Free songs

Apostila – Encontro de Jovens 2019

Apostila – Encontro de Jovens 2019

 

 

 

ENCONTRO DE JOVENS   2019

 

 

 

Índice

 

1ª Reunião – Principal Fundamento da Doutrina de Cristo: A Fé. 3

2ª Reunião – A desobediência. 11

3ª Reunião – Quem é o seu Senhor?. 17

4ª Reunião – A luta contra o pecado. 27

5ª Reunião – Conversão. 35

6ª Reunião – Pedir o Espírito Santo. 45

7ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo.53

8ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo. 62

9ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo. 71

10ª Reunião – Final87

11 – Reunião de jovens – Ansiedade e Depressão – 06/12/2019. 98

12 – O Poder de Deus se aperfeiçoa quando somos jovens. 111

 


1ª Reunião – Principal Fundamento da Doutrina de Cristo: A Fé

 

Amém. Vamos dar sequência às nossas reuniões. Então, qual é o principal fundamento da doutrina de Cristo? O que é fundamento? Base, estrutura.

O principal: são os vários fundamentos, não é somente um. Se você tem uma construção, melhor ainda: nós temos aqui esse quadro; ele está apoiado em uma estrutura de madeira que possui quatro bases; quatro colunas; quatro pés. Se você retirar um desses pés, o quadro cai.

Portanto, quase todas as ciências são apoiadas em três fundamentos. Eu não sei quais são os fundamentos da medicina ou da engenharia., eu fiz economia. A ciência econômica possui três fundamentos, três pilares: trabalho, capital e os recursos naturais, que são o cimento, o feijão, o arroz, o leite. Se você tira um fundamento, por exemplo, o trabalho, não adianta você ter o capital e o recurso natural.

Aqui nós temos o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Amém? Quem não tem o Filho, não tem o Pai. Quem não tem o Pai, não tem o Filho. Quem não tem o Espírito Santo não tem nem o Pai, nem o Filho. Quando Jesus diz: “Sem mim, nada podeis fazer.”. (João 15:5). Então o pessoal que veio lá de trás., Abraão, Isaque, Jacó., eles vieram lá de trás trazendo, arrastando uma denominação, um povo, que era tido como povo de Deus. Aí o povo de Deus foi muito bem até ali. Aí quando chegou ali, o que aconteceu? Tropeçaram na pedra que se chamava Cristo. Tropeçaram em Cristo. Dali para frente, aquele povo não poderia mais caminhar por causa disso. Aquele povo foi ficando para trás.

Então, aquele povo que estava lá antes não era o povo de Deus? Era. Mas dali para frente. É difícil responder, ou não? Nós não podemos ter dúvidas, dificuldades para responder.

Aquele povo era, sim, o povo de Deus, mas dali para frente não foi mais. Então, assim acontece com a igreja. Você tem uma igreja aqui. É a igreja? É. Mas, de repente, dela nasce uma outra igreja. Essa aqui (a anterior) continua sendo a igreja? Não, a igreja agora é essa (a que nasceu da primeira); essa aqui cresceu. A anterior deixa de ser o povo de Deus. Os remanescentes.

Então, se saiu uma igreja daqui, a de lá deixa de ser. Se a de lá quiser continuar sendo, tem que passar para cá, sabia? O que vocês acham? Ou não têm nada a dizer? Sabe por que vocês não têm nada a dizer? Porque a boca fala o que nós temos para falar. Você não vai falar nada porque você não tem nada. Não é?

É verdade isso que estou falando? Não é porque sempre foi assim. “Os filhos de Deus serão provados como se prova o ouro e a prata”. (Zacarias 13:9). Pega uma bateia cheia de cascalho e começa. Você coloca na água, o que sai primeiro? O barro, a água suja. Já sai na primeira lavada a terra suja que ali estava. Essa sujeira que sai primeiro é, por exemplo, fumar, beber, drogas, essas coisas que são bem evidentes. Isso sai na primeira lavada. Você fumava; não fuma mais. Mas nisso você chegou no ouro já? Não, meu filho, ainda tem muita coisa para sair. Muita coisa.

Aí você vai tirando. Tira as pedras grandes, os cascalhos, vai jogando fora com a água em cima até você chegar no ouro. Na verdade, o que Deus está procurando é o ouro, é o Espírito dele. “Serão provados como se prova o ouro e a prata”.

Ele vem lá de trás construindo a igreja, edificando a igreja. Está atrás desse povo de Deus, que são os santos, os justos, os perfeitos, os aperfeiçoados. Ele vai lavar a igreja. No final, a igreja será perfeita, imaculada, sem manchas, sem rugas, sem defeitos.

Então, quando aqui embaixo estava sendo construído, foi colocado cimento, coisas pesadas. Aqui embaixo tem muito ferro, cimento, pedra. Tem muita coisa dentro dessa fundação. Mas hoje você tem uma lâmpada de LED, que é uma coisa bem sensível, sofisticada, o acabamento.

Portanto, lá atrás, quando tudo começou, o que Deus exigiu de Abraão, por exemplo, foi coisa bruta. Às vezes, a pessoa pega Salomão e diz: “Ah, mas Salomão tinha muitas mulheres!”. Isso quer dizer que Salomão não fez parte da igreja? Fez sim. Isso quer dizer que Deus não exigiu que Salomão tivesse somente uma mulher. Ele não exigiu de Davi o que ele exige de nós.

Por outro lado, imagine hoje uma pessoa fazer o que Salomão fez pela igreja, pelo povo de Deus. Você pega o livro de Eclesiastes, o livro de Provérbios, os Cantares. Deus não exigiu de Jó o que ele exige de nós. Mas vá lá: “Ai, mas por que Salomão e Davi puderam ter tudo isso e eu não posso?”. Por outro lado, você faria o que Abraão fez? “Sai do meio da tua parentela e vai para uma terra que eu te mostrarei”. (Gênesis 12:1). Aí virou as costas e enfiou no mundo. Você faria isso? É fácil fazer isso? Pois é, mas isso foi o suficiente para ele se tornar um fundamento, uma base, uma estrutura. Não é fácil não, meu irmão, você largar mãe, pai, filho, “… e vai para uma terra que eu te mostrarei”. Hoje, se você não tiver o GPS, você não vai. “Não, você vai me dizer que terra é essa! Lá é frio? Quente? De que jeito ela é?”. Não, nós não iríamos. Amém? Eu acho extremamente difícil. Nós iríamos querer muita explicação. Concordam?

Então, o que Abraão tinha de mais precioso naquele momento? A fé. Ele acreditou naquilo que foi falado para ele. Será que Deus apareceu em um carro? Montado em um cavalo? O que vocês acham? Nunca ninguém viu Deus. Então, como Ele apareceu para Abraão? Da mesma forma que Ele aparece para nós hoje. Sonhos, visões. “Deus falou comigo”, “eu entendi”, “é uma palavra de Deus”. Quantas vezes nós reunimos aqui à tarde e Deus fala. Mas o que nos falta? Coragem, fé. Aí, quando virou as costas, acabou. Já Abraão teve uma revelação, um sonho, uma visão, alguma coisa, ouviu uma voz. Quantas vezes vocês ouviram uma voz? Ninguém ouviu voz. Vai pensar que está ficando doido. Mas tem. Às vezes, você, em uma visão, tem uma experiência fantástica. Abraão, eu não sei como. Deus apareceu de alguma forma para ele e comunicou. O que Deus falou para Abraão? “Sai do meio da sua parentela e vai para uma terra que eu te mostrarei”.

Existe uma coisa que é fundamental, que é o fundamento mais importante da doutrina de Cristo: A FÉ. Sabe por que nós ficamos aqui enrolados? Sabe por que você fica aí, muitas vezes, sem saber o que fazer, enrolado nos cabelos das pernas? Te falta fé. Naquele exato momento no qual você não podia falhar, você não acredita. Por exemplo: “vende tudo o que você tem e dá para os pobres”(Mateus 19:21), você não faz isso, por quê? Porque você não acredita. “Tendo o que comer e vestir estejais contentes”, você não fica contente, por quê? Porque você não acredita, porque se você experimentasse, você perceberia que o melhor seria isso mesmo. Você não faz. Por que não faz? Porque não acredita. Era melhor que o homem não tivesse mulher e vice versa. Por que você não faz?

Se você tivesse fé, você lutaria, pelo menos. É igual estou falando: foi fácil para Abraão largar tudo e seguir? Pois é, mas qual é o esforço que você faz? Nenhum. Basta olhar para você um pouquinho. Já está difícil demais. Você não faz nenhum empenho. Pelo contrário. Larga tudo e vai atrás. O que nos falta?

Portanto, O PRINCIPAL FUNDAMENTO DA DOUTRINA DE CRISTO É A FÉ. Você não acredita. Sinto muito em dizer para os jovens e para os remanescentes. Qual era a palavra que Abraão precisava crer? “Sai do meio da tua parentela.”. Isso salvou Abraão. Era aquilo que Abraão precisava fazer. Mas quando chegou aqui. Leia, por favor. “Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no unigênito Filho de Deus”. (João 3:18)

Então, qual era a palavra daqui para frente? A palavra agora estava começando. Daqui para trás, a lei e os profetas duraram até aqui. Quem fez, fez; quem não fez, não fez. Quem estava vivo na terra tinha que (correr atrás). A lei e os profetas salvaram até aqui. A lei e os profetas salvam hoje? Não. Salvaram Abraão, Isaque, Jacó. A lei salvou, mas somente até aqui. Daqui para frente, bastou uma outra coisa, e aí Deus foi limpando, aperfeiçoando a igreja. Agora não é hora de cimento mais; não vai botar mais essas coisas. Agora nós estamos no acabamento da construção. Vocês têm que entender isso, senão vocês não vão conseguir levar a igreja. Se vocês forem depender de mim a vida inteira vocês estão lascados; vocês não podem ficar esperando. Vocês precisam entender e falar, e anotar, e começar a buscar, e ir atrás, e pelejar, e meditar, e fazer orações e súplicas se vocês quiserem se salvar! Se não quiserem ir para o inferno. Mas se quiserem, já podem ir, nem fica perdendo tempo.

Nós estamos aqui porque nós ainda cremos em alguma coisa que nos faz estar aqui. Ou então, por que você está aqui? Por que você está aqui? Eu tenho certeza que ninguém vai saber responder isso. Por que você está aqui? Quem quer responder? Por que Abraão saiu? Porque ele creu em Deus e isso lhe foi imputado como justiça. Por que você está aqui?

NÓS ESTAMOS AQUI PORQUE NÓS CREMOS EM JESUS CRISTO. Nós somos seguidores de Cristo. É por isso que estamos aqui estudando o evangelho, procurando saber o que Jesus Cristo “tem na cabeça”, o que Jesus Cristo quer que façamos. Você está aqui porque você crê em Jesus. Aqui vai se falar de Jesus. A lei não salva mais. Agora é preciso crer em Jesus Cristo. Amém? Leia de novo. “Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado.”. (João 3:18). Pronto. Ali foi decretada a ordem, é como se Deus desse uma ordem ao mundo naquele dia. Eu creio assim. Deus deu uma ordem, uma palavra. E a palavra de Deus não volta atrás. Sabe o que eu fui fazer? Eu peguei o livro e fui atrás de saber o que significa essa condenação. Eu fui estudar o que significa a salvação. Porque, às vezes, você está aqui como “Maria vai com as outras”. Às vezes, você está aqui e nem sabe o porquê. Talvez, você não esteja aqui por causa da salvação ou da condenação. Talvez, você esteja aqui porque alguém te trouxe ou porque seu pai te criou aqui, mas você não tem noção do que é a condenação, a salvação.

Como que nós acreditamos em uma pessoa? A partir de quando a gente acredita em alguém? Não chega um determinado momento em que a pessoa não acredita mais? Quando que você acredita em alguém? Quando ele fala, você vai analisar, julgar, o que ele disse, para depois dizer se acredita ou não. Você precisa ouvir primeiro.

A fé vem pelo ouvir. Como você acredita em Jesus? Buscando saber o que Jesus falou. Sabendo o que Jesus falou você vai analisar, pensa, e ver se acredita. Você acredita em Jesus, Rafaela? Por quê?

­            – Sim. Porque eu ouço falar Dele. (Rafaela)

Começou a ouvir falar Dele e creu, não é? A mulher chegou na beira do poço e começou a conversar com Jesus. Jesus disse uma coisa para ela, e ela acreditou Nele. Ela creu em Jesus. Então, Rafaela, você passou a acreditar no que você está ouvindo sobre Jesus, então você está crendo em Jesus. Você está lendo um livro que nunca tinha lido. Você nunca tinha ouvido, aí quando você passou a. A sua fé agora. Você pode dizer: “Eu creio em Jesus, porque eu acredito no que Ele falou, no que Ele fala. Ele tem razão”. Eu posso não ser capaz de fazer, eu posso não ter fé suficiente, mas eu acredito Nele. Amém?

Nós precisamos estudar as coisas que Jesus falou. Por quê? Porque pode ser que em uma das palavras de Jesus você tropece: “Não, isso aí não.”. Então, Jesus foi falando e o povo acreditando, tinha 3 mil pessoas. Ele ia falando e todos acreditando, mas, de repente Ele começou a falar coisas que o povo achou difícil. Aí o povo foi se afastando.

Então, gente, nós todos, inclusive os remanescentes, Deus vai falando. Ele tira o barro, a sujeira, os cascalhos, mas aí, de repente, começa a descer em detalhes e a coisa começa a apertar, e nós corremos o risco de tropeçar Nele, que é a pedra de tropeço. Deus providenciou essa pedra exatamente para que a pessoa não passasse de qualquer jeito. Não vai passar de qualquer jeito.

Por que você está aqui? Você crê em Jesus Cristo? Ele falou isso. Bastou falar para a mulher uma coisinha. Eu creio em Jesus Cristo. Quantas coisas Jesus já me falou e eu cri. Amém? Por que eu estou pregando aqui? Porque um dia eu tive que começar a caminhar e eu falo para vocês aqui como quem realmente sabe do assunto. Concordam? Tem muita coisa que eu não consigo fazer, mas eu creio.

A igreja, então, a partir daqui. O povo de Deus chegou até aqui. A partir daí, esse povo que estava na terra. Sorte daquele que morreu um dia antes de Jesus chegar na terra, porque depois que Jesus começou a falar, para poder entrar tinha que ser por aqui.

Quantos eram povo de Deus aqui? (Quando Jesus veio) Zero. E com a vinda de Jesus? Jesus foi o número um. O povo de Deus era constituído de uma pessoa. Depois teve o número dois, não sei quem foi. Eu acredito que o número dois possa ser João Batista, porque ele foi o primeiro. Porque João creu em Jesus. Jesus falou para João: “Isso está acontecendo, os cegos estão vendo, os leprosos estão sendo curados.”. E João falou assim: “É Ele!”. Não passou muito tempo, cortaram a cabeça de João, graças a Deus. Pronto. Eu acredito que João foi o número dois.

Tem muita gente daqui que faz parte da igreja. Aí o que Jesus fez. Ele morreu e foi lá. Aqueles que morreram antes Dele creram Nele, morreram esperando por Ele. Então, tanto os mortos quanto os vivos tiveram que crer Nele.

Como diz em Hebreus 12 “Não tendes chegado ao monte palpável, mas ao monte Sião” (Hebreus 12:18). O que é o monte Sião? É a igreja, é a casa de Deus. E o monte Sião é constituído pelos espíritos dos justos, daqueles que morreram lá atrás e foram justificados. Abraão foi justificado pela fé dele. O que Deus exigiu de Abraão foi somente a fé. Mas mesmo assim não foi fácil, porque lá na frente Deus pediu o filho dele e se deixasse ele “metia o cacete” no filho. Ele acreditava.

Então, estamos tirando agora uma coisa importante. O povo de Deus hoje. Você seria que número? Você teria segurança de dizer que você faz parte desse povo? Não é fácil. Para e pensa. Eu quero que você entenda. Você acha que você faz parte desse povo em que Jesus Cristo é o número um? Que Jesus Batista é o dois. Jesus disse que até ali ninguém era maior do que João, que nenhum homem natural era maior do que João. AÍ EU PERGUNTO: VOCÊ SE INTERESSA EM FAZER PARTE DESSE POVO? Porque, às vezes, você não interessa. Aí você poderia pensar: “O que eu preciso fazer para fazer parte desse povo?” Ter consciência e falar: “eu quero”. Não interessa o número que eu vou ser, quando eu vou chegar, mas eu quero fazer parte, eu tenho consciência de que esse povo existe e eu creio em Jesus Cristo. Isso tem como eu mostrar para vocês nas escrituras.

O apóstolo Paulo! O apóstolo Paulo era de qual lado? De lá.

Então, se você vai pregar o evangelho para uma pessoa, você vai falar de quem? De Jesus Cristo. Você vai apresentar Jesus Cristo para a pessoa. Se ela crer em Jesus, ela irá te seguir. Será uma pessoa que estará no mesmo caminho que você. Você vai evangelizar uma pessoa, quer ajudar aquela pessoa, você vai apresentar Jesus Cristo, porque Ele é o Salvador. Se você não souber apresentar Jesus, como que a pessoa vai crer? Mas aí, a partir do momento em que você mostrar que Jesus Cristo é a salvação e quem crer Nele será salvo. Aí, se ela perguntar o que é salvação você terá que explicar.

Senão, nós ficaremos reunindo junto com nossos pais, com nossos irmãos e o tempo vai passando, aí casa, aí vai “fazer” os meninos, aí os meninos crescem e no fim vai todo mundo para onde? Vai Neto.

- Amém. Acho que é basicamente isso. Como o irmão falou aqui também. É realmente assim. Nós temos que nos preocupar em conhecer Jesus Cristo, porque se ele é o Salvador, eu preciso conhecer esse. Como o senhor falou do exemplo de João Batista. Quando falou “fala pra ele que estou fazendo isso e isso”, João reconheceu que era ele. Será que se falasse isso para mim eu iria reconhecer ele? Eu acredito que eu ainda não sou capaz de reconhecer.

Amém. Então nós temos que ter uma palavra que convença você de que a palavra que está sendo falada é de Deus. É uma palavra Dele, de Jesus Cristo. Você vai ter que acreditar que Jesus Cristo está falando. Que a palavra tem que ser de Deus. Você vai crer em qualquer palavra? Não. Você vai crer na palavra de Deus.

Então, se você for para casa hoje, se você perguntar: “Senhor. Deus. Jesus. É o Senhor que fala ali? Porque se não for o Senhor. Eu preciso crer no Senhor. E eu não vou aceitar qualquer palavra”. Será que Ele vai responder? Vamos fazer isso? Hoje, alguma coisa Deus vai mostrar. Talvez para um, para dois ou para muitos. Será que você pode falar. “Senhor, eu posso acreditar nessa palavra? É uma palavra de Deus? Crer no Senhor. Onde o Senhor está falando para eu crer no Senhor?”. Eu tenho certeza que Deus irá nos ajudar. Porque a palavra de Deus. Você está ouvindo a palavra de Deus. Você está ouvindo Deus falar. Será?

Por que Jesus Cristo morreu? Por causa disso. Ele falou: “Quem me vê a mim, vê o Pai, é o Pai que está em mim”. Ele começou a falar, multiplicar os peixes, e todo mundo com fome pegou, os pães todos comeram. Foi indo. Aí ficaram ali debaixo das mangueiras. Eu quero casar, casou. Eu quero um emprego, arrumou. Mas quando foi. “Ah, o senhor é Deus? A palavra de Deus”. Se não for uma palavra de Deus, não tem sentido. Ele falou: “quem crê em mim”. Como que crê nele? Ouvindo a palavra de Deus.

Naty, o que você entendeu?

            – Amém, irmão, eu acredito que esclareceu muito. Vai nos ajudar muito. Porque às vezes. Como eu, por exemplo, tem tanto tempo. e não entendo essas coisas. Mas eu quero guardar o que Deus está falando, porque eu quero ser um número desses. Eu preciso crer.

Pois é, se você guardar só isso que você está falando, por exemplo, você disse: “eu quero ser um número”. Ele vai escrever o seu nome no livro da vida. Em que número? Porque se Ele escrever seu nome. O importante é que esteja escrito lá. Fala: “Senhor, eu quero o meu nome escrito”. Porque quando Ele reunir, Ele vai chamar você pelo nome. Ele vai chamar pelo nome, tem o livro que se chama Livro da Vida e lá vai estar João, Abraão. Vai estar escrito o nome do ladrão que estava ao lado de Jesus, do centurião. E a minha esperança é que o meu nome e o nome da igreja que está comigo. E o nome daqueles que caminharam conosco, que sofreram conosco esteja lá. Eu quero o máximo de nomes de vocês escrito lá. Até mesmo dos remanescentes. Será que ainda vai algum nome dos remanescentes? Espero que Deus não apague. Quantas vezes eu oro chorando: “Senhor, tem misericórdia”. Parece que quanto mais a gente entende, mais temor a gente tem de que seu nome possa ser apagado. Porque Deus disse: “assim como você foi enxertado, você pode ser arrancado”. (Romanos 11:17).

Tem muita coisa para se falar. Como a Naty falou, se você entender isso, VOCÊ VAI ZELAR PARA QUE O SEU NOME NÃO SEJA APAGADO: “Que Deus não retire de mim essa graça de ter o meu nome.”. Eu não sou digno, eu não fiz nada para merecer. Às vezes, eu fico. Você pode ir com humildade: “Meu Deus, mas eu.”. Não interessa, meu filho, você creu. Você pode, naquele momento, ter seu nome escrito ali e a partir daí Ele vai realizar na sua vida o que Ele quiser fazer.

Oração: Vamos curvar nossas cabeças.

Amém, Jesus. Pai nosso que estais no céu. Nós temos muito o que falar. Nós temos muito o que ouvir. Nós temos muito o que entender, e temos muito o que acreditar. Eu espero, Senhor, que nós saiamos daqui. Que os jovens saiam daqui, desse encontro imbuídos dessa responsabilidade. O Senhor quer um povo, não importa se jovens ou até mesmo crianças, mas que tenham consciência da responsabilidade, da fé; que tenham consciência da obra que está sendo realizada nos nossos dias, do trabalho que o Senhor realiza. Nós somos os trabalhadores; somos o povo dessa época. Nós somos os chamados para isso. João Batista teve os seus dias, Abraão teve os seus dias, e nós, Pai, esperamos que o Senhor tenha paciência conosco. Que o Senhor tenha pena de nós, misericórdia, dó. Os nossos dias são dias difíceis e o Senhor sabe muito mais. Mas, se nos for possível, conceda-nos, ó Deus, essa graça de poder acreditar em Jesus e dizer: “Senhor, o Senhor nos convenceu”. Eu quero zelar pelo meu nome, que um dia o Senhor colocou no seu livro. Não sei em que ordem eu estou, mas eu não desejo, de forma nenhuma que, dali, ele seja apagado. Não retires de mim a Tua graça. Não retires de mim o Teu Espírito.

 

 

 

 

 

 

 

 

2ª Reunião – A desobediência

 

Amém. Deus abençoe. Tenham todos uma boa noite, e que a paz do Senhor seja com todos.

Que nós tenhamos um encontro proveitoso, amém! Vai depender muito de vocês. Então, que vocês aproveitem, queiram o máximo da gente; cobre da gente, o máximo, pode perguntar, porque a hora é agora de fazer perguntas. Se não entendeu, pede para repetir, vamos entender, pois, do que adianta nós sairmos daqui, terminarmos uma reunião, sendo que você não entendeu e ficou calado? Não vamos fazer isso, e sim, procurar entender, fazer uma pergunta; nós paramos um pouquinho, pronto, não tem importância, é um estudo que estamos fazendo.

Não tem, na realidade, muito segredo, é uma coisa normal, amém? Nós queremos que todo mundo contribua, até mesmo aqueles que estão lá fora, tem muita gente lá fora apoiando, cuidando de uma coisa e de outra. Nós precisamos chegar no final sem incidências, sem acidentes, procurar olhar, corrigir tudo. Vocês viram recentemente que nós tivemos aquele problema no Rio de Janeiro, no CT do Flamengo, um ar condicionado. Se você vir alguma coisa anormal fala com alguém que vai estar por aí de plantão. Vamos ter uma pessoa de plantão no telefone dia e noite. Avisem seus familiares, porque nós estamos recolhendo o celular, quem ainda não recolheu o seu celular recolha-o aqui ao lado ele vai ficar bem guardado, seguro, se Deus quiser e vai.

É bom que o companheiro esteja com a companheira, com quem você trouxe, é um negócio que queremos bem descontraído, alegre, nada sob pressão, mas queremos realmente uma coisa bem aberta; que permita você perguntar, permita você questionar, a querer entender.

Estamos recolhendo o celular e, se alguém ficar com celular, fica estranho, por que o dos outros recolheram e o seu não? A nossa intenção é que o celular, durante o encontro, não seja usado. No fim, você pega novamente o celular. O ideal é que todos estejam pernoitando aqui, é um retiro espiritual, é um tempo que você vai parar pra pensar, é um tempo que você separou na sua vida para pensar, meditar, conversar. Você faz um amigo, uma amiga, pode ser de outra cidade ou de outro lugar. E que você pergunte, fale o que você pensa, qual a sua dúvida.

Eu peço para que tenham muito cuidado com o comportamento durante o encontro, nada de coisas que venham colocar em risco, às vezes, a sua própria integridade. Quem não preencheu a ficha, vamos procurar fazer isso, todos devem ter uma ficha preenchida. Haverá um toque de recolher em determinada hora. Meia-noite e meia é o toque de recolher, é hora de dormir, descansar, não é mais hora de conversar. No exército, onde eu fiquei mais de 30 anos, eu aprendi muito, e a disciplina é uma coisa que ajuda demais. Nós éramos acostumados com a disciplina.

Às vezes, ouvíamos o toque de recolher já na cama, o toque de recolher era 10 horas da noite. Tinha muita gente que dormia, morava no quartel, então 10 horas da noite… Também tinha, 6 horas da manhã, a Alvorada; tocou Alvorada, o alojamento vira um uma festa, ninguém fica na cama, não tem jeito; se ainda tem gente na cama, vem um pisa nele, dá uns tapas o outro vem… não fica mesmo.

Às 6 horas da manhã, tocou, você já pula da cama e sai arrumando, por quê? Porque 6:30, você vai estar em forma lá embaixo; 6:45, você vai estar lá no rancho tomando café; 7 horas, você já vai estar em forma para 7:15, você já estar em frente ao comandante. Tudo é assim, tudo é correndo, tudo é feito correndo, bem feito, etc.  Eu tenho certeza que vai ficar gente no alojamento deitado, que não vai obedecer o toque de recolher; e  isso é ruim!

Por isso, que eu falei que o sucesso do nosso encontro depende de você. Vamos fazer tudo, o almoço na hora, a janta na hora; o banho então, não é hora todo mundo dormindo e você tomando banho. O banho é na hora do banho!

Eu peço a compreensão e ajuda, entre vocês mesmos, hoje vamos fazer direitinho para esse aqui tornar modelo. A área de convivência reserva-se apenas ao andar térreo, os corredores dos alojamentos, são destinados apenas para o trânsito de pessoas.

Como vamos começar esse encontro? Falando sobre o quê? O que vocês acham? Sobre o reino de Deus. Não sei se foi no outro encontro, nós falamos que você não precisa dizer para o jovem o que ele pode o que ele não pode fazer. Não tem como a gente dizer para o jovem, você pode fazer isso, ou você não pode fazer aquilo, isso não vai resolver. Porque, se resolvesse, os nossos pais seriam capazes, mas, na verdade, vocês sabem muito bem que os nossos pais, se pudessem, não permitiriam nunca que fizéssemos uma coisa errada. Só que eles (o pai e a mãe) só entenderam que a coisa realmente estava errada depois que eles erraram à vontade.

Nós vamos falar: ‘A senhora não errou? O senhor não errou para danar? Então, por que eu não posso errar? O senhor namorou o dia que o senhor quis, a senhora namorou o dia que a senhora quis, a senhora se vestiu do jeito que a senhora quis.” Tudo ela fez e ela não quer que você faça. Vai funcionar? Presta atenção, ela fez! Casou com quem ela quis fez o que ela quis; e ela não quer que você faça. Então, o que você vai fazer? Você vai fazer e depois você não vai querer que a sua filha faça.

Os nossos pais não queriam e não querem que façamos isso, nem isso, nem isso, por quê? Porque eles entendem que isso é um mal, é errado. ‘Não faça isso?’ Só que você não é bobo nem nada, sabe perfeitamente que eles fizeram. Tem gente que ainda não sabe o que os pais fizeram, mas você tem mais ou menos uma ideia do que eles fizeram. Você vai dizer assim: ‘A senhora, ou o senhor se casou com quem você quis e eu não posso!? O senhor bebeu até o dia que quis, e eu não posso!? A senhora viveu na gandaia até não sei quando, agora, senhora não quer mais, e entende que está errado, e eu não posso!?’ O que vai acontecer? É muito mais provável que o jovem, ele tente segurar até onde ele pode, ou não? Segura com 10 anos e por que a criança não faz? Porque o pai arranca a orelha dela, então ela não pode ficar sem orelha. Com 9, 8 anos de idade, você faz? Não, sua mãe arranca seu cabelo, sua mãe quebra sua boca. A Amilce costumava muito falar isso: ‘Eu quebro a sua boca, eu quebro seus dentes, eu quero ver você fazer, mas com os dentes quebrados.’

Isso você tolera, aceita até quantos anos? No máximo, com dez, doze anos e você aguentou até quando? Eu conheço muitos aqui, porque a maioria eu apresentei aqui. Apresentei a Rebeca, acho que a Raquel, os Theo, o Arthur, a Nicole. A Nicole já está fazendo medicina lá em Mato Grosso; você acha que a Nicole vai deixar de fazer alguma coisa, porque a mãe dela não quer? A Nicole vai deixar de fazer alguma coisa, porque o pai dela não gosta? Não. Amém!

Conseguimos segurar na marra, na força, pois os pais têm consciência, eles sabem que os filhos não deveriam fazer aquilo. Aquilo que ele fez, ele fez e sabe que não foi o ideal, não foi bom. Eles sabem que não convém, se pudesse novamente, eles não fariam, mas isso ninguém no mundo é capaz de fazer. Todo mundo quer fazer, todo mundo quer experimentar. Por mais que você segure, vai ter o momento em que você vai sair do armário. E a partir dai quem vai nos guardar?

Tatuagem, às vezes, a pessoa enche de tatuagem até não caber um dedo, aí quando chega lá no finzinho da vida dele se arrepende; e o que ele vai fazer com aquela tatuagem? Lá no fim, ele vai ver que não devia ter feito.

A pessoa vai dizer para o jovem que não pode, que não deve fazer, que não convém, não é o ideal e assim vai indo. Eu vou concluir aqui para nós passarmos para o intervalo, vocês já vão para o intervalo com a pulga atrás da orelha.

Quem poderia? Vocês acham que seus pais estão errados? Vocês acham que a gente tem que errar também? Vocês acham que seus pais não têm o direito, eu quero que vocês participem mesmo, vocês acham sinceramente isso? Eu gostaria que os mais velhos, mais entendidos, também os pequenininhos, mas vocês acham que os seus pais não têm o direito ou vocês acham que deveria ter uma outra maneira?

Porque nós estamos falando que não funciona, através dos pais, não funciona. Amém!

Eu presenciei, não foi bem presenciado, mas foi uma coisa que eu estava ali com meu pai numa casa lá em Pirenópolis, quando não tinha nada, era uma cidade tranquila, pacata. Tinha um pai que não queria que a filha namorasse com um determinado cidadão, porque ele sabia que aquela pessoa não ‘era flor que se cheire.’

A menina chamava Maura, eu lembro o nome dele, se não me engano, era Flávio, o nome do rapaz. E ela, o que vocês acham? Não tem um ditado que diz assim: ‘água de morro abaixo, fogo de morro acima a mulher quando quer uma coisa ninguém segura.”

E o pai não queria, e a Maura? Por que a gente não segura? Porque é um negócio violento, a concupiscência é um negócio violento, é um espírito violento e ela arrumava um jeito e encontrava com o danado. Um dia, o pai dela tinha uma oficina de moto, naquele tempo, era muito raro uma moto e era muito raro uma pessoa que entendesse daquilo. Ele se chamava Boanerges e ele parece que tinha que fazer uma viagem e depois não deu certo, voltou para casa, e qual a primeira coisa que os pais fazem quando chegam em casa? Cadê a fulana? Está aí, cadê o ciclano? Está aí. Conferir os filhos, a gente tem esse problema, você quer os pintinhos debaixo da asa. Cadê a Natali? Uai ela saiu. Saiu com quem? Saiu por quê?

E ele disse: Cadê a Maura? A mãe dela já ficou doidinha porque normalmente a mulher já põe um pano quente em cima das coisas. Cadê a Maura? Nem a dona Sinhazinha, que era mãe dela, tinha notícia da filha, o pai sai na rua ali por perto, cadê a Maura? Era umas 9 horas e pouco da noite, de repente, ele viu lá distante, ele viu a Maura com o rapaz. E de lá, ele já gritou e ela sai correndo, correu dele. Ele não foi atrás dela, ela saiu correndo para uma rua lá e ele não foi atrás dela. Ele voltou para casa entrou na oficina e deu um tiro na cabeça. Para vocês verem assim o tanto que o outro espírito também é violento. Porque também ele não precisava ir ao extremo, mas é como se ele estivesse sido ferido e contrariado na sua autoridade. Contrariado com a mãe que permitiu, uma vez que ele saiu, a mãe não devia ter permitido e ele já deveria ter dado essa ordem dentro de casa.

Mas, é o que eu estou falando, será que esse Boanerges nunca tinha feito nada de errado? Será que o Boanerges tudo que ele fazia era certo? E se todo mundo for dar tiro na cabeça por causa dessas coisas? Mas o certo, onde eu quero chegar, é quando você que fez tudo errado durante o seu tempo, quando você chegar lá, como você vai fazer com seus filhos? Que jeito que você pensa que os seus filhos devem viver? Amém? Aí, seu filho chega com uma tatuagem, hoje uma tatuagem pequenininha no pescoço, amanhã outra tatuagem, de repente, chega com uma outra, você coloca um limite de tatuagem? Até dez? Até cinco? De jeito nenhum?

Como você vai fazer para que seus filhos vivam? E assim, em todos os sentidos. Quais os filmes que você vai autorizar eles assistirem? Com quem você vai permitir que ele se relacione?  Qualquer um? Qualquer hora? Qualquer assunto? Como que você vai limitar a roupa, a maneira de vestir? Ou vocês não imaginam que um dia vai precisar disso? Vocês não imaginam que também um dia vão precisar disso? Amém!

A pergunta é, vocês já pararam para pensar que um dia vocês vão constituir a casa de vocês? Ou seja, a família de vocês, ou seja, vocês vão ter seus filhos, ou você não pensa em ter? Você não pensa em ter sua casa, sua família? Não pensa? Estou perguntando e vocês podem ajudar a responder. Vocês não pensam que um dia vocês vão ter a casa de vocês?

Presta atenção no que eu estou falando, é natural, é uma questão natural da vida, todo mundo mais cedo ou mais tarde… É muito raro uma pessoa ficar sem uma casa, se ela gosta de homem ela arruma um homem, fica com homem com homem, mas fica. Ele quer um companheiro, ele quer uma companheira, ou então, a mulher quer uma companheira; problema dela, mas normalmente você vai ver a pessoa ficar sozinha? Sozinha é muito difícil. É muito raro uma pessoa suportar ficar sozinha, vocês concordam? Não é normal o homem procurar um companheiro, uma companheira? Não procura companheiro não, procura a companheira!

E não é normal que a mulher também queira um companheiro? Isso é uma coisa normal, anormal é ficar só. Presta atenção, anormal é ficar só! Você sabe por que você se arruma direitinho? Porque vai que, numa dessas…. vai que alguém interesse? Pronto, deu sorte naquele dia. Por isso, o homem também ele se arruma, se veste, prepara fisicamente, intelectualmente para poder, às vezes, ter aquilo que ele vai fazer jus. Cuida do seu físico e principalmente da sua vida financeira como ele vai manter a casa? O homem já pensa logo em trabalhar, em se estruturar, vou adquirir isso, vou adquirir aquilo, por quê? Porque ele já imagina o quê?

E quem quer arrumar um companheiro, aí um já pergunta para o outro, nós vamos morar aonde? Vamos dormir na casa da mamãe, serve? Então, vamos dormir na casa da vovó, serve? Serve não filha. Então, você arrumou um companheiro, uma companheira e vai dormir aonde? Na casa…. não, não vai dar certo! Você vai ficar lá uma semana, duas e vai começar dar uma brigaiada, uma confusão danada não vai dar certo. Você vai pegar e vai sair; você vai querer a sua casa.

Eu estava com Amilce de resguardo, foi uma situação muito difícil que ela passou. A mãe dela disse: ‘Fica aqui em casa, pelo menos enquanto passa essa fase.’ Chegou um dia a Amilce falou pra mim assim: ‘Amanhã você, por favor, me leva para casa. Eu não fico mais.’ Na casa da mãe dela! Ela falou: ‘Não fico mais aqui.’ Não sei o que aconteceu, exatamente, mas, no outro dia, nós fomos para casa e nos viramos com os problemas que estávamos tendo, mas ela não quis ficar.

