Free songs

CAPÍTULO VIII-  IMPORTUNANDO A DEUS PELO ESPÍRITO SANTO

CAPÍTULO VIII

IMPORTUNANDO A DEUS PELO ESPÍRITO SANTO

Vamos abrir as nossas Bíblias em Lucas Capítulo 11, versículos 5 a 13.

A parábola que vamos ler fala da importância de pedir o Espírito Santo. É preciso importunar, insistir. Vamos ler!

 

“Disse-lhes também: Se um de vós tiver um amigo, e se for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois que um amigo meu, estando em viagem, chegou à minha casa, e não tenho o que lhe oferecer; e se ele, de dentro, responder: Não me incomodes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para te atender; digo-vos que, ainda que se levante para lhos dar por ser seu amigo, todavia, por causa da sua importunação, se levantará e lhe dará quantos pães ele precisar. Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á.  E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” [Lc 11: 5-13]

Amém? Nós temos aprendido muito. A cada dia a gente aprende um pouco mais sobre o Evangelho, sobre o que Deus quer através do Evangelho, o que ele significa. Aos poucos nós vamos descobrindo os mistérios de Deus. Domingo, por exemplo, nós falamos a respeito da prudência, o que é a prudência. Foi lida aquela parábola que fala das virgens néscias e das virgens prudentes. Hoje, inclusive, conversando com o Welmo, ele me fez a seguinte pergunta: “Irmão, se as dez eram noivas e virgens, porque cinco delas ficaram de fora?”. Eu disse a ele que não basta ser a noiva, assim como não basta ser virgem, é preciso ter prudência. Você pode colocar tudo a perder numa questão de segundos.

Jesus disse: “Permaneça em mim  e eu permanecerei em vós.” Isso significa permanecer em Cristo enquanto você viver. Enquanto você vive, deve permanecer. Então, eu dizia o seguinte: é uma parábola. Tudo o que Deus fala nas Escrituras é ensinando você, abrindo seus olhos e te mostrando. Ali, é uma parábola e, daquela parábola, nós tiramos o ensinamento. Logo, você imagina que está com tudo, ou seja, está impecável, virgem, noiva – faz parte da noiva crer – mas, ainda assim, Deus quer te ensinar mais uma coisa, não é? Ainda assim, Deus quer abrir um pouquinho mais os seus olhos, para que você, mesmo sendo toda essa formosura que você imagina, não venha a cair. Deus chama a atenção para que, mesmo você tendo suficiente fé, suficiente carinho para com as coisas de Deus; mesmo estando compromissado com as coisas de Deus, vigiando, orando, estando atento a tudo, amando, procurando fazer tudo; mesmo assim, Deus quer que você tenha prudência. Deus quer que você seja prudente. E, o que é prudência? É ter cuidado, atenção, cautela, precaução. Aí que você tem que ter cuidado, atenção, não é? Deus mostrou que aquelas virgens não tiveram cuidado suficiente; eram virgens, eram noivas mas, mesmo assim, houve um descuido, uma falta de atenção. Vocês já viram como determinadas pessoas são inconseqüentes? Elas vêm fazendo tudo certinho  e, de repente, põem tudo a perder. Assim aconteceu com as virgens néscias. Bastou isso para que elas dormissem, e as outras, então, levassem vantagem sobre elas.

É isso que Deus quer dizer para nós: “Você deve ser prudente, deve estar prestando atenção, vigiando”. Na verdade, ninguém está preparado o suficiente enquanto estiver neste corpo. Vocês se lembram de homens importantes, que começaram uma vida e vocês imaginaram que iriam longe. Por exemplo, nós tivemos o caso daquele evangelista que pregava na televisão, fazia com que o mundo inteiro assistisse aos seus programas, tinha tudo na mão. Ele foi o Jimy Swegart. O que faltou para ele, não é? A prudência é isso, é atenção, é cuidado! Eu pergunto para você… Não é sobre isto que eu quero falar não. Você está com uma veste, um terno branco, sapato bem engraxado, gravata, camisa branca; o outro vestido de calça jeans, tênis, camiseta. Quem tem que ter mais cuidado com a roupa? Quem está de jeans, camiseta, quando entra no carro, não quer saber se ele está empoeirado ou não. A pessoa entra e se assenta. Mas, uma pessoa vestida com terno branco vai olhar, ou pelo menos deveria olhar onde se assenta, onde vai colocar o braço. Ela não vai colocar o braço ali no carro sem olhar, sem ver se ali está limpo. Ela não vai se assentar em uma cadeira sem antes olhar se está limpa. Ela tem que ter muito mais cuidado, muito mais atenção, verificar onde pisa, mais do que a outra pessoa, concorda? Ela não está de tênis, calça jeans, camiseta. Amém?

