido, se não cresce mais é por causa dos grilhões, das correntes, dos inúmeros filhos de Abraão presos em alguma coisa, e assim ficam impedidos de servir a Deus. Nós estamos ainda presos, amarrados, embaraçados. Um deles sou eu. Quem teve o sonho do elástico? Cadê a Lucimar? Está embaraçada onde? (Sorrisos – Ed.) Está ali, vamos  ouvir o sonho. Então, vamos ouví-lo para mostrar a vocês que o que falamos é verdade. Não resolve esconder. Eva quis encobrir o seu pecado, mas de nada resolveu. Vamos ouvir o sonho.

- Sonhei que o senhor estava em um lugar, era um caminho, mas estava muito embaraçado. Sabia onde era a saída, como saía dali, mas não conseguia chegar até lá, porque tinha uns elásticos e era como se eles impedissem o caminho. Eles passavam  nas pernas, nas mãos, e o senhor não conseguia sair. Quando conseguia tirar uma perna, a outra ficava presa; quando conseguia tirar uma mão, a outra estava presa, e começava a se embaraçar na roupa, no cabelo… Mesmo assim, com dificuldades, o senhor ia rompendo. De repente, o senhor colocava a mão no bolso e achava um celular pequenino e, através dele, ligava para o Welmo, dizendo: “Eu estou meio embaraçado com algumas coisas e não vai dar tempo de chegar para começar o encontro. Comece o encontro você mesmo”. O Welmo respondia:  “De jeito nenhum! Têm coisas que só o senhor pode fazer; a igreja está esperando o senhor vir para cá. Dê um jeito de se desembaraçar e venha imediatamente, não há outro jeito”. O senhor olhava e falava: “Eu estou vendo a saída, mas minhas pernas e braços ainda estão presos”. O Welmo insistia em falar: “Negativo! Dê um jeito de vir, desembarace-se e venha começar o encontro”. (Ir. Lucimar – Ed.)

Era elástico? Não era um arame farpado? Tem certeza? (Sorrisos – Ed.). Não se tratava de algo que machucava tanto, mas me prendia.  Nós estamos embaraçados, e não precisa ser muita coisa, não. Às vezes é um elástico, mas prende. Em alguma coisa estamos sempre embaraçados, e por isso dificultamos o crescimento, o andamento da obra de Deus. O que será que simbolizava aquela coroa de espinhos para Jesus? Não seria algo que O machucava muito, assim como o fel, o vinagre e a lança que O transpassou?

Dando continuidade ao que estávamos falando, vamos abrir em Lucas 19:11-13. Pela fé em Jesus você recebe poder para voltar à verdadeira condição de filho.7  O que você precisa? Desvencilhar-se, desembaraçar-se. Concordam? Todos precisamos ficar livres das ligaduras, cordas, correntes que nos prendem. Daqui para frente, você vai descobrir que tem uma obra a fazer. Zaqueu e a mulher enferma não imaginavam que o diabo os havia prendido naquilo.

“Ouvindo eles isso, prosseguiu Jesus, e contou uma parábola, visto estar ele perto de Jerusalém, e pensarem eles que o reino de Deus se havia de manifestar imediatamente.

Disse pois: Certo homem nobre partiu para uma terra longínqua, a fim de tomar posse de um reino e depois voltar.

Chamou dez servos seus, confiou-lhes dez minas e disse-lhes: negociai até que eu volte…”.

Zaqueu estava preso, envolvido com o que não era reino de Deus, e Jesus queria libertá-lo. Para quê? Para que ele pudesse trabalhar, se envolver com o reino de Deus. Nós estamos presos em muitas coisas e, como eu já falei agora mesmo, pode ser até por uma enfermidade. E, com isso, somos impedidos de trabalhar, servir a Deus. Quanto mais o diabo vai tirando a nossa liberdade, mais distante vamos ficando do reino de Deus. Os fariseus, caminhando para Jerusalém, logo quiseram saber, imaginando que o reino de Deus seria estabelecido naqueles dias: “Onde fica o reino de Deus?”.