Você não fica com a mãe, com pai você não fica. Não pensamos quem é que vai dizer para vocês, se o que estão fazendo está certo ou errado, quem? O pai? Nós já descartamos, a mãe? Nós também já descartamos. Quem vai dizer para vocês se estão fazendo certo ou errado? Amém!

Então, na próxima reunião, depois do intervalo. Qual a pergunta? Quem iremos obedecer? Você tem que obedecer alguém, meu filho! Você tem que dar ouvido a alguém, alguém tem que te ajudar. Você não pode… um dia, uma hora, um momento, alguém precisará te ajudar.

O seu senhor, alguém vai ter que ser o seu senhor. O nosso pai é o nosso senhor até quantos anos? A mãe é a sua senhora até quando? Até ali, dali para frente, você fica só. Quem vai te ajudar, quem vai te guiar, a quem você vai obedecer?

 

 

3ª Reunião – Quem é o seu Senhor?

 

Você concorda que o maior erro do ser humano, o grande erro, o mal, começou lá no Éden? O mal foi exatamente esse, quando o homem resolveu (não foi o homem, foi um anjo, que fazia parte da criação de Deus. Um dia nós vamos entender isso.)… Vocês imaginam todo o universo só por causa do homem? Não, têm outros seres, o homem não é o único. Nós temos ainda os anjos, que ainda são totalmente desconhecidos da gente, os arcanjos, os querubins, serafins e o homem. Aí, um desses seres resolve não obedecer a Deus, resolve não ouvir a Deus, resolve não atender a Deus (isso também um dia vocês vão procurar entender melhor).

Então o mal do homem, da humanidade, foi achar que ele… (a natureza do inimigo é a mesma natureza que nós temos, de ser independente, de ser o senhor, nós somos o senhor nosso.) Amém!? O grande mal do homem foi achar que ele poderia realmente resolver tudo, ele mesmo. Então ele resolveu ficar sem Deus, não dar ouvidos a Deus. Lá no evangelho fala sobre fazer a vontade da carne e do pensamento; cada pessoa faz a sua vontade. Cada pessoa faz do seu jeito, a sua vontade, seu pensamento.

Quem gosta de fazer uma coisa, faz aquilo que ele gosta, a vontade da carne e do pensamento. Esse foi o grande mal, ser senhor dos seus próprios pensamentos, ser senhor das suas próprias ideias, não dar satisfação para ninguém.

Então, quando a pessoa é criança, até uma certa idade, dez, onze anos, como é que você chama seu pai? Normalmente, naturalmente, as crianças falam: Mãe, a senhora vai fazer isso? Mãe, a senhora viu isso? Mãe, a senhora não viu meu caderno? Pai, eu posso, o senhor não importa?

Então, até uma certa idade nós vivemos relativamente bem. Não temos problema com pagamento, não tem problema com boleto, nós não temos o problema de fechar a casa, de comprar, só sentamos na mesa para comer, você não quer saber quem paga a sua escola. Por quê? Você tem ali um senhor e uma senhora.

“Mãe, cadê minha roupa?” Quem é que vai lá comprar sua roupa? Engraçado, você nem exige a roupa; a mãe que vai dizer para você, ‘aqui, minha filha: esse ficou bom para você!’ ‘Esse aqui está ótimo para você’. ‘Meu filho, o ideal é esse aqui’. E você fica bem. Você concorda que a gente vive melhor?

Aí, de repente, começa o quê? Você começa a ser obrigado a rebelar. Parece que a própria natureza, o próprio mundo exige que a gente vá, aos poucos, se rebelando contra os nossos pais. Aos poucos nós vamos resistindo nossos pais e começamos a mostrar, botar nossas unhas de fora e mostrar o seguinte: ‘não, eu não quero mais assim!’

Tem uns que começam a rebeldia às vezes com doze, treze, catorze anos; uns demoram mais, mas a tendência é de chegar a um ponto que você faz horrores com seu pai, com sua mãe. É um perigo!

A tendência é chegar a um ponto em que não tem ninguém que manda em você. Chega a um ponto que não tem uma pessoa que você obedece. Não adianta sua mãe falar para você ‘não vai’; não adianta sua mãe falar para você: ‘não faça isso’.

Às vezes a gente fala ‘mãe, tô indo’, ou então nem fala, a mãe é que nota a sua falta ‘onde é que você está?’ ‘Uai, tô aqui’. ‘Que horas você vem?’ ‘Não sei se eu volto, etc. Não interessa’.

Tem coisa que escutamos e vê hoje que é uma monstruosidade! Até chega a ser uma coisa monstruosa como a cada dia o mundo vai ficando pior. Porque, há um tempo atrás, mesmo com uma certa idade, tínhamos respeito com os pais e com as mães. Eles continuavam sendo nosso senhor, nossa senhora, até muito tempo. Mesmo depois de adquirir filhos, ainda assim, queríamos o senhor, pai da gente e a mãe da gente.

Por isso que o órfão, no tempo passado, sentia muita falta, porque ele ficava sem pai. A própria escritura Sagrada pedia que os órfãos fossem protegidos, bem tratados. Por quê? Porque Deus sabe a falta que faz o seu pai. Amém!?

Agora, você concorda (eu tenho certeza que aqui deve ter muitos jovens que já estão totalmente desligados do pai e da mãe) que se você não quiser ir para casa mais, você não vai. Se você não quiser dar mais nenhuma satisfação para seus pais, você não dá.

O mundo tem feito isso conosco, vem destruindo a família. O mundo tem destruído as famílias! Só falta uma coisa, nos tirar Deus. Só falta, de repente, você não obedecer quem? Nem Deus. Só falta você chegar a um ponto de falar, nem Deus manda em mim!

Então, a quem obedeceremos? Quem será o nosso senhor? Alguém tem que mandar em nós, alguém tem que nos ajudar.

Alguém tem que nos ajudar, nós não somos suficientes cem por cento. Nós precisamos temer, ter alguém a quem obedecermos. Isso para o nosso bem!

Você pode levar essa coisa até um certo ponto, mas vai chegar um momento em que você vai entender que você não é cem por cento capaz de tudo, você vai precisar, e o ideal é que nós, o mais cedo possível, descubramos, entendamos isso.

Quanto mais pessoas eu tiver em volta de mim que puderem me ajudar, quanto mais, melhor.

Até agora, qual é o problema que nós estamos estudando hoje? Qual assunto? Porque, nós já provamos agora mesmo que pai e mãe só mandam na gente até uma certa idade, e olhe lá. Nós já estamos aqui provando para vocês que pai e mãe só é nosso senhor, parece um absurdo, mas isso é verdade, pai e mãe só é nosso senhor, senhora, até uma certa idade, daí para frente, quem que você vai obedecer? Quem? Professor na escola?

Quem quiser fazer pergunta, levanta a mão.

Alguém: Não era para ser assim, era?

Não, é o que eu estou acabando de dizer, que o ideal seria que a gente, até mesmo depois de adulto, depois de ter filho, etc, considerasse o conselho do pai, porque o conselho do velho, conselho de um ancião, a pessoa que já teve muita experiência, já passou, o conselho de uma pessoa adulta é muito importante. De dizer, olha, meu filho, se você quiser continuar fazendo isso, mas o ideal é que você faça assim, assim, assado.

O próprio Jesus disse assim: “por mais que uma pessoa seja má, se o filho pedir um pão, vai dar uma pedra?” (Mateus 7:9) Para ele, por pior que seja seu filho, se ele pedir um conselho, você vai dar o melhor conselho para ele. Eu tenho certeza disso. Desprezar o conselho, a orientação….

Então, minha filha, não era para ser assim.

Salomão, filho de Davi, Rei dos Judeus, um grande rei dos judeus… No lugar de Davi, ficaria Salomão. Todo mundo sabe o quanto o Salomão foi inteligente, sábio, um grande rei. O mundo, naquele tempo, fazia questão de ouvir a sabedoria de Salomão, que era uma pessoa sábia. Agora, veja bem, quando Salomão começa a reinar, ele começa fazendo uma oração, ele faz uma oração.

Agora, pois, ó Senhor, meu Deus, tu fizeste reinar a teu servo em lugar de Davi meu pai. E sou ainda menino pequeno; não sei como sair, nem como entrar (I reis 3:7).

Sou ainda menino… Porque, às vezes, a gente só tem tamanho, mas no entendimento ainda somos meninos. O apóstolo Paulo fala, “quando eu era menino, fazia as coisas de menino” (I Corintios 13:11). Então, às vezes nós somos adultos, mas no entendimento, na experiência, no conhecimento, nós ainda somos crianças, meninos. Ainda deita no colo da mãe, do pai, você sente bem quando é abraçado.

Então, às vezes nós podemos ter tamanho, mas no entendimento, na experiência, nós ainda somos carentes. Lembra daquela música, ‘sou um cara carente, dormi na praça’, por que dormi na praça? Já era adulto e estava fazendo uma tremenda de uma bobagem, mas era um adulto que estava dormindo na praça, precisando de apanhar, mas por quê?

Porque era carente. Às vezes o pai, a mãe da gente é distante e nós nos tornamos carentes, sentimos falta e às vezes somos obrigados a sair fazendo, sair atropelando, metendo os pés pelas mãos, fazendo bobagem, sofrendo, às vezes perdendo o tempo que você poderia viver tranquilo, dormir, aproveitar, e a gente vai atropelando, fazendo bobagem e etc., e mais isso, mais aquilo.

Aí a moça já perde a sua virgindade muito jovem, já entra para bagunça e vai perdendo a vida muito cedo, e se torna realmente uma pessoa carente de uma pessoa, de um companheiro a quem você possa dar ouvido, carente de alguém que realmente possa te entender.

E esse amigo, Salomão buscou essa pessoa que o ajudasse. Ele buscou aonde? Em Deus. Então você vem aqui (oração de Salomão):

Agora, pois, ó Senhor meu Deus, tu fizeste reinar a teu servo em lugar de Davi meu pai. E sou ainda menino pequeno; não sei como sair, nem como entrar. I reis 3:7

Ele se humilhou, teve a humildade para poder dizer para Deus, eu quero sua ajuda, eu não sei como sair nem como entrar, eu quero sua ajuda. Ele teve humildade. Há poucos dias nós vimos aí o Bolsonaro no discurso e etc. No discurso que ele fazia, o Brasil acima de tudo e Deus acima de todos, etc. Aí, de repente leva uma facada, a faca leva ele para o hospital. No hospital, quanto tempo ele passou, saiu dali, só Deus sabe…

Até hoje, até ele criar uma confiança para poder realmente governar, enquanto ele está se recuperando, a mídia está em cima do governo, a mídia está pegando pesado em cima de todos e ele toma conhecimento. Eu fico pensando, ‘meu Deus, como aquele homem deve estar sofrendo.’ Aí, arrebenta lá a represa, e os problemas; de repente, vem o urubu, pega fogo; o avião tal caiu.

Então vocês observam o seguinte, que realmente a gente pensa, ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos,’ e a gente não imagina a fraqueza que nós somos, nós não imaginamos o quanto nós somos pequenos e que para nós realmente colocarmos o Brasil acima de tudo, nós vamos ter que fazer muita coisa.

Aí, descobriram que não sei quantas mil represas no Brasil precisam ser observadas. Agora, quantos ninhos de urubu, de periquito, não estão por aí para serem olhados? O ar-condicionado pegou fogo. Agora, quantos ar-condicionado não tem nesse país?

Agora vai ter uma CPI para olhar os ar-condicionado, porque, o problema foi que você não olhou o ar-condicionado. Aí, a gente sai daqui correndo, todo mundo olhando; se vocês por acaso observarem e ver algum ar pegando fogo, vocês correm. Mas não é assim? Sabe por quê? Porque confiamos muito em nós mesmos, nós achamos que nós somos suficientemente capazes de resolver todos os nossos problemas, o Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Mas aí, isso não pode ser da boca para fora não! Amém!? Eu concordo plenamente que o patriotismo nos coloca nessa situação. Mas a nossa vida no mundo, as coisas, depende muito de nós botarmos nossos joelhos no chão, humilhar debaixo da poderosa mão de Deus e dizer ‘Senhor, depende do Senhor.’

Então Salomão continua fazendo a oração. Veja bem:

E teu servo está no meio do teu povo que elegeste; povo grande, que nem se pode contar, nem numerar, pela sua multidão.

A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo? (I Reis 3:8-9).

 

Senhor, eu vou ter que enfrentar a mídia, vou ter que enfrentar o congresso, a câmara, o sindicato, vou ter que enfrentar… Olha, imagina, meu Deus, se o Senhor não tiver misericórdia de mim para que eu possa, na hora que eu for pressionado… Nós somos pressionados, gente, não é só referindo ao governo, mas que você entenda que na sua vida isso acontece, você está sempre sendo pressionado a fazer o mal, você está entre o bem e o mal.

Ou você vai fazer o bem ou você vai fazer o mal. A coisa vai, com certeza, evoluindo, mas vocês estão entre o bem e o mal, todos nós.

Se eu escolher o bem vou bem, mas se eu escolher o mal? Eu vou sofrer as consequências. Se eu escolher o mal, até eu descobrir que não era aquilo que eu tinha que fazer… Aí eu vou ter que voltar, me arrepender do mal que eu fiz e voltar, e às vezes não tem nem retorno.

Recentemente nós tivemos um caso de um rapaz que com 22 anos saiu da cadeia, mas lá dentro da cadeia ele arrumou um inimigo que falou para ele: ‘dia que eu sair daqui eu te mato’. Ele saiu com 22 anos e sabe qual foi a decisão dele depois que ele saiu? Eu vou me afastar da bandidagem. Estava usando tornozeleira, mas ele propôs, ele falou, eu vou me afastar da bandidagem! Sentado na porta da casa dele, na presença do pai e dos amigos, o sujeito que falou para ele lá dentro da cadeia, ‘no dia que eu sair daqui eu te mato’, saiu, foi em cima dele e matou, na porta da casa dele. Era sobrinho da Lucilda, parente do João Vitor, tem uns 15 dias que isso aconteceu. Eu tenho certeza que aquele rapaz, se fosse começar de novo, se pudesse começar de novo, não teria tomado aquele caminho. Porque, depois, voltar, não depende só de mim.

Então, meus irmãos, precisamos muito de Deus para nos guiar, para nos dirigir, para nos ensinar, para nos livrar. Que tudo que você for fazer, você esteja fazendo igual Salomão fez; mesmo que seja um passeio, uma viagem, uma amizade que você tem. Ora, pede a Deus, ‘Senhor, que esse amigo, meu Deus, que essa pessoa com quem eu estou me relacionando…’

“A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal…” (I Reis 3:9).

Então, aqui está o segredo, o bem e o mal. A gente está assim, de um lado o bem, do outro lado o mal. Do lado do bem está a vida, do lado do mal está a morte; então, quem faz mal está mais perto daqui?

Então, uma pessoa que resolve mexer com droga, claro que ele vai inclinar para que lado? O próprio organismo, a saúde dele. Então, se oferecer para você uma coisa que não é um bem, uma coisa que vai gerar, aproximar você da morte…?

Eu vou te apresentar uma pessoa aqui, um bandido. Você olhou, viu, fala não, quê que eu vou fazer? Você já vai de peito aberto? Não é melhor então você parar, pensar, orar, perguntar para Deus, será que realmente é ideal que eu tenha essa pessoa como amiga?

Então é fácil discernirmos entre o bem e o mal? Claro que não. Eu vou fazer isso e isso; será que eu estou fazendo um bem ou um mal?

Todos os nossos pensamentos, todas as nossas ideias podem nos conduzir para onde? Para o mal ou para o bem.

Se todo mundo soubesse que estava indo para esse lado, iria? Não iria, não iria mesmo.

Então uma oração que Jesus Cristo fez: ‘Pai, ensina o caminho que eu tenho que andar, dirige o meu coração’. É isso que eu peço. Eu peço para minha casa, peço para os meus filhos. Por quê? Hoje eu não posso, não é uma lei, eu não posso chegar lá e dizer você vai fazer isso e isso; mas um conselho de uma pessoa que já fez merda muitas vezes, o conselho de uma pessoa que já se arrependeu amargamente de tanta coisa…

Eu não tenho vergonha de dizer para vocês que a minha oração hoje, com 73 anos, eu peço a Deus; “Senhor, ensina o caminho que eu devo andar; ponha luz nas minhas trevas, dirige meu coração; não seja, Senhor, o que eu quero, mas o que o Senhor quiser, se for realmente um bem para minha vida e não um mal, tenha misericórdia”.

Eu tenho 73 anos, essa é a minha oração. Agora, quem tem 15, 12, 13 anos já sabe discernir o bem do mal? Já sabe se está fazendo o bem ou o mal?

Aí vem um e diz, ‘eu tenho 20 anos, a senhora não vai dizer o que eu tenho que fazer; o senhor não vai dizer o que eu tenho que fazer’. Aí vai o coitadinho, 20 anos 21, 22, 23, 25, achando que já é o senhor do seu nariz, achando que já sabe discernir o bem do mal, que já chega até querer ensinar o pai e a mãe.

“Porque o senhor não estudou, o senhor não viu direito, o tempo do senhor não tinha internet, por isso que o senhor é um coitado, não sabe fazer nada”.

O mundo é muito cruel, é muito diferente do que a gente acha. Eu tenho certeza que vocês não pensam assim. Como que vocês pensam? Vocês pensam de que jeito?

Interessante, o jovem normalmente não pensa nem que ele vai ficar velho. Quantos anos você tem? Vinte e dois, o quê que você pensa?

Alguém: casar, trabalhar, comprar casa, carro.

Já tem carro?

Alguém: não.

Mas já está querendo. Porque, quando você compra a bicicleta, da bicicleta quer uma moto, da moto você vai querer um carro. Se é um carro fraquinho, você quer um carro melhor. Você pensa em morrer, ficar doente, levar filho para o hospital, uma mulher enjoada, enchendo o saco?

Alguém: não!

Não pensa, a pessoa pensa assim, vou construir a minha vida, o meu futuro, aqui está o meu futuro! Aleluia, Amém!

Eu vou arrumar isso, aquilo, é o sonho de todo mundo, é o ideal de todo mundo. Ele não pensa nos problemas, dificuldades, que vai casar com uma pessoa que às vezes você casa hoje e amanhã está arrependido, mas você vai ter que viver com ela agora, você casou com ela. Você não pensa assim.

Quando eu entrei no exército, eu tinha 19 anos. Mas quantas vezes eu me arrependi de estar ali dentro, quantas vezes eu quis sair dali. E fui ficando, fui ficando, eram problemas, lutas, coisas que aconteciam, tal e etc. Porque o exército não era suficiente para mim, eu fiz um curso superior que eu achava que com aquele curso eu podia fazer aquilo. Tirei licença para interesse particular, etc. Voltei para o quartel de novo e continuava querendo sair, aquela coisa, uma luta. Porque a pessoa está sempre querendo estar lá na frente, não é assim?

Aí, quando chega o momento em que você começa realmente a ver, enxergar, a observar as coisas, o tempo já passou.

Então o ideal seria que vocês começassem jovens, fazendo o quê? Ter Deus como o seu Senhor. Por quê? Aí você vai até a vida eterna, até o céu. Ele vai continuar sendo o seu Senhor. Amém!?

Ele vai ser o seu Senhor nesse mundo. Ele vai ser o seu Senhor até a morte. O Senhor será o nosso guia até a morte (Salmos 48:14). O Senhor vai me guiar até a morte e ele vai continuar sendo o meu Senhor no céu. O ideal então é que vocês, o mais rápido possível, ponham na vida de vocês, Deus como Senhor. Amém!?

Tem um versículo que Jesus fala assim: “Por que você diz Senhor, Senhor, e não faz o que eu mando” (Lucas 6:46).

Então se você acha que seu pai, sua mãe, não é suficiente, então agora se você colocar Deus como seu Senhor, Ele vai tirar os seus pés do laço, eu tenho certeza. E ele vai ensinar para você. Sabem o quê que Jesus Cristo fez?

Em Isaias tem uma passagem que fala que Jesus Cristo aprendeu. Lá fala que ele se alimentou de manteiga e mel (Isaías 7:15), que tem significado, até que ele pudesse discernir o bem do mal e escolher o bem.

Então se você conseguir, você jovem, agora mais do que nunca, a internet não é o ideal para te guiar. A mídia, a imprensa, os jornais não são o ideal para você seguir. Televisão, novela, nada disso é tão importante quanto a sua oração, que o seu Deus. Amém!?

E esta palavra pareceu boa aos olhos do Senhor, que Salomão pedisse esta coisa” (I Reis 3:10).

Deus gostou daquele jovem que estava sendo colocado como rei; Deus gostou da sua humildade, da sua oração.

“E disse-lhe Deus: Porquanto pediste esta coisa, e não pediste para ti riquezas, nem pediste a vida de teus inimigos; mas pediste para ti entendimento, para ouvir causas de juízo, Eis que fiz segundo as tuas palavras. Eis que te dei um coração tão sábio e entendido, que antes de ti teu igual não houve, e depois de ti teu igual se não levantará” (I Reis 3: 11-12).

 

Então, quem sabe na sua oração você vai também ganhar um coração inteligente… Quem sabe se na sua oração, minha irmãzinha, meu irmãozinho, você não vai ganhar um coração como Deus deu a Salomão. Faz a oração. E Deus deu a Salomão aquilo que ele prometeu.

“E também até o que não pediste te dei, assim riquezas como glória; que não haja teu igual entre os reis, por todos os teus dias.E, se andares nos meus caminhos, guardando os meus estatutos, e os meus mandamentos, como andou Davi teu pai, também prolongarei os teus dias.

E acordou Salomão, e eis que era sonho. E veio a Jerusalém, e pôs-se perante a arca do concerto do Senhor, e sacrificou holocausto, e preparou sacrifícios pacíficos, e fez um banquete a todos os seus servos” (I Reis 3:13-15).

 

Então o quê que nós vimos hoje aqui, o que nós aprendemos, o que você leva na sua cabeça?

Alguém: No meu entendimento, não sabemos muito o que é melhor para a gente. Então, a gente precisa de alguém para nos guiar, que esse senhor deve ser Deus e quanto antes à gente se agarrar e seguir ele, melhor pra gente.

Exatamente, até aquilo que você não pediu, Deus vai acrescentar. E aí Deus dá a você muito além daquilo que você pediu, porque ele vai sentir bem quando você se aproximar dele. Porque o prazer de Deus é que procuremos Deus; ele tem prazer em que nós o procuremos.

Sabe o que Deus falou pra Jesus: “eis o meu filho amado em quem me comprazo” (Lucas 3:22). Por que que ele tinha tanto prazer em Jesus? Porque ninguém procurou mais a Deus do que Jesus Cristo. Ninguém dependeu mais de Deus do que Jesus.

Olha, Deus deu para ele todo poder no céu e na terra. Eu tenho certeza que ele não pediu poder, Deus deu a ele.

Leva isso para sua casa hoje, ninguém se aproximou mais de Deus do que Jesus. Eis o meu filho amado em quem tenho prazer (Lucas 3:22). Vamos fazer isso, vamos nos aproximar dele. Chegai-vos a mim e eu me achegarei a vós.

Depois, então, se você achar que ele não tem razão, se afasta dele. Mas eu duvido que uma pessoa que se aproxima de Deus, depois queira se afastar dele propositadamente, às vezes nós somos afastados à força.

Você aprende muito, ganha muito! Tainá, é a maneira que você pode até ajudar seus pais. Você vai chegar a um ponto que pode até ajudar os seus pais, porque, às vezes o seu pai e a sua mãe não tiveram a oportunidade que você está tendo, de ter Deus como o Senhor da sua vida. “O meu Senhor”.

E aí sim, com o seu entendimento, que Deus te deu, com o coração que Deus te deu, a luz que ele colocou nos seus olhos, você vai ajudar os seus pais, você vai ajudar a sua casa.

Você acha que o jovem hoje que escolheu Deus, que resolveu seguir os seus passos, você acha que o jovem tem que ganhar, tem muito que ganhar?

Alguém: muito, muito, quando nós descobrimos isso. Eu aprendi muito isso com vocês, que quando a gente coloca nossa vida na mão de Deus, as decisões que a gente passa a tomar são muito mais assertivas, muito mais produtivas e a gente tem sempre a ganhar com isso. Porque Deus sabe de tudo, todas as coisas que eu venho vivendo. É o que eu venho passando, e é isso que eu quero.

Até com os nossos erros aprendemos. Jesus Cristo, até Ele não teve por usurpação ser igual a Deus. Sempre se considerou uma pessoa que aprendia; Está escrito, Jesus Cristo aprendeu a obedecer a Deus, pelas coisas que ele passou (Hebreus 5:8).

Alguém: Tem como eu, sendo jovem, cheio de merda na cabeça, alcançar essa benção, por exemplo, como o senhor leu aqui sobre Salomão.

Tem, mas é claro! Eu não acabei de falar que Deus tem prazer em você se aproximar dele? E quanto mais você chegar ali com humildade, mais ele te recebe. Mas não tem dúvida nenhuma! É isso, não só é possível, é pra exatamente acontecer o que nós estamos falando. Amém!

Ele vai te receber com muito carinho e você vai ficar do lado… desse lado aqui, é porque nós não mostramos ainda, mas está escrito. Você escolheu Deus, quem escolhe o Senhor, quem pode obedecer tendo-o como Senhor, escolheu isso aqui. Você escolheu o Senhor, automaticamente… Ele fala, escolha, pois o bem. Aqui desse lado está a benção, e desse lado está a maldição. Escolha a benção e você vai ficar livre da maldição Amém!?

Vamos terminar.

Vamos curvar nossas cabeças. Quero que vocês comentem entre vocês, porque, amanhã vamos perguntar mais, quero ouvir mais de vocês.

Amém, Jesus. Pai nosso que estais no céu, tu és o nosso Senhor, nós não temos outro Deus, nós não temos outro Senhor. E assim como o irmão perguntou se é possível hoje nós fazermos essa oração que Salomão fez, é possível hoje nós decidirmos por seguir os seus passos, por tê-lo como Senhor da nossa vida.

Eu tenho certeza de que o Senhor há de nos responder que é exatamente isso que o Senhor quer, que os jovens entendam que eles não estão só. Eles não estão só, apesar de toda a dificuldade que o mundo tem oferecido aos seus pais, apesar de toda luta, toda guerra, há um Deus no céu olhando para você.

Há um Deus no céu olhando por você. Há um Deus no céu querendo te ensinar, querendo te guiar, te abençoar, te tomar no colo como um filho amado, e é isso que nós queremos, Jesus.

Nós queremos, meu Deus, eu aqui com 73 anos, quero me sentir como um desses jovens, deitar-me no teu colo, abraçar o Senhor como na primeira vez, como se fosse, meu Deus, um menino carente. Carente de compreensão, de amor, carente de amizade. Escuta minha oração, Jesus, a minha simples oração. Eu quero o Senhor guiando meus passos, ensinando o caminho que eu devo andar. Escuta minha oração! Amém!


 

4ª Reunião – A luta contra o pecado

 

O que que vocês pensaram, meditaram a respeito de ontem? Ou não pensaram nada? O que nós falamos ontem?

 Heloísa (Paraiso): Amém, o Senhor falou que o nosso problema é que a gente não escuta os nossos pais. Você falou que não tem como o pai chegar e falar o que ele tem que fazer, porque ele faz o que ele quer. E eu, às vezes, não penso que um dia eu vou ter uma casa, vou ter filho.

Então, eu estou tendo um tempo hoje para escolher o meu governo, escolher Jesus como meu governo, escolher o bem, a vida. O senhor fez a pergunta: a quem iremos obedecer? O ideal é que nós obedecêssemos a Jesus Cristo.

Então, por que a gente não obedece?

Heloísa (Paraiso): por causa da minha própria justiça. Um dia eu acreditei que poderia ser independente de Deus, de um Senhor.

Por que nós somos desobedientes? Nós temos dificuldade para obedecer aos pais? Tem, por quê? Você acha que o pai não tem razão, é assim?

Alguém: a gente tem dificuldade, porque quero ser o meu Senhor, eu quero fazer as coisas. Mas tem alguém que é mais experiente, que já viveu, não faz isso! Mas a gente não escuta, a gente quer mesmo fazer.

Amém! Você quer quebrar a cara.

Então por que não fazemos? O que você acha, Toninho? Por que temos dificuldade para obedecer, nós somos desobedientes?

Toninho: naturalmente, o ser humano, nós temos uma dificuldade muito grande para obedecer. E hoje, o mundo, ele tem incentivado demais a independência. Cedo 11, 12 anos a pessoa não obedece mais a ninguém mesmo.

 Então, o mundo tem incentivado a desobediência, como foi falado ontem. Deus está chamando a atenção da gente para, como o irmão estava falando ontem, apesar de ter 53 anos, o irmão com 70 anos, a gente não aprendeu, ainda tem dificuldade de obedecer a Deus, sempre vai ter.

Sempre vai ter! Theo, é assim?

Theo: é.

Por quê? Você acha que tem uma razão, qual o motivo, por quê? A hora que você converte, passa a obedecer?

Téo: eu acho que, além desses agravantes que os irmãos já falaram, a gente não escuta Deus. Deus fala, fala, e a gente não escuta.

Na hora que converte, a gente passa a fazer tudo certinho?

Téo: tudo não, mas, pelo menos existe um esforço, tem que existir um esforço.

Amém! Passa para a neguinha. É assim?

Neguinha: amém, eu acredito assim também. O fato de converter ou crer nesse evangelho, a dificuldade, muitas coisas, ‘Ah, eu gosto de fazer dessa maneira’, mas é o que o Senhor fala que deveria mudar. Então, encontro dificuldade porque eu quero fazer do meu jeito, porque eu acho que dá certo.

Mas, então, com a conversão, a gente passa a fazer certo?

Neguinha: é como o Téo falou, algumas coisas a gente encontra facilidade, mas naquilo que eu mais gosto e que eu quero fazer do meu jeito, encontro muita dificuldade.

Quando é que você vai fazer certo?

Jaqueline: eu acho que quando adquirir a consciência. Eu penso que, pelo menos, a consciência já é outra.

Antigamente, você fazia as coisas erradas e não tinha consciência; hoje não, você faz errado e tem consciência.

A conclusão a que chegamos é que a luta contra o pecado não terminou. A conclusão que você chega, tem que chegar é essa. Por quê? Porque você habita… Nós precisamos chegar a pensar que existem duas coisas: a carne e o espírito. Você não é só carne, você é carne e espírito. Então quando você fala, a carne está ligada ao Espírito, o espírito fala e a carne… Entendemos por causa da carne, como se fosse um representante. Quando o corpo morrer, o espírito não vai falar mais, o espírito não tem mais como se comunicar conosco.

Jesus saiu desse corpo e voltou três dias depois, no outro corpo, continuou se comunicando, continuou falando, continuou entrando em contato conosco, mas ele já tinha desfeito, largado o quê? O corpo do pecado. E o nosso caminho é esse, a nossa caminhada é essa, a nossa caminhada é a mesma que Jesus teve.

Mas você ainda está no corpo do pecado. Então o que é que o seu corpo quer? Pecar. Você habita no corpo do pecado. Na verdade, não é o seu, é o corpo do Pecado. É por isso que existe essa desobediência, essa dificuldade, porque, você, lá no fundo, o homem interior quer obedecer, mas o corpo quer desobedecer. A carne quer fazer uma coisa e o interior quer fazer outra.

Quando Paulo fala assim: “o bem que eu quero eu não faço” (Romanos 7:19). Ele está se referindo ao homem interior, quem está falando é o homem lá dentro. “O bem que eu quero não faço, mas o mal que eu não quero esse faço; maldito homem que sou, quem me livrará do corpo dessa morte?” (Romanos 7:19).

Então, o problema nosso está onde? No corpo. E aí, Raquel, como é que a gente faz? Dá um cacete nesse corpo? O que é que você acha, Raquel?

Raquel: “uai” vô, eu acho que um vai ter que crescer, e o outro vai ter que diminuir.

Então, no começo, não somos só o homem interior, por causa do corpo, ele fala da sua falta de entendimento, consciência etc. ele também desobedece. Então, resistimos aos pais, resiste até Deus. Depois, quando você se converte, os seus olhos foram abertos, quer dizer, o homem interior acordou.

Conversão é abrir os olhos do homem interior, e, aí, esse homem lá dentro, o homem interior, a nova criatura passa a lutar contra a carne. Aí que você vai realmente definir que não é só o corpo, tem também uma alma, tem também um espírito.

O que vai ficar vivo é o espírito. Eu preciso cuidar, zelar dele, porque é ele que vai ficar vivo; porque a carne vai ser, de qualquer forma, eliminada.

Então, esse período que eu estou aqui nesse corpo é o tempo que Deus deu para eu me converter, regenerar e ficar apto, em condições de receber um novo corpo, ou seja, de continuar vivendo. É a vida eterna. Senão, a nossa vida vai terminar aqui. Amém!?

Se você não adquirir o direito de viver, a sua vida vai terminar aqui, com a morte. Será uma morte eterna, a segunda morte (Apocalipse 21:8). Vai ser lançado no lago de fogo etc. porque não esperamos coisa boa não! Só quem passou por lá que tem uma ideia. Porque, se fosse uma coisa boa, Jesus Cristo não tinha feito tanto esforço para não ir para lá. Porque Jesus Cristo passou por aqui, ele correu também o risco. Vamos ler Hebreus 5:7:

“O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia. Ainda que fosse Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem…” (Hebreus 5:7-9).

 

Livrar da morte? Mas ele não estava se referindo a morte da carne; ele não estava com medo da morte da carne. Ou estava? Muito pelo contrário, a morte da carne… ele queria que fosse rápido, o mais rápido possível. Olha só o quanto nós somos diferentes, queremos viver 80, 90. Jesus queria ir logo embora, já que estamos passando por aqui, vamos terminar isso logo, vamos acabar com isso logo.

Então, querer viver, isso é bom ou é ruim? Querer ficar na carne é bom ou ruim? É um mal. E por que queremos? Ignorância, falta de conversão, falta de Deus. É admitir que não está pronto, morre de medo de sair do corpo.

Então Jesus, nos dias da sua carne, fez orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, àquele que pode salvar, só tem um: Deus, só Deus pode salvar a alma, o espírito.

O corpo, ele queria o mais rápido possível… Ele falou assim: “eu tenho que passar por um batismo” (Lucas 12:50), era a morte, ele estava se referindo a morte. Ele falou: “O quanto eu anseio por isso! Até quando eu vou ter que aguentar essa geração, até quando vou ter que suportar?!”

Ele queria ir embora, por quê? Porque, na verdade, onde é que nós estamos? No corpo da morte, no exílio, sem Deus, uma casa estranha, no corpo que não é o nosso, no mundo. Por que queremos tanto isso aqui?

Não sei se vocês concordam, mas até as músicas são feitas para a carne. O louvor não é um louvor a Deus, é uma música que parece louvor a nós; “me ajuda a viver, eu quero viver. Me abençoa aqui, deixa eu ficar bem aqui”.

Parece que fazemos o contrário. Engraçado, está ruim, está ruim, está ruim, mas, na realidade, isso não seria falta de Deus, falta de conversão? Não seria carnalidade?

Temos mania de dizer: “não, eu quero fazer a vontade de Deus”. Nós oramos para saber qual a vontade de Deus: se eu me caso com esse, esse ou esse. Eu estou orando para saber qual a vontade de Deus, se eu compro esse, esse ou esse. Eu estou orando para saber qual a vontade de Deus. Qual delas você acha que é a vontade de Deus?

Qual, Natali? Na verdade, se você quiser saber realmente a vontade de Deus, você vai ficar decepcionada. Eu tenho essa casa, tenho esse sítio, essa fazenda, o preço da casa é o mesmo preço do sítio, é a mesma fazenda etc. Eu não sei se eu faço isso ou aquilo. Amém!? Ora por mim. Você ora por mim, ora por nós, irmão! Para quê? Para ver, vamos orar, fazer vigília, entrar em jejum para saber qual é a merda que você vai fazer primeiro, qual é o mal que você vai fazer primeiro, não é assim? Então, é uma ignorância grande demais.

Aí aconteceu a conversão. O que é que foi a conversão? Nati, você acha que já converteu, ou ainda continua querendo saber qual a vontade de Deus? Você já converteu ou quer saber ainda qual a vontade de Deus? Se você faz isso, isso, isso, eu estou orando, tem muito tempo que eu estou orando etc., porque eu não sei o que Deus quer.

Você já descobriu qual é a vontade de Deus? O que queremos?

Na verdade, o Toninho se converteu, eu acho que o Júnior se converteu, eu acho que o Chequer também se converteu. Eu acho também que vocês se converteram. A Regina, que levantou quase o corpo, também eu acho que se converteu.