Assim, também nós devemos pensar com relação a Deus. Quanto mais você está perto Dele, quanto mais você se sente santificado, aperfeiçoado, em comunhão com o Espírito Santo, com a presença de Deus, mais… Mais o quê? Mais prudência, mais cuidado. Você pode perder tudo isto. Normalmente, o diabo não derruba quem está deitado, não. Amém? Ele não derruba quem já está deitado, quem está longe de Deus. Amém? Ele vai, com certeza, tentar sujar, empanar o brilho daquele que realmente está lutando, pelejando. Não foi assim com Jesus? Não foi assim com Ele? Não é, Carla? Não é isso? É assim. Jesus fala por parábolas, mas visando o nosso entendimento. Isso se aplica à sua vida? Se se aplicar, tire para você o que serve, o ensinamento que te interessa, coloque em prática na sua vida. É só isso que Deus quer, mais nada. Então, eu disse para o Welmo que Deus quer abrir os nossos olhos quanto à necessidade da prudência. Se existe uma coisa que a igreja necessita é de prudência. Concordam? Qualquer passo em falso pode representar a nossa destruição. Prudência quer dizer cuidado, atenção, cautela, precaução. Não agir precipitadamente. Em tudo você tem que ter atenção dobrada. Se hoje nós temos um compromisso com Deus, se imaginamos que temos uma visão melhor, uma carreira a correr; se nós temos hoje uma palavra que entendemos ser uma palavra melhor, mais cuidado nós devemos ter, mais atenção à nossa vida, com o que a gente fala e escuta.

Vocês se lembram do que Deus falou domingo de manhã? Até que a gente chegue à estatura do varão perfeito, a homens incontamináveis, incorruptíveis, quem deve ter mais cuidado? Claro! Você tem que ter mais cuidado, a outra pessoa não. Ela chega, passa a mão em uma revista, olha e não tem que esconder; fala o que quiser falar, fala à vontade; junta quatro, cinco, seis em volta dela e fala o que quer; escuta, não tem que ter cuidado. Amém? Assenta-se na roda dos escarnecedores. Ouve o que as pessoas estão falando, acha bom aquilo, escuta piada, conta piada. Que cuidado ele tem que ter? Cuidado nenhum. Para quê? Mas você olha a sua veste, o seu comportamento. Eu estou falando isso aqui para quem tem Deus, nós estamos falando para quem tem o Espírito Santo, para quem ainda tem o Espírito Santo. Você tem que ter um certo cuidado, dobrar a atenção em tudo o que você fala. Ele mostrava uma diferença entre uma coisa e outra. Nós, que temos o Espírito Santo, não podemos agir como agem as outras pessoas. Era isto que Jesus estava lhes ensinando:

 

“Então, Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados e que os grandes exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; mas todo aquele que, entre vós quiser fazer-se grande, que seja vosso serviçal, e qualquer que, entre vós, quiser ser o primeiro, que seja o vosso servo, bem como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate de muitos” [Mt 20:25-28].

O cristão, o filho de Deus, realmente tem um compromisso com Deus, sabe o que está fazendo. Por exemplo, agora mesmo nós sentimos uma presença de Deus gostosa e dava vontade de não parar. Mas, eu tenho certeza de que muitos não sentiram, de que muitos ficaram apenas olhando. Amém? E não sentiu porque não quis, porque Deus estava e está  aqui. Não é? Deus esteve na terra e muitos não sentiram, não notaram a sua presença. Aí, quando Jesus morreu, depois de crucificado e enterrado, é que o povo foi entender quem era aquele homem: “E o centurião e os que com ele guardavam a Jesus, vendo o terremoto e as cosias que haviam sucedido, tiveram grande temor e disseram: verdadeiramente, este era o Filho de Deus”[Mt 27:54].