Se Jesus de fato era o rei, o messias – pensavam eles – Ele iria assumir o lugar de Herodes, estabelecer metas para um bom governo. Percebendo o engano, Jesus contou a parábola. “Certo homem partiu…”. Ele estava contando uma parábola do que ia acontecer, que Ele ia se ausentar, tomar posse do reino, mas um dia voltaria. Enquanto isso, deixaria algumas pessoas que estariam trabalhando, tomando conta do reino de Deus.

“O filho do homem veio para salvar o que se havia perdido”. Pecador, portanto, é aquele que um dia foi filho de Deus, obediente, mas hoje, cego, iludido, enganado, vive na desobediência, na rebeldia, a esses o Filho veio buscar e salvar; ao ouvirem a voz de Deus, nela crerão, pois que se trata de uma voz inconfundível, a voz do legítimo pai.

Alguém que não é o nosso Deus, cuja voz é diferente, se faz de pai, para nos enganar, quando, na realidade, dele muitos não são filhos. Estes são os presos que Jesus Cristo veio libertar, remir. Só se salva aquilo que está em perigo ou numa situação muito ruim.

Jesus, a figura do filho de Abraão, eleito por Deus, estava começando o reino de Deus, e o diabo sabia disso. Por que Herodes quis matá-lo, impedí-lo que crescesse, se manifestasse? Porque o diabo não queria perder o reino que havia conquistado. Concordam? Embora Jesus fosse homem como nós, foi preciso crer no que estava escrito a respeito dEle: “Eis aqui estou, no rolo do livro está escrito a meu respeito…”.8

Então, Ele contou essa parábola para explicar o que iria acontecer com as pessoas envolvidas com o reino de Deus. Está escrito: “Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas do mundo”.9

Por que todo esse cuidado? Porque senão você vai perder o reino de Deus. Amém? O tempo que nós temos para alcançá-lo é agora. Passou esse tempo, acabou. O reino de Deus existe na terra? Existe, mas a sua manifestação ainda não aconteceu. No entanto, Deus tem algumas promessas e, aos poucos, no decorrer das próximas reuniões, vamos tomar conhecimento  de algumas. Porque não se percebe com clareza o reino de Deus?

- Porque o povo que deveria trabalhar em prol dele está preso, embaraçado. (Ir. Everardo – Ed.)

- O povo está acorrentado. (Ir. Júnior – Ed.)

E o que Deus quer fazer conosco? Deus quer nos libertar. Não adianta esconder e dizer: “Não, eu não estou preso”. Todos nós estamos, não somos livres para fazer o que queremos. Quantos não estão participando desse encontro porque a mulher, o marido, ou patrão não permitiram? Pessoas cheias de talentos, de qualidades, de virtudes, mas que se encontram presas. Vocês concordam que nós poderíamos fazer muito mais?

Por isso Jesus veio e contou essa parábola, dizendo que se ausentou e nos deixou a responsabilidade de cuidar de seus valores, negociar aquilo que nos foi entregue, mas nós temos perdido a oportunidade. O diabo, que é inteligente, continua com a mesma astúcia e sabe como usar as coisas terrenas para nos impedir de buscar o que é lá de cima. Assim, os dias de nossa carne se passam e o nosso tesouro no céu não chegou a ser edificado.

O reino de Deus começou naqueles dias, mas se encontra prejudicado hoje. Mas, se nós nos levantarmos, como foi mostrado na visão, que esta igreja ainda vai dar muita alegria a Deus, nós vamos permitir que as cordas, que as correntes nos embaracem? Faça um exame de sua consciência e veja o que produziu para Deus este ano.