Que hora que você converte? É na hora que os seus olhos são abertos. (Nós estamos falando, ninguém está escandalizando, está todo mundo concordando.) Você viu, abriu os seus olhos, pegou a cruz e começou a caminhar.

Então você estava nessa direção, converteu. A conversão é a hora que você começa a seguir Jesus. Então, quem aqui acha que se converteu? Todo mundo se converteu? Nós estamos aqui não é porque nós estamos seguindo? Nós estamos aqui não é porque nós queremos? Então, como que não se converteu?

Eu estava nessa direção. Lá no quartel, tinha: conversão à direita, você segue para esquerda? Conversão à esquerda. Então nós nos convertemos ao evangelho, nós nos convertemos a Cristo. Amém!?

E aí Jesus falou: “Você renuncia a si mesmo, pega a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24). E você vai ouvir coisas ao longo do caminho, você vai escutar ao longo do caminho, você vai ver muita coisa, não é assim? Amém.

O apóstolo Paulo falou: “Corri a carreira que me foi proposta” (II Timóteo 4:7). Que horas que Paulo se converteu? Os olhos dele foram abertos, e Deus propôs para ele, pegue a sua cruz e siga-me. E ele então começou uma carreira, começou uma nova caminhada. Aí o que Deus propôs para ele? Isso. Ele pegou a cruz e começou a seguir Jesus.

O Rossini, será que ele converteu? Será que ele converteu mesmo? Quem falou para você? Eu poderia falar igual vocês, eu também não converti, igual à Regina.

Como que eu me converti? Sabe como que Paulo entendeu que ele era convertido? Sabe por que Paulo entendeu que ele era um cristão? Porque ele era perseguido.

Então, por que eu sofro? É porque eu sinto a cruz. Por que eu sei que eu sou convertido? Por causa da perseguição. Eu sei que o inimigo me odeia. Eu sinto a cruz, eu trago no meu corpo as marcas.

Então é isso. Agora, a pessoa se converte e não quer ser perseguida. Ela se converte e não quer padecer!? “Ué”, meu filho, então pega a cruz e dá um pontapé nela, volta lá e acabou’. Você e o diabo vão ser um, igual o Ildeone fala: “eu e o meu pai somos um”. Pois é. Pronto, vai para a cachaça, vai fazer a vontade da carne e do pensamento, você e seu pai.

Aí você trocou, pegou a cruz, claro que o mundo vai te odiar. Se o mundo te odeia, lembra que ele me odiou primeiro, e o seu sofrimento vai ser porque você continua querendo ainda, às vezes, fazer uma coisa aqui que não é mais para você. Amém!?

Deu para entender o que é conversão? Conversão é isso. A carreira que Paulo, que Deus propôs para ele, pega a sua cruz e siga-me. E, aí, agora, ele abriu os olhos e falou: aqui é assim, você vai ter logo de cara: seus inimigos serão da sua própria casa, não confia em ninguém, não espera por ninguém. Amém!?

O que você quiser para você, faz para os outros; se alguém tomar de você o que é seu, não reclama. É a regra. Não é fácil não! Você quer? A gente quer e é por isso que a gente sofre, porque a cruz incomoda. As normas, o evangelho não são para o mundo, é para mim, é para nós que estamos no caminho.

O Evangelho é a nossa constituição, de quem está no caminho carregando a cruz, estamos querendo mais rápido possível. Amém!?

Jesus se esforçou desde pequeno e, muito cedo, ele estava pronto. É porque demoramos a cair a ficha. Lá com 80 anos que vamos querer ficar livre do corpo dessa morte.

E aí ficamos orando para Deus nos ajudar, ficamos orando para Deus dar força? Então é, na verdade, muita falta de entendimento. Por mais que a gente pense e saiba, a gente não faz; falamos aqui, daqui a pouco esquecemos. Parece que esquecemos.

Então, Jesus Cristo foi a pessoa que entrou nesse mundo e entendeu. Presta bem atenção, Jesus Cristo foi uma pessoa igual a nós, só que ele, ao entrar no mundo, ele começou a olhar, pensar, a analisar. E ele começou a ver que isso não era vida. Ele logo entendeu que isso aqui não é vida.

Então, ele começou a observar as coisas, ver de onde não conseguimos ver. Então, Jesus viu uma coisa interessante, que isso aqui não era possível, tinha que existir uma vida e que isso aqui não era vida. Vocês acham que ele tinha razão? Ou vocês acham que isso que é vida? Não é vida. Isso aqui não é vida.

Eu, por exemplo, estou aqui na marra, estou aqui agora na marra. Onde é que vocês acham que eu queria estar? Ontem eu fui dormir 1:00h, 1:30h, mais ou menos. Aí você pega um velho destruído, deita-se 1:30h para levantar-se cedo, para fazer isso aqui, ganhar o quê? Isso é vida? Aposentado, já trabalhou para danar, pelejou, onde é que vocês acham que eu podia estar agora? Porque imaginamos que a vida lá, mas lá também tem infarto, não tem? Quantos não têm infarto lá na pousada? Quantos não têm depressão lá? Quantos não têm dor de cabeça lá? Quantos não vomitam lá?

Lá também tem hospital. O pau cai a folha lá, aqui etc. Então, o mundo é um lugar de provação, é um lugar onde vivemos de teimoso. O mundo é um lugar que não é o ideal para nós não. Nós fomos colocados nesse mundo, você não pediu para nascer aqui, mas quando você acordou, você estava aqui.

Tem um amigo aí que a esposa dele deu à luz duas meninas, esses dias, eles as apresentaram. Aí eu falei para os pais: “tenho dó de vocês, tenho pena de vocês”, delas também, mais dos pais, porque o que os pais sofrem por causa dos filhos! E os filhos? Depois vão sofrer pelos seus filhos.

Foi o que Jesus falou: “Chora pelos seus filhos, chora pela sua casa.” Porque, que coisa, como isso pode ser vida? Você deseja tanto a sua casa, um filho; quando nasce, depois torna-se seu sofrimento. Torce para que sua filha tenha um filho, que é o seu netinho, sua netinha etc. Depois vem o netinho, a netinha, e você?

Tem alguma coisa errada aí. Vocês concordam que tem alguma coisa errada?

Nós resistimos a Deus. Deus quer dizer para nós a verdade. Jesus falou: “Conheça a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32). Então, nós resistimos a verdade, a Deus. Deus quer mostrar para você a verdade! Parece que fazemos questão de ignorar. Tem alguma coisa errada, não é possível.

O apóstolo Paulo, chegou um momento que ele falou: “Meu Deus, o bem que eu quero eu não faço, o mal que eu não quero eu faço, maldito homem que sou.” Que coisa, eu quero fazer o bem, mas por que eu faço o mal? Todo mundo quer fazer, por que faz o mal? Então tem alguma coisa errada. Amém!?

Não tem aquele negócio assim, pão-pão, queijo-queijo, converteu.

Converteu! Não, não é isso. Na verdade, é um processo, é isso que ela quer dizer. Existe um processo, alguém me lembra de falar mais sobre isso na próxima reunião.

Alguém: eu realmente entendo que a gente se preocupa assim, ai, Senhor, qual lote eu vou comprar, qual casa eu vou comprar?

Então estaria errado eu perguntar para Deus, orar, perguntar sobre o casamento, se é uma pessoa que eu devo me casar, ou se eu tiver que mudar de cidade é uma coisa errada eu perguntar isso para Deus?

Não, na verdade errado não é, mas o ideal é que você tenha a consciência. Não é errado você perguntar para Deus, eu tenho três pretendentes; então o que você deve fazer, pensar qual é a vontade de Deus? Na realidade, a vontade de Deus era nenhum. Então, se você insistir em saber qual a vontade de Deus, Deus vai dizer: eu não vou falar porque não vai adiantar, ela já botou na cabeça que ela quer um dos três.

Então, não adianta eu falar para ela que a vontade de Deus mesmo está lá nas escrituras, no evangelho. Minha filha, lê aqui: a vontade de Deus é que você não se casasse, essa era a vontade de Deus. Ele não quer nenhum dos três. Então pedir qual é a vontade de Deus, não deve ser. Qual deve ser?

Senhor, eu vou fazer uma merda. A vontade do Senhor é que eu não me case, mas eu não estou dando conta, eu quero me casar, o Senhor me perdoa, não leva a mal etc. e tal, mas eu quero me casar. Então, dirige o meu coração, abra os meus olhos para que, pelo menos eu me case com aquele que me quer bem, que realmente vai buscar o Senhor como eu busco, que vai querer o Senhor como eu quero, porque como que nós vamos andar juntos?

A história já é outra, você já vai propor. Aí, Deus, vendo a sua aflição, vendo a sua luta, te ajuda. Ou então pega esses três e passa para lá e pega outro, pega um outro, às vezes pobre, feio, mas que vai te amar. Então o que você queria? Um bonito que põe chifre em você todo dia, um bonito que não te ama e que vai gritar com você e que vai fazer você sofrer? Ou uma pessoa normal, simples, comum, e às vezes até feio, mas que te ama, que cuida de você, que quer bem você?

Entendeu, gente? Vocês estão entendendo? Porque o que importa é isso, entendeu? Eu acho que muitas vezes falta entendimento, consciência. Mas na próxima reunião vamos falar um pouco mais sobre o quê? Conversão. O que é?

Como eu falei, o evangelho não é para o mundo. É uma constituição, é uma lei que não serve para o mundo, é completamente contrária ao mundo. O evangelho é uma doutrina, uma constituição, uma regra que só pode ser aplicada onde? No reino de Deus. Ela foi feita para funcionar no reino de Deus. Quando eu me converto, eu aceito o reino de Deus, eu aceito o governo de Deus.

A conversão é isso, eu andava onde eu queria, eu não tinha governo, fazia a vontade da carne e do pensamento. Me converti ao Senhor. A partir daí, eu aceitei uma pessoa, um governo na minha vida, e ele então me propôs isso, o evangelho, a doutrina de Cristo etc. Só funciona aqui no reino de Deus.

Temos uma coisa interessante, eu já observei isso lá no começo da minha conversão, eu pensava que Deus queria que o evangelho, que o mundo praticasse o evangelho. Claro que não vai! Não tem como o mundo praticar o evangelho. O Evangelho é uma loucura! Já pensou se a Globo fosse praticar o evangelho? Ela quebrava. Se o governo, a Câmara, o Senado, esse povo fosse agir de acordo com o evangelho? Se alguém te ferir aqui, vire ali; se alguém tomar o que é seu, não reclama; o que você quer para você, faz para o outro. Não funciona. Lá é pau, pau.

Aquele negócio de bancada evangélica, aquilo é uma piada. Bancada evangélica no lugar onde o evangelho não funciona, só se for para pegar o banco. Não funciona, não adianta você querer aplicar uma regra como é o evangelho, no mundo. Ninguém pode servir a dois senhores. Ou você quer uma coisa ou você quer outra.

Depois falamos mais. A participação sua é fundamental. Hoje já foi melhor.

 

 

5ª Reunião – Conversão

 

Amém! Vamos continuar. Nós ficamos de falar sobre a conversão.

Esses dias, nós vimos uma passagem que fala sobre a questão do valente. “Vindo um mais valente, tira a armadura em que você confiava…” (Lucas 11).

Estava conversando agora mesmo com a Isabela, é muito importante você ter a sua Bíblia. É importante usarmos a Bíblia, por quê? Aí você poderia até pensar o seguinte: “Mas é muita informação, é muita coisa e isso vai esquentar a minha cabeça”. “É muita informação é muito conhecimento etc., eu não vou entender tudo isso, eu não quero me preocupar com isso”. Não! Não é que você vai decorar a Bíblia, mas o que me faz cristão? O que me torna seguidor? É o que eu acato, aceito, as verdades que estão ali.

Então, que eu possa ler um trecho e, naquele trecho que eu li, paro, às vezes, em um determinado lugar num versículo, aí eu falo: “Isso é verdade, é verdade! Pode não ser para você, mas para mim é verdade”. E eu pego essa verdade e guardo isso comigo. Ninguém mais vai tirar isso da minha cabeça, amém!? É uma verdade.

Então, quando você alimenta, assume, isso vai para a sua mente e aí eu me torno filho de Deus, eu me torno dessa forma. Amém!? Não é uma coisa separada de mim; eu cri e aquilo vai como se fosse um remédio que vai para o seu sangue, vai para sua mente. Amém!

O que vale, o que importa não é o que está no livro, mas o que está no seu coração. Ah! Está escrito aqui, mas não está escrito aqui ainda; está lá na Bíblia, mas não resolve nada se não estiver, amém!?

Então, o plano de Deus para nos salvar é pegar o que está escrito e colocar onde? Então, se ele botar uma semente, uma verdade, uma semente, nasce uma árvore e, daquela árvore, muitas outras árvores. Aquela árvore que nasceu deu frutos, e cada fruto deu uma árvore e formou então uma mata. Caíram duas sementes, melhor ainda, mas uma semente pode te salvar: é a semente do filho de Deus.

Então, eu deixo bem claro: não é estar na Bíblia. O que está na Bíblia é muita coisa, tem o Velho Testamento, o Novo Testamento, os profetas, as leis, muita coisa. Mas o importante, eu volto a dizer, é o que ficou gravado na sua mente, no seu coração.

Por exemplo, todos os dias de você toma café? Almoça, janta? Você por acaso come um boi no café, uma vaca? Não. Você come, no máximo, um bife da vaca, não é assim!? Não comemos um saco de arroz, mas nós comemos uma porção de arroz, uma porção de feijão, uma porção de carne, mais uma coisa etc.

Mas do feijão você tira o ferro, do arroz você tira o carboidrato, da carne a proteína, das folhas… você vê que cada coisa… o tomate, tem uma coisa no tomate que é muito importante, se chama licopeno. Sabia que o licopeno é uma coisa muito importante, tudo que é vermelho, toda fruta vermelha tem. Tudo que for laranja tem alguma coisa, tudo que for amarelo e assim o que for. Deus já fez as coisas desta forma.

Aí, você tem um pouco de proteína, mas você vai comer só proteína? Só vitamina A, só vitamina B? Não, nos alimentamos, e da mesma forma é o espírito. Jesus falou: “Quem de mim se alimenta…”.

Então, quando eu estou ali, nas Escrituras, eu pego uma palavra que Ele falou. O que Ele falou sobre Salomão? Salomão não foi uma pessoa super inteligente? Não chamou atenção do mundo inteiro? A rainha não veio ouvir Salomão? Porque todo mundo admirava a sabedoria do rei Salomão, que era extremamente arrumado. Aí, o que Jesus falou?  “Salomão…, mas eis aqui quem é maior que Salomão”.

Quando você observar essas coisas e ver assim… Jesus falou isso. As palavras que Jesus falou não foram muitas, foram poucas palavras. Então, não é muita coisa que você precisa gravar, mas se você gravasse, pegasse somente aquelas poucas, aquele alimento era suficiente para te salvar. Nós nos convertemos a Ele, a Jesus. Amém!?

Por que nós, no começo, colocamos aqui: a quem nós vamos obedecer? Quem Nós escolhemos para ser o nosso senhor?

Senhor significa dono. Amém!

Então, eu me converti a Cristo, porque eu acreditei em Cristo, eu aceitei, eu concordo com Ele, pronto! Se tiver outro, paciência! Se tiver outra…, mas eu elegi, eu escolhi e não abro mão! Jesus Cristo, para mim, é a verdade. Eu não preciso me preocupar com mais nada. Vou procurar saber, então, o que ele pensa sobre isso; se eu tenho uma dúvida sobre isso, eu vou procurar saber o que Jesus pensa sobre isso e eu vou ficar com o que Ele falar.

O que Ele pensa do casamento? É o que eu vou pensar. O que Ele pensa do mundo? É o que eu vou pensar. Se Ele chegar para mim e disser que pau é pedra, ninguém vai tirar da minha cabeça, pode todo mundo falar que pau não é pedra, mas Jesus falou que pau é pedra e para mim é pedra e acabou; eu vou descansar.

São coisas que entraram na minha cabeça e ninguém tira, eu acredito, pronto e acabou! Eu estava até conversando agora mesmo com a Isabela, falando que, de vez em quando, eu faço umas orações bem doidas. Eu falo: “Senhor, Senhor!”. Quando eu falo “Senhor”, Ele já sabe que eu estou falando com Ele.

Porque para mim não tem outro Senhor, para mim não tem outro Deus, não tem outro Salvador. Eu faço a minha oração meio doida, eu falo “Senhor, eu não tenho outro Deus, não! Para mim, o Senhor é a minha salvação, eu estou aqui”. “O Senhor não vai me socorrer? Manda um Anjo, Senhor, tem anjo aí sobrando ou não tem? Nossa, se o Senhor falar uma palavra a coisa muda, fala Senhor!”

É isso que eu vou em cima, eu vou em cima, eu vou pedir: “Senhor!” Eu não vou ficar aqui remoendo, aqui embaixo tentando. Não, eu já vou direto.

“Senhor, escuta, eu não tenho outro socorro, eu não tenho outro Deus, eu não tenho outra coisa que possa me ajudar”. Aí, você lembra de uma palavra que você já sabe; não está escrito que os anjos foram colocados para nos ajudar? Não está escrito em algum lugar?

Eu peguei aquela palavra, escrevi no meu coração. Eu peguei aquela palavra: “Olha, está escrito que os anjos…”, eu cobro, por que eu posso cobrar? Por acaso não está escrito isso: “Não cai um fio de cabelo da nossa cabeça sem que Deus saiba”? Eu posso até mostrar: “Senhor, está escrito aqui, o Senhor colocou os anjos a nosso serviço para nos ajudar. E eu estou sozinho, quem vai me ajudar? Eu quero um anjo”. Amém!

Daniel orou 21 dias, foi insistente até o anjo vir (Daniel 9:21). Jesus fez jejum durante 40 dias, sendo tentado. Tentação, tentação em cima e ele sozinho, resistindo, orando, resistindo… de repente, o que aconteceu? Chegaram os anjos! Acabou, aliviou, os tentadores sumiram, porque vem a luz.

Apaga a luz, por favor. Então, você está só marimbondo, tal e etc. Queimando a sua cabeça, aí escureceu, está tudo escuro etc. E você naquela aflição, angústia e você clamando, orando: “Senhor!?”. De repente, acende a luz. Pronto, começou a clarear do lado de cá, melhorou, mas ainda tem um pouquinho aqui, pronto.

Então, clareou, acabou o problema. Engraçado, o lugar é o mesmo, as coisas são as mesmas, mas o problema foi embora, clareou! Saíram os tentadores e chegaram os anjos e serviram Jesus, e aliviou.

Uma palavra, às vezes, basta uma palavra. Foi o que o centurião falou para Jesus: “Fala uma palavra” (Mateus 8:8). Qual era o problema? O servo dele estava doente, morrendo, todo mundo ali preocupado, angustiado, estava escuro, trevas. Jesus falou uma palavra, o centurião falou: “Não precisa o Senhor ir, basta uma palavra.”; essa palavra que eu preciso tirar, que eu preciso cobrar.

Basta uma palavra e o escuro, a perturbação, a aflição, a angústia, a tristeza passa e vem a luz. Mas eu preciso acreditar que resolve, eu preciso acreditar que Ele escuta, eu preciso acreditar que existem os anjos. Amém! De tal maneira que todo aquele que invocar o Senhor vai receber ajuda.

A Bíblia me levou até Jesus, a Bíblia me ajudou a descobrir, se alguém, algum dia, botar fogo na minha Bíblia, tomá-la, não toma mais Deus de mim. Pode levar, pode pôr fogo, pode sumir com ela; vou sentir falta, porque ela me ajuda, mas ela me levou até Jesus.

Então, se eu estiver lá debaixo da água me afogando, eu não tenho a Bíblia, mas eu tenho a palavra de Deus. Onde? Eu vou lançar mão da palavra. “Senhor, o anjo. Senhor, o Senhor está me vendo? Está me ouvindo? Senhor, eu não tenho outro Deus, eu não tenho outro socorro. O Senhor é minha salvação”.

Deus vai tirar você lá debaixo da água, Deus vai tirar você lá de baixo da lama, Deus vai acampar os anjos ao seu redor e vai te salvar. Se for para fazer aquilo, Ele vai fazer. Amém! Se você tiver que andar sobre as águas, você vai andar sobre as águas.

A minha sogra estava na UTI morrendo, mas eu pedi um anjo e a minha sogra viu o anjo. Ela conversou com esse anjo, e o anjo começou a cuidar dela. Ela tinha que esperar mais uns dias, foram os dias que…. e a filha dela não estava acreditando, porque ela já estava praticamente… ela voltou à consciência e aí a Amilce pergunta para ela: “Mãe a senhora viu o Anjo?” E ela respondeu que sim. “Que jeito que ele era?”. Você vê a incredulidade da filha. “Que jeito que ele era?”. Aí ela falou para ela: “Era grande, grande”. “Ele me leva para o banheiro, ele cuida de mim”. Ele levou, ele fez a ceia com ela, levou o vinho, o pão.

Ericson, Pergunta para o seu pai, o Eudásio, as experiências que ele teve, no estado que ele estava. Amém!?

A oração feita com fé. “Eu não posso, mas o Senhor pode! Eu não posso, Jesus, mas o Senhor pode”. Eu não tenho como fazer com as minhas próprias mãos, nem os médicos tinham como fazer. “Senhor, está nas tuas mãos. Se o senhor mandar, enviar aqui um anjo, eu preciso de um anjo, que alguém do céu…”. Aprenda isso, aprenda a entender que a nossa salvação vem de Deus, que o nosso socorro vem de Deus. Amém! Nós não podemos confiar, não podemos confiar na nossa própria força, porque nós não temos. Nós não podemos confiar, por mais que façamos força. Amém!

Quem crê, quem anda com Deus, quem tem essa fé, o dia que ele precisar, tomara que não precise; mas o dia que você precisar, você sabe quem é o seu socorro, quem é a sua salvação, quem é o seu ajudador. Jesus Cristo, Ele é essa pessoa que foi colocada por Deus, Ele é a nossa salvação. É porque não usamos, não chamamos, não acreditamos. E ele tem todos os anjos à disposição Dele, milhares de anjos; o céu está nas mãos Dele. Ele os tem à sua disposição, experimenta. Amém!?

Eu vou guardando no meu coração, eu nunca esqueci disso: que o povo de Deus, que os filhos de Deus são aqueles cuja palavra caiu no coração e ficou. Saiu o Semeador a semear, a semente que caiu na beira do caminho não ficou; caiu no meio dos espinhos não prestou; caiu no meio da pedra não vingou, mas caiu, às vezes, caiu no coração que… é esse, foi essa que salvou você, essa que caiu e ficou; foi essa que caiu e ficou. Amém!?

E você cuidou, estercou, zelou e aquela palavra, aquela semente, vingou. Você cuidou. Amém!

“Este é o concerto que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado” (Hebreus 10: 16).

Onde que está a lei de Deus? Abre a sua boca e você tem a palavra saindo, é porque você a tem no seu coração. Se não tem, você é pobre, miserável. Amém!

É isso que Deus quer que todos nós tenhamos. Esse é o conserto, a nova Aliança. “O que eu vou fazer com mundo de agora para frente.” Disse Jesus: “Vou fazer diferente, não vou deixar no livro eu não quero a coisa no papel, eu quero a coisa na sua mente no seu coração”. E quando você aprende e vê que funciona… às vezes, eu lembro, o Rhudá estava lá em Nova York. De repente eu: “Meu filho, faz assim, assim, assado”.

Lança a mão dessa palavra. Daqui eu ponho um anjo lá junto. Amém!

E Deus mostra, faz assim, por quê? A palavra está na sua boca e no seu coração. A palavra está na sua boca. Amém!? (Romanos 10)

Então, às vezes, nós queremos resolver a coisa naturalmente, por mais que você arruma, arruma, não dá!  Fica faltando alguma coisa.

Mas, se nós fizermos isso de tal maneira que a semente vá parar no nosso coração – a semente é a palavra. Saiu o Semeador a semear a sua semente. Meninos, jovens: o que importa é o que você tenha a palavra onde? No seu coração. É o que você consegue falar. Então, quando você ora com os enfermos, quando você expulsa os demônios; por que você não expulsa demônio?

As pessoas voltavam lá para Jesus e falavam: “Senhor, a gente tentou expulsar, mas ele não quis sair”. Ele sai, ele tem que sair. Mas eu não tenho idade para expulsar demônio, mas não precisa de idade, precisa de fé, de vontade. Precisa crer que: “Maior é o que está em mim…”.

Porque maior é o que está em você, não é por causa da sua idade, só um velho que pode expulsar demônio? Não! “Você vai sair da minha vida, você vai se afastar daqui desse lugar”. Às vezes, o ambiente… de repente, você vê a porta bater, as coisas caírem etc.

O ambiente muda ou é só velho que vai expulsar demônio? Amém!? Que dia você vai se tornar capaz de expulsar um demônio? Que dia, quando? Quando você tiver um filho, quando você tiver neto? Não! É quando jovem, quando menino. Se você crer, você pode dizer: “maior é o que está em mim”. Amém!? O meu Senhor é Deus!

Às vezes, você faz; às vezes, ficamos com vergonha de fazer perto dos outros. Vai lá dentro do carro, viajando e você tal etc. Duvido que não mude o ambiente. Eu duvido que não venha paz. “Batei, batei e abrir-se-vos-á. Buscai e achareis” (Lucas 11:9). Eu quero mais, eu quero mais de Deus, e quanto mais de Deus eu tiver menos o inimigo tem ação sobre mim.

Eu vou fazer assim, diz o Senhor. “Este é o concerto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações…” eu quero ver quem vai tirar!

Tentaram perverter tudo que tínhamos de bom. E aí vêm as religiões, vem coisas que vão cada vez confundindo mais, vai chegar um ponto de muita confusão. Mas aquele que tem a palavra não será confundido, mas aquele que tem a palavra não será confundido.

O que Jesus falou é o que está aqui. O que eu procuro? Me preocupar com o que Ele falou. Por exemplo, Ele disse: “O mundo é mau, o mundo nos odeia” (João 15:19). Aí eu vou ficar de peito aberto com o mundo? Eu vou confiar no mundo? Não, o mundo é mau! Eu nunca vou deixar de acreditar nisso, o mundo é mau. Ah! Mas fulano é bom… não é! Bom é Deus.

Jesus falou: “Nós somos maus”! Vocês são maus! Mas estão querendo ficar bons. Se esforça, tenha bom ânimo. Mas nós somos maus, mas nós queremos ser bons.

“Senhor, ensina o caminho que eu tenho que andar. Senhor, dirige o meu coração; ponha luz nas minhas trevas, que eu quero ser bom, justo. Eu quero ser direito, eu quero amar, eu quero ser honesto, eu quero ser amável, eu quero ser como o Senhor, me ajuda!”

Agora, o hipócrita (coisa que ele abominou), o hipócrita é aquele que ele já entra aqui no caminho achando que ele é bom. “Sabe por que Deus me chamou? Porque eu sou bom, sabe por que Deus estendeu a mão para mim? Porque eu sou melhor do que os outros”, é assim? Não.

Deus chamou Madalena, Deus chamou Mateus, as pessoas que mais precisavam. Quem mais precisa de Deus tem mais probabilidade de se chegar a Deus.

O Senhor estendeu a mão para mim e me tomou; é por isso que quanto mais eu devo mais eu amo. Lembra quando Ele falou uma parábola que alguém devia 50 e o outro devia 500, e ele perdoou os dois, aí ele falou: “Quem mais vai me amar? Quem mais devia” (Lucas 7:40-45).

Você imagina: “Ah, Deus não olha para mim, eu sou assim… Deus não me quer…”. Não, meu filho, quanto mais Deus te perdoa mais amado, mais amar a Deus você vai querer. Então essa é a regra.

“Porei as minhas leis…”. Onde está a palavra? Você vai falar, você é que vai falar, você que vai fazer. Não tem esse negócio de: “Ora por mim, ora por mim…”. Não, levanta tua cabeça. O mesmo Deus que está aqui, está aí. Amém!?

Expulsa, repreende porque Deus é Poderoso, Ele está aqui, Ele está aí.

“Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos” (Hebreus 8:10).

Então, onde está Deus? Está na palavra. O Verbo se fez carne. Ele está na palavra, a semente é a palavra. “Quem de mim se alimenta” (João 6:57), se alimenta de Deus. Quem comer o pão que desceu do céu, você come, alimenta. O livro vai ficar no colo, e Deus? E a palavra viva no seu coração. E o livro está lá na prateleira, na gaveta. Por isso que é bom você ir lá no livro, pega uma palavra que está no livro e fala: “Essa agora ninguém mais toma. Deus a imprimiu na minha mente.”  Muita gente tem um livro dentro da gaveta. E aí, você está lá não sei onde, tem que vir aqui na gaveta?

 “Este é o concerto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações…”, no Capítulo 8:10 fala a mesma coisa:

Porque este é o concerto que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; e Eu lhes serei por Deus…” (Hb 8:10)

Que horas que ele vai ser meu Deus? Quando a semente cair no meu coração “…e eles serão…”.

Eu me torno povo de Deus exatamente porque a palavra me deu essa garantia. Por que eu sou um filho de Deus? Por que que eu faço parte do Povo de Deus? Porque a semente, a palavra está no meu coração, essa foi a aliança que Deus falou que faria.

Eu me pergunto: o jovem não tem direito? A criança não tem direito? Quanto mais cedo, quanto mais jovem, quanto mais criança ponha uma palavra no seu coração. Pega aquela palavra que você leu, gostou, concordou, está de acordo e fala: “Senhor, ninguém vai mais tirar isso de mim, o Senhor é meu Deus”.

Jesus Cristo! Para mim não tem outro nome, outro salvador, não tem outra pessoa em quem eu confio, só no Senhor, está aqui gravado. Amém!

“Ensina o caminho, que eu vou andar no que o Senhor me falar”. Quantas vezes eu deitava e ficava repetindo o nome, repetindo algumas palavras e eu ficava aliviado da minha angústia, às vezes, da minha tristeza, da minha aflição a e, às vezes, sonhava. “Senhor Jesus, Senhor…”. Às vezes, eu pegava um versículo e pronto.

Se não experimentarmos, nunca vai funcionar. Os discípulos ficaram e deu certo, voltaram felizes da vida. Por quê? Porque funcionou. Você queria perguntar?

Alguém: Amém eu estava pensando aqui, igual o senhor falou sobre importância de a gente ter a palavra na mente, no coração. Só que eu tenho dificuldade em guardar essa palavra. Então, como vencer isso? Como que eu vou vencer essa dificuldade em guardar a palavra de Deus?

Uma boa pergunta. Presta atenção, por exemplo, no capítulo 6 de Lucas:

“O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre” (Lucas 6:40).

O discípulo não é superior ao seu mestre? O aluno não é superior ao professor? Porque se o professor está na condição de professor e o aluno na condição de aluno, é porque o professor… O discípulo não é superior ao mestre, mas quando o discípulo chegar a ser perfeito, ele vai ser? Daqui a pouco, ele está conversando com o professor no mesmo nível; ele aprendeu.

O caso da Medicina… você é um discípulo, uma pessoa que está aprendendo, e o cirurgião está ensinando a fazer a cirurgia. Não tem casos que aquele aluno, às vezes, se torna um melhor cirurgião depois? Amém!?

Isso é uma verdade? Então, não precisa decorar não, você precisa só admitir que isso é uma verdade. Todo discípulo perfeito será como seu mestre, não é verdade? Pronto. Seja um bom discípulo e você será um bom mestre.

O que Jesus foi de Deus? E, de repente, Ele e Deus, ou seja, Ele não fez o que Deus faz? Ele não expulsou o demônio, não curou enfermos, ressuscitou morto, andou sobre as águas, não mandou o mar parar, não mandou o vento aquietar? Sim! O que Ele fez? Foi um bom discípulo, então seja um bom discípulo.

É verdade isso? Vocês nunca vão esquecer disso, a hora que você estiver lá fazendo uma coisa, às vezes na própria vida, você vai dar um ensinamento de Cristo. “Isso está na minha mente, no meu coração”. Todo discípulo deve ser bom para, no mínimo, ser igual a Jesus.

É uma verdade? Outra verdade? Você pegou isso como uma verdade, vai parar onde? Alguém vai tirar isso da sua cabeça? Você está convencido que isso é verdade?

Uma outra verdade que Jesus falou, vamos achar uma aqui no 6:43. Só no capítulo 6 de Lucas você vai se encher de verdade para pegar umas 50 e vai gravar o seu coração.

“Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto” (Lc 6:43).

O que você acha disso? Já viu um pé de limão dar abacate? Então, se o pé de limão der abacate, alguma coisa está errada naquele pé de limão, alguma coisa está errada. Aí, meu filho, Deus falou: “Não pode a árvore boa dar maus frutos”, se a árvore boa está dando mau fruto tem algum problema naquela árvore. Não é verdade? Alguma coisa está errada.

A árvore é boa, ela tem que dar bom fruto. Por que ela está dando mau fruto? Vamos ver qual é o problema.

Problema de ansiedade? É o problema da angústia, tristeza, alguma coisa está causando isso e está atrapalhando a árvore, que começou a dar fruto errado. É verdade isso? Você conhece a árvore pelo fruto, alguma coisa está errado.

Então, minha filha, você falou como é que eu vou pegar, como que eu vou fazer para guardar a palavra. Vocês já guardaram duas agora. Põe isso na sua cabeça, não tem árvore boa dando mau fruto.

Mais uma? Uma palavra que eu gosto muito, tem várias, Jesus falou das bem-aventuranças, diz assim: “se alguém tomar o que é seu não reclame”. Será que Ele tem razão? Se alguém tomar o que é seu não reclame, é verdade?

Eu peguei isso como uma verdade, eu guardei no meu coração, na minha mente. É uma palavra: se alguém tomar o que é seu não reclama. Uma outra verdade interessante: se você tiver um problema com alguém, o que você deve fazer? Cássia, se você tiver problema com alguém como que você vai fazer?

Cássia: Uai, o que Jesus falou é que eu deveria resolver com a pessoa antes de chegar diante de Deus, que seria melhor para mim.

Antes de chegar. Se você tiver problema com alguém, resolva antes de ir para o delegado; vai vocês dois lá para o delegado? Do delegado para frente não vai ficando pior? Daqui um pouquinho, você vai parar lá na cadeia preso, assim que Ele falou.

Então, se você tem um problema com uma pessoa resolva o problema com a pessoa o mais cedo possível. É uma verdade. Ou você vai ficar sofrendo por causa daquilo ou você vai ficar entrando na justiça e tal etc.?

Sabe, quando ladrão faz o assalto, todo mundo corre para fazer o B.O. Sabe o que eu gosto? Nem B.O. eu faço, não quero saber. Ah, mas se encontrar? Não quero saber, passou.

A Amilce foi assaltada, mas não sei quem foi lá para poder ajudá-la mais do que depressa para fazer o tal do B.O. Aí o ladrão foi preso e ele tinha feito mais alguma coisa no dia e foi parar… aí está lá a Amilce, tranquila em casa, chega uma notificação: “Comparecer para prestar depoimento”, relacionada como testemunha etc. Lá vai a Amilce.

Daqui a um pouquinho, está a Amilce… estava tranquila, querendo passear não sei para onde, chega a notificação: “Comparecer com o juiz…”. “Ah! Mas eu não vou mais, eu não sei por que este enjôo…” Eu falei: “Então não vai para você ver o que que vai acontecer, não vai não!”.

“Então, você me leva”, eu falo – “Tudo bem, eu te levo. Mas eu falei para você, seja a última vez que você…” Amém! B.O. mais um B.O.

Então, meu filho, o que ele arrumou? Até o dia que esse trem acabou, o tanto de “enxeção de saco”, mas você vai lá para o Fórum, fica lá não sei quanto tempo esperando aquela confusão; não pode um encontrar com outro, aquele negócio, coisa e tal. Um dia, ela pediu para o juiz: “Será que eu não podia ficar fora desse trem? Será que eu não podia, porque esse negócio está me dando muito trabalho”.

Ai, lá no finalzinho, o juiz disse: “Está bom, você não vai ser mais chamada não, pode ficar tranquila”, mas como foi enjoado isso.

Então, Jesus tem razão, é uma verdade. Tomou o que é seu, meu filho, não reclama, deixa para lá. Ele tem razão, é uma verdade?

Cada vez que você dá razão para ele, você alimentou dele; cada vez que você concorda com ele você alimentou dele. Cristo está sendo formado dentro de você, e você vai se tornando resistente ao mal, ao pecado.

Sofre o dano, sofre a injustiça, anda a segunda milha, são poucas coisas. Sofre o dano, porque o que causou o problema foi lá atrás, foi quando você quis resistir, se tivesse sofrido o dano, a injustiça, você não teria hoje, às vezes, amargado o sofrimento.

Quanto mais longe, mais livre… este é discípulo perfeito. Jesus era um discípulo perfeito, foi.

Todo seu sofrimento é consequência da nossa resistência a Deus.

Abraça seu irmão, estamos encerrando em nome de Jesus.