Amém, gente? É isso! É isso que faz diferença. A ninguém importa, a não ser a quem tem o Espírito Santo. Quem tem o Espírito Santo, ao ouvir alguma coisa que desagrada a Deus, se sente mal. Quem tem o Espírito Santo faz a diferença, pensa, age e reage diferente; ele tem domínio. Uns mais, outros menos, mas esse é o fruto do Espírito Santo. Quem tem o Espírito Santo tem esse fruto, mas o contrário acontece com quem não tem o Espírito Santo. Jesus disse: “Por seus frutos os conhecereis. Porventura, colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, e toda árvore má produz frutos maus” [Mt 7:16-17]. Quem não tem o fruto do Espírito Santo, não tem o Espírito Santo. Amém? Você vai conhecer a árvore pelo fruto. Eu acho que está bem claro o que eu estou falando. Não está bem claro? Está bem claro: quem tem o Espírito Santo e quem não tem. Amém?

Jesus está dizendo o seguinte: “Para você que quer o Espírito Santo,basta me importunar”. Ele comparou a uma pessoa que, estando em casa, sente a necessidade de pedir pães, porque havia chegado alguém em sua casa e ela não tinha. Assim, ele vai à casa de um amigo, a altas horas, ver se tem pão. Pense bem nisso, é uma parábola para você entender. É como se você fosse à minha casa, Ramiro, às três horas da madrugada, batesse na porta, me acordasse e dissesse: “Olha, lá em casa chegou um pessoal e eu queria ver se você tem pão”. Você chama lá de fora, toca a campainha e as pessoas estão dormindo; você toca outra vez, bate na porta e a pessoa não acorda. Você insiste, insiste até eu acordar. Aí, você grita:

–    Rossini, eu estou batendo aqui porque eu queria…

–    Mas, Ramiro, a essa hora, para pedir pão? Espere aí.

–    É o Ramiro, a uma hora dessas, atrás de pão – você comenta com a pessoa que está ao seu lado.

Será que ele não podia esperar amanhecer o dia e comprar lá na panificadora ou ligar para a gente? Mas, a essa hora?É assim que Deus quer que você faça. Assim, nós vamos nos levantar e não vamos ficar contrariados com o Ramiro, não. Nós vamos nos levantar, com a cara meio ruim,talvez, mas vamos nos levantar, e dizer a ele: “Ramiro, tem uns pães aqui, leve-os”. Ele está dizendo aqui: “Não é porque você é meu amigo, ou porque eu te considero muito que você não vai bater à minha porta de madrugada”. Mas eu tenho certeza de que o Ramiro não vai fazer isto comigo. Ele vai procurar pão em Goiânia inteira, mas não vai atrás da gente três horas da madrugada. Ele vai experimentar primeiro o supermercado que fica aberto a noite inteira; ele vai experimentar ali, ali e ali. Não é assim? Qualquer um de vocês faria a mesma coisa. Deus está dizendo aqui: “Pois vocês podem bater na minha porta”. É isso que Deus está dizendo, amém? “Pois vocês podem bater na minha porta a qualquer hora que Eu vou abrir”. É isso que Deus está dizendo aqui: “Peça o Espírito Santo, peça a qualquer hora, busque, bata na porta, porque Eu vou abrir para vocês. Me incomode, Eu quero que você me incomode”.  Deus quer ser incomodado. Não vai justificar se você falar: “Ah, Senhor, eu não quis amolar o Senhor”. Há muita gente que fala: “Não fique amolando Deus não”, “Olha, não é bom a gente ficar tentando Deus assim, amolando. Vocês amolam demais a Deus, vocês oram demais, reúnem demais, lêem demais”. Pois não tem nada disso, nada disso é demais.