Do encontro passado para cá, o que nós produzimos para Deus foi muito ou pouco? E para nós mesmos, para o mundo? Meu irmão, Deus te deu, você tem talento, capacidade de fazer, de trabalhar para Deus. Se você não trabalhar para Deus, mostrar qualquer tipo de fraqueza, medo, receio, esconder seu talento…

Quando chegar o fim, vamos justificar de que forma? Por que não fizemos, se tudo o que nós precisávamos Deus tinha nos dado? Um foi cuidar da junta de boi, o outro do casamento, o outro do campo, e todos se deram por escusado.10  É exatamente isso o que acontece, o diabo nos prende ao trabalho, ao estudo, ao dinheiro, o tempo passa e nós não fizemos nada.

- Everardo, como é que está a igreja em Palmas? Você já me adiantou alguma coisa, mas eu gostaria que você  falasse a toda igreja.

- A igreja melhorou bastante. (Ir. Everardo – Ed.)

O encontro que houve em Palmas sacudiu, animou, renovou a fé da igreja local. Vamos trabalhar nestes dias no sentido de melhorar a situação das igrejas. Nascemos para fazer a obra de Deus. Vamos melhorar, eu tenho certeza disso.

A igreja de Palmas está empolgada, que não seja fogo de palha, edifiquem a vida de vocês sobre a rocha. Em Goiânia, graças a Deus, nós temos um fundamento, pois aqui o vento sopra violenta e constantemente; talvez vocês nem imaginem o quanto, mas também não poderia ser diferente. Não estamos reclamando, pelo contrário, se existem as lutas, as perseguições, é porque estamos na direção correta. “E, na verdade, todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições”.11  Não é assim? Mas agora você sabe onde está o reino de Deus e de agora para frente vamos trabalhar em cima disso. O reino de Deus está em você. Eu tenho certeza de que Zaqueu, a partir daquele dia, pode ver, sua vida mudou. O mesmo aconteceu com a mulher, depois que foi curada daquela enfermidade.

Se o sal não cumprir o papel dele, que é salgar, para nada mais ele presta, senão para ser pisado.12  Não foi isso que Jesus disse? Onde Ele se refere ao sal, entenda como sendo você. Se você perder o sabor, você vai ser pisado. Meu irmão, não espere ser pisado, não. Uma outra comparação ao se referir à igreja foi como sendo a luz para o mundo.13

Se a luz que houver em nós for trevas, estamos confirmando a nossa perdição. A garantia que temos é o nosso crescimento, o nosso desenvolvimento. Vamos aproveitar ao máximo as reuniões, os intervalos e tirar todas as dúvidas. Nós somos o reino de Deus porque Ele tem tido a liberdade de nos guiar.

Eu me lembro de que quando o ladrão estava na cruz, pediu a Jesus que se lembrasse dele quando estivesse no Seu reino. Jesus respondeu: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”.14  O que Ele quis dizer com isso? Que o reino de Deus era o Paraíso. Significa que, ao alcançarmos o reino de Deus, estaremos no Paraíso. Você não vai querer outra coisa? Não vai! Vamos repetir, Carlinhos, Sidnei, todos nós. O José Alves achou tremendo.

- Então, fale para nós, José.

- O ladrão pediu: “Lembra-te de mim quando entrares no Teu reino”. Jesus respondeu: “Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso!” (Ir. José Alves – Ed.)

- O que foi que nós perdemos?

- O Paraíso. (Ir. José Alves – Ed.)

E nós, aqui, envolvidos, iludidos com coisas tão pequenas e de tão pequeno valor, perdemos o Paraíso, onde vivíamos na companhia de Deus e dos anjos. Como era lá? Tinha sofrimento, prisão, trabalho, dor, decepção, vaidade? Não, não tinha. Carnaval, choro, covardia, inveja, ambição, orgulho? Não, nada disso existia. Queremos que tudo ocorra da maneira como planejamos, que as pessoas nos amem, que os nossos filhos nos respeitem, mas é contrariedade sobre contrariedade, decepção sobre decepção, fazemos o possível para viver bem aqui.