 

 

 

 

 

6ª Reunião – Pedir o Espírito Santo

 

Nós sabemos, nós estamos crendo que realmente vai chegando um ponto, um momento, uma situação que nós vamos nos curvar, que nós vamos ceder diante da pressão do mundo, diante dos problemas, da tribulação. E nós precisamos de uma força que não temos, de um poder que nós não temos. Jesus falou: “Se eu expulso os demônios, é porque chegou o reino de Deus”; “Se eu curo as enfermidades, é porque chegou o reino de Deus” (Mateus 12:28). E o que nós temos visto?

Temos visto que a igreja, de um modo geral, tem sido pressionada, tem sido acuada; ela, talvez, nunca tenha necessitado tanto de Deus quanto agora. Deus já tinha previsto que os últimos dias seriam dias difíceis, mas também estava previsto que Deus, nos últimos dias, derramaria seu Espírito sobre toda carne.

Eu entendo, quando ele fala “Sem mim” (João 15:5), é sem o Espírito de Deus, Cristo em nós. O Espírito de Deus, você pode pensar também, tem uma forma que vai te ajudar, Jesus teve um ano, dois, três, quatro, dez, quinze, vinte, vinte e cinco anos e ninguém conhecia a Jesus, conhecia apenas o filho do carpinteiro. Conhecia aquele homem normal, comum, igual os outros, o filho do carpinteiro.

Falaram assim: “Nós não conhecemos as suas irmãs?” (Mateus 13:56). As irmãs dele, do filho do carpinteiro.

E nós sabemos também que, quando ele, Jesus, ali no casamento, quando ele transforma água em vinho, a partir dali, a vida dele mudou. E a partir dali realmente nasceu a igreja.

Em Atos 1: 4.

E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes.

Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.
Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?
E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. At 1:4-8

E, estando com eles (Jesus ressuscitado encontrou com os discípulos), determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai.( Atos 1:4).

 

Deus havia prometido o quê? O Espírito Santo. Será que se nós, hoje, pedíssemos pra Deus o Espírito Santo,  já não está na hora da igreja começar a pedir a Deus o Espírito Santo? O que vocês acham?

Igreja: Amém!

Eu penso que é da forma como ele falou: “fica aí até que …”. Nós podemos até perguntar, podemos conversar; é isso que eu quero fazer agora, todos nós estamos aqui no salão, vamos fazer a nossa oração. A sua oração, a sua conversa com Deus, nada de, eu creio, não é nada desesperador, nada fora do normal. Você vai conversar, você vai orar. Orar é falar com Deus. Você vai fazer a sua oração, todos vão fazer. Até quem está aqui pela primeira vez, as menininhas novinhas, pequenininhas, a Yasmin, a Priscila, Ana Luiza, a Rebeca. Você também vai fazer a sua oração. “Senhor, o irmão, meu avô, meu tio, está falando aí sobre o Espírito Santo, é para mim também? Eu também tenho direito?” O que é o Espírito Santo? Eu também posso ajudar com a minha oração.

Você vê aqui: “determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias”.Pode ser que não aconteça nada hoje, mas vocês vão continuar lá em Paraíso, Palmas etc., aqui também, nós vamos continuar insistindo com o Espírito Santo, por quê?

“Mas recebereis a virtude (Poder) do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas…” (Atos 1:4-8). Em outra tradução, diz assim: “E recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo.” De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, E perseveravam na doutrina…” At 2:41-42.

Não quer dizer que parou de pregar o Evangelho, não quer dizer que deixou de ser normal, foi batizado com o Espírito Santo. Assim, você pode imaginar como que é ser batizado no Espírito Santo. Você vai entender quando você for batizado. O certo é que a igreja carece, ela precisa.

Tem coisa que eu não posso fazer sem o Espírito Santo. Amém!? Mas, tudo posso com o Espírito Santo, através do Espírito Santo. A igreja aqui, sem alarme, todo mundo vai ter essa conversa com Deus: “Senhor, o irmão está falando do Espírito Santo, eu acho que eu nunca tive, nunca experimentei, é para nós? É para essa igreja, é para esse tempo?” É a mesma coisa de você ver um carro que não tem gasolina andar, ele não vai andar sem gasolina, a igreja também não.

Deus falou: “Reúne aí até que do alto…” (Lucas 24:49). Vocês ficam aí e não saiam, não vão fazer nada não, esperem, porque descerá sobre vós o Espírito Santo. E, quando isso aconteceu, houve uma transformação, houve uma mudança na vida da pessoa, é como se ela tivesse tomado o remédio, amém!? E aí, muita coisa aconteceu, como a um tempo atrás… Sabe por que chamam de Igreja Pentecostal? É porque teve um tempo que a igreja trabalhou nessa direção. Mas aí, outros espíritos entraram no meio e, eu acredito que, parece que Deus recuou, brecou, porque estava dando muita confusão. Mas, até hoje não se entende perfeitamente o que significa o Pentecostes?

O Pentecostes foi o dia de Pentecostes, foi o dia que a igreja recebeu, que a igreja experimentou o Espírito. Jesus não prometeu? “Eu vou para o Pai e depois eu derramarei do meu Espírito sobre toda carne”, e Ele derramou do Espírito Dele. É uma coisa que eu sempre imaginei, vamos arrumar bem a casa, porque o vaso, é como ele falou: “vinho novo em odres novos”.

Será que nós não temos já uma casa em condições? Será que nós ainda não temos uma igreja em condições de receber? Por que não experimentarmos? Será que nós ainda não temos uma casa, um vaso… Você pode perguntar. “Senhor é para nós, é para agora?” Você viu os discípulos perguntando aqui, é agora que o Senhor vai restaurar? “Senhor, restaurará tu agora o reino a Israel?” (Atos 1:6).

É agora que o Senhor vai fazer isso? A gente não sabe a hora que Jesus vai voltar, mas eu creio que nós estamos precisando, no momento, fazer isso. O quê? Pedir a Deus. Tem um lugar que fala assim:

Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem? (Lucas 11:13).

Ele fala: batei, batei… pedi e ser-lhe-á dado.

Disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo, e, se for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois que um amigo meu chegou a minha casa, vindo de caminho, e não tenho o que apresentar-lhe; se ele, respondendo de dentro, disser: Não me importunes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para tos dar; Digo-vos que, ainda que não se levante a dar-lhos, por ser seu amigo, levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação, e lhe dará tudo o que houver mister. E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; Porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á. E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem? (Lucas 11:5-13).

 

Deus quer que você peça ovo? Aqui não está claro que ele está querendo que a gente peça o Espírito Santo? Ele falou uma parábola, no fim, Ele conclui. Então, pode ser que eu não receba, que eu não tenha isso agora, mas você vai dormir, às vezes, e receber o Espírito Santo dormindo. Ser batizado com Espírito Santo dormindo. Pode ser que você esteja dirigindo, viajando, que você esteja tomando banho. Porque, na sua mente, você vai estar sempre. Você vai querer, nós vamos querer, a igreja vai pedir pra Deus o quê?

Igreja: O Espírito Santo!

Aí você pensa: Mas eu aqui com esse cabelo aqui, eu não tenho direito. Peça! Não interessa, é isso que Ele falou. Ele quer ser importunado, entendeu? Eu não quero peixe, eu não quero ovo, eu não quero isso, eu não quero aquilo, o que você quer? Eu não quero namorado, já estou de saco cheio com namorado, eu queria, mas eu não quero mais. Mas, agora, o que eu quero?

Igreja:Espírito Santo.

Você vai dizer, mãe, pai, vamos pedir a Deus o Espírito Santo para nós?! Minha filha, você está ficando doida, que negócio é esse? Não, olha nós estamos precisando realmente é do Espírito Santo.

O que Deus está dizendo? Se você insistir, o que você vai receber? O Espírito Santo. Mas o que eu vou fazer com o Espírito Santo? Recebe, depois você vai ver o que vai fazer. Recebe o Espírito Santo. Depois, só assim, você vai saber o que fazer.

Teve um caso lá com os apóstolos, que só de orar com o outro, ele já recebia o Espírito Santo. E, aí, aquela pessoa que tinha, passava para o outro. O certo é que a igreja viveu anos, épocas maravilhosas. Não é igual nós estamos hoje, numa luta, numa angústia, parece que Deus está… Vocês vão pedir o Espírito Santo ou então vai explodir. Ou vocês pedem, buscam poder, ou a coisa vai escurecendo, o ‘negócio’ vai fechando, o tempo vai fechando.

Você vai ao médico, resolve o problema? Você vai ali, resolve o problema? E vai ali, resolve o problema? Toma um comprimido, e a hora que não resolver? Se é só Deus, o que custa? Se a promessa de Deus, se a vontade de Deus é que todos nós tenhamos o Espírito Santo. Amém!?

A vontade de Deus é habitar em nós. Foi o que Jesus fez, ele se colocou à disposição de Deus para que Ele habitasse nele. “E recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo”. O apóstolo Pedro, que era um pescador, a vida dele teve uma mudança violenta. Mas o que eu vou fazer com o Espírito Santo? É o que eu falei, na hora que você receber, você vai saber o que fazer. Amém!?

O certo é que se você ler e entender do jeito que eu estou entendendo, você vai pegar e ler em casa, e vai entender, Ele não está aqui fechando o texto, dizendo para gente: “pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo”,então, se o Espírito Santo não fosse uma coisa boa, Deus iria nos dar? Se nós não tivermos em condições, ele não vai nos dar, mas o certo é que vamos pedir, a igreja tem que ter, ela precisa, caso contrário, ela é humana, é diabólica, terrena.

Nós estamos crendo, estamos ouvindo a palavra, estamos lutando, pelejando, aí o vaso vai sendo transformado, o interior do copo foi sendo lavado, graças a Deus por tudo, nós chegamos até aqui. Mas, nós chegamos até aqui e entendemos que nos falta, amém!? Nos falta a pista para a gente voar, e por que falta?

Porque você foi curar um enfermo e o ele não foi curado, você foi expulsar o demônio e ele não quis sair, você foi pedir uma coisa e não veio. O que está acontecendo? Amém!?

Aí os discípulos vieram, Senhor, mas que coisa boa, nós curamos os enfermos, expulsamos os demônios. E Jesus falou: “Olha não fica muito feliz, muito alegre com isso não, mas, fica feliz porque o nome de vocês está escrito no livro”.

Você já pensou uma Clarinha cheia do Espírito Santo, curando enfermos, expulsando demônios, amém!? Uma Natali, por que não? Deus tem nos dado os sonhos, visões… Agora mesmo, o João Vitor ele tem tido umas experiências interessantes, umas visões. Eu li umas que ele mandou, eu achei proveniente.

Eu acho que Deus está nos empurrando para levantarmos voo. Então, Wender, Toninho, todos os dias, vocês em casa, todo tempo de vocês, lembrem disso. “Senhor, eu quero.” Vamos importunar, mesmo que você não tenha direito, mas de tanto que você vai pedir, Deus vai falar: “O jeito é dar o Espírito Santo para esse caboclo, porque, senão, ele não vai parar de me amolar. Senão ele não vai parar de pedir”. Mas se nós pedirmos, Toninho, uma semana, ah, não deu! Vai ficar por isso mesmo?

Vamos partir para cima disso, parar com tudo, vamos armar umas barracas aqui, dá um passo para frente, ‘agora nós vamos’. Nós não entendemos uma igreja sem o Espírito Santo, é a mesma coisa do povo sem Deus. É querer fazer as coisas pela própria força, é querer fazer o ‘negócio’ pela carne.

Gente, o diabo, ele é muito mais capaz, mais forte e ele judia com a gente. Nós não podemos confiar na armadura, depois nós vamos falar sobre isso, mas nós vamos insistir daqui para frente, se Deus quiser. Eu queria que vocês levassem isso para suas casas. Cuidado com as aparências, nem tudo… Muito cuidado com as aparências.

Vocês vão perceber até mesmo o seguinte, o quanto é difícil fazer uma oração sem o Espírito Santo, mas nós vamos bater. Senhor, Senhor está vendo a situação? O Senhor está vendo a dificuldade? O Senhor viu, por que a gente está cansado, fraco, o Senhor viu que a gente vai orar e não consegue orar direito. Nós temos medo. Então, nos dá poder, nos dá força, enche-nos do teu Espírito.

Vamos fazer nossas orações. Vamos, cada um no seu canto, não precisa ser tudo junto, tem muito espaço dentro do salão. Você vai fazer a sua oração, se você conseguir fazer 5 minutos, é 5 minutos ou se você conseguir fazer 10 minutos, é 10 minutos. É da mesma forma, como se você estivesse batendo na porta de uma casa. “Senhor, o Senhor está me ouvindo? Senhor, Senhor, está me ouvindo?” Não respondeu? Por que não respondeu? “Senhor, o Senhor está me ouvindo?”

Não ouviu. Aí, você para? Então, você não vai receber o que você está querendo daquela pessoa. ‘Senhor, o Senhor está me ouvindo?’ Não teve resposta. ‘Senhor eu estou precisando, eu estou querendo!’ Não houve resposta? Até que ele se levante para te atender. Está falando aí que Ele dará o Espírito Santo àquele que pedir o Espírito Santo, ‘eu quero o Espírito Santo!’

Se todo mundo trabalhar nessa direção, porque, parece que está chegando o momento, a hora em que a gente, principalmente os jovens, porque, vai nascendo e vai crescendo e chega na idade que está. Eu conheci os meninos do Toninho. Vocês chegam na idade que estão, e que hora vocês foram batizados com o Espírito Santo? Os meninos do Júnior, os meus netos, estão aí quase se casando. E que hora eles foram batizados com o Espírito Santo? Não, nós não podemos deixar.

Nós precisamos de uma igreja onde as pessoas são batizadas com o Espírito Santo. Não é, Naianny? A Naianny também está querendo. Eu também estou, nós vamos pedir, Toninho.

Senhor, parece que está faltando alguma coisa e eu acho que algo está faltando para nós é. Eu quero voar, eu quero mais, eu quero subir, se for necessário eu quero curar o enfermo, quero expulsar o demônio, preciso falar com Deus, eu preciso de ajuda.

Se você já for desanimado, “ah, hoje ele não vai me atender”, então você tem cem por cento de chance dele não te atender mesmo. Mas, se você pensar, é hoje mesmo que ele vai me atender, pode ser que seja hoje, amém!? Mas, se não for hoje, vai ser quando eu estiver dormindo, vai ser na hora que eu dormir. Mas, se não for durante a noite, vai ser durante o dia. O certo é que eu vou insistir, eu quero o Espírito Santo, quero ser batizado com o Espírito Santo, eu quero o Espírito Santo.

A promessa é essa, porque, se Deus prometeu, o Senhor não prometeu? E eu não posso, de mim mesmo, fazer nada. Eu fico pensando, o dia que eu conversei com o espírito maligno, Satanás. Quem lembra?

Eu estava assim, sentado no meio do culto, salão cheio de gente, uma reunião boa. Sei que estava uma benção, todo mundo naquela maior euforia, eu sentado, e satanás também. Eu estava sentado, olha para você ver que coisa mais interessante, eu e ele, nós, assistindo. Eu não conhecia aquela pessoa e ela também não me conhecia, eu me lembro bem que era uma pessoa morena, com uma corrente de ouro no pescoço e tal, lá no meio assim, como está o Luís e o Mateus. E aí a pessoa que estava dirigindo o culto fala, coloca a mão no seu irmão do lado, vamos orar com ele.

E eu botei a mão, falei, vamos orar nós dois, eu junto com ele, assim, coloquei a mão, orei e ele caiu no meio do corredor. Ele caiu! Algumas pessoas juntaram, pegaram ele e levaram lá para o quartinho, onde fazia normalmente o descarrego. Levou o senhor para lá e eu fui atrás, eu fui também. Chegando lá, inclusive, estava junto o apóstolo César.

O César estava junto, juntaram e oraram com o caboclo, e sai, e tal, aquela confusão. Ele voltou ao normal e falou: Nossa, graças a Deus etc., que bom, estou aliviado, minha cabeça está doendo, mas aliviou e tal. Eu lembro disso como se fosse hoje, o César chega e fala: Está liberto, pode mandá-lo lá para o salão, Jesus Cristo é o Senhor!? Responderam, Jesus Cristo é o Senhor! Pronto, está liberto. Só que aí eu falei para ele, o pessoal saiu, vamos ficar aqui um pouquinho, vamos conversar um pouco. E eu fiquei com ele, só eu e ele no quartinho. Eu perguntei, como é que você está? Está se sentindo bem, está bem? Estou bem graças a Deus, agora estou bem.

Você me permite, vou orar com você mais um pouquinho, eu posso orar com você mais um pouco? Ele falou, pode orar. Eu fui orar com ele e o que aconteceu? Manifestou outro demônio, e só eu e ele. Naquela outra hora, tinha uns 10 em cima do homem, e naquela hora só estava eu e ele. E eu disse: Satanás! Eu não tinha experiência nenhuma, e continuei, sai, Satanás, sai em nome de Jesus. De repente ele fica bom de novo, alegrinho, onde eu estou? O que aconteceu? Eu falei para ele, vamos orar mais um pouco? Pode orar. E vou orar mais um pouco, e o que aconteceu? Outro espírito diferente daquele, diferente dos outros. Cada hora que eu orava manifestavam outros espíritos, diferentes dos outros.

Eu sabia que era diferente, inclusive um deles, era o Exu Tiriri, eu sabia, porque o Exu Tiriri fica com a mão para trás, assim, e conversando com você. Veio cada um de um jeito. Por fim, sabe o que ele falou para mim? Já falou normal, sem papagaiada, falou normal, e disse: ‘Você não precisa orar mais, porque eu não vou sair.’ E agora? O que adiantava orar com ele ali, se ele falou que não vai sair? Eu não tinha poder, eu não tinha poder, eu não podia mandar ele sair, porque ele não ia sair. Eu aproveitei para conversar, era uma oportunidade, e a gente não pode perder.

Então, aproveitei para conversar com ele, e eu falei por que você vem aqui então? O que você faz aqui, por que você vem aqui? Ele respondeu: ‘O meu cavalo é que gosta de vir, eu venho com ele, e daí? Eu posso ou não posso?’ Ele é atrevido, ele dizia: Eu posso ou não posso? Ele quase falou para mim: E você por que você vem? Mas, ele falou: ‘O meu cavalo vem, eu venho com ele.’ Pois é, mas, na verdade, aquilo ali aconteceu porque Deus queria que eu conversasse com ele e que ele conversasse comigo. Deus queria isso, porque foi uma experiência que eu nunca esqueço.

Ele falou para mim: Pois é, você está passando esse problema na sua casa, você está tendo isso, está tendo aquilo, a gente pode aliviar isso. E eu disse: não! De você eu não quero nada, se Deus não me der, eu não quero. Naquele tempo, eu estava no primeiro amor, estava cheio de coragem, estava cheio de fé, e eu falei, “não, eu não quero”. Ele insistiu e falou: Você está querendo comprar um carro velho, eu te dou um novo, pronto! Aí, na hora, ele não quis muito papo, saiu normal, foi para lá, sentou-se no lugar onde estava e continuou assistindo, continuou fazendo tudo normal. Estava terminando o culto, o pessoal se levantou louvando, ele também levantou o braço. Eu fiquei perto dele, com medo dele fazer alguma coisa, porque não adiantava falar com os pastores, “não, ele não saiu, está aí, ó, não saiu”.

Eu guardo isso comigo. O que eu guardo? Ele falando para mim, eu não vou sair! Se eu tivesse poder. Por que ele não saiu? Porque ninguém ali, Toninho, ninguém ali podia mandar ele sair. E ele saiu? Não. Porque não tinha um que podia mandar ele sair. Se Pedro tivesse lá? Se João tivesse lá? Concordam que nós precisamos… Do quê?

Igreja: Do Espírito Santo!

Nós precisamos do Espírito Santo. Amém!

 

 

 

 

 

 

7ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo.

 

Será que nós cremos na reunião que passou? O que que Deus mandou a gente fazer? O que que é melhor, cantar ou orar? O que é melhor, mais fácil?

Igreja: Cantar.

Por que que vocês cantaram? Porque estavam com preguiça de orar. Por que a gente cantou? Porque ninguém quis orar. Amém!? Então, o azar é seus.

Se eu fosse vocês, eu iria aproveitar o tempo e oraria, por que nós não oramos da outra vez? Deus mandou orar. Batei, batei e abrir-se-vos-á. Aí o que que nós preferimos? Cantar. Amém!?

É como se a reunião que passou já tivesse ficado para trás. Agora, quem, durante a reunião anterior, teve alguma experiência, alguma coisa boa, alguma coisa interessante que poderia nos falar?

O Arthur sentiu. Fome, muita gente sentiu, saiu daqui rapidinho e foi comer; vontade de ir ao banheiro, muita gente também sentiu. Vamos ver o que o Arthur sentiu.

Então, gente, nós continuamos querendo orar, querendo o Espírito Santo, temos que aproveitar, orar, porque a gente vai para casa e não ora, pelo menos aqui a gente tem que insistir na oração. Carne e sangue não entrarão no reino do céu, carne e sangue realmente não entram. Poderíamos, então, entender isso, que é do Espírito Santo que nós estamos precisando.

 Arthur: Quando eu estava orando, mais no final, eu senti um sopro, um vento muito forte vindo em minha direção e isso foi dos meus pés até minha cabeça. E eu comecei a tremer muito, o coração acelerou, e eu vi também aquele homem que eu havia desenhado abrindo os braços, e dentro dele saia uma luz muito forte. Então, eu acredito que já não era mais eu ali naquele momento, eu não sei nem explicar.

Amém, você sentiu.

Irmão: Quando o senhor começou, falou e começou a orar, eu fui confirmando, concordando com a sua oração. Aí, foi vindo uma sensação, foi vindo, foi vindo e começou o louvor, só que eu não dei conta de louvar e comecei a chorar, chorar, chorar. E, neste derramamento de lágrimas, eu queria que todo mundo sentisse. Foi diferente, eu chorando e alegre. Eu estava alegre, mas chorando ali pra caramba. E meu corpo todo tremendo, é diferente.

Amém! São sinais, manifestações que você sentiu. Pode, nas próximas orações, você pedir para Deus, “eu quero sentir”. Então, por que que aconteceu lá no dia de Pentecostes? Porque, os dons do Espírito Santo. Porque, a pessoa, às vezes, ao receber um dom, ela está sendo batizada.

Por exemplo, pode acontecer de você ter recebido o dom de cura. A partir daí, você é uma pessoa que cura. Você põe a mão no enfermo e ele vai ser curado. É um dom do Espírito Santo que está em você. Você vai curar, entendeu? Você vai expulsar um demônio, é um outro Dom; tem o dom de línguas.

O quê que aconteceu lá no dia de Pentecostes? Muitas pessoas receberam o dom de línguas. Porque tinha pessoas lá que falavam vários idiomas, dialetos. Fulano, cicrano, beltrano, um falava uma língua, outro falava outra língua, porque aquela região era uma região de muitos dialetos e as pessoas de vários lugares estavam reunidas ali, apesar de ser pouca gente, e receberam o dom.

Então, quando a pessoa estava orando na língua dela, ela estava orando numa língua e o que era de outra língua escutava na língua dele, no dialeto dele. Então aquilo ali causou uma emoção, a pessoa falando uma língua estranha e eu escutando na minha língua. É como se a pessoa estivesse orando em francês e eu ouvindo em português, só que ele falava uma língua estranha e eu ouvia na minha. É como se eu estivesse interpretando. Aí eu dizia: ‘sabe o que que ele está falando? É isso, isso, isso;’ ele fala e eu interpreto.

Pode acontecer, ao ser batizado com o Espírito Santo, que você receba o dom de línguas e vai falar nessa língua. Então você está falando ali numa língua que ninguém sabe o que é, e a Lorraine aqui interpreta, ela recebe o dom de interpretação. O outro, dom de cura, vários dons.

E aquilo causou uma emoção e movimentou. Porque, quando você está aqui perto e sente que aquela pessoa perto de você está sendo tomada pelo Espírito Santo, recebendo o dom, falando em línguas, aquilo contagia você que está perto.

Aí, o povo todo começou… E as portas batiam… Não eram todas as pessoas, mas algumas pessoas que estavam ali só olhando, acharam aquilo estranho.

Pode acontecer que alguém que esteja aqui no meio simplesmente olhando ache estranho. Não tem problema, não são todos que vão sentir, não são todos que vão ser batizados ao mesmo tempo. Mas o que importa é o caso do menino ali, ele sentiu alguma coisa, não sei se ele foi batizado. Quem vai saber é ele e Deus. O outro também sentiu uma presença de Deus que causou uma emoção diferente etc., e ele vai continuar. Deus confirma depois. Amém!?

O certo é que você também quer ter, eu também quero sentir, você quer sentir, é isso que você vai dizer para Deus. Mas aí, parece que a gente não acredita. Após a reunião, eu estava ocupado com outro ‘negócio’ e, de lá, eu estava ouvindo o pessoal cantar e eu falei: eles deviam estar orando! Eles podiam estar insistindo. Porque vocês não podem ficar dependendo, vocês precisam aprender. Amém!?

Por exemplo, eu vou orar, pode até ajoelhar por aí, eu quero, eu vou insistir, eu quero ser batizado com Espírito Santo, eu quero sentir o que o irmão está falando aí que a gente sente. Amém!? Larinha, você sentiu bem naquela hora, durante a oração que nós fizemos?

Outras pessoas sentiram, mas muitos, não. Como eu falei, não é obrigado, não é todo mundo, pode não ser hoje, pode ser amanhã, pode ser quando você está dormindo, pode ser daqui a um mês. O certo é que você precisa, a não ser que você não esteja acreditando que precisa ser. João falou: Eu batizo com água, mas virá um que batiza com Espírito Santo. Jesus Cristo é quem batiza com o Espírito Santo.

Se ele está no meio de nós, se ele está conosco, você pode até perguntar, por que eu não posso ser batizado com Espírito Santo? Vamos insistir! O quê que está escrito, como está escrito? O que nós falamos na reunião passada?

“Se seu filho pede um pão, o pai…” Então, por que nós não vamos pedir o Espírito Santo? Porque nós não queremos. Porque, quando você quer pão, você insiste, “eu quero pão”. A criança quando quer mamar, ela insiste até mamar. Na hora que ela mama, acabou o barulho.

Por que não recebemos o Espírito Santo? Você ficar “pá, pá, pá,” vai receber? É assim? Mas não é mesmo. Nós somos uma igreja, nós cantamos, sentimos muita diferença, tem uma diferença boa, “que o teu Tabernáculo seja aqui”, pelo menos até na hora de irmos o banheiro, é assim? Não, que o seu Tabernáculo seja aqui, que a casa de Deus seja aqui!

Aí, nós saímos para poder comer um ‘negócio’ e volta, já é outra coisa, outra história? Não, não faz isso não, não judia comigo não!

Você quer o Espírito Santo? O Espírito Santo não está fazendo falta para você, está? O Espírito Santo não está fazendo falta para nós? A gente vive, trabalha, come, dorme, mas ele está fazendo falta. Vocês é que não sabem o que é que vem por aí, as coisas que estão por vir. O mundo espiritual. Ele está fazendo falta.

Eu estava até comentando o seguinte, as igrejas foram perdendo o Espírito e elas continuaram vivendo. A igreja de Atos, igreja de Pedro, de Paulo, dos Apóstolos etc., era uma coisa, e elas foram esfriando, foi perdendo o quê? E entrou na rotina do mundo.

Será que o Espírito Santo faz falta para a igreja católica? Para a PUC, para não sei quem? Não faz, gente, já se acostumou a viver; o mundo já se acostumou a viver sem Deus.

Que o seu Tabernáculo seja aqui entre nós, que o Senhor habite aqui entre nós, que o Senhor faça morada entre nós, que o Senhor encontre entre nós um lugar para ficar. Se não sair na minha geração, pelo menos eu “bati”, pode ser que não aconteça na minha geração. Mas eu acho que uma igreja sem o Espírito Santo, ela vai cantar até morrer, mas nós não queremos só isso. Nós queremos muito mais que o louvor realmente saia com a presença de Deus. Amém!?

Quando a gente vê a pessoa cantando lá sem o Espírito… Não é desesperar não, é assumir a responsabilidade… Assumir o seguinte, falta. Vamos admitir que está faltando.

Então, vamos cantar, eu chego aqui, falo, falo, nós vamos embora, vai continuar tudo do mesmo jeito. Então vamos dizer: “Senhor, nós queremos o Espírito Santo”.

Deivid Paraiso: Durante a oração do senhor, eu estava orando e me veio para levantar a cabeça e olhar para todo mundo, aí eu levantei a cabeça, comecei a olhar para todo mundo. E eu via que descia uma pomba aqui no meio, aqui no corredor, e eu via que essa pomba se transformava em um homem, em Jesus.

Ele saia no meio das pessoas e perguntava: gente, eu estou aqui, eu já estou aqui. Por quê que vocês não me veem? ‘Trisca’ em mim, eu estou aqui.

 E aí, depois, eu estava olhando para ele e ele olhava para mim, “eu sei que você está me vendo. Você que está vendo…” Aí ele vinha aqui para minha frente. Ele estendia a mão. Aí eu estendi a mão para ele; aí só de tocar na mão dele eu sentia o quê que ele queria; ele queria sair dançando comigo aqui no meio do salão. Só que eu não quis levantar, eu não quis fazer isso porque eu pensava, o quê que o pessoal vai ficar pensando se eu sair dançando no meio do salão?

Eu sabia que se eu fizesse isso eu ia ficar muito bem, só que eu não fiz, aí eu fiquei mal. Eu fiquei naquela, vou, não vou?

Pois é, por quê que ele não foi batizado pelo Espírito Santo? Porque ele ficou com vergonha de fazer, porque se ele saísse pulando aí, se ele saísse dançando aí, todo mundo ia fazer igual eles fizeram lá. Muita gente olhava e falava, esse pessoal tá é bêbado, tá é doido! Amém!? Segura o menino que ele tá…

Então é isso que nos prende. Às veze, você até sente, sente que tem que gritar, mas não grita, você segura, você não grita, você retém. Você podia chorar, você poderia falar em línguas; se você der lugar, você fala em línguas.

Então ele… Fala de novo o que você viu.

Deivid Paraiso: Eu levantei a cabeça e comecei a olhar para todo mundo que estava aqui na frente. E eu vi aqui no corredor, onde o senhor está, descia uma pomba e essa pomba se transformava em Jesus.

A pombinha é quem? O Espírito Santo. Nós queríamos o Espírito Santo, nós desejamos o Espírito Santo, nós invocamos o Espírito Santo. E ele veio, porque é o interesse… Ele quer nos batizar com Espírito Santo, mas você não quis. Você também não quis! Aí então ele…

Deivid Paraiso: Ele ia em cada um e dizia, “eu estou aqui, por que que vocês não me veem? Toque em mim, que eu estou aqui!”

Se a pessoa tocasse nele, receberia o Espírito Santo. A mulher tocou nele, saiu dele virtude e curou a mulher. Se você tocasse nele, você seria curado. A mulher tocou nele e saiu dele poder que curou a mulher que queria ser curada.

Mas a gente faz restrição, porque quem está com a namorada… Aí, você se senta junto com a sua amiga. O ideal é que a gente esteja longe de namorado, amigo. Nós estamos querendo uma coisa, mas, com a namorada, não vou fazer escândalo aqui.

Ou então o namorado vai pensar que eu estou… E aí, você resiste, a gente resiste, a gente tem receio, não dá lugar à liberdade que nós precisamos dar. E aí Deus estendeu a mão para ele e falou para ele… Porque, as pessoas pulavam, dançavam, cantavam, as coisas das mais estranhas aconteceram ali naquele momento e, dali para frente, a coisa passou a ser normal. Se tinha algum mal, algum demônio, saiu, os espíritos malignos saíram.

Ele ficou com medo, ele ficou com receio. Ele pensou assim, eu vou sair aqui pulando? Vou sair aqui dançando? Eu senti, eu falo para você porque eu senti realmente Deus aqui, presente, naquela hora.

Quem não acreditou, quem achou que não… Nunca vai acontecer com quem não acredita. E outra coisa, se você resistir, principalmente se você resistir, também não vai acontecer.

Solta, e abre a boca: ‘Senhor…” E busca, solta, dá a liberdade para que realmente possa acontecer. Se tiver algum banco quebrado, se você destruiu, depois a gente manda arrumar. Se você vier jogar água na cara da gente, a gente também não vê. O certo é que nós temos que ir atrás, porque, se ficar segurando na carne, confiado na sua própria armadura… Temos que vestir armadura de Deus. Amém!? É assim!

A Rebeca teve uma visão interessante:

Rebeca: Eu via um homem, aí e jogava um óleo na cabeça das pessoas, aí ele pegava a pessoa e passava rápido assim na água. A pessoa saía normal, saía como se nada tivesse acontecido.

Aí eu via dois Rossini, aí um encostava no outro e passava para ele o Espírito Santo. Aí quando ele ia batizar ele na água, o Rossini que foi, recebeu o Espírito Santo, e saia aliviado. Tudo que estava nele que ainda faltava sair, saía, e ele saiu diferente e dava um abraço no outro e falava: muito obrigado. E o outro falava assim: isso é o que o meu Espírito Santo vai fazer com as pessoas. Amém!

Então ele veio, o azeite é o Espírito. Ele derramou azeite sobre…, Mas, se você não receber o azeite, não vai fazer efeito. Nós não queríamos? Então ele derramou o azeite sobre algumas pessoas ou em todos?

Rebeca: Ele derramou sobre todos que estavam ali.

Ele derramou o azeite. O azeite é o Espírito. Ele derramou o Espírito sobre todo mundo, todo mundo sentiu na oração que alguma coisa estava diferente. Só que você, o coração endureceu, não deu lugar, foi o que o menino falou lá, foi o que a menina falou. Se você pegar outras visões, tudo vai estar na mesma direção.

Eu não falei para você que eu senti, e ela não disse aqui que ele…

“Batei, batei e abrir-se vós á. Buscai e achareis (Mateus 7:7).” É assim! O outro ali sentiu um vento, o outro sentiu, a reação que ele teve foi chorar com a presença de Deus. As reações são as mais estranhas. Às vezes, é um vento que sopra, às vezes, é um calor. As reações são as mais diferentes, mas como você está querendo, como você está desejando, qualquer que seja a reação…

Você vai, de repente, começar a se sentir tão bem, que em toda reunião você quer sentir. Mas a tendência é de quem, por exemplo, recebeu o dom de línguas, ficar com vergonha; quem recebeu o dom de interpretação, fica com medo de interpretar e interpretar errado. Quem recebeu o dom de cura, fica com medo de orar e não ser curado. É isso. Aí, então, você elimina, extingue.

Igreja: O Espírito

E volta a ser natural, carnal.

São duas coisas que a igreja gosta, escutar e cantar. Deus fala: “Não seja apenas ouvinte” (Tiago1:22). No falar, ou às vezes até no cantar, no meio do louvor, busca a presença de Deus. Aproveita a música para buscar a presença de Deus, o Espírito.

Senhor, está faltando! Ali no meio do louvor, ao invés de você ficar cantando igual vitrola, no meio do louvor você fala, Senhor, está faltando… Está faltando o quê? O Espírito. Está faltando a presença de Deus. No meio do louvor, você ajuda.

Vem sobre nós, transforme esse lugar. Senhor, toca no nosso coração, cura os enfermos e expulsa os demônios, Senhor! Mas, por que, às vezes, a gente não faz isso?

Igreja: Medo.

O que mais?

Igreja: Vergonha.

Mais é vergonha. Mas, às vezes, você não precisa gritar, não precisa fazer escândalo, mas pode não conformar. Que o Espírito de Deus tenha a liberdade de fazer o que realmente quiser. Se fosse dançar com o menino, nem que fosse uma valsa.

Eu sei que seria uma coisa diferente, seria uma dança diferente. Eu lembro da irmã Carla, no começo, às vezes a reunião, eram poucas pessoas na casa, e a Carla, quando a gente começava, logo a Carla estava dançando, como ela gostava, quando ela era ainda mais jovem. Ela já começava a dançar, quase todas as reuniões, nossa, todo mundo dançava.

E era uma coisa assim que você não queria parar. Agora, vocês, dificilmente… Porque eu com 73 anos, vocês querem que eu faça as mesmas coisas que … Às vezes, um irmão fala, vai lá, expulsa o demônio. Expulsa você!

Ah! Mas o demônio vai dar muito trabalho. Problema seu! Mas se ele não quiser sair? Problema seu!

É para você, é você que tem que aprender, não é, Lucilda? Ah! Mas depois ele vai correr atrás de mim. Então corre!

Vamos orar um pouco? Se eu falar agora, curva a sua cabeça, vai embora, abraça seu irmão e vai embora, vai ficar tudo do mesmo jeito. Então nós vamos orar mais um pouco e amanhã vamos fazer o quê? Orar. E hoje à noite? Deitado, dormindo, você vai dizer: “Senhor, eu quero o Espírito Santo.” Para ajudar os irmãos Toninho, Wender, eles estão precisando de ajuda, eles também estão querendo. As coisas vão ficando tão pesadas, tão difíceis.