Ocorre justamente o contrário. Deus quer realmente ser incomodado. Quanto mais nós o importunamos, melhor Ele acha. Ele quer ser incomodado porque sabe o quanto nós precisamos do Espírito Santo, o quanto Ele é importante para você. E, o que é o Espírito Santo? O Espírito Santo é a capacidade de que você necessita para agir, para produzir o fruto que se espera de um filho de Deus. Você só sabe que tem o Espírito Santo pelo fruto. Jesus disse isso, vamos repetir: “Você vai conhecer a árvore pelo fruto”. Amém? Muitas pessoas pensam que é por isso, por aquilo, por esse sinal, por aquele sinal, é porque ora em línguas, etc. Não, Jesus não disse assim. Só há uma maneira de você descobrir: é pelo fruto. É o fruto do Espírito, porque o diabo também pode fazer com que a pessoa ore em línguas. Amém? Então, é por aí. É o fruto do Espírito Santo. Jesus disse que você vai conhecer a árvore pelo fruto. Examine o fruto. Se ele for bom, a árvore é boa. O fruto do Espírito Santo é a capacidade que você tem, que é a mesma capacidade que Ele tinha. Quem tem o Espírito Santo tem tudo aquilo que Jesus tinha. Amém? Por quê? Porque Jesus Cristo é o próprio Espírito Santo. Ele disse que iria partir, mas que não nos deixaria só, pois que Ele nos deixaria o Consolador, que é o Espírito Santo. Aí, vocês poderiam perguntar: por que a gente não faz tudo o que Ele fazia?

-     Quem tem o Espírito Santo tem tudo o que Jesus tinha, mas, por que nós não fazemos tudo o que Ele faz, Júnior?

-     É como o senhor mostrou: porque uns têm mais, outros têm menos, mas Deus está falando conosco hoje para pedirmos. Então, vamos pedir, para chegar a ponto de fazer o que Ele fez [Ir. Júnior]

Jesus, quando tinha doze anos, fazia o quê? Quando a gente fala, por exemplo, que Ele ressuscitou a Lázaro, você só imagina Jesus na sua plenitude. Mas, você não se lembra de que Jesus um dia disse que a hora Dele não era chegada. A paciência é um fruto do Espírito Santo, você sabia? Quem sabe se eu não estou esperando a minha hora? Jesus também esperou a hora Dele. Amém? Isso também é fruto do Espírito Santo. Não é? A prova de que você tem o Espírito Santo é que você cresce, caminha, é que você sabe. Jesus aprendeu do Espírito Santo pelas coisas que sofreu. Você aprende pelas coisas que você sofre. Amém? Jesus crescia em sabedoria; você cresce em sabedoria também. Jesus crescia em prudência; você cresce em prudência também. O caminho Dele foi como a luz da aurora, que brilhou mais e mais, até ser dia perfeito. Ele fez esse caminho, esse trajeto e chegou a ser dia perfeito. Amém, gente? Mesmo no dia em que você está começando, você tem tudo o que o Espírito Santo tinha. Ele tinha doze anos e já estava discutindo no meio dos doutores. Com doze anos Ele poderia fazer o que quisesse, mas Deus estava fazendo aquilo para nos mostrar, nos deixar um ensinamento, para que nós tivéssemos também um crescimento e seguíssemos o mesmo caminho que Ele seguiu. O fruto é que mostra se você tem ou não tem o Espírito Santo.

Peça a Deus na sua oração! Não se incomode de importuná-lo. É isto mesmo que Ele está querendo. Às vezes a gente importuna a Ele por coisas tão menos importantes, e até recebemos: “Senhor, dá-me do seu Espírito”. Naquela hora em que você está precisando de paciência, de ter humildade; naquela hora que você está sendo oprimido, injustiçado. É nessa hora que você pede o Espírito Santo. Não é, Daniel? Peça o Espírito Santo: “Senhor, dá-me do seu Espírito”. Quando você observar uma pessoa orando desse jeito, examine o espírito para ver se é carne ou se é Deus. Amém? Porque se for carne é carne. Nós também podemos fazer oração na carne. Eu posso fazer uma oração mas, quando a oração é feita pelo Espírito Santo, a direção, o caminho, o que se pede, o que se quer é diferente. Eu posso dar a minha opinião, a opinião do Rossini de Santana Fleury, e não ser a opinião de Deus; e posso dar a opinião de Deus. A opinião de Deus pode sair da minha boca, da mesma boca que saiu a opinião do Rossini. Quando é que ela é de Deus, e quando não é? Pelo fruto, para onde ela está se dirigindo, para onde está caminhando, levando. O que traz, qual é o resultado? Amém? O fruto do Espírito é paz, é descanso; o fruto do Espírito cessa contenda, elimina confusão. Amém? E a mesma boca que falou pelo Espírito Santo, fala também pela carne. Qual a diferença? Qual o fruto? Contenda, inimizade, confusão… De onde é esse fruto? Da carne. Inveja, fuxico… Ali, se você seguir o canal, vai ver onde vai dar. Vai dar na fossa. Amém? Onde está escrito isto?