Muitos chegam ao extremo de se isolarem de tudo e de todos, mas nada disso resolve por causa do pecado e o pecado está em nós, desde o nosso nascimento: “Eis que eu nasci em iniqüidade e em pecado me concebeu minha mãe”.15   Não é assim que está escrito? Já nascemos em pecado, que coisa terrível!

Então, meus irmãos, a terra que ora existe não pode ser o Paraíso por causa do pecado. Logo, se no Paraíso não haverá pecado, também as conseqüências dele não serão mais sentidas por nós. Estão entendendo agora por que Jesus afirmou ter vindo para salvar o que havia se perdido? Deus quer nos levar de volta para o Paraíso, e para isso Ele tem que nos libertar. Seja elástico, cordão, corda, arame liso, arame farpado, corrente, seja o que for.

Será que Jesus estava exagerando quando disse: “…vende os seus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu?”16  Será que esse conselho é apenas para o jovem rico ou serve para nós também? Como nós vamos fazer para conseguirmos isso? É buscando a Deus, não é tapando o sol com a peneira, escondendo, justificando. Bastou uma conversa com Jesus para Zaqueu chegar à conclusão de que ele necessitava se desfazer dos seus bens.

Quanto mais envolvidos com este mundo, mais longe ficamos do reino de Deus. Vamos orar, pelejar por toda a igreja. Tem alguma passagem que confirma o que eu estou falando? Apocalipse 21:1-4.

 

“E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe.

E vi a Cidade Santa, a Nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo.

E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.

Ele enxugará de teus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor, porque as primeiras coisas já são passadas”.

 

Todas as experiências que tivemos com este mundo ficarão por aqui: dor, morte, lágrimas. Tudo isso acontece é simplesmente por estarmos fora do Paraíso. Quem em sã consciência não desejaria voltar para lá? Se você não tinha nenhum estímulo para desejar o reino de Deus, agora já tem. Deus permite passarmos por algumas situações difíceis, constrangedoras, senão quem vai querer deixar este mundo?

O povo de Israel, durante quatrocentos anos, permaneceu escravo no Egito, mas sabe quando foi que ele clamou a Deus para  sair de lá? Quando não mais pôde suportar o jugo de faraó, o sofrimento, o trabalho forçado, etc.17  Sabe por que o ladrão fez aquele pedido a Jesus? Porque, quando ele se viu naquela situação, preso numa cruz, se relembrando de tudo o que houvera feito até ali, sem qualquer esperança, ele não tinha outra alternativa. O ladrão, então, realmente se arrependeu. Mas, se ele descesse da cruz e alguém dissesse: “Ainda tem uma saída para você…”.

Vocês concordam que ele poderia perder a salvação? Feliz dele que teve aquela oportunidade, não foi perseguido, não produziu fruto algum, apenas creu. Situações completamente diferentes viveram outras pessoas: Paulo, Pedro, Estevão, João, que, com muita dificuldade, conquistaram sua salvação. Deus, quem nos chamou, é quem sabe qual o cálice que cada um terá que beber.  O cálice de Pedro não foi o de Paulo, como o do ladrão não foi o de Estevão.

Quando aquela mulher se aproximou e pediu que os seus dois filhos, um se assentasse à esquerda e outro a direita de Jesus quando viesse o reino dEle, respondeu: “Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber?”.18  Assim também acontece entre nós, e não estamos reclamando de ninguém, não. Tem pessoas que simplesmente vão crer para a sua salvação, outros pagarão um preço maior, sempre foi assim.

Dessa forma, qual o nosso grande problema? Ainda gostamos daqui, as coisas estão boas demais, depositamos aqui nossas esperanças: a televisão de vinte e nove polegadas está funcionando direitinho, o carro está na garagem, o pagamento está em dia. É por isso que Jesus derrama a ira dEle sobre a terra hoje e nos livra deste mundo, ainda estamos presos a ele.

- Fale alguma coisa, Júnior.