Eu sei que todo mundo aqui está querendo ajudar, vamos ajudar para você ajudar a sua igreja onde você está, em Paraíso, em Palmas. Para você levar a mesma ideia, a mesma visão que nós estamos tendo. Nós também estamos querendo.

Nós chegamos à conclusão que não dá para ficar assistindo, amém!? Deus tem poder, se nós somos filhos de Deus, nós também temos poder; ou então nós não somos filhos de Deus.

Nós somos discípulos e queremos ser discípulos perfeitos. Alguém mais teve uma experiência e gostaria de falar para nós? Sonho?

Téo: Ontem à noite, na primeira reunião, antes de começar o louvor, durante a oração, eu tive uma visão que o Anjo vinha e pegava aquele óleo de azeite ali e vinha na minha frente com o óleo e virava. Na hora que ele virava, caia uma gota, e eu tentava pôr a língua para fora para a gota cair na minha boca, só que eu não consegui abrir a boca. Aí, no natural, eu tentava abrir a boca, só que meus dentes não abriam, eu tentava pôr a língua para fora, mas não saía. Só que a gota não caía no chão, a gota saía e ficava parada no ar, na minha frente, esperando eu pôr a língua para fora.

Quem que resistiu? Ele. Bastava ele por a língua para fora. Então é uma resistência dele. O quê que ele vai fazer? Orar e pedir: “Senhor, me perdoa, Senhor, por que que eu não abri a boca? Faz mais uma vez, eu vou abrir. Repete, Senhor”. “Humilhai debaixo da poderosa mão de Deus” (I Pedro 5:6).

E esse azeite é o Espírito. Então, vocês observam que desde o começo, a vontade de Deus está relacionada com?

Igreja: O Espírito Santo.

O Espírito Santo. A igreja está vendo, Deus está vendo que a igreja está carente do Espírito Santo. Mas é como eu falei, não é desesperar, tem que insistir, tem que ter humildade, e reconhecer a ‘coisa’, e pronto. Não sei como… Um foi uma gota, o outro chamou para dançar, o outro foi chorar. Então, não é um jeito só. Amém!?

Vamos orar e depois nós temos amanhã, depois etc. O mundo, por enquanto, eu acho que não vai acabar. Você vai para casa. Guarda no seu coração.

O Espírito Santo que veio sobre Maria… Maria guardou no coração quando o Anjo falou para ela… Como vai ser, eu não tive relação com homem nenhum, eu não tive contato com homem nenhum, como é que eu vou ficar grávida? O quê que o Anjo falou para ela? “Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do altíssimo te envolverá” (Lucas 1:35). O Anjo falou para ela e ela acreditou. E ela foi lá na casa de Isabel e quando ela encontrou com Isabel, que estava grávida de 3 meses, o que foi que aconteceu? O filho de Isabel, com 3 meses, se manifestou dentro de Isabel, e Maria, naquele momento, ficou grávida.

“Descerá Sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá” (Lucas 1:35). Não teve nada de diferente. Qual a diferença que teve, qual ‘negócio’ estranho que aconteceu? Isabel, sentindo o menino balançar dentro dela, falou… (Nossa, menino com 3 meses). E Maria? Do jeito que o Anjo falou, aconteceu. Isabel falou: “A quem devo a honra de receber a mãe do meu Senhor?” (Lucas 1:43)

Maria pensou, não precisa falar mais nada, eu estou grávida, e saiu dali e foi para a casa dela, e já foi arrumar os panos, já foi ajeitar os cueiros, naquele tempo não tinha fralda. Ela já foi arrumar as coisas. Ela sabia que ela estava grávida, ali, naquela hora.

O poder do altíssimo… Não aconteceu nada, não pegou fogo, não teve nada de diferente. O menino no ventre da outra deu notícia que a coisa estava acontecendo do jeito que Deus falou.

Então, gente, muita coisa pode acontecer. Andar pela fé. A coisa era muito diferente. E aí, a gente vai acostumando-se com a religião, em cantar, escutar, e a presença de Deus já sumiu, o Espírito Santo já foi eliminado.

Vamos buscar de volta, vamos trazer de volta, vamos ser uma igreja, mas vamos sentir a presença de Deus. Amém! A gente não para de falar e a igreja gosta mesmo é de escutar. Mas é mesmo, se não tivesse nem essa palavra, aí que nós estávamos perdidos, concordam? Vamos ajudar os meninos do louvor, a igreja toda, ela é responsável.

Vamos ficar de pé.

Oração: Amém, Jesus, Pai nosso que estás no céu, meu Deus…

Amanhã nós vamos terminar o encontro na parte da manhã, mas, com certeza nós vamos embora daqui com uma vontade de que o Espírito de Deus encontre lugar em nós. Que ele, realmente, a hora que tiver que abrir a boca para receber o azeite, eu esteja em condições. Que a hora que ele quiser dançar, eu esteja ali pronto para poder dançar; a hora que ele quiser um abraço, a hora que ele quiser que eu chore, que eu clame.

Senhor, perdoa-nos. Perdoa, Senhor Deus, se nós fomos insuficientes. Perdoa, Senhor Deus, se nós esquecemos da importância de ter o Espírito de Deus, que sem o Senhor nós não podemos fazer nada. Sem o Espírito Santo nós não somos o povo de Deus.

Ajuda-nos, Pai, a desejar, acreditar na importância do Espírito de Deus sobre nós. Que a vontade do Senhor seja feita, Jesus, que a vontade do Senhor seja feita. E ao impormos as nossas mãos, que os enfermos sejam curados, Senhor. Que os inimigos saiam do seu meio. Aleluia! Espírito Santo, ao colocarmos, Senhor Deus, nossos pés, fique marcado a unção, fique ali sobre o lugar, a tua presença. Aleluia, Jesus! Aleluia, Senhor Deus! Glória a Deus! Obrigado, Senhor! Aleluia! Amém, Jesus, aleluia! Amém!

Louva a Deus, glorifica, dá graças a Deus, exalta o Senhor teu Deus. Meu pai, eu te amo. Meu pai, eu te quero. Aleluia! Aleluia! Amém!

Senhor, amém, Jesus. Aleluia! Se você quer, receba o Espírito Santo, abre bem o seu coração e receba o Espírito Santo, em nome de Jesus, receba o Espírito Santo. Abre bem o teu coração. Aleluia!

Venha sobre nós ó Pai, enche-nos, ó Senhor Deus, do teu Espírito, batiza-nos com o Espírito Santo, meu Pai. Nós Desejamos a tua presença, em nome de Jesus, amém!

Louvor

Amém! Então eu creio que é uma mostra do nosso encerramento amanhã. Amém!

Pode acontecer à noite, o anjo do Senhor visitar você. Eu tenho certeza, se nós fôssemos pegar testemunho, teríamos muitos de que realmente Deus nos visitou. Amém, Aleluia! Abrace seu irmão. Estamos encerrando em nome de Jesus.

 

 

8ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo

 

Será que nós cremos na reunião que passou? O que que Deus mandou a gente fazer? O que que é melhor, cantar ou orar? O que é melhor, mais fácil?

Igreja: Cantar.

Por que que vocês cantaram? Porque estavam com preguiça de orar. Por que a gente cantou? Porque ninguém quis orar. Amém!? Então, o azar é seus.

Se eu fosse vocês, eu iria aproveitar o tempo e oraria, por que nós não oramos da outra vez? Deus mandou orar. Batei, batei e abrir-se-vos-á. Aí o que que nós preferimos? Cantar. Amém!?

É como se a reunião que passou já tivesse ficado para trás. Agora, quem, durante a reunião anterior, teve alguma experiência, alguma coisa boa, alguma coisa interessante que poderia nos falar?

O Arthur sentiu. Fome, muita gente sentiu, saiu daqui rapidinho e foi comer; vontade de ir ao banheiro, muita gente também sentiu. Vamos ver o que o Arthur sentiu.

Então, gente, nós continuamos querendo orar, querendo o Espírito Santo, temos que aproveitar, orar, porque a gente vai para casa e não ora, pelo menos aqui a gente tem que insistir na oração. Carne e sangue não entrarão no reino do céu, carne e sangue realmente não entram. Poderíamos, então, entender isso, que é do Espírito Santo que nós estamos precisando.

 Arthur: Quando eu estava orando, mais no final, eu senti um sopro, um vento muito forte vindo em minha direção e isso foi dos meus pés até minha cabeça. E eu comecei a tremer muito, o coração acelerou, e eu vi também aquele homem que eu havia desenhado abrindo os braços, e dentro dele saia uma luz muito forte. Então, eu acredito que já não era mais eu ali naquele momento, eu não sei nem explicar.

Amém, você sentiu.

Irmão: Quando o senhor começou, falou e começou a orar, eu fui confirmando, concordando com a sua oração. Aí, foi vindo uma sensação, foi vindo, foi vindo e começou o louvor, só que eu não dei conta de louvar e comecei a chorar, chorar, chorar. E, neste derramamento de lágrimas, eu queria que todo mundo sentisse. Foi diferente, eu chorando e alegre. Eu estava alegre, mas chorando ali pra caramba. E meu corpo todo tremendo, é diferente.

Amém! São sinais, manifestações que você sentiu. Pode, nas próximas orações, você pedir para Deus, “eu quero sentir”. Então, por que que aconteceu lá no dia de Pentecostes? Porque, os dons do Espírito Santo. Porque, a pessoa, às vezes, ao receber um dom, ela está sendo batizada.

Por exemplo, pode acontecer de você ter recebido o dom de cura. A partir daí, você é uma pessoa que cura. Você põe a mão no enfermo e ele vai ser curado. É um dom do Espírito Santo que está em você. Você vai curar, entendeu? Você vai expulsar um demônio, é um outro Dom; tem o dom de línguas.

O quê que aconteceu lá no dia de Pentecostes? Muitas pessoas receberam o dom de línguas. Porque tinha pessoas lá que falavam vários idiomas, dialetos. Fulano, cicrano, beltrano, um falava uma língua, outro falava outra língua, porque aquela região era uma região de muitos dialetos e as pessoas de vários lugares estavam reunidas ali, apesar de ser pouca gente, e receberam o dom.

Então, quando a pessoa estava orando na língua dela, ela estava orando numa língua e o que era de outra língua escutava na língua dele, no dialeto dele. Então aquilo ali causou uma emoção, a pessoa falando uma língua estranha e eu escutando na minha língua. É como se a pessoa estivesse orando em francês e eu ouvindo em português, só que ele falava uma língua estranha e eu ouvia na minha. É como se eu estivesse interpretando. Aí eu dizia: ‘sabe o que que ele está falando? É isso, isso, isso;’ ele fala e eu interpreto.

Pode acontecer, ao ser batizado com o Espírito Santo, que você receba o dom de línguas e vai falar nessa língua. Então você está falando ali numa língua que ninguém sabe o que é, e a Lorraine aqui interpreta, ela recebe o dom de interpretação. O outro, dom de cura, vários dons.

E aquilo causou uma emoção e movimentou. Porque, quando você está aqui perto e sente que aquela pessoa perto de você está sendo tomada pelo Espírito Santo, recebendo o dom, falando em línguas, aquilo contagia você que está perto.

Aí, o povo todo começou… E as portas batiam… Não eram todas as pessoas, mas algumas pessoas que estavam ali só olhando, acharam aquilo estranho.

Pode acontecer que alguém que esteja aqui no meio simplesmente olhando ache estranho. Não tem problema, não são todos que vão sentir, não são todos que vão ser batizados ao mesmo tempo. Mas o que importa é o caso do menino ali, ele sentiu alguma coisa, não sei se ele foi batizado. Quem vai saber é ele e Deus. O outro também sentiu uma presença de Deus que causou uma emoção diferente etc., e ele vai continuar. Deus confirma depois. Amém!?

O certo é que você também quer ter, eu também quero sentir, você quer sentir, é isso que você vai dizer para Deus. Mas aí, parece que a gente não acredita. Após a reunião, eu estava ocupado com outro ‘negócio’ e, de lá, eu estava ouvindo o pessoal cantar e eu falei: eles deviam estar orando! Eles podiam estar insistindo. Porque vocês não podem ficar dependendo, vocês precisam aprender. Amém!?

Por exemplo, eu vou orar, pode até ajoelhar por aí, eu quero, eu vou insistir, eu quero ser batizado com Espírito Santo, eu quero sentir o que o irmão está falando aí que a gente sente. Amém!? Larinha, você sentiu bem naquela hora, durante a oração que nós fizemos?

Outras pessoas sentiram, mas muitos, não. Como eu falei, não é obrigado, não é todo mundo, pode não ser hoje, pode ser amanhã, pode ser quando você está dormindo, pode ser daqui a um mês. O certo é que você precisa, a não ser que você não esteja acreditando que precisa ser. João falou: Eu batizo com água, mas virá um que batiza com Espírito Santo. Jesus Cristo é quem batiza com o Espírito Santo.

Se ele está no meio de nós, se ele está conosco, você pode até perguntar, por que eu não posso ser batizado com Espírito Santo? Vamos insistir! O quê que está escrito, como está escrito? O que nós falamos na reunião passada?

“Se seu filho pede um pão, o pai…” Então, por que nós não vamos pedir o Espírito Santo? Porque nós não queremos. Porque, quando você quer pão, você insiste, “eu quero pão”. A criança quando quer mamar, ela insiste até mamar. Na hora que ela mama, acabou o barulho.

Por que não recebemos o Espírito Santo? Você ficar “pá, pá, pá,” vai receber? É assim? Mas não é mesmo. Nós somos uma igreja, nós cantamos, sentimos muita diferença, tem uma diferença boa, “que o teu Tabernáculo seja aqui”, pelo menos até na hora de irmos o banheiro, é assim? Não, que o seu Tabernáculo seja aqui, que a casa de Deus seja aqui!

Aí, nós saímos para poder comer um ‘negócio’ e volta, já é outra coisa, outra história? Não, não faz isso não, não judia comigo não!

Você quer o Espírito Santo? O Espírito Santo não está fazendo falta para você, está? O Espírito Santo não está fazendo falta para nós? A gente vive, trabalha, come, dorme, mas ele está fazendo falta. Vocês é que não sabem o que é que vem por aí, as coisas que estão por vir. O mundo espiritual. Ele está fazendo falta.

Eu estava até comentando o seguinte, as igrejas foram perdendo o Espírito e elas continuaram vivendo. A igreja de Atos, igreja de Pedro, de Paulo, dos Apóstolos etc., era uma coisa, e elas foram esfriando, foi perdendo o quê? E entrou na rotina do mundo.

Será que o Espírito Santo faz falta para a igreja católica? Para a PUC, para não sei quem? Não faz, gente, já se acostumou a viver; o mundo já se acostumou a viver sem Deus.

Que o seu Tabernáculo seja aqui entre nós, que o Senhor habite aqui entre nós, que o Senhor faça morada entre nós, que o Senhor encontre entre nós um lugar para ficar. Se não sair na minha geração, pelo menos eu “bati”, pode ser que não aconteça na minha geração. Mas eu acho que uma igreja sem o Espírito Santo, ela vai cantar até morrer, mas nós não queremos só isso. Nós queremos muito mais que o louvor realmente saia com a presença de Deus. Amém!?

Quando a gente vê a pessoa cantando lá sem o Espírito… Não é desesperar não, é assumir a responsabilidade… Assumir o seguinte, falta. Vamos admitir que está faltando.

Então, vamos cantar, eu chego aqui, falo, falo, nós vamos embora, vai continuar tudo do mesmo jeito. Então vamos dizer: “Senhor, nós queremos o Espírito Santo”.

Deivid Paraiso: Durante a oração do senhor, eu estava orando e me veio para levantar a cabeça e olhar para todo mundo, aí eu levantei a cabeça, comecei a olhar para todo mundo. E eu via que descia uma pomba aqui no meio, aqui no corredor, e eu via que essa pomba se transformava em um homem, em Jesus.

Ele saia no meio das pessoas e perguntava: gente, eu estou aqui, eu já estou aqui. Por quê que vocês não me veem? ‘Trisca’ em mim, eu estou aqui.

 E aí, depois, eu estava olhando para ele e ele olhava para mim, “eu sei que você está me vendo. Você que está vendo…” Aí ele vinha aqui para minha frente. Ele estendia a mão. Aí eu estendi a mão para ele; aí só de tocar na mão dele eu sentia o quê que ele queria; ele queria sair dançando comigo aqui no meio do salão. Só que eu não quis levantar, eu não quis fazer isso porque eu pensava, o quê que o pessoal vai ficar pensando se eu sair dançando no meio do salão?

Eu sabia que se eu fizesse isso eu ia ficar muito bem, só que eu não fiz, aí eu fiquei mal. Eu fiquei naquela, vou, não vou?

Pois é, por quê que ele não foi batizado pelo Espírito Santo? Porque ele ficou com vergonha de fazer, porque se ele saísse pulando aí, se ele saísse dançando aí, todo mundo ia fazer igual eles fizeram lá. Muita gente olhava e falava, esse pessoal tá é bêbado, tá é doido! Amém!? Segura o menino que ele tá…

Então é isso que nos prende. Às veze, você até sente, sente que tem que gritar, mas não grita, você segura, você não grita, você retém. Você podia chorar, você poderia falar em línguas; se você der lugar, você fala em línguas.

Então ele… Fala de novo o que você viu.

Deivid Paraiso: Eu levantei a cabeça e comecei a olhar para todo mundo que estava aqui na frente. E eu vi aqui no corredor, onde o senhor está, descia uma pomba e essa pomba se transformava em Jesus.

A pombinha é quem? O Espírito Santo. Nós queríamos o Espírito Santo, nós desejamos o Espírito Santo, nós invocamos o Espírito Santo. E ele veio, porque é o interesse… Ele quer nos batizar com Espírito Santo, mas você não quis. Você também não quis! Aí então ele…

Deivid Paraiso: Ele ia em cada um e dizia, “eu estou aqui, por que que vocês não me veem? Toque em mim, que eu estou aqui!”

Se a pessoa tocasse nele, receberia o Espírito Santo. A mulher tocou nele, saiu dele virtude e curou a mulher. Se você tocasse nele, você seria curado. A mulher tocou nele e saiu dele poder que curou a mulher que queria ser curada.

Mas a gente faz restrição, porque quem está com a namorada… Aí, você se senta junto com a sua amiga. O ideal é que a gente esteja longe de namorado, amigo. Nós estamos querendo uma coisa, mas, com a namorada, não vou fazer escândalo aqui.

Ou então o namorado vai pensar que eu estou… E aí, você resiste, a gente resiste, a gente tem receio, não dá lugar à liberdade que nós precisamos dar. E aí Deus estendeu a mão para ele e falou para ele… Porque, as pessoas pulavam, dançavam, cantavam, as coisas das mais estranhas aconteceram ali naquele momento e, dali para frente, a coisa passou a ser normal. Se tinha algum mal, algum demônio, saiu, os espíritos malignos saíram.

Ele ficou com medo, ele ficou com receio. Ele pensou assim, eu vou sair aqui pulando? Vou sair aqui dançando? Eu senti, eu falo para você porque eu senti realmente Deus aqui, presente, naquela hora.

Quem não acreditou, quem achou que não… Nunca vai acontecer com quem não acredita. E outra coisa, se você resistir, principalmente se você resistir, também não vai acontecer.

Solta, e abre a boca: ‘Senhor…” E busca, solta, dá a liberdade para que realmente possa acontecer. Se tiver algum banco quebrado, se você destruiu, depois a gente manda arrumar. Se você vier jogar água na cara da gente, a gente também não vê. O certo é que nós temos que ir atrás, porque, se ficar segurando na carne, confiado na sua própria armadura… Temos que vestir armadura de Deus. Amém!? É assim!

A Rebeca teve uma visão interessante:

Rebeca: Eu via um homem, aí e jogava um óleo na cabeça das pessoas, aí ele pegava a pessoa e passava rápido assim na água. A pessoa saía normal, saía como se nada tivesse acontecido.

Aí eu via dois Rossini, aí um encostava no outro e passava para ele o Espírito Santo. Aí quando ele ia batizar ele na água, o Rossini que foi, recebeu o Espírito Santo, e saia aliviado. Tudo que estava nele que ainda faltava sair, saía, e ele saiu diferente e dava um abraço no outro e falava: muito obrigado. E o outro falava assim: isso é o que o meu Espírito Santo vai fazer com as pessoas. Amém!

Então ele veio, o azeite é o Espírito. Ele derramou azeite sobre…, Mas, se você não receber o azeite, não vai fazer efeito. Nós não queríamos? Então ele derramou o azeite sobre algumas pessoas ou em todos?

Rebeca: Ele derramou sobre todos que estavam ali.

Ele derramou o azeite. O azeite é o Espírito. Ele derramou o Espírito sobre todo mundo, todo mundo sentiu na oração que alguma coisa estava diferente. Só que você, o coração endureceu, não deu lugar, foi o que o menino falou lá, foi o que a menina falou. Se você pegar outras visões, tudo vai estar na mesma direção.

Eu não falei para você que eu senti, e ela não disse aqui que ele…

“Batei, batei e abrir-se vós á. Buscai e achareis (Mateus 7:7).” É assim! O outro ali sentiu um vento, o outro sentiu, a reação que ele teve foi chorar com a presença de Deus. As reações são as mais estranhas. Às vezes, é um vento que sopra, às vezes, é um calor. As reações são as mais diferentes, mas como você está querendo, como você está desejando, qualquer que seja a reação…

Você vai, de repente, começar a se sentir tão bem, que em toda reunião você quer sentir. Mas a tendência é de quem, por exemplo, recebeu o dom de línguas, ficar com vergonha; quem recebeu o dom de interpretação, fica com medo de interpretar e interpretar errado. Quem recebeu o dom de cura, fica com medo de orar e não ser curado. É isso. Aí, então, você elimina, extingue.

Igreja: O Espírito

E volta a ser natural, carnal.

São duas coisas que a igreja gosta, escutar e cantar. Deus fala: “Não seja apenas ouvinte” (Tiago1:22). No falar, ou às vezes até no cantar, no meio do louvor, busca a presença de Deus. Aproveita a música para buscar a presença de Deus, o Espírito.

Senhor, está faltando! Ali no meio do louvor, ao invés de você ficar cantando igual vitrola, no meio do louvor você fala, Senhor, está faltando… Está faltando o quê? O Espírito. Está faltando a presença de Deus. No meio do louvor, você ajuda.

Vem sobre nós, transforme esse lugar. Senhor, toca no nosso coração, cura os enfermos e expulsa os demônios, Senhor! Mas, por que, às vezes, a gente não faz isso?

Igreja: Medo.

O que mais?

Igreja: Vergonha.

Mais é vergonha. Mas, às vezes, você não precisa gritar, não precisa fazer escândalo, mas pode não conformar. Que o Espírito de Deus tenha a liberdade de fazer o que realmente quiser. Se fosse dançar com o menino, nem que fosse uma valsa.

Eu sei que seria uma coisa diferente, seria uma dança diferente. Eu lembro da irmã Carla, no começo, às vezes a reunião, eram poucas pessoas na casa, e a Carla, quando a gente começava, logo a Carla estava dançando, como ela gostava, quando ela era ainda mais jovem. Ela já começava a dançar, quase todas as reuniões, nossa, todo mundo dançava.

E era uma coisa assim que você não queria parar. Agora, vocês, dificilmente… Porque eu com 73 anos, vocês querem que eu faça as mesmas coisas que … Às vezes, um irmão fala, vai lá, expulsa o demônio. Expulsa você!

Ah! Mas o demônio vai dar muito trabalho. Problema seu! Mas se ele não quiser sair? Problema seu!

É para você, é você que tem que aprender, não é, Lucilda? Ah! Mas depois ele vai correr atrás de mim. Então corre!

Vamos orar um pouco? Se eu falar agora, curva a sua cabeça, vai embora, abraça seu irmão e vai embora, vai ficar tudo do mesmo jeito. Então nós vamos orar mais um pouco e amanhã vamos fazer o quê? Orar. E hoje à noite? Deitado, dormindo, você vai dizer: “Senhor, eu quero o Espírito Santo.” Para ajudar os irmãos Toninho, Wender, eles estão precisando de ajuda, eles também estão querendo. As coisas vão ficando tão pesadas, tão difíceis.

Eu sei que todo mundo aqui está querendo ajudar, vamos ajudar para você ajudar a sua igreja onde você está, em Paraíso, em Palmas. Para você levar a mesma ideia, a mesma visão que nós estamos tendo. Nós também estamos querendo.

Nós chegamos à conclusão que não dá para ficar assistindo, amém!? Deus tem poder, se nós somos filhos de Deus, nós também temos poder; ou então nós não somos filhos de Deus.

Nós somos discípulos e queremos ser discípulos perfeitos. Alguém mais teve uma experiência e gostaria de falar para nós? Sonho?

Téo: Ontem à noite, na primeira reunião, antes de começar o louvor, durante a oração, eu tive uma visão que o Anjo vinha e pegava aquele óleo de azeite ali e vinha na minha frente com o óleo e virava. Na hora que ele virava, caia uma gota, e eu tentava pôr a língua para fora para a gota cair na minha boca, só que eu não consegui abrir a boca. Aí, no natural, eu tentava abrir a boca, só que meus dentes não abriam, eu tentava pôr a língua para fora, mas não saía. Só que a gota não caía no chão, a gota saía e ficava parada no ar, na minha frente, esperando eu pôr a língua para fora.

Quem que resistiu? Ele. Bastava ele por a língua para fora. Então é uma resistência dele. O quê que ele vai fazer? Orar e pedir: “Senhor, me perdoa, Senhor, por que que eu não abri a boca? Faz mais uma vez, eu vou abrir. Repete, Senhor”. “Humilhai debaixo da poderosa mão de Deus” (I Pedro 5:6).

E esse azeite é o Espírito. Então, vocês observam que desde o começo, a vontade de Deus está relacionada com?

Igreja: O Espírito Santo.

O Espírito Santo. A igreja está vendo, Deus está vendo que a igreja está carente do Espírito Santo. Mas é como eu falei, não é desesperar, tem que insistir, tem que ter humildade, e reconhecer a ‘coisa’, e pronto. Não sei como… Um foi uma gota, o outro chamou para dançar, o outro foi chorar. Então, não é um jeito só. Amém!?

Vamos orar e depois nós temos amanhã, depois etc. O mundo, por enquanto, eu acho que não vai acabar. Você vai para casa. Guarda no seu coração.

O Espírito Santo que veio sobre Maria… Maria guardou no coração quando o Anjo falou para ela… Como vai ser, eu não tive relação com homem nenhum, eu não tive contato com homem nenhum, como é que eu vou ficar grávida? O quê que o Anjo falou para ela? “Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do altíssimo te envolverá” (Lucas 1:35). O Anjo falou para ela e ela acreditou. E ela foi lá na casa de Isabel e quando ela encontrou com Isabel, que estava grávida de 3 meses, o que foi que aconteceu? O filho de Isabel, com 3 meses, se manifestou dentro de Isabel, e Maria, naquele momento, ficou grávida.

“Descerá Sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá” (Lucas 1:35). Não teve nada de diferente. Qual a diferença que teve, qual ‘negócio’ estranho que aconteceu? Isabel, sentindo o menino balançar dentro dela, falou… (Nossa, menino com 3 meses). E Maria? Do jeito que o Anjo falou, aconteceu. Isabel falou: “A quem devo a honra de receber a mãe do meu Senhor?” (Lucas 1:43)

Maria pensou, não precisa falar mais nada, eu estou grávida, e saiu dali e foi para a casa dela, e já foi arrumar os panos, já foi ajeitar os cueiros, naquele tempo não tinha fralda. Ela já foi arrumar as coisas. Ela sabia que ela estava grávida, ali, naquela hora.

O poder do altíssimo… Não aconteceu nada, não pegou fogo, não teve nada de diferente. O menino no ventre da outra deu notícia que a coisa estava acontecendo do jeito que Deus falou.

Então, gente, muita coisa pode acontecer. Andar pela fé. A coisa era muito diferente. E aí, a gente vai acostumando-se com a religião, em cantar, escutar, e a presença de Deus já sumiu, o Espírito Santo já foi eliminado.

Vamos buscar de volta, vamos trazer de volta, vamos ser uma igreja, mas vamos sentir a presença de Deus. Amém! A gente não para de falar e a igreja gosta mesmo é de escutar. Mas é mesmo, se não tivesse nem essa palavra, aí que nós estávamos perdidos, concordam? Vamos ajudar os meninos do louvor, a igreja toda, ela é responsável.

Vamos ficar de pé.

Oração: Amém, Jesus, Pai nosso que estás no céu, meu Deus…

Amanhã nós vamos terminar o encontro na parte da manhã, mas, com certeza nós vamos embora daqui com uma vontade de que o Espírito de Deus encontre lugar em nós. Que ele, realmente, a hora que tiver que abrir a boca para receber o azeite, eu esteja em condições. Que a hora que ele quiser dançar, eu esteja ali pronto para poder dançar; a hora que ele quiser um abraço, a hora que ele quiser que eu chore, que eu clame.

Senhor, perdoa-nos. Perdoa, Senhor Deus, se nós fomos insuficientes. Perdoa, Senhor Deus, se nós esquecemos da importância de ter o Espírito de Deus, que sem o Senhor nós não podemos fazer nada. Sem o Espírito Santo nós não somos o povo de Deus.

Ajuda-nos, Pai, a desejar, acreditar na importância do Espírito de Deus sobre nós. Que a vontade do Senhor seja feita, Jesus, que a vontade do Senhor seja feita. E ao impormos as nossas mãos, que os enfermos sejam curados, Senhor. Que os inimigos saiam do seu meio. Aleluia! Espírito Santo, ao colocarmos, Senhor Deus, nossos pés, fique marcado a unção, fique ali sobre o lugar, a tua presença. Aleluia, Jesus! Aleluia, Senhor Deus! Glória a Deus! Obrigado, Senhor! Aleluia! Amém, Jesus, aleluia! Amém!

Louva a Deus, glorifica, dá graças a Deus, exalta o Senhor teu Deus. Meu pai, eu te amo. Meu pai, eu te quero. Aleluia! Aleluia! Amém!

Senhor, amém, Jesus. Aleluia! Se você quer, receba o Espírito Santo, abre bem o seu coração e receba o Espírito Santo, em nome de Jesus, receba o Espírito Santo. Abre bem o teu coração. Aleluia!

Venha sobre nós ó Pai, enche-nos, ó Senhor Deus, do teu Espírito, batiza-nos com o Espírito Santo, meu Pai. Nós Desejamos a tua presença, em nome de Jesus, amém!

Louvor

Amém! Então eu creio que é uma mostra do nosso encerramento amanhã. Amém!

Pode acontecer à noite, o anjo do Senhor visitar você. Eu tenho certeza, se nós fôssemos pegar testemunho, teríamos muitos de que realmente Deus nos visitou. Amém, Aleluia! Abrace seu irmão. Estamos encerrando em nome de Jesus.

 

 

9ª Reunião – O que importa é que eu tenha o Espírito Santo

 

Amém! Deus abençoe, tenham todos um bom dia. Que a paz do Senhor seja com todos. Amém!

“E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares onde ele havia de ir.

E dizia-lhes: Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara. Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos.

Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho. E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós.

E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa. E, em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei do que vos puserem diante. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o Reino de Deus. Mas em qualquer cidade em que entrardes e vos não receberem, saindo por suas ruas, dizei:

Até o pó, que da vossa cidade se nos pegou, sacudimos sobre vós. Sabei, contudo, isto, que já o Reino de Deus é chegado a vós. E digo-vos que mais tolerância haverá naquele dia para Sodoma do que para aquela cidade. (Lucas 10:1-12)”. 

 

Eu quero dizer para vocês o seguinte, nós podemos e precisamos ter consciência. Nós precisamos ter uma boa consciência em relação ao reino de Deus.  Por quê? Porque, senão, ficamos perdido, é muito fácil perdermos em relação ao Reino de Deus.

Nós temos o espírito e a carne. A obra de Deus é uma obra espiritual e nós somos carnais. Então, se nós não tivermos muito cuidado, a gente mistura as coisas, passa do espiritual para o emocional e você perde tudo.

Você pode começar bem espiritualmente e, daí um pouquinho, você toma outra direção, você entra para o lado emocional, natural, e perde o espiritual. Nós podemos, você pode cantar sem a presença de Deus, você pode ter oração sem a presença de Deus, você pode ler as escrituras sem a presença de Deus. E o ideal é que nós…. O que é o Reino de Deus? É Deus reinando.

Você precisa ter a presença de Deus na sua vida o dia inteiro, vida normal, tomando café, vendendo uma pipoca, você tem que namorar. Uma vez eu falei aqui, até serviu de brincadeira, mas eu falei assim: se tiver que roubar, fazer um assalto, fazer um ‘negócio’ assim, o que você deve fazer? Fazer isso na presença de Deus. Ou não?

Então, se a pessoa quer ser ladra, ele que seja ladrão, seja assaltante, mas na presença de Deus. Ou não? Que diferença faz se é um ladrão, assaltante? Não, ele é um ladrão, ele é assaltante, ele não pode ter a presença de Deus não! Mas se você não rouba, não assalta, e não tem presença de Deus, que adianta? É a mesma coisa. A outra é prostituta, ela não pode ter a presença de Deus, porque ela é prostituta! Mas você não prostitui e não tem a presença de Deus, vai ficar a mesma coisa.

Então tem que ter consciência. E é uma coisa difícil. É muito fácil sair, desviar. E nós não podemos desviar nem para direita, nem para esquerda. Tudo tem que ter entendimento, consciência, senão, você vai ficar aqui meia hora orando, gritando, gritando, e aí você cansa, não tem a presença de Deus, não tem nada, e vai embora. E, aí, você chega em casa, você não vai fazer isso mesmo, não vai funcionar.

Tem que ser uma coisa consciente e é isso que nós estamos querendo buscar, um equilíbrio perfeito para que você viva com Deus. O quê é o Reino de Deus? Reino de Deus é a presença de Deus, constante, na sua vida, ser dirigido por Deus. Dorme, levanta-se, vive. Aí está escrito assim: “Tudo que for justo, direito, amável… (Filipenses 4:8).” Nós podemos ficar meia hora orando, orando, e não sentir a presença de Deus, não ter a presença de Deus. E então vai para casa, fica irado, nervoso, às vezes,já discute com uma pessoa, ou, às vezes, já responde mal para outra, não vai resolver.

Nós estamos buscando a Deus. Não sei se vocês perceberam, ontem, nós estávamos aqui, oramos dez, cinco minutos, uma oração dirigida, feita normal, sem estripulia, uma oração normal. Cinco minutos, acho que nem isso, e nós começamos a sentir a presença de Deus.

Batei, batei… Deus, lá de dentro ele fala: ‘eu conheço esse batido, é a Rebeca que está batendo. Eu conheço esse batido, é o Júnior, é o Toninho.’ Deus sabe quem está batendo.

“Batei, batei e abrir-se-vos-á” (Mateus 7:7). O ideal é que a gente bata e Deus… Porque, quem vocês acham que é esse que está sendo importunado, quem? Quem está sendo importunado?

 Igreja: Deus!

Aí você fala, por que você bate e ele abre, e o outro bate e ele não abre? Ele disse: Batei, batei e abrir-se-vos-á. Gente, para um bom entendedor, um pingo é letra. Nós estamos aqui buscando a Deus.

Você precisa falar com Deus. Você tem que ir atrás de uma pessoa. Você precisa falar com Deus. Você está passando uma dificuldade, precisa falar com Deus. Eu preciso falar com Deus. Mas aí, eu bato e ele não abre, ele não escuta. Por que Ele escuta o outro e não escuta você? Deus faz acepção de pessoas?

Igreja: Não.

Deus não faz acepção de pessoas. Então, você mesmo vai dizer: ‘olha, não está certo, por que o Chequer bate e ele recebe, e o outro bate e ele não ouve? Alguma coisa deve estar errada.’ Aí deve ser em Deus, né, gente? Deve estar errado em Deus?

Igreja: Não.

Então deve estar errado em nós. É o meu jeito de bater? É a hora que eu bato? Então, eu vou me humilhar, eu vou conversar com Deus, eu vou falar: ‘Senhor…’ Por que ele mandou 70 de 2 em 2? Bom seria que os 70 estivessem juntos, porque, aí, você não veria o defeito de ninguém, mas de dois em dois.

Então, eu não vou bater porque ele não abre. Então bate você, porque só tem dois. E agora, como é que nós vamos fazer? Ele falou, não leva nada. Aquelas pessoas não tinham nada, não tinham dinheiro. Chegavam à cidade, tinham que ficar em algum lugar, não tinha cooperativa, não tinha nada. De que eles dependiam?

Igreja: Deus.

Então, gente, o que Deus está falando? Ele quer que nós aprendamos a depender Dele. Aí, nós não podemos botar a culpa nos outros não, em ninguém, porque, senão, nós vamos ficar a vida inteira fazendo o quê? Botando a culpa nos nossos pais, na igreja, nisso, naquilo. Ninguém tem culpa não, a culpa está em mim! O ‘negócio’, o problema estão em mim. Amém!?