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o  Reino de Deus. Mas, o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longaminidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” [Gl 5:19-22].

Aprendam a pedir pelo Espírito Santo. Se ele estiver em você, os frutos aparecerão naturalmente. Batam, peçam a qualquer hora. Deus quer ser importunado, amolado por você. Ele quer que você peça, insista. “Senhor, eu preciso de mansidão”. Mansidão nunca é demais. “Dê-me, Senhor Deus, do seu Espírito”. Nossa! “Dê-me do seu Espírito, encha-me, derrame o seu Espírito”. Amém? Isso seria humildade sobrando, paciência a toda prova, prudência. Todas estas coisas são frutos do Espírito Santo. Domínio próprio; como isso é importante! Vocês não imaginam. Como foi falado outro dia: “Como a cidade sem muro, é aquele que não tem domínio próprio”. Isto é fantástico! É fruto de quem? Do Espírito Santo. Se você procurar na Bíblia você vai achar que é. Aí, as pessoas pensam que o Espírito Santo é o quê? Uma coisa que você tira e põe, tira e põe, como se fosse um broche, ou coisa assim. Não, é o Espírito, é a vida. É pelo fruto, pela reação, pelo comportamento que você sabe qual é o espírito que você tem. Vaidade, ruindade, orgulho, ignorância, estupidez, que árvore é essa? Boa? Não. Você sabendo que isso não é bom, que essa árvore não é boa, peça o Espírito Santo. Amém?

Peça o Espírito Santo. E o que Deus está falando aqui? Que Ele vai e quer dar o Espírito Santo. Nós, que somos maus, sabemos dar boas coisas aos nossos filhos, quanto mais Deus. Amém? Dificilmente, você deixa de dar ao seu filho alguma coisa que ele pede. Se ele pede um pão –  ali está dizendo – você não vai dar uma pedra, uma cobra. Se ele pede um ovo, você não vai dar um escorpião. O certo é o que você não vai dar uma pedra para o seu menino no lugar de uma bolacha. No lugar da chupeta, um pedaço de pau? Não vai. E assim, Deus quer dizer: “Se você quer o Espírito Santo, Eu vou te dar,”. Tudo o que Deus quer é te dar o Espírito Santo. Quem tem o Espírito Santo, precisa de mais alguma coisa? Não precisa. Quem tem o Espírito Santo não precisa de mais nada, ele tem tudo o que Deus também tem. Amém? O que a igreja precisa, o que nós precisamos é do Espírito Santo. Naquela hora, você vai ver o quanto é importante o Espírito Santo. E você vai dizer: “Eu pensei que eu tinha, e eu não tenho”. Amém? Fui provado e Deus me mostrou que eu não tenho o Espírito Santo. Ou se eu tenho, eu preciso de mais. “Senhor, aumente, renove, dê-me mais, dobre a porção. Eu pensei que era capaz, e não sou. Dê-me, Senhor Deus, do Seu Espírito”. Amém? Você tem o terno limpinho. Se você já tem o sapato limpinho, prontinho, se você está perfeitamente adequado para o Reino de Deus, tenha prudência. Porque, mesmo com tudo, as virgens foram imprudentes, não tiveram cuidado. Amém? Faltou isso.