- Nos motivou bastante saber que estamos voltando para onde nós saímos. É algo que não podemos perder, pelo amor de Deus! (Ir. Júnior – Ed.)

- O inimigo vem e oferece alguma coisa para nos atrair, não é isso, Júnior? Glória, emprego, dinheiro, sucesso. Por isso temos que vigiar, ficar atentos. Vamos ouvir o que o Paulinho tem a dizer.

- Eu estava me lembrando de quando o povo de Deus saiu do Egito, ele estava sempre olhando para trás. A situação não mudou, estamos presos às mesmas coisas. (Ir. Paulinho- Ed.)

É verdade! Se não estivermos trabalhando para que o reino de Deus venha a nós e a vontade dEle seja feita aqui na terra, é sinal de que estamos embaraçados em alguma coisa. Vamos encerrar. Eu acredito que, por se tratar de apenas a primeira reunião, já foi bastante aproveitável o que ouvimos hoje. Amém? Se sinto que estou preso, o que eu devo fazer? Pedir: “Senhor, tenha misericórdia de mim, liberte-me”. As minhas orações serão nesse sentido. “Senhor, solte as correntes que me prendem, as cadeias que me seguram…” .

O mérito consiste em exatamente reconhecer que ainda necessitamos de salvação.  Meu Deus, tenha misericórdia de nós. É a sua oração, o seu clamor, a sua vontade. Se você mãe, pai, irmão, percebe alguma coisa que pode ser um laço, uma armadilha que o inimigo fez para te afastar do Paraíso, onde você teria uma vida muito melhor, abençoada, lance fora. É um engano, um erro, uma ilusão, uma cilada, um laço. Peça a Deus: “Senhor Jesus, abra bem os meus olhos, me faça ver; se eu conseguir, ver o que o Senhor quer me mostrar, vai ser importante demais para mim. Eu quero fazer, Senhor, como fez Zaqueu, eu quero te convidar para entrar na minha casa, não quero esconder o que eu tenho lá. Não posso esconder do Senhor os meus pecados, o que está dentro de mim. Venha e entre na minha casa, habite no meu coração, faça morada em mim”. Como o ladrão pediu, eu também quero pedir: “Lembre-se de mim, eu preciso do Seu apoio, da Sua ajuda, tenha misericórdia de mim, para que eu possa entrar triunfalmente no Paraíso, oh, meu Deus!”

Não vou desistir de caminhar, ao lado do Senhor

Não importa se estou, em meio ao deserto, perto estás, Senhor

Não vou, me calar, quero expressar o meu amor por Ti, Jesus

Pois nasci para vencer, não vou retroceder

Porque, Senhor, Tu estás comigo

Tua graça me conforta, Teu amor me renova

Porque, Senhor, nasci para vencer…

Continue ouvindo a canção, não é por força, não é por mérito, mas sim pela fé, é sentir o que o ladrão sentiu. Por um instante ele se  esqueceu de  que era um ladrão, um pecador, para se tornar um filho de Deus. Zaqueu não quis olhar para dentro de si, ele chamou Jesus, quis vê-lo de perto. Jesus disse: “Hoje, Eu vou à sua casa”. Deus quer entrar na sua casa, no seu coração, Ele sabe tudo a seu respeito, não precisa esconder absolutamente nada. Estamos encerrando em nome de Jesus. Eu sei que Ele vai confirmar a palavra pregada através de sonho ou visão. Peça a sua libertação…

Notas:

1 João 8:39

2 Marcos 2:16

3 Mateus 16:23

4 Atos 26:13

5 Mateus 6:24

6 I Coríntios 7:29

7 João 1:12

8 Salmos 40:7

9 I João 2:15-16

10 Mateus 14:15-24

11 II Timóteo 3:12

12 Mateus 5:13

13 Mateus 5:14

14 Lucas 23:43

15 Salmos 51:5

16 Mateus 19:21

17 Êxodo 2:23-24

18 Mateus 20:22

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

PovodeDeus.org
Enviar via WhatsApp