Se eu quero expulsar o demônio e o demônio não sai, o problema está onde? Em mim. Eu vou conversar com quem? Com Deus: ‘Senhor, por que ele não saiu? Não era para sair?’

Então, a verdade é que todos nós devemos ajudar uns aos outros no sentido de que entendamos o mais rápido possível, para não ficarmos nos arrastando, passando o tempo e continuamos sem Deus.

Ontem tivemos uma boa experiência. Qual foi? Uma experiência de sentir. Qual foi a experiência que tivemos? Só sentiu a presença de Deus. Aí você pode perguntar para uma pessoa: ‘quê que você fez para sentir a presença de Deus?’

Eu, daqui, fico olhando, observando, eu sei de pessoas que não fizeram nada e sentiram a presença de Deus e sei de pessoas que fizeram, se esforçaram e não sentiram. Por quê? Ninguém tem nada para falar?

Interessante, eu andei passando aí atrás, por várias experiências. Tem uma, chegou o Billy Graham, o quê que ele fazia? Soprava, fazia uma fila de gente assim, e ele soprava, aí a fila toda caía. Vinha gente de longe para entrar na fila. Aí correu a fama etc. Quando saía, botava no outdoor, Billy Graham. Aí, todo mundo fazia aquela fila, soprava e a fila caia. Caiu? Caiu. Pronto. Agora, entra outra fila. Mas, e aí? A pessoa ia embora para casa e o que acontecia? Caiu. Mudou, converteu? Não, mas caiu. Tinha um outro que era dente. O ‘negócio’ do dente, dente de ouro, ele põe o dente de ouro na boca da pessoa, um ‘negócio’ assim. Se você tivesse um problema no dente, ele colocava uma coroa no seu dente, de ouro; aí, quando você pensava, era o dente de ouro.

Mas continuava fazendo, com dente de ouro na boca e continuava. Cadê ele? Sumiu. Cadê o Billy Graham? Sumiu. Cadê o Fulano? Sumiu. Quantos! E aquele movimento movimentava a cidade toda. O homem de Deus estava na cidade fazendo o quê? Derrubando as pessoas. O homem de Deus estava na cidade fazendo o quê? Trocando as coroas do dente.

Então, o quê importa? O que importa é que você, onde você estiver, fale com seu Deus. Você ora e Deus te responde, onde você estiver.

O que importa é que a Nicole, que vai lá para o Mato Grosso. Aí ela precisa do Billy Graham, não tem Billy Graham. Ela precisa do outro, não tem. Aí, ela quer sentir a presença de Deus, tem que ir lá na cooperativa? Tem que ser na hora determinada? O que ela precisa? Ela sozinha, no máximo de 2 em 2, ela precisa, pronto. Lá de madrugada, lá não sei onde, sozinha. ¨Senhor¨, e Deus vai ser com ela, ¨eis-me aqui, minha filha¨. Sozinha, onde você estiver, o que interessa não é… Todo trabalho que tem sido feito aqui é para que o reino de Deus chegue para você, senão, você vai ficar a vida inteira sem Deus e dependendo dos outros.

É isso. Ministrar, nós estamos aqui tentando, esforçando, ministrando para que você receba o Espírito Santo, porque, se você tiver o Espírito Santo, você tem Deus; porque, quem tem o Espírito Santo, tem Deus. “Maior é o que está em mim.”

Eu já vou fazer essa oração, lá onde eu estiver, na situação em que eu estiver, eu vou dizer: ¨maior é o que está em mim¨, ele está em mim, ele mora, ele habita em mim. Eu não preciso ir lá na cooperativa, não preciso ir em lugar nenhum, ele habita em mim.

Nós estamos aqui tentando, esforçando para que você receba, para que você tenha. E você precisa acreditar. ¨Senhor…¨ Ele tem que responder. Ele responde para o outro, por que não responde para você? Tem que responder.

Ele não falou, batei, batei? Ele não disse: mulher, homem, gordo, magro… ele não faz acepção de pessoas. E a hora que você bater, Raquel, ele vai dizer: é a Raquel. Eis-me aqui. Samuel batia, ele respondia. Davi batia e ele respondia; Daniel batia e ele respondia. Jesus batia e ele respondia. Amém!? O apóstolo Paulo batia. O apóstolo Paulo teve uma experiência com Deus quando ele viu aquela luz e caiu do cavalo; mas toda semana ele queria cair do cavalo? E agora, eu preciso de um cavalo. Por quê? Porque a primeira vez que ele teve a experiência com Deus, foi cair do cavalo.

Então, agora eu tenho que morar numa chácara, numa fazenda onde tem cavalo, não é não? Nunca mais ele caiu do cavalo.

Ele saiu, encontrou com Pedro, encontrou com os discípulos, encontrou com todos. E ele tinha uma dificuldade muito grande para manter aquela experiência que ele teve. De repente, ele queria sentir de novo, ele queria ver a luz de novo. E ele ficou 14 anos longe, separado de Deus. Quando ele voltou, ele já voltou… Quantas vezes ele certamente não se sentiu sem Deus? Quantas vezes ele não se sentiu sozinho? ‘Deus esqueceu de mim! Deus não me ouve!’ O quê que ele estava aprendendo?

O jeito de bater, o jeito de falar com Deus. Ontem o João Pedro sentiu a presença de Deus, a Ana Luiza, graças a Deus, sentiu a presença de Deus. Todos sentiram, a criança sentiu, mas você pode nunca mais. Mas, se você, como Paulo, gostou daquilo. Ele saiu e falou: ‘eu vou buscar a Deus, eu quero isso na minha vida.’

É o jeito que a gente vai descobrir de bater, o jeito que você vai conhecer a voz. Samuel era pequenininho e ele escutou a voz, ele pensou que era Eli. ‘O senhor está me chamando? Não estou te chamando não, pode dormir.’ Samuel voltou e foi dormir, era uma criança. Daí um pouquinho, ele escuta de novo, voltou lá: ‘uai, patrão, está me chamando? Porque estou escutando.’

Eli já pensou, não é a minha voz, é a voz de Deus. Eli falou para ele, quando você ouvir de novo, você fala: ‘Eis-me aqui.’ Então ele ouviu de novo. O quê que ele aprendeu? O que vocês acham que ele aprendeu? Essa é a voz de Deus, esse é o jeito que eu faço para sentir. Coração quebrantado, o espírito contrito.

Eu conheci uma mulher que tinha uma confiança tão grande no cabelo dela! Sansão não tinha uma confiança no cabelo dele? E Sansão não achava que aquele cabelo era a razão do sucesso dele? E o inimigo também percebeu: ‘o quê que eu vou fazer? Eu vou tirar o cabelo dele, porque se eu tirar o cabelo dele, a força dele está no cabelo, porque ele acreditava no cabelo.’

A mulher usava um coque para enrolar o cabelo, fazia um coque para segurar o cabelo. Aí, ela trabalhava o dia inteiro na fazenda, fazia queijo etc. Então vamos orar? Vamos orar. O quê ela fazia? Soltava o cabelo. Já pensou se você cortasse aquele cabelo dela? Ela podia até orar, mas ela não tinha mais aquela confiança de que ela ia sentir a presença de Deus, por causa daquele cabelo.

Eu chegava do quartel fardado, chegava em casa, eu sentia bem com uma determinada roupa. Eu chegava do quartel, tirava a farda, botava aquela roupinha que eu gostava e ia orar, todo dia. Eu tinha ansiedade de chegar naquela hora, porque eu sentia a presença de Deus com tanta facilidade, que eu não sentia estando fardado. Amém!?

O lugar. Ali virei a ti, ali virei a ti (Êxodo 25:22).” Não tem uma música assim? Se não tiver, manda fazer. Tem uma música assim, pode procurar que tem. Ali virei a ti. O lugar, o altar que você faz, que você tem. É um lugar, um jeito, como eu falei: o cabelo dessa maneira.

É como se Deus agradasse, que ele sentisse bem, a oração, o jeito. Então, tudo que você vai fazer… Aí você começa a perceber que tem certas coisas que realmente Deus abomina. Conforme a minha atitude, eu sinto dificuldade; conforme a minha atitude, eu sinto facilidade, porque o que interessa é o Espírito de Deus.

Ontem foi falado aqui, às vezes temos uma dificuldade para receber, e uma facilidade para extinguir, eliminar. “Buscar-me-eis e me achareis quando você buscar com toda sua força, com todo seu entendimento” (Jeremias 29:13). Tudo vale, se esse ‘negócio’ está desse jeito, eu vou experimentar agora desse jeito, quem sabe. Senhor, eu fiz desse jeito. Ah, mas é isso, isso. Não interessa, você pode pensar o que você quiser, o que importa é que você tenha o Espírito Santo.

Não tem regra. Aonde eu quero chegar? Então todo mundo vai fazer assim, vai dar certo? Não, o seu jeito é o seu jeito, o seu é o seu. O importante é que eu me sinta bem com essa blusa; eu sinta bem com esse cabelo; eu me sinta bem dessa forma.

O certo é que eu vou fazer tudo. Buscar me eis e me achareis quando você buscar com todo seu entendimento, com toda sua força. O certo é que você encontrou, você sentiu. O que é que nós temos aqui? Um vem, toca, vira uma rotina, vira uma religiosidade e ninguém sente a presença de Deus.

Não é rotina, não é: faz desse jeito, o outro faz assim, não! Cada pessoa vai buscar, cada pessoa vai fazer do seu jeito. Quando, então, você buscar com toda força, com todo seu entendimento. O certo é que eu tentei; desse jeito não deu certo, vou tentar de outro jeito; não deu certo, vou experimentar desse jeito; não deu certo, mas, de repente, eu achei ontem. Então vamos querer fazer igual ontem, e, eu não me levantei hoje com a intenção de fazer igual ontem. Ontem ficou lá para trás, porque, senão… Como é que foi? Eu fiz assim. Como é que foi? Eu fiz assado. Não, não precisa, gente, não precisa. Porque não vai repetir, nunca, nós não conseguimos nada dessa forma. De ontem ficou. Hoje, você consegue fazer igual você fez ontem? Você nem sabe como é que foi, você só sabe que sentiu, pronto. Você só sabe que sentiu.

Aquele esforço físico, aquela força física para poder fazer do mesmo jeito… ‘Ah! É porque eu estava virado para ali, é porque eu estava assim…’ Não, acabou! Ontem passou, hoje pode ser completamente diferente.

Você sentiu bem ontem? Quem que sentiu bem ontem?

Igreja: Amém!

Você sabe que tem muita gente que está aqui hoje porque você sentiu bem? E você vai dizer para eles que você sentiu bem ontem. Ontem você não estava aqui, problema seu. Passa depois, quem sabe se você tivesse aqui você teria sentido, você não estava. Não pensa que nós vamos repetir hoje, porque nós não vamos. Amém!?

Quem bebeu, bebeu, quem não bebeu… Quem sabe, vai passando aqui, quem sabe uma hora você vai beber. O certo é que nós sentimos. Quem estava. Quem viu, viu, quem não viu… Amém!?

Não tem regra, “não é por força, não é por violência. É pelo meu Espírito, diz o Senhor” (Zacarias 4:3). Eu quero Deus, eu quero sentir. Porque, o que é Deus? É o Espírito Santo. Onde é que ele mora? Onde é que ele vive? Em nós.

Deu para entender? Se você quiser, você vai, a namorada vai encontrar, ela vai ter um jeito, ela vai ter o altar dela. Você vai ter o seu altar. Interessante, quando eu chego… A Lucilda vai de vez em quando lá em casa, ela tira os ‘trem’ do lugar, o quê eu faço? Eu chego e volto com os ‘negócios’ para o mesmo lugar onde eu coloquei. Ela tira para dizer: ‘eu passei por aqui.’ A Amilce também, quando vai mexer, mexe, tira, tal, eu chego e ponho no lugar de novo. Eu confiro até estar tudo do meu jeito.

Mas, aí, se você olhar e querer fazer do mesmo jeito queeu faço, às vezes não dá certo; para você não é a mesma coisa. Então, você tem que encontrar o seu ninho, você tem que arrumar o seu jeito de ter o seu relacionamento com Deus, de ter sua conversa com Deus. Eu já pelejei de todo jeito, gente, eu falo para vocês porque eu já tive…

Lá em Coxim, tinha um senhor velho que todo mundo falava, encosta nesse velho aí porque esse velho, Deus fala muito com ele. E o velho era danado. E aí ele foi lá para o morro, numa altura danada, umas pedras, difícil, e eu atrás do velho. E o velho subiae tal, e eu já estava pondo a língua para fora. E eu ainda falava: ‘nossa, mas é difícil!’ Mas ele sentia, não sei por que cargas d’água, lá em cima daquela pedra lá. E eu fui chegando, foi indo, foi indo, de repente o marimbondo pegou no meu pé, marimbondo desse tamanho, ferroou o meu pé. Eu olhei assim, sabe o que ele falou para mim? Ele falou: ‘Não está escrito que se beber algum veneno mortal não lhes fará mal? Esse marimbondo não pode te fazer mal, vamos embora.’ E o marimbondo não fez mal. De vez em quando eu olhava no pé para conferir, e subindo.

Mas todas as vezes que eu quisesse sentir a presença de Deus. E ele foi com uma facilidade! Eu não tive a mesma facilidade. Aí, todas as vezes que eu precisasse, eu tinha que ir lá no Mato Grosso, naquele lugar? O quê que eu precisava?

Alguém: Descobrir o jeito, o senhor descobriu o jeito mais fácil que o senhor chegava até Deus, e é a mesma coisa que eu acredito que nós precisamos.

Que você precisa. Amém!?

Você acha que Deus gosta que você faça uma ¨pintura¨ bem extravagante? Se Deus acha que você deve ir com pouca roupa, com mais roupa, né!? Você vai porque é o seu jeito, sua hora. Tem gente que vai 5 horas da madrugada, a minha é 4:30, a minha é 2:00, 3:00, a outra é meio-dia. Então não tem regra, parece que Deus já fez isso, Silvio, para evitar exatamente a lei, para quebrar a força da lei, é o Espírito, quem tem o Espírito, não interessa.

Então, quando Jesus chegou, olha para você ver se a gente não tem razão, quando Jesus chegou, ele falou: “Perdoados estão seus pecados” (Mateus 9:5). Aí todo mundo censurou. Então ele falou: “O quê que é mais fácil dizer, perdoados estão seus pecados ou dizer levanta e anda?” O que é mais fácil?

Perdoados estão seus pecados todo mundo pode falar, eu quero ver quem falar levanta e anda. Porque, o que vai realmente funcionar, não interessa se tem pecado ou se não tem pecado, interessa que a pessoa se levantou e andou. Perdoados estão seus pecados, todo mundo pode falar, até o Papa, mas quem manda levantar e andar é quem tem o Espírito.

Então o que interessa? É falar? O papa vem e fala: ‘perdoados estão seus pecados’; aí vem o outro lá, coitadinho, se arrastando, e manda: levanta-se e anda. O quê interessa? O quê valeu? Então é o Espírito. Como você vai conseguir eu não sei. Amém!?

Ao que tem. Como você vai conseguir é problema de quem?

Alguém: Problema é meu.

A gente vê um pequenininho. Ontem ela não parava de chorar, não foi assim?

Alguém: Foi.

Não parava de chorar por quê? O quê que você estava sentindo?

Alguém: Presença de Deus.

Ela não parava, eu até fui embora preocupado com ela. Chamei uma pessoa para ficar cuidando, porque ela não parava de chorar. Mas eu sabia mais ou menos a razão por que que ela não parava. Mas então volto a dizer, o que importa?

Alguém: O Espírito Santo.

Isso. Como você vai tê-lo?

Alguém: Buscando a Deus.

Você vai dizer para sua mãe: ‘Mãe, eu não sei, eu achei. Eu tenho, eu sinto, eu falo com ele, ele me responde. Ele me responde e eu falo com ele, eu sinto e gosto dele, ele gosta de mim, nós amamos um ao outro.’ E a mãe pode chegar e dizer: ‘Minha filha, como você conseguiu? Que jeito você fez?” Não interessa, o que importa então é ter o Espírito Santo.

Porque se você não tiver, não tem nada que vai poder, por mais que você tenha o auxílio de uma pessoa, do sacerdote etc., mas foi o que Deus veio propor para o mundo.

Porque era assim: quem tinha Deus? Quem que aparentemente, quem é que tinha o direito de ter Deus? Não eram só os sacerdotes? Não era só aquele povo alto? Não era só aquela cúpula?

A prostituta não podia porque era pecadora, e o outro lá não podia porque era pecador. E aí, se a coitada quisesse Deus, ela tinha que fazer um… para poder ver se conseguia através do sacerdote.

Deus veio fazer diferente, de repente a prostituta tinha Deus e o sacerdote não tinha. Ele veio então evangelizar os pobres. Ele falou: “O Espírito de Deus está sobre mim e me enviou para fazer isso, para poder socorrer os pecadores, para poder trazer Deus para os pecadores” (Isaías 61:1, Lucas 4:18).

Então, se você for pecador, mais fácil, mais perto você pode estar de Deus. Amém!? Deu para entender? Então o quê que você entendeu?

Natyana: Achei interessante o Senhor falar da forma como a gente… Porque ontem eu tive algumas experiências simples, mas eu entendi assim; que eu vou ter que descobrir a forma mais fácil para mim. Ontem, quando o senhor estava falando, aí Maria concebeu… Eu senti a presença de Deus sem fazer nada, quando o senhor falou eu senti. Só que não é todo dia que eu vou ter o senhor falando para mim. Ou então, quando eu passei por alguém, pus a mão na cabeça, eu senti a presença de Deus quando eu encostei em alguém. Então, tem que descobrir uma forma que, eu, sozinha, em qualquer lugar, seja a forma mais fácil de eu sentir a presença de Deus.

E não é só sentir a presença de Deus.

 Natyana: Mas viver com Deus.

Porque, na verdade, ele está em nós, eu só preciso manter a fé… ‘Senhor, o Senhor está aí, não é? O Senhor está comigo.

Amém! Deu para entender? Vai para a escola, vai brincar, principalmente as crianças, vai brincar… Davi era uma pessoa, quando criança, normal; Samuel, criança normal, brincando, vivendo, mas era uma criança que na hora que queria falar com Deus, falava. A hora que queria sentir Deus, sentia, conversava. Andava com Deus, era amigo de Deus. Amém!?

Se nós sairmos daqui do encontro de jovens levando com a gente essa experiência, qual? O quê eu vi no encontro de jovens? Eu vi que o que importa é que eu tenha o Espírito. Amém!? Quem tem Deus é quem tem o Espírito Santo.

Alguém: Vamos dizer que durante, ontem e hoje, a oração, algum de nós achou o jeito, assim, sentiu bem e tal. Ela deve repetir o que ela fez ou ela deve procurar outra forma?

Se você repetir deu certo? Repete. Se você repetir não deu certo?

Alguém: Procura outro jeito.

Se vira.

Alguém: Respondeu.

Entendeu? Pronto. Porque eu tenho certeza de que Deus, ele tem o jeito dele, o cheiro. Quando as pessoas vinham fazer as ofertas na lei, porque a lei é perfeita. Antes de tudo, o quê se fazia?

Oferecia o sacrifício, um coração, a pessoa trazia o arrependimento, a pessoa trazia… Olha para você ver, a pessoa não trazia ali o animal para ofertar? Não foi um animal que ele cuidou dele direitinho?

Se fosse um bezerro, não seria um bezerro qualquer, foi um bezerro bem cuidado, bem tratado. Aí, quando levava aquela oferta, porque era um sacrifício que se fazia. E aí levava a oferta, a pessoa tinha quase certeza de que Deus iria ouvi-la por causa do sacrifício que ela fez, porque ela achava que aquele sacrifício foi muito bem feito.

Aí, botava ali aquele sacrifício, punha fogo, e aquela fumaça, eles entendiam que Deus, lá em cima, sentia o cheiro. Que cheiro! Esse sacrifício aqui foi do Mateus, esse aqui foi do Silvio; realmente, Silvio, esse aqui ficou bom mesmo.

Então, não valia? Não tinha o seu valor? Nós continuamos hoje fazendo o melhor, procurando fazer o melhor. Você acha que a mulher tem razão quando ela solta o cabelo? Quando ela põe na cabeça dela que ela deve orar com cabelo solto, ela não ora com cabelo preso.

Mas se ela entende que ali foi um jeito que ela achou e que daquele jeito ela sente que Deus escuta, que Deus responde… “Batei, batei e abrir-se-vos-á.” Você bateu 9 horas da manhã, não abriu, pronto, não bate mais? Bate às 10h, 11h, 13h, o certo é que eu vou continuar batendo, eu preciso falar com Deus.

Com cabelo preso, cabelo solto, de óculos, sem óculos, de joelho, sem joelho, o certo é que eu preciso falar com Deus. Eu gritei e Deus não ouviu; eu chorei e Deus não me ouviu; eu preciso descobrir um jeito que Deus me ouça. Desesperar não adianta; fazer isso também não resolve. É com jeito, com calma, com paciência etc. “Buscar-me-eis e me achareis” (Jeremias 29:13).

Saíam dois discípulos lá numa cidade totalmente diferente. Eu saía daqui e ia para Pirenópolis também, lá no começo. Eu cheguei a juntar, lá em Pirenópolis, mais de 100 pessoas. Nós fizemos uma reunião lá em Pirenópolis, juntamos mais de 100 pessoas.

Eu ia todo fim de semana ou de 15 em 15 dias, mas, por fim, eu estava indo todo fim de semana. Eu ia lá no sábado, fazia a reunião domingo, batia para cá, corria para Pires do Rio, fazendo daqui, dali. Quando eu fui, eu fazia a coisa sozinho, quantas vezes saí daqui sozinho e ia para Pirenópolis… E eu senti que Pirenópolis era um lugar extremamente difícil. Eu sentia a diferença de uma cidade para outra, de um lugar para o outro; onde tinha mais resistência, onde tinha menos resistência.

Vamos então, guarda isso no seu coração, o que importa, porque se eu estou de dois em dois, às vezes eu estou sozinho lá numa cidade e aí aparece uma pessoa endemoniada. Lá em Pirenópolis, aconteceram muitos casos, eu sozinho com a pessoa lá.

Pessoas que foram curadas, pessoas que foram libertas, coisas assim dessa natureza. Mas, em tudo isso, onde a gente ia passando, onde a gente ia vivendo, eu ia aprendendo alguma coisa. Não é que eu sei, até hoje não sei.

Mas eu passei por Pirenópolis. Ai de ti Pirenópolis, Ai de ti Pires do Rio, Ai de ti Fortaleza, Ai de ti Mossoró, Ai de ti… Eu quero ainda passar por outros lugares, quem ficou, ficou, quem não ficou, não ficou. O certo é que eu continuo fazendo o quê? Buscando a Deus, eu continuo buscando a Deus, continuo querendo mais e mais, continuo querendo Deus.

O quê que você já fez? Para você dizer que não tem ou que tem? Todos nós somos discípulos, servos. Todos nós temos que prestar contas com Deus.

Você acha que Deus nos constituiu um servo, um discípulo de Deus para ficar parado, para ficar assistindo? Não! Você concorda que toda árvore tem que produzir fruto?

Então, se o seu fruto agradou a Deus, é um sacrifício. Dona Jaci ficou para trás, Dona Zefa ficou para trás, outras coisas foram ficando. Mas eu vou chegar um dia e dizer: ‘Corri a carreira que me foi proposta.’ Que dia começou a carreira? Quando foi que começou a carreira?

Abraão saiu da casa dele peregrinando a terra inteira. Quando ele saiu, era uma história, quando ele estava lá no meio era outra história, quando ele estava lá no fim era outra coisa, mas um dia ele saiu. E agora, Senhor? E agora? Eu paro aqui, eu não ando mais, não vou mais?

O certo é que nós vamos. Amém!?

“E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem… A casa da Rosa, ali em Pires do Rio. A Rosa, ela fala assim: Nossa, irmão, mas eu fico chateada demais, o Senhor vinha e tinha uma umidade que entrava na parede e a parede ficava mofada. E a cama, tinha dia que eu pousava lá naquela cama, e eu acordava espirrando; era um quartinho bem pequenininho assim, e naquela situação e eu dormia gostoso, achava bom. Hoje, ela fala assim: Nossa, mas como eu me arrependo. Hoje ela está numa casa… Agora que eu queria que o senhor viesse. Pois é, mas eu vim quando a cama era encostada numa parede mofada na beira da rua. A rua passava ali, e quando chegava cedo, bem cedo, o povo já estava passando na rua, tinha gente que ainda batia na janela. Mas era o que tinha, eu nunca reclamei, nunca. Mas foi lá que eu encontrei a Carmem, ela está aqui. Foi lá que eu encontrei outro etc.

Passou, hoje ela tem uma casa fantástica, mas eu não posso estar lá. Pires do Rio, na casa do Sandoval, eu lembro na casa do Sandoval; pobre que eu vou te contar, a gente se sentava lá quase que no chão. Mas o quanto Deus fez ali na casa do Sandoval, não tinha quarto não tinha… Era do jeito que dava. Amém!?

Mas eu creio que foi aonde eu busquei a Deus. A seara é grande, eu tenho certeza de que Deus não chamou ninguém para ficar sentado. Eu tenho certeza. “O machado está posto à raiz da árvore” (Mateus 3:10). Lembra que você é uma árvore. Ontem, teve um menino aqui que teve uma experiência. Deus perguntava para quê vocês querem o Espírito Santo? Para quê?

Como é que falava?

Deivid: Conta a visão toda?

Não, só o detalhe.

Deivid: Ele perguntava para que vocês querem o Espírito Santo? Para quê vocês querem um Espírito Santo?

Deivid: Para quê você quer o Espírito Santo? É por isso que você não tem.

Aí ele falava lá: Vocês já vieram com muitas justificativas do porquê que vocês querem o Espírito Santo, mas nenhuma delas me convenceu.

Chequinho, para que você quer o Espírito Santo? Já que eu não sei para quê eu quero, então vamos continuar vivendo sem. A gente não sabe para quê que a gente quer. Amém!?

Eu estava orando lá em casa, eu estava lá doente, com o resguardo da dengue, um dia ruim, difícil para danar, eu estava orando, eu lembro de uma oração que eu fazia… Eu lembro que na oração (a Suzane não estava ouvindo e ela teve a visão) eu falei: Eu preciso do teu Espírito, eu preciso da tua unção para prosseguir “Quero tua unção… quero andar contigo… quero tua unção, quero teu Espírito para prosseguir. Por quê? Porque eu estava ali arrasado, não dá mais, eu preciso melhorar o combustível. Eu preciso da sua unção, eu preciso para poder prosseguir. Sem, eu não dou conta.

A visão era assim: Tinha (mais ou menos assim), e tinha outro aqui. Imagina então, esse aqui tinha na cabeça, esses dois aqui, quem que vocês acham que era Deus? Por que o menor? É porque eu já tinha colocado eu lá né? Eu estraguei.

Claro que todo mundo que bate o olho aqui já vai logo entendendo que esse aqui, a coroa está na cabeça dele, mas na visão eu era esse aqui e Deus era esse aqui.

Mas por que que Deus não reinava? Aí eu já entendi por que que Deus não reina. POR QUE DEUS NÃO REINA VOCÊ? PORQUE VOCÊ REINA. Buscar o reino de Deus, eu preciso passar a coroa para ele.

Os dois eram iguais, mas o idiota insistia em… Na hora que o ¨trem¨ veio para poder arrebentar, eu não dou conta mais! ‘Senhor, tem misericórdia, toma essa coisa.’

Aí, o quê que eu fiz, Suzane?

Buscar o reino de Deus, passar, tirar de você, passar para ele. Amém!?

Suzane: O que estava com a coroa entregou para o menor.

O que estava aqui então passou para cá.

Suzane: Isso!

E aí?

Suzane: O menor, que está com a coroa, cresceu, ficou maior.

Suzane: Isso, com a coroa.

Aí ele cresceu.

Suzane: Aí ele pegou um vidro de azeite, uma jarra de azeite e derramou na cabeça do menor.

Do idiota!

Suzane: E encharcou ele.

Derramou o Espírito, ungiu. E aí ele?

Suzane: Cresceu, ficou do tamanho do outro.

Ele cresceu.

Suzane: Exato.

Então, enquanto ele queria reinar ele não crescia. Enquanto ele queria pela força, reinar, ele não crescia. A hora que ele se humilhou, a hora que ele falou: ‘Senhor, quero tua unção, eu não sou capaz mais, Senhor, tem misericórdia de mim. Então, reina Senhor, dirige, ensina o caminho que eu tenho que andar.’ Ele passa a coroa para aquele que estava ali. ‘Vamos ver até onde ele vai’.

E aí, quando permitiu que Deus então crescesse, permitiu que Deus reinasse, então Deus cresceu em relação a ele e consequentemente foi bom para ele porque ele também pôde crescer. Então aí ele e o pai, foi o que Jesus fez, eu e o pai somos um.

Aí o quê que ele fez, Suzane?

Suzane: Aí, o da coroa deu uma ordem, eu não escutava o que falava, eu o via gesticulando com a boca. No finalzinho eu escutei: Agora vai! Então ele falava, dava uma ordem, e no final ele falava: Vai!

Aí quando o que estava encharcado de azeite lembrou, falou assim: não tem como eu ir, eu te dei a coroa, eu não tenho coroa, a coroa está na sua cabeça, não tem como eu ir sem coroa. Aí o que estava com a coroa falou assim: mas você não está vendo? É como se ele mostrasse assim, nós somos a mesma pessoa, nós somos iguais. Você não está vendo? Estou mandando você ir, quem disse que você não tem a coroa? Olha para a gente.

Então ele, é como se ele dissesse assim: a coroa está na minha, mas ela também está na sua; nós somos um. Então não é só você mais, é você e Deus. Então o que você fizer é o que Deus fez e o que Deus fizer é o que você fez. Amém!?

Quem me vê a mim vê ao Pai. Então quem ganhou? Enquanto o homem insistir, ele vai. Deus fica impossibilitado, mas a hora que a gente se humilha, fala: ‘Senhor, o reino pertence a Deus, o poder pertence a Deus.’ Aí Deus cresce e você cresce também, e aqui vira o reino de Deus.

Quem me vê a mim vê a Deus, não fui eu que fiz, foi Deus que fez. Ah! Mas foi você, eu vi que foi você que fez; não fui eu, foi Deus. Nós vamos ficar nessa luta. Mas o certo é que eu não posso fazer isso, é Deus que faz.

Se não, Deus vai ter que arrumar um animal para fazer a obra, para expulsar os demônios, para curar os enfermos, para poder pregar o Evangelho. Vai arrumar um animal, por quê? Porque a gente não deixa. Amém!?

Então, gente, tem muita gente que vai nas igrejas, vai à missa, tem muita gente que reúne aqui etc., mas não interessa. Só vai ter, realmente, aquele que tiver Deus.

Ontem eu cheguei em casa, aí estava passando um filme, acho que era o apocalipse, deixa o nome do filme, não sei, sei que era um filme assim: um avião, parece que o piloto, era o fim, aí o piloto sumiu, o avião ficou lá em cima sem piloto. Um carro, o ônibus vinha e aí o motorista sumiu, aí o ônibus bateu, virou um transtorno na cidade, é como se fosse o arrebatamento; um foi tomado e o outro foi deixado. O arrebatamento não vai ser assim? Um vai ser tomado e o outro vai ser deixado. Quem foi tomado?

A igreja, o povo de Deus, o reino de Deus. A gente achando ruim ou achando bom, vai ser do jeito que Deus…. Então, primeiro Cristo, depois os que são de Cristo, os que morreram em Cristo; vai chegar o momento em que seremos nós, os que estivermos vivos. Não vai ser assim, pegar porteira fechada, qualquer jeito não!

Nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados. Nós quem? Os que foram selados, os que tiverem o selo. A aeromoça não foi, o piloto foi. O piloto estava trabalhando no mesmo avião; tinha passageiros que a roupa ficou lá em cima do banco, o passageiro sumiu e a roupa ficou. E aquela confusão lá dentro. Aí uma mulher lá embaixo correu e foi numa igreja falar com o pastor, quer dizer, o pastor ficou. Aí o Júnior falou: coitado do pastor, perdeu quase toda igreja e ele ficou. A igreja foi embora.

Um será tomado e outro será deixado. Quem teve birra, quem insistiu, quem endureceu não teve…. E aí foi deixando, foi deixando, às vezes morreu, morreu em Cristo? Não morreu em Cristo, não vai ter o direito. Por quê? Porque passou a vida inteira resistindo, resistindo, e não conseguiu o selo. A carta só vai chegar selada. O Espírito Santo.

Então, Ana Luiza, se você sentiu a presença, aí você vai fazer o quê? Você vai conservar. Eu posso perder tudo, como o Silvano falava: ‘Posso perder tudo, ficar sem dinheiro, sem mulher, só não posso ficar sem Jesus de Nazaré.”

Não podemos ficar sem Deus, o meu Senhor tem que ser conservado. Se eu saí de Pirenópolis e vim para cá, se eu passei por ali, por aqui, não interessa. O que importa é que se eu morrer eu tenho que morrer com Deus; se eu estiver vivo, eu vivo com Deus.

Para mim morrer é um descanso, viver é aqui em Cristo. Nós os que estivermos vivos, que tivermos Cristo…

Que todo mundo entenda isso. Até estava falando para Carmem, Carmem na sua oração você vai falar: ‘Senhor, eu não tenho outro Deus, o Senhor é a minha força, se eu tenho força é o Senhor.’ Sabe por que ele cresceu? Porque ele reconheceu que ele não tinha força. Sabe por que ele cresceu? Porque ele reconheceu que ele não podia, quem pode é Deus; “o Senhor é a minha salvação.” A armadura de Deus.

Então, que os jovens saiam desse encontro convencidos de uma coisa. Qual? O seu pai e a sua mãe, vocês vão obedecer, vão ter o maior carinho por eles. Mas se eles não tiverem o Espírito Santo, eles também precisam do Espírito Santo.

Não tem importância, você vai obedecer, se humilhar, você vai agradar todo mundo. Quem tem e quem não tem, amigo e inimigo, você vai tratar bem todo mundo. O importante é que você tenha o Espírito Santo. Ora com sua mãe, ministra o Espírito Santo.  Passa para o seu pai, sua mãe.

Vamos curvar nossas cabeças.

Oração: Amém, Jesus, Pai nosso que estais no céu, como é difícil, meu Deus, como é difícil realmente admitir que a gente estava no mundo sem Deus. Chegamos, ficamos sem Deus e como tem sido, para nós, difícil entender que nós precisamos de Deus. Buscar a Deus é importante, é a nossa salvação.

Não sabemos exatamente se soltando o cabelo como aquela mulher, se lavando os teus pés, se estando ao teu lado, enxugando os teus pés, se beijando a tua mão, se sendo rebelde, se não dando ouvido, se jogando ali a rede, mas nem todos têm o seu barco, nem todos pescam.

Se caindo do cavalo, mas nem todos viram a luz que Paulo viu; nem todos puderam ter a conversa que Maria teve com o anjo; nem todos foram como Isabel, nem todas as mulheres estéreis tiveram seus filhos pelo Poder de Deus.

Nem todos os coxos andaram; nem todos os mortos se levantaram à tua voz. Meu Deus! Como será que nós vamos chegar até ti? Como será que nós vamos encontrar, no meio do fogo, da lama, no alto, onde, Senhor Deus, nós vamos te achar?

O importante é que nós queremos te achar, queremos te encontrar. Jesus, o Senhor está aqui tão perto de nós, parece que nós já podemos quase te ver; parece que nós estamos mais perto hoje do que ontem. Graças te damos, que o Senhor realmente possa perdoar nossa ignorância, perdoar a nossa estupidez, não foi assim que nós aprendemos. Foi caindo, foi tropeçando que nós aprendemos, nas nossas fraquezas, onde o poder de Deus apareceu.

Muitos neste momento aqui, Jesus, esperam pela tua cura, muitos aqui sofrem esperando pela tua graça. Que isso possa ocorrer agora. Que os enfermos recebam a cura, que os doentes não mais estejam doentes. Se algum cativo estiver, seja liberto; que a liberdade do Espírito aconteça.

Ande no nosso meio, põe a tua mão sobre nós, unja-nos, enche-nos. Amém, Jesus!

Cure os enfermos, cure os doentes, até mesmo aqueles que não estiverem aqui, onde estiver o teu filho, levante-o, sare-o. Amém!

Essa menina liberte, manda sair hoje todos os espíritos malignos. Manda que eu mando, fala que eu falo em teu nome, saiam. Curados estejam todos os enfermos. Em nome de Jesus. Amém!

 

 

10ª Reunião – Final

 

Amém!

Eu acho que nós já podemos encerrar. Eu creio que nós alcançamos um objetivo bom.  Eu acho, penso que a igreja que veio de Paraíso, de Palmas, de Pires do Rio etc., nos ajudou bastante. A igreja de Goiânia agradece os jovens, porque ajudaram muito. Mineiros nos deram uma força tremenda. Tudo isso nos uniu. Muita coisa boa eu creio que aconteceu.