A Bíblia tem um versículo de muita importância, que diz assim: “Quem está de pé, cuidado para que não caia”. Amém? Quem tem que ter cuidado, quem está deitado ou quem está de pé? É quem está de pé; quem está deitado já está deitado. Amém, irmãos? Para um bom entendedor basta um pingo. Se você quer Deus, meu irmão, é por aí. E Ele dará a você o Espírito Santo. Você tem que vigiar e orar, o restante é com Ele. Vigiar é isto, você tem que analisar; você mesmo deve julgar os seus atos. Você mesmo deve analisar o quanto de Deus você tem. E, aí, o que você faz? Vai ficar esperando? As virgens néscias ficaram esperando. “Não, eu não tenho nada de Deus”. Tem gente que é assim, não tem e não quer ter. “Não, olha, eu não tenho nada, o Júnior é quem tem, converse com o Júnior. Não, eu não vou não, porque eu não tenho mesmo. Eu não vou fazer isso porque eu não tenho mesmo, não sou mesmo;  eu não vou orar porque eu não tenho Deus mesmo”. Você assume isso, essa condição, ou você fala só por falar. É, eu já vi muita gente falar assim. Tem pessoas que falam, sem perceber que estão falando uma bobagem. Amém? Não deve ser assim. “Senhor, dê-me do seu Espírito; meu Deus, olhe, tenha misericórdia de mim”. E você deve se entristecer, ficar contrariado como Pedro ficou. Pedro imaginava que tinha uma porção e viu que faltava quando negou a Jesus. E ele ficou triste, certamente deve ter dito: “Senhor, meu Deus, como eu fui ingênuo, eu pensava que era capaz de resistir e não fui”.

 

Assim também somos nós, gente. Nós também não imaginamos e, muitas vezes, somos pegos aí por causa de bobagem, por causa de coisinha à toa. Amém? “Dê-me, Senhor Deus, do seu Espírito”. E nós precisávamos andar pisando sobre cascas de ovos, com tanto cuidado, com tanta prudência; ainda mais no tempo em que nós vivemos hoje. E essa palavra é para os dias do fim. Amém? É agora. Por quê? Porque a noiva está se vestindo agora; ela deve ter atenção dobrada para não sujar sua veste… Deus falou mais uma vez? Ou não? O que você fez da palavra? Guardou mesmo? Amanhã nós podemos verificar? Hoje nós podemos verificar? Vai pedir a Deus o Espírito Santo? Você vai pedir, Dora, o Espírito Santo? Você acha que precisa mais do Espírito Santo ou tem de sobra? Quem acha que tem Ele de sobra? Soraia, vai pedir? Muito. Porque você quer cada vez mais que os seus atos, que os frutos mostrem que o seu espírito é santo. Amém? Cada vez  mais você quer mostrar que o seu espírito é santo, que você tem o Espírito Santo. Quando Pilatos conversou com Jesus, ele falou: “Eu não achei nada nesse homem que pudesse reprovar”. Amém? Bom é assim, é que em nós também não seja encontrado nenhum ato que nos reprove. Que as pessoas, ao nos julgar, tenham dificuldade de encontrar alguma coisa que possa nos reprovar. Deus é quem examina, quem está com os seus olhos sobre nós. E você sabe, a gente também, porque nós também sabemos.

Vamos curvar nossas cabeças e aproveitar a presença dos irmãos aqui no louvor. A música nos ajuda. Senhor, se o Senhor nos dá a liberdade, se o Senhor nos permite, nós vamos insistentemente pedir. Dê-nos do Seu Espírito, dê-nos do Espírito Santo. Encha-nos do seu Espírito, ponha luz, muita luz em nossas trevas. Luz em nossas trevas significa mudança em nossa vida. Ponha luz em nossas trevas, dê-nos do seu Espírito, redobre o nosso cuidado enquanto é tempo, Jesus. Nós precisamos nos preocupar mais com os nossos atos, com o nosso comportamento; preocupar mais, meu Deus, com aquilo que nós falamos, que nós pensamos. Ensina-nos a vigiar; ensina-nos, oh Deus, a fazer a Sua vontade, somente a Sua vontade. Amém, Jesus. Amém. Preste atenção nesta música: “Ouve, oh Israel”. Deus vai dando do seu Espírito para nós. Na realidade, Ele está em você; Ele está em nós e Ele quer aparecer, quer fazer brilhar a sua luz. Deixe Deus crescer em você, fazer a sua natureza terrena morrer. Deixe Deus fazer de você como Ele fez com Jesus. Ele fez com Jesus e quer fazer conosco também. Sim, Jesus. Certamente, Ele não pode enquanto a nossa natureza não for mudada, enquanto nós não formos transformados. Porque, o que importa, é esse novo nascimento, essa nova criatura. Ele vai fazer de você, de nós, um filho de Deus quando pedirmos: “Senhor, dê-nos do seu Espírito, eu quero ser seu filho, eu quero ser como o Senhor. Dê-me do seu Espírito, Senhor. Oh, Deus, dê-nos do seu Espírito, deixe-nos beber do seu rio”. Amém? Vamos ficar de pé. Agradeça a Deus. Amém, Jesus, eu quero ter o seu Espírito. Ele não nos deixará, Ele vai iluminar o seu caminho. Ilumine, Senhor Deus, santifique. Se, de coração, você está contrariado com o caminho que você anda; se você acha que ainda não é o ideal, não espere para pedir a Deus, peça agora! Se você percebe que ainda precisa de mais luz no seu caminho; se você percebe isso, peça, não espere, não deixe, seja prudente. Oh, Israel! Ilumine, Senhor, o nosso caminho. Amém, obrigado, meu Deus.