Nós gostaríamos de ouvir a opinião de um representante de cada lugar para analisar um pouco o que aconteceu. Se alguém quiser, tiver uma opinião, também pode usar o microfone. O outro detalhe é que eu gostaria, também, de lembrar que eu acho que o encontro não deve ser feito mais duas semanas antes do encontro geral, porque o pessoal vem e volta, e está ficando meio difícil. Nós precisamos achar uma outra data e vocês podem propor, olhar o que fica melhor para uma outra data. Porque, a intenção de fazer duas semanas antes, era fazer com que o pessoal que vinha de longe, de avião (e duas passagens ficava difícil), então viesse duas semanas antes porque já ficava. Mas não deu certo, eu acho que não deu certo. De Fortaleza veio só a Esther.

Outra coisa, foi que o carnaval, esse ano, coincidiu com a época da escola. Não é férias! A pessoa que trabalha não pode ficar duas semanas sem trabalhar; as pessoas que estão estudando, fazendo faculdade, muitos não puderam vir por causa da escola. Então, vamos achar uma outra data para poder fazer o encontro, de preferência, férias, que não atrapalha ninguém.

Qual o primeiro jovem que poderia vir? Paraíso? Tem alguém de Araguaína?

Alguém: Amém, irmão Rossini! Nós, lá de Paraíso, a gente veio com uma noção do que a gente queria receber aqui no encontro. Teve uma visão que mostrou que aqui tinha uma mesa e tinha vários presentes nessa mesa e essa mesa era para os jovens.

Então, a gente veio com esse objetivo e eu acredito, assim, que é… até o senhor mesmo falou durante a reunião, que a gente ia receber um presente, só que eu não tinha noção que presente era esse que estava sendo proposto para nós, que é o Espírito Santo. Essa consciência que foi gerada em cada um de nós. Foi um privilégio realmente estar aqui.

Então, eu acho que essa consciência que foi gerada na gente vai fazer a gente buscar realmente aquilo que Deus quer que a gente busque. Foi muito proveitoso conversar com os meninos aqui, com o Fred, o Luiz, e, à medida que ia vindo as reuniões, que a gente ia recebendo as reuniões, ia gerando essa consciência em cada um de nós.

 Eu acredito que ninguém que veio aqui vai sair do mesmo jeito que chegou, vai sair com uma nova consciência. A questão de bater, realmente insistir numa coisa, quantas vezes a gente ora, pedindo coisas banais e a gente fica batendo, Senhor, eu quero isso, e Ele chega e dá para a gente. Coisas banais, sendo que o mais importante seria ter o Espírito de Deus. Isso vai ser a minha salvação.

E Ele tem trazido clareza. Ontem o senhor falou, né, pedir sem… Você quer saber por quê? Pede primeiro. E hoje ele já veio. E não tem nenhum motivo pelo qual a gente bateu que fizesse ele abrir a porta, nenhum motivo que a gente deu foi convincente a ponto de ele dar, e falou: isso não; e fechou de novo.

Então, eu tenho que saber agora para o que eu vou pedir, e vou começar a pedir. Senhor, isso aqui não, isso aqui não, e vou bater, porque ele já mostrou que eu posso bater, ele vai abrir, ele vai escutar. Ele me escutou ontem, então ele vai me escutar. Amém!

Eu acho que realmente esse encontro de jovens foi muito proveitoso. Acho que ninguém que esteve aqui vai sair do mesmo jeito que entrou, todo mundo sabe que recebeu alguma coisa.  Realmente, a presença de Deus que foi ontem, que foi hoje, eu nunca tinha sentido, foi um privilégio, realmente, estar aqui. Amém!

Quer dizer que você acha que o ponto forte foi o Espírito Santo. É o que Deus quis realmente passar para a igreja. Amém! Concordam com ele?

Igreja: Amém!

Outra, Palmas.

Alguém: Amém! Teve muitas visões aqui em Goiânia esses dias e no fim de semana, mas eu vou comentar a que eu lembro agora no momento. Eu lembro da visão do João Vitor, em que Deus estava chamando para dançar, só que ele ficava com vergonha, e eu me identifiquei muito com isso; pode não parecer, mas eu estou morto de vergonha aqui por dentro. E ontem à noite eu fiquei muito triste, porque eu via tanta gente chorando, tanta gente recebendo o Espírito, mas eu fiquei sem.

O irmão Rossini falou hoje no começo da reunião que teve gente que ficou sem. Eu fiquei, foi muito triste. Sonhei de noite, fiquei apavorado, mas a gente só para de bater quando abre, e hoje de manhã eu… “Senhor, pelo amor de Deus, tem misericórdia, me deixa sentir pelo menos um pouco, um pouco que seja”; mas eu dobrava o joelho, eu cantava, gritava e nada dava certo. Foi já para o final que eu comecei a ver um rio passando no meu coração, e do coração ele ia para todo o corpo, que nem o sangue quando o coração bombeia. E eu comecei a sentir todo corpo, foi uma coisa completamente diferente do que eu vi na vida inteira.

 O que é isso se não for o Espírito Santo? O que é tão forte quanto isso? E aí, mas para que a gente vai receber o Espírito de Deus? Foi falado, acho que teve até visão também, para que a gente vai usar? É para ser como Jesus foi, fazer as mesmas obras, que nem o irmão Rossini falou, ele não vai te dar para você ficar sem fazer nada.

Ele vai dar para a gente trabalhar nessa obra, nessa seara. Então, eis me aqui, Senhor, eu quero estar disponível para ti. Eu estava pedindo, “Senhor, o Senhor entrou, mas não quero que o Senhor saia não, não quero”. Então, é como foi falado, acho que cada um que esteve aqui, alguma coisa mudou, não vai voltar da mesma forma.

Então, eu acho que cada um que sentiu a presença, às vezes no meio da palavra, no louvor, na oração, mas o que é certo é que Deus esteve presente em todos os momentos, desde quando a gente estava vindo para cá. Então, amém!

Amém! Bom demais, é isso mesmo. Parece que Deus realmente tinha um propósito, não é filho, do que ele fez aqui.

Então, a sua experiência foi diferente, nós estávamos falando, ontem não foi a mesma coisa que foi hoje de manhã. Deus te abençoe, meus parabéns! Faça isso mesmo, tenha como propósito que o Espírito de Deus tenha liberdade para te mandar. “Onde eu te mandar, irás, e o que eu colocar na tua boca, dirás. Vai e eu serei contigo, por onde quer que você ande” (Josué 1:5). Quer uma palavra melhor? Melhor do que essa, só ‘arroz com fumo’. Vai e eu serei contigo por onde quer que você ande. Amém!?

Qual outro? Mossoró, quem vai falar?

Alguém: Eu penso que muita coisa foi falada, tem uma coisa que me chamou muito a atenção, que Deus fala constantemente, o Senhor não falou explicitamente, mas vem falando comigo há muito tempo, parece que nunca é o suficiente.

E a questão da humildade, quanto mais nós nos humilharmos… Ainda nos achamos demais, eu me acho demais. Humilhar-me, bater até ele abrir, porque o senhor começou o encontro perguntando a quem nós iríamos obedecer. Eu quero que o meu guia seja o Espírito Santo, meu pai já não aguenta mais me guiar, coitado, está morrendo, não tem mais outra pessoa, não posso deixar eu mesmo reinar. Então vou me humilhar.

Você acha que o encontro foi proveitoso?

Alguém:Acho que foi os dois ou três melhores dias da minha vida até hoje.

Amém! Outro lugar, Fortaleza. Esther, você imaginava que o encontro pudesse te oferecer, te ofereceu, você sentiu que foi diferente?

Ester: Toda vez que eu venho, esse é o terceiro ano que venho, é sempre uma experiência diferente. Só que aí, normalmente, a gente vem, tem todos esses dias, eu fiquei maravilhada de buscar Deus. Aí, quando volta para casa, volta para escola, para rotina, a gente volta tudo normal como se nada tivesse acontecido, isso é uma coisa que me entristecia demais.

 Só que ultimamente eu tenho me esforçado demais e esses dois, três dias, foram maravilhosos para mim, sabe. Eu tive uma experiência tão boa ontem que eu nunca me senti daquele jeito.

 Todas as vezes que eu venho para o encontro de jovens, porque é difícil, é muito difícil a gente buscar a Deus e eu tenho que admitir, não posso falar que é fácil, porque não é fácil. Mas, aí, eu estou tentando me esforçar, sabe? E esses últimos dias, tem sido tão bom, foram muitos bons para eu perder minha vergonha, sabe? Eu perdi meu medo. Porque, antes eu tinha medo de levantar minhas mãos na hora do louvor, tinha vergonha de me ajoelhar. E ontem eu estava ali louvando, orei, e, falando com Deus, senti uma coisa tão forte que eu não aguentei ficar em pé, eu caí de joelhos, e eu nunca tinha sentido uma coisa tão boa assim, nunca tinha sentido uma sensação tão maravilhosa assim. Só que tomou conta de mim. Eu lembro de estar falando assim: “Senhor, eu quero que o Senhor tome conta de mim e eu quero sentir tua presença a todo momento, não quero só quando eu estiver louvando, quando eu tiver na reunião não. Eu quero sentir tua presença a todo momento.

Eu quero saber que você vai estar comigo quando eu estiver indo na escola, quando eu estiver indo na reunião, quando eu estiver saindo com alguém, quando eu estiver saindo com a minha família.”

Então, foi muito bom, porque eu sei que agora Deus está comigo, porque, eu tinha muita aquela dúvida, será que Ele está me escutando? Será que eu estou falando em vão? Será que Ele está aqui? E aí, ultimamente, Deus tem me respondido muito. Porque eu achava que Ele não estava me escutando, eu achava que eu ficava batendo, batendo, batendo na porta e nunca abria. E eu estava refletindo e percebi que, muitas vezes, a porta abriu, a porta escancarada para mim e eu não sabia, não soube interpretar.

Mas foi muito bom, foi, assim, muito mais do que eu esperava, e eu realmente estou acreditando que, dessa vez, eu não vou deixar deslizar não. Dessa vez, eu vou continuar firme. Porque é uma coisa que eu não sei se é o medo de todo mundo, mas, assim, é um medo muito grande meu, toda vez que eu estou orando eu morro de medo de não ser salva, eu morro de medo.

Nossa, eu tenho muito medo de ir para o inferno, Deus me livre, credo. E assim, porque é verdade, ninguém quer ir para o inferno, todo mundo quer ser salvo.

 E acho que foi muito bom também, assim, para a gente tomar essa consciência e saber. Eu estou falando, mas ainda estou tremendo, mas eu estava ali sentada e sabia que o senhor ia me chamar, porque eu fui a única de Fortaleza.

 E aí eu cheguei e falei assim: “Senhor, eu sei que vou ser chamada, então, eu queria que o Senhor me ajudasse a ter as palavras certas para falar, eu queria que você me ajudasse a ter a sabedoria necessária para eu ir lá na frente de todo mundo”; porque, antes, era no banco e eu já tinha medo disso aqui na frente.

 E aí eu falei assim: “Senhor me dá a sabedoria necessária para conseguir falar o que eu estou sentindo no meu coração”. Porque, às vezes, a gente quer falar para todo mundo em voz alta, a gente quer gritar para todo mundo, mas a gente não consegue expressar o sentimento que a gente tem no coração.

 E aí o que eu estou sentindo é uma alegria, assim, que está tomando conta de mim. Eu tive uma experiência maravilhosa tanto aqui no louvor quanto antes, quando eu fui dormir; e eu sei que agora eu tenho a capacidade de escutar Deus, tenho a capacidade de falar com Ele, e eu tenho a capacidade de buscar Ele. Porque, nos encontros passados, a gente falou sobre como que a gente vai buscar a Deus, e agora eu sei que eu tenho a capacidade para isso.

Se eu não tomar as providências, não começar a buscar Ele, é porque estou sendo uma idiota mesmo, eu vou jogar fora a chance que eu tenho, porque não é todo mundo que tem a chance de estar aqui nesse meio. Eu agradeço demais a Deus. É isso foi muito, muito bom.

É gratificante pensar que, dentre bilhões de pessoas no mundo, eu tive a chance de ser convocado para poder estar aqui, e Deus ter me escolhido, e eu ter nascido, porque eu podia estar no mundo que já tá fazendo muita coisa errada, e, graças a Deus, eu nasci nesse meio, algo muito bom.

Eu acho que esse encontro, não só para mim, mas sim para todo mundo, foi bom para todo mundo perceber que, às vezes, a gente quer fazer o bem, às vezes, a gente quer fazer o mal, mas a gente tem que sempre fazer o bem. Foi bom para todo mundo criar consciência de que Deus está com a gente, apesar de, às vezes, a gente ter a dúvida, ‘será que Deus está me escutando?’ Eu acho que muita gente aqui, ontem, ficou quebrantado com a presença Dele, porque foi uma presença tão forte que tomou conta do lugar. Ninguém conseguia ver aqui que estava todo mundo ajoelhado aqui, quando eu ajoelhei eu estava com olho fechado, na hora que eu abri, todo mundo estava ajoelhado.

Tinha gente pulando, tinha gente batendo palma, eu não tive controle de mim, as minhas mãos começaram a bater palmas, ficaram dormentes. Foi algo muito, muito bom. Uma sensação que eu nunca tinha sentido em toda minha vida, eu achava que eu já tinha ficado feliz com alguma coisa, mas nada se compara com o que aconteceu ontem.

 Esses dias foram maravilhosos para poder refletir e adquirir esse pensamento que acho que é essa consciência.

Amém!

Deus te abençoe, que você leve pra Fortaleza toda essa força que Deus te deu. Amém!

Então, realmente a Esther, como ela falou, ela nasceu nesse meio, mas chegou a hora, o momento de ela ter uma experiência diferente, não só ela, mas os outros disseram também que nunca sentiram; como ela sentiu. Não foi só ela não, muitos aqui sentiram, até mesmo adultos puderam ver que Deus está no comando, conduzindo a igreja.

Eu estava aqui agora mesmo pensando assim: tem um ministério que vai preparar a igreja para a volta se Cristo, teve um ministério que preparou a igreja para a vinda e tem um ministério que vai preparar a igreja para a volta de Cristo.

E é tão bom quando você vê uma menina igual a Esther, que eu conheço a luta dela lá em Fortaleza, uma cidade extremamente difícil. Aí, sai a menina para ir à escola, ela já enfrentou muitos problemas. Teve uma época na… Ela é muito nova. Teve uns anos atrás aí, a mãe dela teve muito problema, ela já rebelde, tendo muita dificuldade. Mas você agora vê uma conversa madura, você vê uma conversa consciente.

Eu acho que a Socorro e o Poty estão de parabéns; a Socorro e o Poty tem que dar Graças a Deus. Esther, não é por estar na sua presença, mas se você guardar esse Espírito que você está com ele aí, você vai caminhar, minha filha, que Deus vai te proteger. Que você continue assim.

Você vê que é uma conversa de uma pessoa que está com os pés no chão. Graças a Deus por isso.

E agora, a gente tem muitos jovens, como as crianças aqui na idade da Ana Luiza, da Priscila, da Rebeca, que começa entrar na escola, no curso médio, aí, de repente uma faculdade. E como não é bom que eles tenham uma cabeça como a que tem ali, que eles possam chegar lá já conscientes, que eles tenham a consciência, a fé, pra não serem contaminados pelas ideologias, pelas filosofias, pelos pensamentos violentos que eles vão encontrar nas faculdades; seja Faculdade de Medicina, Direito, seja o que for.

Então, o Neto já está indo, o Rudá já passou etc., mas é essencial que realmente Deus faça conosco o que fez ontem. Então, ontem nós tivemos um batismo do Espírito Santo, vamos desejar. Eu acho que realmente aqueles que voltam para suas casas, no caso dela, é Fortaleza, ela veio sozinha, mas ela pode influenciar. A menina de Mossoró, Neguinha.

Eu acho que Deus não está brincando, vocês concordam? Eu acho que Ele está nos preparando realmente. Teve visões da arca, visões realmente interessantes, mostrando, eu acho, que Deus está preparando a igreja, preparando um povo para receber definitivamente o reino de Deus.

Então, com toda humildade, simplicidade, paciência, vamos chegar e dizer: “Senhor, nós estamos entendendo, nós estamos dispostos, queremos o Espírito Santo para isso; para estarmos vestindo a veste da noiva; nós queremos que o Espírito Santo nos prepare para receber o noivo. Que a noiva esteja impecável para receber o noivo”. Amém!?

Tudo que for ter que tirar, eliminar, que Deus tenha liberdade, para que a gente seja impecável. Por que não vai ser assim? A igreja não vai ter a lua debaixo dos pés? A noiva não vai estar realmente vestida, calçada, preparada?

Então, é para isso que nós queremos o Espírito Santo. Que ele faça de nós, povo de Deus, que Ele realmente tenha a liberdade de fazer de nós aqueles que vão dizer: Vem Senhor, vem Jesus. Amém! A sua noiva já se aprontou, nós estamos prontos. Amém!

Falta Mineiros. Então vem cá. Não tem ninguém de Mineiros?

Alguém:Eu fiquei pensando, coitado, a Esther tem vergonha e falou daquele tanto, mas Amém. Engraçado, eu vou contar uma experiência minha, eu tinha orado porque eu tenho muita vergonha, eu acho que tenho mais do que os outros dois que vieram aqui. E, aí, eu pedi para Deus que eu queria, é uma coisa que me atrapalha muito, eu estou tremendo, gelado, e eu queria perder essa vergonha. Aí, o senhor começou a falar e eu disse: Não, Senhor, não queria que fosse lá na frente não, podia começar no banco mesmo. Mas, amém!

O que eu levo que mais me chamou atenção foi em relação a eu passar essa coroa para Deus. Então eu me vejo na condição de senhor da minha vida ainda, ainda tem muita justiça própria, a vontade minha prevalece e eu tinha pedido muito para Deus que eu queria renovar minha fé, que parece que tinha esfriado muito o amor, e eu saio feliz porque eu sinto que renovou.

Então, o desejo que eu me encontro hoje é de buscar. Deus falou para mim assim: se você bater, você vai achar. Amém! Então agora eu vou insistir, porque a gente tem notado que não consegue fazer. Assim, o doente continua doente, quem está oprimido continua oprimido; eu não consigo caminhar mais. Eu falei para Deus: Senhor, eu andei até aqui, graças ao Senhor, mas não vai mais.

 Então, falta alguma coisa, eu tenho insistido, não é fácil, existe muita ansiedade dentro de mim, mas, feliz, como o pessoal comentou, concordo com todos, feliz de ter esse pessoal aqui, tem muitas pessoas que me ajudam. Amém!

Então, o encontro foi importante para você em que sentido?

Alguém: Foi importante no sentido de eu realmente insistir.

Abriu para você um espaço para você continuar caminhando, te deu esperança. Amém!? Trouxe alguma coisa nova?

Alguém: Trouxe.

Amém! Então Deus abençoe. Outra cidade? Então, agora, Goiânia. Pires do Rio? De Catalão, só tem um, Pires do Rio tem dois ou três, de Silvânia tem três. Para não alongar muito, alguém dessa região aí?

Alguém: Amém! Realmente valeu, mas eu acho que não só para mim, mas para todos que estão aqui, eu tenho certeza de que vamos sair renovados.  Eu estou em Catalão, mas eu também sempre estou em Pires do Rio. Lá em Catalão, estou só eu, e eu devia já ter buscado outras ovelhas também, mas realmente ainda estou buscando para mim. Mas eu vi, como o irmão começou falando, a gente não obedece nem o pai da gente, imagine a Deus.

Em todos os encontros que eu vim, sempre vai acrescentando. Mas, como o pessoal falou, esse acrescentou ainda mais, porque, realmente a gente tem que ter o Espírito de Deus dentro da gente, seja no trabalho, seja na faculdade, seja no relacionamento, seja com seus pais, onde você for, tenho certeza que você vai precisar do Espírito.

 Igual o Senhor tinha falado no início das reuniões, no final, nem sempre a gente vai ter o senhor, não vai ter uma bíblia, tem que guardar a palavra dentro de mim, guardar para que eu possa usar quando vierem minhas dificuldades.

 Para mim, valeu demais, eu vou levar isso, porque vai voltar agora tudo de novo. E uma coisa que eu fiz esse ano também, que sempre eu só vinha no encontro de jovens, mas eu vou fazer um esforço para vir no outro encontro também. A gente precisa sempre estar buscando cada vez mais a Deus. É bater, eu penso assim, seja do mais jovem até o mais adulto. A palavra, como ele falou, não foi só para gente jovem, foi para todo mundo, desde cinco anos até sei lá quantos anos. Realmente, para mim valeu demais, eu guardei para mim e é sempre novidade, não parar de buscar a Deus. A gente não deve achar, como foi na visão, usar nossa coroa, achar que já sou santo.

Então, realmente é muito sério mesmo. É isso, irmão, falei demais. Mas, para mim, valeu. Mas tenho certeza que não só para mim, mas para a igreja de Pires do Rio, Catalão. Amém!

Alguém mais? Goiânia. O pessoal diz que o Luiz não serve não, porque o Luiz já está velho.

Realmente, ontem nós tivemos aqui, se realmente nós apertássemos mais um pouco, talvez até… a gente fica até com medo, entendeu? Eu fico até com receio, mas aconteceu realmente, assim, coisas que a gente viu que era sobrenatural. Principalmente, com as crianças, é isso que me motiva mais.

A menininha lá de Silvania, eu ia saindo, ela saiu comigo, me abraçou e disse assim: vô, me ajuda, eu não consigo parar de chorar. Eu ia embora, ela foi atrás de mim. Eu até chamei a Renata para cuidar dela. Então, realmente a gente fica assim, até com certo receio, mas foi muito bom.

Então, Luiz, vai ser você mesmo. Você é um jovem, velho, casado, mas…

Luiz: Eu queria que fosse o Fred, Téo, pessoal que nasceu aqui, porque eu acho que eu estou meio fora dos jovens.

Mas tem tantos jovens, Goiânia está cheia, tem uns cinquenta aqui, não é?

Luiz: Eu não vou falar muito igual a Esther, mas eu creio que foi muito proveitoso, porque, geralmente, a gente sai da reunião e fica com a palavra e fica com muita informação, mas eu vejo que esse encontro não foram muitas informações.

Na minha cabeça, eu fiquei com três partes: o Senhor começou a falar da obediência, foram as primeiras reuniões, que é a questão do governo. Aí a questão da conversão, e eu creio que fechou com a parte mais importante que parece até que mudou o assunto, mas não, eu creio que realmente foi transmitido para igreja o Espírito Santo. De uma forma diferente, de uma forma que nós realmente nos tornássemos um.

 Ontem, eu vi uma coisa que não é questão de emoção. Ontem, eu vi uma igreja espiritual comendo, espiritual conversando, o namorado com a namorada, mas uma coisa espiritual. Uma coisa que eu, na verdade, desejei desde o primeiro dia, no dia que eu pisei aqui, eu entendi que esse era o meu povo, esse era o meu lugar. Eu acreditei que eu veria essa igreja, eu estou muito feliz porque eu vejo que desde as meninas mais novas, igual a Natali, as meninas que eu vi bebezinha, quando eu cheguei, eu vejo que elas têm o mesmo espírito. Nós hoje temos condição de ter comunhão.

 Eu creio que uma pergunta que já, há dias, eu creio, que Deus vem mexendo comigo, que foi lido aqui,  quando os discípulos perguntaram pra Jesus: “Senhor, é nesses dias que o Senhor vai restaurar o reino a Israel?”, e Ele falou: “não, não cabe a vocês saberem o tempo ou as estações, mas vocês receberão a virtude do Espírito Santo”.

 Eu creio que agora, para os dias de hoje, não ficou só para receber a virtude, eu creio que Deus está realmente restaurando o reino a Israel. É esse povo, que nós fomos escolhidos, como a Esther falou, eu estou muito feliz, porque eu creio que, daqui para frente, a igreja vai começar uma nova etapa. Eu acredito nos jovens, acredito mesmo, acredito que daqui vai sair os filhos de Deus.

Mais alguém? Raquel? Nerópolis? Jaqueline?

Alguém: Amém. Esses dias, para mim, foram muito importantes, eu tive uma experiência muito boa. Muitas vezes, eu ficava, eu passei por muitos problemas esses dias e perguntei para Deus: “o Senhor está comigo?”. Fiquei perguntando, será que Deus não está comigo? Ontem, eu senti a presença de Deus, mas não foi como eu senti hoje, quando Deus realmente comprovou para mim que Ele é comigo. A Heloísa teve uma visão comigo que ele estava ajoelhado do meu lado e me abraçando. E eu levo para mim que ele é o meu guia, é ele que eu tenho que obedecer e é ele que vai me guiar. E que eu tenho que tirar minha justiça, porque é isso que atrapalha que ele chegue até mim. Amém!

Então, você acha que o encontro realmente marcou como os outros falaram, como o Luiz etc. Marcou uma nova, um novo pedaço no nosso caminho. Nós estamos caminhando em direção a um lugar, “há um lugar…” É um lugar, e esse lugar é o Senhor, nós estamos caminhando para lá.

Então, ontem, parece que nós chegamos, armamos o acampamento, fizemos a festa, e hoje nós estamos levantando acampamento para poder seguirmos rumo à Terra que Deus nos prometeu. Caminhando para esse lugar que ainda nós não chegamos. Um lugar onde o morto vai levantar-se, um lugar onde o cego vai enxergar, onde nós não vamos ter mais dor, oprimidos… Para este lugar que estamos caminhando.

Todos vocês estão recebendo de Deus o bastão para caminhar, não importa que você seja uma jovem, não importa que você seja uma criança, importa que todos estão sendo chamados para ir para esse lugar. Esse lugar é no Senhor. É por isso que você vai sair daqui animada, você vai sair daqui feliz, porque você falou com Deus.

Poderíamos ouvir muitos, mas o tempo já passou. Tem muitas visões, mas nós infelizmente não temos mais tempo. Mas tivemos muitas visões interessantes, muitos testemunhos. Eu sei que muita gente gostaria de dar o testemunho.

Vamos curvar nossas cabeças, fazer o encerramento bem suave, tranquilo.

Amém, Jesus, Senhor, obrigado! Graças a Deus por tudo; que nós realmente, como foi dito aí pelos jovens, eu sei que cada um, se pudesse, daria o testemunho do que o Senhor fez. Agora, imagina se o Senhor nos desse uma porção como o Senhor deu ali no dia de Pentecostes, será que o vaso que somos hoje poderia suportar? Será que a casa que nós somos hoje estaria preparada?

Mas eu acho que o Senhor deixou para nós um bom sinal. O Senhor deixou para nós uma marca de que o Senhor existe, de que os olhos do Senhor estão sobre nós, que ao levantarmos nossas vozes o Senhor nos ouve. O Senhor deixou para nós uma certeza de que nós precisamos do Espírito Santo, nós precisamos tê-lo como nosso amigo, tê-lo como nosso irmão mais velho, nosso companheiro. Nós não estaremos sós na nossa caminhada, nas nossas angústias, nas nossas tristezas, nas nossas dores. Haverá realmente um Deus no céu olhando para nós, haverá também um Espírito em nós, nos guiando, nos dirigindo, nos amando, nos carregando, muitas vezes, nos braços, nos lugares onde nós não poderemos sozinhos, mas o Senhor estará conosco.

Eu acho que essa foi a marca, este foi o sinal que o Senhor deixou para nós e nós somos gratos por isso, muito gratos por isso, em nome de Jesus, em nome de Jesus! Amém!

Nós estamos encerrando em nome de Jesus. Abrace seu irmão.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REUNIÃO DE JOVENS 2019

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11 – Reunião de jovens – Ansiedade e Depressão – 06/12/2019

 

Tinham cem ovelhas no aprisco, uma daquelas ovelhas desgarrou, ele largou as noventa e nove, e foi atrás daquela que precisava. Às vezes, a reunião todinha é feita por causa de uma ou duas pessoas que realmente precisam de salvação. Essas pessoas, em certas ocasiões, elas ouvem a música, uma palavra e de repente pensam diferente, mudam a sua maneira de pensar e aquilo para elas são.

Concordam que, se tiver uma pessoa, Deus vai fazer reunião por causa dos que estão alegres ou por causa daquele que está doente? A palavra vai ser dirigida principalmente por causa daquele que está doente; socorrer os fracos, aflitos, cansados, aqueles que estão precisando, não aquele que não está.

A primeira música está com a mesma direção da segunda e é interessante que o pessoal do louvor, durante o louvor, perceba isso. Porque, quando vier a palavra, você vai perceber que ela também está no mesmo sentido. E isso para vocês é muito bom.

A oração que você fizer, naquele momento, terá a mesma direção. Durante o louvor você vai perceber que Deus já está mostrando o que Ele está sentindo. Isso é como se Ele olhasse e dissesse: “tem alguém aqui angustiado e aflito, que precisa mais do que o Paulo, tem alguém aqui precisando mais do que o Luís”, Ele deixa as noventa e nove, e vai atrás da ovelha que está precisando.

Eu creio que hoje o assunto é esse e tem um versículo que diz: não andeis ansiosos [...], onde está?

“E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.” (L ucas 12.22).

O versículo diz, não andeis apreensivos [...]; apreensão e ansiedade são a mesma coisa? Tem alguma tradução que diz: não andeis ansiosos? Sim, então, apreensão e ansiedade são a mesma coisa. Uma pessoa apreensiva e ansiosa, o que isso significa? É uma pessoa preocupada. Então, vamos entender primeiro o que é ansiedade. Você tem estado assim, ansioso? Por que você acha que está ansioso? Alguém aqui tem andado ansioso? Mas, primeiro responda, o que é ansiedade?

Luiz: Eu entendo que a ansiedade seja uma preocupação excessiva por alguma coisa que ainda não aconteceu, ou vai acontecer, ou que eu quero que aconteça. Eu entendo isso, é uma preocupação, às vezes, você acorda de madrugada e não dá conta de voltar a dormir, porque tem compromisso, não dá conta de comer. É como eu tenho vivido, porque, infelizmente, a gente


acaba fazendo mais compromissos do que somos capazes naturalmente de cumprir. Talvez, o que era para fazer em um mês a gente quer fazer em uma semana, infelizmente, a gente acaba cedendo algumas pressões de todos os lados e acaba vivendo com ansiedade, sempre muito preocupado, com tudo muito em cima da hora.

A Rachel está mostrando o que ela escreveu sobre esse assunto no encontro de jovens de 2016. Ansiedade: ânsia, aflição, angústia, perturbação da alma. Eu já estive diante de um psiquiatra muito bom, aqui de Goiânia. Ele é muito procurado, a consulta dele é bem cara. Ele fala e admite que este problema está diretamente ligado ao espírito, à alma, que é a mente da pessoa.

O seu pensamento é o seu espírito; quando fala, nas escrituras, que nós temos a mente de Cristo, quer dizer o quê? Que nós temos o Espírito de Cristo. O grande problema da aflição, da angústia, da tribulação é que ela vem toda por causa do problema que está acontecendo na mente, ou seja, na alma, no espírito, está diretamente relacionada com seu pensamento. Você põe na cabeça uma coisa e aquilo te deixa ansioso.

Tem coisas que não fazem mal, a princípio não faz mal, por exemplo, esses dias o Neto teve um campeonato, torneio Inter médico, é uma olimpíada dos estudantes de medicina, vieram estudantes de todos os lados. Então, naqueles dias, o Neto ficou só por conta daquilo, a cabeça só pensava naquilo, ele ficou por conta daquilo, no que tinha que fazer, quando ele ia dormir, pensava no horário pra levantar, porque não pode perder a hora. Então, você fica numa ansiedade danada, não pode dar nada errado. E aquilo vai perturbando e, naquela noite, você não consegue dormir direito, você não pensa em outra coisa, porque você fica com medo de dar errado, de algo acontecer etc.

A Suzane mesmo trabalha com evento e, às vezes, tem um evento muito importante, aí ela passa a noite inteira acordada ou dorme mal, por quê? Ela fica muito preocupada e acorda de noite, de madrugada vai lá escreve alguma coisa. E isso se torna uma perturbação na mente, no espírito, porque fica sobrecarregando a mente e o espírito com muita preocupação.

Deus fala assim: eu aconselho você a não se casar, pois se você se casar vai ter mais tribulação, por quê? Se você tiver um marido ou uma esposa, já é um compromisso, ou seja, já não é só você. Caso você ficar doente ou ela ficar doente, você terá preocupação, se você tiver um filho, aumenta a preocupação, se você tiver dois, ou três, aumenta ainda mais. E aí depois vem neto, continua aumentando, quer dizer então que seu sossego acabou.

A ansiedade está ligada à tribulação do mundo de hoje. Antes, nós nos levantávamos de manhã e não pensávamos em nada, você não via um carro na rua, não tinha problema, não tinha nada, você botava uma calça, um suspensório de pano e colocava ele cruzado para ele não cair, estava bom. Eu era menino ainda, mas eu lembro dessas coisas e por que eu sei dessas coisas? Porque, eu, com 15 anos, vim para Goiânia e vivi sozinho, com essa mesma idade eu já me sentia adulto. E por que me sentia adulto? Porque, antes existia uma liberdade muito grande para você fazer as coisas, para você trabalhar. Uma criança não tinha essas opressões, esses medos, por exemplo, hoje dizem: ‘você não pode sair, você não pode ficar, não pode fazer, cuidado com isso, cuidado com aquilo’ e tudo isso causa apreensão. O que é apreensão?

Não andeis apreensivos, tudo isso causa ansiedade, isso é ansiedade. Antigamente, soltava o menino cedo na banguela. Aí o menino caçava passarinho, tomava banho no rio, não tinha preocupação nenhuma, entrava para o meio do mato e chegava só de noite em casa, mas não tinha a preocupação que existe hoje.

Toda hora, você tem que estar checando o telefone, isso mata a gente. Fulano está bom? Ciclano, onde você está? Quando você pega de lá uma notícia que vem em sentido contrário, isso te arrebenta. Agora eu pergunto, como vamos fazer para não andar apreensivos? Você concorda que todo mundo está andando apreensivo? Fulano já fez isso, já fez aquilo? Você já estudou? Já fez não sei o quê? No meu tempo, as crianças estudavam até quarto ano primário, aprendia a ler, a escrever, a fazer conta de somar e dividir e multiplicar, e só. Eu com sete anos entrei na escola, até os seis anos não entrava na escola.  Entrava com sete e saia com dez anos e acabou a escola, eram 4 anos apenas.

E hoje, a Priscila não dorme preocupada com medo do pai achar ruim e fica ansiosa, porque não tira nota que precisava tirar, não consegue fazer o que precisava conseguir, e assim vai, é um peso em cima da gente. Se deixasse ela livre, ela iria na escola por conta própria, você iria por sua conta? Não, ela iria para passear e tal, mas você concorda que ela sofre com essa apreensão? E isso é bom para ela?

Não! Aí dizem que isso é coisa à toa de menino. Se fosse falar com Amilce, ela tem uma ideia assim, quebra a cara (bate), mas será que resolve quebrar a cara da Priscila?

Antigamente, o menino não tinha muita coisa, às vezes, apanhava do pai hoje e amanhã estava normal não tinha problema. Hoje, ele assiste à televisão que mostra para ele que o pai não pode bater, que a mãe não pode bater, e isso traz para a cabeça dele pensamentos, ideias,e ele já toma conhecimento de uma coisa e de outra. Ele que não pôde brincar, não pôde ser um adolescente normal. É muita pressão e isso causa muita ansiedade.

Neto: Engraçado que associam a ansiedade ao medo. O Senhor deu o exemplo do celular que é uma coisa que causa ansiedade tremenda. Você manda uma mensagem para pessoa se ela não te responde em 5 minutos, você já começa a ficar com medo, o que aconteceu com essa pessoa?

Você pega um táxi e vai atrás. (risos)

 Neto: Na sua época nem celular tinha, então não tinha como ter essas preocupações, e hoje em dia, além de tudo (dos problemas), tem muitas coisas que colaboram para gente ter essa ansiedade, como: celular, televisão, colégio etc.

Vocês estão entendendo? Muitas coisas estão te causando ansiedade, são essas coisas que estão te colocando doente. Isso é uma doença é uma doença muito grave.

Neto: O senhor falando do campeonato, engraçado, que um dia antes do campeonato, quem disse que eu dormia? E eu fiquei muito bravo com isso, não é possível que eu estou ansioso por uma coisa boba dessas! E isso me deixou muito irritado à noite, fiquei virando de um lado para o outro.

Naqueles dias você assistiu alguma reunião?

Neto: Só no domingo de manhã.

E olhe lá! Assistiu domingo de manhã, mas pensando lá no treino. Saiu correndo para ir e quer dizer que você não assistiu à reunião, você não veio para reunião, entendeu? Não dormiu. E ele não sabe o mal que aquilo fez e daqui a pouco vem outros. São essas coisas que causam a tal da depressão.

O que é depressão? Depressão é ansiedade; a ansiedade, a angústia, são o que te levam a depressão. O que é depressão?