-     O Silvio vai contar uma visão e, assim, nós encerraremos. Aproveite esta visão. Eu nem ouvi ainda. Pode contar Sílvio.

-     Eu tive uma visão que aqui, no salão, nos momentos finais do louvor, eu olhei em cima do púlpito e ele inchava, parecia que estava vivo. E o senhor enfiava a mão dentro dele e ia tirando coisas. O senhor tirava flores, objetos, tirava frutas, muitas frutas; e, assim ia enchendo este púlpito. O senhor tirava tudo o que o senhor queria. E, de repente, as páginas da Bíblia começaram a se dissolver e suas páginas iam se dissolvendo no ar. Aquele vento subia e caía sobre a igreja e, aí, envolveu a igreja toda. Tomou conta do salão, das pessoas, envolveu todo mundo. E, logo em seguida, depois que isso aconteceu, envolveu a gente e eu vi que nós estávamos no mar; dava para ver o litoral, mas nós já estávamos bem longe; lá, o mar era agitado. Só que eu estava em um barquinho meu, era pequenininho e eu estava com a rede dentro d’água, desesperado porque eu puxava e os peixes iam enchendo as redes, eles pulavam para dentro delas, só que eu não dava conta de puxar. Aí, eu vi que cada irmão tinha um barquinho também e foi juntando todo mundo, porque os peixes estavam ali.  Cada um pegava de um canto, enfiava a mão dentro d’água para pegar uma beirada da rede e os peixes pulavam dentro dela. Não tinha como tirar aquela rede de dentro d’água de tanto peixe. Aí, nós fomos juntando os barquinhos, um, dois, três, quatro, e foi chegando um outro. Com o mar agitado,  fomos puxando a rede [Ir. Sílvio]

Amém. São duas partes. A primeira parte, a palavra, o Espírito que vem através da palavra. Jesus disse assim: “Minhas palavras são espírito e  vida”. É através da palavra que nós vamos ter o Espírito Santo. Se você não ouvir a palavra, não adianta pedir o Espírito Santo. Amém? O Espírito Santo é dado por causa da palavra. Palavra que caiu em você e você creu. Essa palavra, esse Espírito que está nela é que chama pelo Espírito Santo. É o Espírito do filho de Deus que clama ao pai. A palavra é do filho. É a semente do filho. Quando ela cai em você, você chama Deus de pai e vai entender que Deus é seu pai. Você precisa do seu pai. Esse é o clamor do Espírito Santo. É você querendo ser um filho de Deus, andar certo, mudar sua vida, rejeitar o pecado. Esse é o Espírito Santo intercedendo, clamando. É um milagre: pelo ouvir da palavra, aquelas folhas iam saindo e, da Bíblia, que é a palavra de Deus, saía tudo aquilo que nós precisamos. Aí, depois vem a segunda parte; havendo isto, chegando a este ponto, você vai ficar com facilidade lá no mar. O mar significa o mundo agitado, com problemas, lutas, tribulações; mas você vai chegar lá e o Espírito Santo em você vai fazer tanta diferença para o mundo que você vai encher a sua rede de peixe com muita facilidade. O mundo está carente, precisa disso, de Deus, só que não tem quem conheça a Deus, quem saiba o caminho, quem ponha o peixe na rede. Os peixes são as pessoas. Amém? E é isso que Deus quer. E, quando a palavra, as folhas daqui envolverem você realmente, quando a palavra estiver envolvendo você, você vai fazer diferença lá no mar e vai encher de peixe a sua rede. Peça a Deus o Espírito Santo, se você entende que ainda precisa Dele. Nós estamos encerrando em nome de Jesus, Deus abençoe.  Amém!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>