Funciona assim, a ansiedade te leva a angústia, que te leva a tristeza. Ela vem de repente, porque você de tanto ficar ansioso, também acaba ficando deprimido, oprimido e angustiado. O motivo é simples, você esperava tanto por aquilo e se aquilo que você esperava ansiosamente, não deu certo? Aí, vem a frustração, que te leva à angústia, a angústia à ansiedade e à depressão.

Então, nós temos que combater, achar um jeito de combater a ansiedade. Hoje, os pais exigem muito dos filhos e acabam colocando os filhos nessa situação, de tanto obrigar o filho a fazer uma coisa, eles acabam se tornando, mais na frente, uma pessoa doente.

O que é depressão? O que significa no dicionário?

Quando você fala, ali tem uma depressão, o que é? Em termos geográficos, é como se você estivesse caminhando aqui, e logo ali, tem uma depressão, um lugar baixo, um lugar mais baixo. Você está caminhando e tem um obstáculo, tem uma placa dizendo: depressão à frente, cuidado, depressão!

Então, é a mesma coisa, devia ter uma placa na sua frente dizendo para você: cuidado, depressão a frente. Felipinho, cuidado com a ansiedade, o excesso de preocupação, o excesso de cuidado, o excesso de trabalho, e tudo o que for em excesso gera ansiedade e ela te leva à, cuidado, depressão a frente. A depressão coloca uma pessoa no nível baixo.

Então, você nesse estado você não quer comer, não quer mais nada, não toma nem banho. Deus me livre, é um mal terrível. E aí a pessoa que fica em cima fica oprimindo mais ainda. A pessoa que fica em cima: a mãe, o pai fica em cima causando mais depressão; que situação! Que coisa difícil!

Abatimento de nível resultante de pressão ou de peso, excesso de peso, carga. Meu Jesus, tem misericórdia! Distúrbio da mente causado por sensação de peso, cansaço, ansiedade etc.

Esse distúrbio foi porque exigiu de você uma coisa que você não era capaz, uma coisa que você não podia. Por que não pode deixar a pessoa livre? Por que que ela não pode ceder? Mas alguém exigiu, ou você mesmo exige de você por ver os outros? Por exemplo, uma pessoa feia que quer ser bonita e uma pessoa baixa que quer ser alta.

Você começa a exigir da pessoa uma coisa que não tem jeito, uma pessoa gorda que quer ser magra, quase todas as pessoas que têm esse problema entra em depressão. Por quê? Porque, ela não se conforma. Então, vem um peso pela exigência e ela não se conforma.

O evangelho manda: “Tendo vós o que comer e vestir estejais contentes” (I Timóteo 6:8). Amém, Deus Proverá! Não deu hoje, por isso tem que vigiar, vigia, se não deu hoje, tem que dar? Vai ter que dar a qualquer custo? Calma, não deu, não deu, paciência! Como faz mal a tal da ansiedade, não deu tem que dar? Não, faz isso não! É melhor realmente: você não quer estudar? Não estuda, um dia se você quiser estuda.

Eu sai de casa com 15 anos, porque com 10 anos eu já tinha terminada a escola. Meu pai tinha oito filhos, três meninas no colégio de freira, um no internato lá em Ipameri, o outro parece que em Anápolis e meu pai não era capaz, não dava conta de mim não. Ótimo, daí que eu achei bom mesmo e fui vender pequi, tomate, engraxar sapato, vender pão, fazer minhas coisinhas com 15 anos. Eu não posso deixar você sair com dez, onze anos, pois com quinze anos eu tive uma doença e me desgostou de ficar lá em Pirenópolis.

Vim para Goiânia em 1960, no ano da inauguração de Brasília. Eu vim com um propósito, eu desenhei um quadro e ia levar para o Jânio Quadros, mas ele renunciou depois de seis meses de governo.

Eu falei, já que eu estou no embalo eu vou para Goiânia. Com 15 anos vim para Goiânia, eu estudei o dia que eu quis, eu fiz a hora que eu quis, eu joguei bola, eu fiz o que eu quis, se fosse para eu não prestar, eu tive oportunidade. Amém! Andei com maconheiro, passei noites na rua, cheguei em casa bêbado, naquela época, morava na república. Mas eu tinha que escolher, até o dia que eu fiz muita bobagem mesmo, e eu tive que pedir ajuda para Deus.

Vocês têm a oportunidade de pedir ajuda para Deus antes de fazer. Eu fui salvo pelo gongo, estava entregue às baratas. Por exemplo, quando eu fui lá em Fortaleza quando o pai dos Théos faleceu, pouco tempo depois fui em Fortaleza. Eu vi os meninos lá, a Rebecca, lá na praia à noite. Eu sei que eu encontrei a Rebecca, e um dos Théos lá na praia à noite, lembra Rebecca?

Eu fiquei pensando na Rose com esses meninos em Fortaleza soltos, quem que segura, a mãe? Com quatro meninos? Ainda mais ali, vai para a praia de Iracema e aí?

Então, às vezes, é melhor para vocês que estão ouvindo, que vocês mais do que nunca tenham esse cuidado. Qual cuidado? De evitar com todo esforço, evitar o quê? Não ser ansioso, evitar qualquer tipo de ansiedade. Amém! É muito difícil, eu sinceramente luto contra isso e luto pelos meus parentes diretamente relacionados, que são meus filhos, netos, a não…, mas é difícil porque eles não acreditam, não aceitam às vezes.

E a igreja? É igual filho, neto, mas, eu creio assim: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Todos os dias, Deus está falando conosco e Deus está alertando, principalmente, vocês que são jovens, a ter o máximo de cuidado com ansiedade. Porque a ansiedade é um passo para depressão e a depressão você fica com um abatimento moral, físico e adoece. Tem pessoas que vão ao médico, fazem os exames e a doença não aparece, dá disenteria, dá isso com aquilo e faz os exames, não dá nada, daí você diz: Mas estou sentindo, você etsá sentindo, mas não tem nada.

Há agentes depressivos, então comece a observar se isso é um agente depressivo. Cita um agente depressivo? Casamento, não é tanto assim. Agora, celular é um agente depressivo, o que Deus falou comigo? Joga WhatsApp fora, mas por quê? Joga enquanto não fede, porque vai feder, tinha uma tina cheia de vísceras, joga fora, porque vai feder.

Por esses dias, eu usei de novo WhatsApp, pois a Amilce passou na Alemanha cerca de um mês e para eu entrar em contato com ela era por meio do WhatsApp. Ela chegou e o WhatsApp não queria sair, ela chegou, o Daniel vinha falava uma coisa, o outro falava outra coisa, mas eu preciso tanto, eu quero entrar em contato com fulano, só sei que foi duro para tirar o WhatsApp, sinceramente, mas graças a Deus eu joguei fora.

Um agente depressivo chama-se celular e todos os meninos, pequenininhos, criancinhas ainda, a primeira coisa que os pais fazem é dar um tablet para eles brincarem e mal sabem os pais que ali estão encaminhando o filho deles.

Mas a imprensa, o mundo não pensa assim, não. Presta atenção, o mundo principalmente a Globo, se eu falar isso mandam me prender, os Direitos Humanos, Deus me livre tem que dar o celular para todo mundo.

Isso é obra de Satanás! Outro agente depressivo? Bebida, cartão de crédito, cartão de crédito facilita a dívida, a compra te deixa dependente. Televisão, os meninos lá do meu tempo você não achava menino com problema de depressão. Por quê? Eram todos pés no chão, aquela roupa ridícula, coitadinhos, fazia um esforço danado para poder comprar, era umas coisas assim de menino mesmo, era coisa muito simples.

Desde a década de 60 para cá, a década de 70, que estragou, acabou entrando ideias no mundo. Tiveram umas ideias e o mundo pegou, Sigmund Freud (psiquiatra) dizia que a criança, que os jovens tinham que ter liberdade. Aí começou a vir aqueles meninos cabeludos e droga, tudo começou nessa época.

Agentes depressivos, como: celular, os aplicativos (todo dia surge um), a televisão, você toma conhecimento do negócio e sai falando; as cores, naquela época eu trabalhava numa loja que vendia tecidos e as cores, as peças de pano, roupas feitas, praticamente não existiam, existiam tecidos para poder fazer a roupa, para homem era essa, e não tinha muita escolha e não interessava se todo mundo tinha a mesma cor, até era bom, porque se você visse todos comprando aquela cor você queria também. Hoje não, se fulano tem igual o outro não pode ter; se o rasgado de um é aqui o outro tem que rasgar em outro lugar; a diversidade de cores, a moda, você fica ansioso e sente-se mal até, porque você tem que escolher uma opção e não sabe qual escolher. A pessoa que, às vezes, não pode ter algo fica ansiosa porque não pode ter. Quando ela tem um celular e o celular é muito ruim, ela fica mais aborrecida, ansiosa, chateada, amolada e aí vai desencadeando uma série de coisas.

O deus desse século é o mais interessado em deprimir, ele é o mais interessado em que as pessoas todas estejam dependentes dele, ninguém mais interessado nisso, todo mundo dependente dele. Tem uma coisa para deprimir mais que saúde, plano de saúde, lá a gente morria com 40, 50 anos 60 no máximo, mas morria bem tranquilo, morria bem melhor, morrendo numa satisfação danada. Hoje, fica espremendo, jogando a gente, jogando para cima e num sofrimento lascado, não morre não, vamos empurrar você mais para cima. Estado deprimente, festa, ambiente, local de trabalho, trânsito, 44, feira, relacionamento, amizade, conforme o relacionamento eu já vi pessoas passar mal por causa disso, as amizades são um perigo.

Nós falamos dos fatores, do estado. Vocês viram que tudo isso tá tornando a população doente, tem uma coisa que eu sei, mas eu não vou falar com vocês não pra não oprimir, não causar mais problema.

Por que a palavra de Deus é o melhor remédio para curar a depressão? Para mim não tem melhor remédio. Por quê? Se vocês quiserem responder hoje ou na próxima reunião a gente espera.

Isabela: Eu via no começo da reunião que a gente estava numa guerra. Percebia que algumas pessoas estavam feridas, é como se a bomba tivesse atingido perto da pessoa e a pessoa levou um baque. Eu via a pessoa atingida, ela ficava tão ruim que ela não conseguia sair do lugar. Logo, vinha uma outra pessoa, eu via que era daqui, e ajudava ela a levantar e a sair daquele lugar. Eu via muitas situações.

Você falou que tinha uma pessoa e não algumas pessoas.

Isabela: É, porque eu via várias situações, por isso falei, as pessoas.

A princípio, Deus quer nos mostrar que é uma guerra e o inimigo não está fazendo graça não. No final da segunda guerra em 1945, Hitler com aquela…, o Estados Unidos apelou, logo, lançou a bomba atômica lá em Nagasaki e Hiroshima, essa bomba dizimou a população, e com isso, terminou a guerra, porque ela ameaçou os demais países. E quem arcou com as consequências foi o Japão, com as duas cidades que foram dizimadas.

Certamente, o inimigo, vendo que ele está sendo rigorosamente ameaçado, soltou uma bomba e essa bomba está causando sérios prejuízos, o que vamos fazer? Pelo jeito que está aí, não tem como você fugir, se a bomba caiu, pelo menos, um estilhaço, uma poeira pega em você, uns são atingidos mais do que os outros.

Quem foi menos atingido socorre aquele que foi atingido mais, é isso que nós precisamos entender, porque quando você não está tendo problema nenhum, procure entender para você ajudar, você pode ajudar? Então, você se cuida, se protege da bomba, esconde no lugar onde a bomba não te pega e você tem que ficar em condições de socorrer aquele que foi atingido.

Você percebeu que a Priscila foi atingida ou a Júlia, Luiz nós vamos fazer o quê? Vamos socorrer, amém!? Qual foi a pergunta que eu fiz? Por que a palavra de Deus é o melhor remédio para cura da depressão, da angústia, tristeza?

Por exemplo, se a ansiedade não te levar, você pode ser curado, rapidamente. Se você perceber que a angústia vai te levar, logo, você acha um jeito de curar a angústia, antes, que ela te leve a depressão. Por que a palavra de Deus é o melhor remédio? A depressão coloca a pessoa para baixo e a palavra de Deus?

O mundo te oprime, deprime, te aflige, porque vai colocando você para baixo. Às vezes, os próprios pais são agentes depressivos; os irmãos, parentes são agente depressivo, muito mesmo. É um perigo, são os principais agentes usado pelo inimigo, são os próprios parentes próximo que vão pesando colocando peso.

A palavra de Deus faz o contrário, te coloca lá em cima. Deus sempre fala com aqueles que nele acreditam, em sentido contrário ao daquele que nos deprime. Por exemplo, alguém chega para você e fala que você não presta, Deus fala para você que você não presta? Não, ele te ama, ele te anima ele vai dizer para você: você é importante.

Ele fala que você vale mais do que o capim, bom demais você não sabe a importância que tem o capim. Deus nos convence, ele mostra para você o quanto o capim é importante e você é mais importante ainda que o capim.

Ele não deixa você, a palavra de Deus é sempre mostrando pra você que o mundo é podre e você não. Você não é podre, o mundo é mau, você não, sabe por que você passa por isso? Porque você é bom e o mundo é mau. Meu filho, você vale muito mais do que você pensa.  Jesus Cristo vai dizer para você: “o mundo me tratava como um lixo e hoje eu estou assentado no mais alto lugar que eu pudesse sentar”. Amém! O mundo me tratou como verme, no entanto, ele morre e Eu estou vivo. Eu sou o que vivo para sempre, mas, olha só, como foi que o mundo me tratou, eu não era bonito, não era importante para ninguém. Fica comigo, larga isso aí e me segue, vamos juntos eu quero estar com você.

Então, Deus deprime você, ele abaixa você? Não! “Adoro um Deus santo e verdadeiro um Deus que me leva a crer…” foi Deus que levou ele a crer. O Miguel era um pedinte, cachaceiro, andava pela rua com a mulher, pedindo esmola.

Deus o levou a crer, levantou a cabeça do Miguel, por isso que eu falei que a música estava relacionada. “Mesmo quando eu chorar, mesmo quando, às vezes, a dor não suportar…” Deus pegou o Miguel e colocou lá em cima. Deus sempre te coloca no alto retiro, num lugar que você se sente bem, alivia, enquanto, a depressão, angústia é a consequência de abaixamento do nosso nível, da nossa condição fisiológica, especialmente, psicológica, já a palavra de Deus ela combate a depressão te animando, te colocando em um estado oposto.

Maior é o que está em mim do que o que está no mundo. Amém! Eu sou herdeiro de Deus, eu vou para o céu, eu tenho Senhor comigo, Ele te coloca no alto nível. Ela diz: eleva teus olhos, não olha para baixo, olha para cima, eleva os teus olhos, Ele levanta da opressão o necessitado.

Salmos 107: 41; Jó 5: 18; Isaías 40:27 -31; Isaias 41:10-13; Marcos 11:24; Marcos 10:46-52.

“Porque ele faz a chaga, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam. Em seis angústias te livrará, e na sétima o mal não te tocará. Na fome te livrará da morte; e na guerra, da violência da espada.

Do açoite da língua estarás abrigado; e não temerás a assolação, quando vier.

Da assolação e da fome te rirás, e os animais da terra não temerás.” (Jó 5:18-22).

 

“Em seis angústias te livrará; e na sétima o mal não te tocará.”

Jó, numa situação difícil, falou: você pode confiar nele porque é desse jeito. Quando a gente acredita e pega uma palavra de Deus.

“Por que pois dizes, ó Jacó, e tu falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao Senhor, e o meu juízo passa de largo pelo meu Deus?

Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? Não há esquadrinhação do seu entendimento.

Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.

Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos certamente cairão;

Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” (Is 40: 27-31).

 

Não é o caso, por exemplo, do Luiz que está cansado, com sono, “mas, os que esperam no Senhor… não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão…”, por quê? Realmente o mundo nos deixa…, mas Deus não está te colocando lá em cima? “Mas os que esperam no Senhor, os que confiam no Senhor, os que ainda perguntam por Deus, não se cansam de lutar. Mas, qual é o problema? A pessoa cansou, desanimou, entrou em depressão, ela desistiu, é um perigo! Meu Jesus!

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te esforço e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça. Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se irritaram contra ti; tornar-se-ão nada, e os que contenderem contigo, perecerão

Buscá-los-ás, mas não os acharás, e os que pelejarem contigo, tornar-se-ão nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo. Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, que eu te ajudo.” (Is 41:10-13).

 

Se você tem Deus te ajudando, acabou. “Eu Sou Deus, não tem outro Deus, se eu estou te ajudando, mesmo que você morra, eu vou estar com você. “Porque eu sou teu Deus; eu te esforço e te ajudo”, eu enfatizei muito isso “Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, que eu te ajudo”.

Ele é o nosso ajudador, salvador, Ele é o nosso Pai, Senhor, Amigo, quem tem Jesus como Amigo, Senhor, Ajudador, vai precisar de alguma outra coisa?

Deus sempre está nos corrigindo, mas nunca nos deixa só.

“Por isso vos digo que tudo o que pedirdes orando, crede que o recebereis, e tê-lo-eis” (Mc 11: 24).

Pede, invoca o seu Deus, seu Senhor.  “Invoca-me no dia da angústia, eu te livrarei.”  Interessante esse daqui, também:

“E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim” (Mc 10:47).

É a história do cego. Você concorda que uma coisa que deve oprimir demais, angustiar demais, a pessoa é a sua cegueira? Aquele cego não assistia à reunião, não fazia nada, ficava lá, mas ele queria enxergar, ele ouviu Jesus passar e ele sabia, tinha ouvido, escutado a conversa do que Jesus estava fazendo.

Quando Jesus passou, ele ouvindo o barulho do pessoal:

E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer. Ele começou a gritar: ‘Ele vai me ouvir (Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim). Eu não estou te vendo, não estou vendo ninguém, não tem ninguém do meu lado,’ mas ele começou a gritar, Jesus de Nazaré, filho de Davi tem misericórdia de mim!Você pode usar a mesma oração e dizer: ‘Senhor eu sou como aquele cego que vê, que está precisando do seu socorro, da sua ajuda, da sua misericórdia, tem misericórdia de mim.’

Jesus parou e disse para os discípulos: ‘Chamai-o’. Chamou o cego e ele curou o cego. Se o cego tivesse ficado calado, quieto, não tinha sido curado. Se você acredita que ele te ouve, chama por ele, ou você vai deixar que a ansiedade, a tribulação, te leve ao estado pior da doença?

Jesus falou: vai e a tua fé te salvou.  Não foi a fé daquele cego? Ele não tinha nada para oferecer, mas tinha fé, você não tem nada para oferecer, mas você tem fé. Experimenta! Não fique esperando arrumar tudo para você poder ir até Deus, vá até Deus. Amém!?

Ansiedade vem de ânsia, quando você está com ânsia de vômito, é como, você não quisesse vomitar, mas a ânsia acaba te levando àquilo. Amém!? É uma tribulação, uma dor que vai até causar ânsia.

Deus falou conosco? Ajudou em que sentido?

Ana Laura: Escutando a reunião de hoje, eu fiquei mais animada, com vontade de seguir em frente, porque eu estava quase desistindo. Isso me deixou muito animada, agora, e eu agradeço a Deus.

Amém! Eu queria deixar vocês animados mesmo, não queria deixá-los mais deprimidos e pressionados, queria deixar você animados, porque você vale muito mais do que o quê? Capim. E você Priscila?

Priscila: Eu acho que me deixou mais aliviada. Amém!

Aliviada, o que Deus quer não é tirar de você o peso? Aliviou você, agora você vai deitar e dormir. Agora é hora de dormir e não é de ficar acordada. Eu vou dormir e amanhã o esporte vai ter que me esperar, eu vou dormir, o futebol vai ter que me esperar, eu vou dormir! A bomba está estourando e se eu bobear eu vou arrumar um problema de saúde, eu tenho que vigiar. Talvez, seja o ponto mais importante, o mais difícil para nós é vigiar, é a hora que você não pode aceitar o agente opressor, às vezes, eu posso até ajudar o Neto, porque eu estou mais perto dele. Neto! Olha o agente opressor. Às vezes, você pode ajudar o outro e avisar que a bomba está perto. Ana Laura! Agente opressor na redondeza. Lorena! Cuidado, depressão à vista, agente opressor solto na cooperativa, cuidado. Amém!

O Luiz acorda e se levanta às 6 horas da madrugada, aí já avisa, agente depressor à vista.

Luiz: Essa reunião foi para mim mesmo. Como senhor falou, pensa em uma pessoa que está extremamente pressionada, essa sou eu. Muito mesmo, ao ponto de chegar a pensar que não é capaz de suportar. Eu falei pra Deus isso hoje, às 9 horas da manhã eu pensei em ir embora para casa e encerrar o expediente, de tanta opressão, começou as 6 horas e terminou as 9 horas.

E compensa?

Luiz: Claro que não, dá vontade de morrer de tanto problema.

Não compensa.

Luiz: Eu orei.

 Aí você tem que abrir a boca, pedir socorro, ajuda!

Luiz: Eu lembrei daquela experiência que o senhor clamou no carro, divino Espírito Santo. Eu orei e lembrei daquela música da Suzane, “toda vez que eu me sinto só[...]”, comecei a orar, a chorar e lembrei que na música fala assim: “nunca te deixei e jamais te deixarei”. Aquilo me aliviou demais, a partir daquilo ali, eu estava na estrada viajei o dia todo, meu dia mudou, meus problemas foram sendo resolvidos. Mas antes disso, eu tinha viajado e os problemas ficaram aqui em Goiânia e todo mundo queria que eu voltasse, mas eu tinha que fazer a viagem e aquilo foi me oprimindo, mas, quando eu fiz essa oração, mudou o meu espírito. Quando eu cheguei aqui e o senhor falando da música do Miguel, da música da Suzane eu me identifiquei muito porque realmente são palavras de Deus, o louvor, que alivia o fardo da pessoa.  Por que a palavra pode me tirar da opressão e me ajudar contra a ansiedade?

A palavra de Deus, os salmos, realmente me colocam para cima, na hora que eu oro eu lembro que Deus é comigo, que Deus pode enviar um anjo lá nos agentes opressores, que eram as ligações que eu estava recebendo initerruptamente, estavam me oprimindo, e as coisas, aos poucos, vão sendo colocadas no lugar.

Para mim foi uma palavra de Deus, porque todo mundo é ansioso, mas ninguém imagina que, logo após a ansiedade, venha a depressão e talvez a pessoa não seja capaz de sair dessa situação.

Quando o Senhor falou: Ó Luiz! Olha a depressão! Eu entendi, claramente, que era uma mensagem para mim e que eu vou precisar de uma palavra de Deus, de me aproximar de Deus, para eu sempre ter uma palavra que me livre da ansiedade. Eu vejo que eu não posso me conformar com o fato de eu ser ansioso, mas, na verdade, a gente vai se conformando, e põe na cabeça, eu sou ansioso, ansioso. E eu não posso conformar que eu sou ansioso, preciso combater, porque o próximo passo é a depressão. Amém!

Uma coisa que usamos muito poucos são as nossas músicas, eu queria que a gente as usasse mais, porque elas nos salvam. Alguém teve uma visão que tocava aquela música e os anjos gostavam daquela música, você já lembrou qual era? Por que nós não tocamos nossas músicas? Nas nossas músicas está um agente aliviador, que poderia nos ajudar, mas nós só pegamos coisas que nos oprimem.

Amém Jesus, Pai nosso que estais no céu, como é verdade. Como nós nos deixamos ser enganados, vendidos. Nós nos deixamos ser vencidos por situações que nos oprimem, situações que nos afetam, nos causam esse mal.

Nós vamos aceitando, concordando quando na realidade isso não tem sentido, não é isso que nos convém, não é isso que o Senhor tem para nós. Por isso, eu peço ao Senhor misericórdia, eu peço ao Senhor, pela igreja, misericórdia, compaixão. Eu peço, meu Deus, em nome de Jesus, que o Senhor tenha piedade de nós, das nossas casas, dos irmãos. A igreja não está toda aqui, a igreja anda por aí cercada, aflita, a igreja anda por aí, assim, desse jeito.

Jesus, o que que nós podemos fazer? Por nós e pelos nossos irmãos, pelos nossos filhos, quando o Senhor disse: “chora, mãe, pelos teus filhos”, e é isso que nós precisamos fazer hoje, chorar pelos nossos filhos, netos, irmãos, pela nossa mãe, porque, às vezes, as nossas mães não foram capazes de chorar por nós, então, vamos chorar por elas, orar pelos nossos pais, pedir ajuda, pedir socorro.

Será, Senhor Deus, que os olhos do senhor ainda estão sobre nós? Será Jesus que nós podemos acreditar que embora não sejamos nada, embora nós sejamos errados será que assim mesmo o Senhor quer nos ajudar? Nos tirar dessa situação?  Essa situação de medo, de terror muitas vezes. Será, Jesus, que nós podemos realmente valer mais um pouco que a erva que seca, que é queimada? Meu Deus, venha nos socorrer, porque a angústia e ansiedade estão nos matando. Que nós possamos combatê-la usando a força, as armas que vem do céu.

Nós te pedimos em nome de Jesus. Amém!

 

 

 

12 – O Poder de Deus se aperfeiçoa quando somos jovens

 

Às vezes com uma imposição de mãos, uma oração, a pessoa consegue alcançar muitas graças. É bom que a igreja busque alcançar os dons, infelizmente nós vivemos uma época difícil, sobre a qual foi profetizado que viveríamos, uma época em que o poder do Povo de Deus seria tirado.

Você vê, a igreja já tem muita dificuldade para poder viver vendo as curas e os milagres; e se ela viver única e exclusivamente pela fé, uma vez que ela não vai ter poder, a força para realizar sinais e maravilhas como foi feito no início. Fica difícil, mas tá profetizado que a igreja, o poder do Povo de Deus será tirado.

Às vezes, você fica procurando ver um sinal e não vai ter. Jesus falou: “Geração incrédula pede um sinal” (Lucas 9:41), quanto mais se aproxima o tempo da apostasia, mais incredulidade, mais sinais queremos ver (Daniel 12: 7).

Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja;

Da qual eu estou feito ministro segundo a dispensação de Deus, que me foi concedida para convosco, para cumprir a palavra de Deus;

O mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos;

Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;

A quem anunciamos, admoestando a todo o homem, e ensinando a todo o homem em toda a sabedoria; para que apresentemos todo o homem perfeito em Jesus Cristo;

E para isto também trabalho, combatendo segundo a sua eficácia, que opera em mim poderosamente.” (Cl 1: 24-29).

Vamos ler Gálatas.

“Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura.

E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus. Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus.” (Gálatas 6:15-17.)

 

O que é que importa para Deus? É que a igreja O obedeça, que a igreja seja perfeita, a igreja tem que ser perfeita. Não sei se foi hoje de manhã que falamos ou foi ontem à noite, que Deus tem que tirar o nosso pecado.

Quem lembra de um pecado que foi falado hoje de manhã?

- Igreja: ciúmes, avareza, inveja, cobiça.

Esses defeitos não vão fazer parte da igreja, do corpo de Cristo. Então, se uma pessoa tem inveja, Deus vai tirar a inveja da pessoa; ela não vai para o céu, fazer parte da Igreja, do corpo de Cristo sendo uma pessoa invejosa, que cobiça as coisas dos outros; que tem pecado qualquer que seja o pecado.

Paulo diz assim: “Que em Cristo não importa outra coisa a não ser que a gente seja uma nova criatura”. Em Cristo, o que significa?

Já falamos algumas vezes que a igreja é o corpo de Cristo, em Cristo quer dizer: na igreja.  A igreja é o corpo de Cristo. Se você quer fazer parte da igreja, você quer fazer parte do Povo de Deus, você quer ser salvo pela graça. Você acredita em Deus, acredita no inferno, você acredita nos demônios, no mal, no bem; você acredita em Deus e quer fazer parte do Povo de Deus, ou do povo do diabo? Você quer fazer parte daqueles que serão salvos e vão habitar o céu com Deus, ou você já admite até ser um visitante lá do inferno?

Eu acho que não, acho que todos nós queremos ser salvos, todos nós queremos Deus, nós queremos ser de Deus. Quem não quer ser de Deus? Eu quero pertencer a Deus, quero ser de Deus, Quero fazer parte do Povo de Deus.

Então, o Povo de Deus é o corpo de Cristo, é aqui neste lugar; esse é um lugar onde o que que é importa? É que basta você ser numa nova criatura, porque essa natureza, esse homem que aqui está cheio de maldade, pecado, defeitos não pode entrar no céu; “Carne e sangue não herdarão o reino de Deus.” Então basta que você seja uma nova criatura, todos nós esforçamos para ser uma nova criatura, um novo homem, um filho de Deus.

Não tem jeito da pessoa fazer parte desse corpo se ela não for uma nova criatura, ou melhor se ele não admitir, não aceitar que os seus pecados sejam tirados, arrancados dentro de você.

“Os filhos de Deus serão provado como se prova o ouro e a prata,” e Deus prova; como falei hoje de manhã, se a pessoa tem ciúme, Deus vai criar situações que permitam seu ciúme vir à tona, para que você admita que tenha ciúme e peça a Deus: ‘Senhor, tira esse ciúme de mim;’ e, se você realmente quiser, Deus vai e arranca isso de você, para que você não tenha mais ciúme. Se você tiver inveja, a mesma coisa. Deus vai criar uma situação que faça com que você inveje, porque tem muita gente que é assim; não pode ver o outro bem sucedido, que tem inveja; inveja é uma coisa que quase todo mundo tem. Tem uns que invejam o filho do outro, se o filho do outro é inteligente, ele tem inveja porque o filho dele não é inteligente; aí um compra um carro, ele tem inveja daquele carro. Gostaria também de ter um carro daquela forma, ele poderia desejar um carro daquela forma, mas sem inveja. Então a inveja é uma coisa maligna, é um mal que precisa sair, ser tirado do nosso meio.

Regozijo-me agora no que padeço por vós…” (Cl 1: 24).

Presta atenção, toda a igreja padece, sofre. Padecer significa sofrer, mas sofrer com alegria. A gente sofre. É um sofrimento misturado, contentamento, por exemplo: Paulo falou assim: “Eu me alegro em trabalhar para Deus, eu me alegro em servir a Deus.” Qual é o trabalho de Deus, qual é a obra de Deus? Tirar o pecado das pessoas.

Levar as pessoas para esse lugar, esse é o nosso trabalho e você precisa fazer esse trabalho, porque Deus vai nos recompensar por esse trabalho. Quem não salvar uma alma…, como você salva uma alma? Tornando aquela pessoa perfeita, e uma pessoa perfeita é uma pessoa sem pecado. Na prática, é fácil fazer isso? Por exemplo: é fácil você pegar um viciado em droga e ajudá-lo a se ver livre daquela droga, é fácil? Não, mas por que, às vezes, conseguimos fazer isso?

Um viciado em bebida. Hoje em dia, o pecado tem se tornado tão violento que essas coisas ficaram até fáceis: bebida, cigarro, ficou assim, segundo plano, tendo em vista que hoje existem pecados mais violentos. Estão dominando, estão estragando o mundo, as trevas ficaram cada vez mais poderosas.

Então, o nosso trabalho é arrancar a pessoa, tirar a pessoa das mãos do diabo, do Poder de Satanás e trazê-la para Deus. De que forma? Tirando o pecado daquela pessoa, fazendo com que a pessoa não peques mais.

Temos que imitar a Cristo, trabalhar para Deus, dar a vida pelo irmão que peca, que está errado; você dá a vida por ele. Não é acusá-lo, não é apontar os defeitos dele, não é pesar o fardo dele mais do que já está pesado, não é aumentar a dor daquele irmão, mas ajudá-lo a se ver livre daquele pecado.

Você sabe que com aquele pecado existe um demônio, um espírito maligno junto com aquele pecado, habitando aquele corpo?

Todo mundo que fizer esse trabalho vai padecer; pois não é fácil, por isso que ninguém quer fazer, por isso que as pessoas fogem dos pecadores, afastam-se dos pecadores e os pecadores estão aqui entre nós, na verdade nós o somos.

Deus disse que não veio salvar senão os pecadores. As pessoas que entram para nosso meio, que vem para cá, as pessoas que estão aqui conosco são as pessoas que querem ser salvas.

Qual é o trabalho da igreja? Apresentar todo homem perfeito, esse é trabalho da igreja. Toda igreja tem esse mesmo trabalho, apresentar todo homem perfeito, sem pecado.

Eu tenho três, quatro, cinco; o Alisson, a Ivanilde tem três, quatro, cinco por quem você padece, sofre; por que você sofre? Porque não é fácil. Ninguém quer ter problema com os pecadores. Ajudar uma prostituta, ou um prostituto, a largarem de prostituir – para você ver que não é fácil; ajudar uma pessoa a largar de beber; ajudar uma pessoa a largar de roubar. Põe no seu coração: “Eu vou ajudar aquela pessoa, eu sei que é ladrão, eu sei que ele rouba, vou ajudá-lo a deixar o roubo. Se você salvar aquela pessoa do roubo, você pode estar levando aquela pessoa para o céu, mas é um trabalho difícil.

Alisson: a primeira vez que ele te roubar, você larga ele.

Como o Alisson está falando, ele pode roubar de você e você não deve largar.

Alisson: Aí eu não vou nem arrumar um desses pra não ter que não largar, não vou nem vou arrumar. Deixa-o longe de mim mesmo porque realmente os problemas da gente já causam uma confusão. Então a gente não quer saber de ajudar ninguém. Você até quer, mas é bonito falar enquanto não começa ajudar, quando você começa, eu penso, eu nunca tentei ajudar a ninguém, mas à hora que você tenta ajudar deve ser uma dificuldade danada.

É uma dificuldade danada, mas você tem que pegar assim, você tem que ter fibra, fé, coragem,

Alisson: Deus principalmente.

Ousadia e acima de tudo Deus.  Porque se você for ajudar, se você for fazer esse trabalho primeiro, Deus já vai ficar alegre com você, ele vai estar com você. Pode ter certeza de que ele vai estar com você, você vai poder enfrentar. É como quando Davi enfrentou Golias, quando ele propôs no coração em ajudar o povo de Israel, que tinha Golias como inimigo e vinha para arrasar com o povo de Israel; quando Davi propôs-se a ajudar, quem foi com ele? Deus foi com ele.

Se você colocar, propor no seu coração como Jesus Cristo fez: “Pai, eis-me aqui,” não tinha ninguém para ajudar, para salvar o mundo, “eis-me aqui, envia-me.” Humilde, simples, Cordeiro. Amém!

Faz em mim a tua vontade. Deus vai com você Alisson, não é você sozinho que vai fazer não! Não é você. Isso que, às vezes, acontece com a igreja, porque a igreja se acomoda, omite-se, quando muitas pessoas estão necessitadas, às vezes, até entre nós precisamos de ajuda. Por quê? Porque o Alessandro só serve para Deus de que maneira?

Alguém: Santo.

Sem Pecado, sem defeito, “Apresentar todo homem perfeito” (Colossenses 1:28). O Humbertinho só serve para Deus?

Alisson: Perfeito. Impossível.

O Fernando Só serve para Deus? O Alisson Só serve para Deus?

Alisson: Também impossível, aí é certeza.

Só serve para Deus perfeito. Amém!? Todos nós precisamos de alguém para nos ajudar, ninguém vai se não tiver alguém ali para nos ajudar. É como a árvore, que tem um tronco de onde você recebe a seiva, os galhos, as folhas recebem as seivas, os nutrientes da terra, que vem para alimentar os galhinhos pequenininhos que estão lá em cima.

Uma pessoa que não está sendo santificada, aperfeiçoada que não está assistindo a seus pecados saírem, uma pessoa que não está percebendo que os pecados dela estão saindo, ela não está sendo preparada para céu, ela precisa sentir que cada dia ela está melhor; sentir que cada dia é mais Santo. “O santo santifique-se cada vez mais” (Apocalipse 22:11).

Você tem que perceber que está cada dia melhor, mais santo, mais perfeito; cada dia você consegue se ver livre de um mal graças a Deus. Eu matava, eu roubava, olha o verbo, eu bebia, eu fumava, eu brigava, eu irava, tinha inveja, cobiça etc… e cada dia eu me vejo livre de alguma dessas coisas. Amém!?

É uma pessoa que realmente está olhando para o céu, é uma pessoa que realmente quer Deus. Essa é carreira que nos está sendo proposta. Deus quer você perfeito, sem pecado;

Agora, nós não podemos brincar, se você acha que não está conseguindo, pede ajuda; se você pedir ajuda. Se não tiver nenhum entre nós para poder ajudar, Deus vai fazer o quê? Vai mandar um anjo do céu para te ajudar, ele vai mandar um anjo, escolher um anjo e vai dizer: ‘Vai lá, ali está uma pessoa necessitada e não tem ninguém que possa ajudá-lo.’ Deus vai mandar um anjo do céu pra te ajudar. Mas é preciso que você queira, que você tenha vontade, que você deseje.

Jesus nos dias da sua carne queria ser santo, perfeito, fazer a vontade de Deus, o que ele fez? Orações e súplicas, ele pediu ajuda para o céu. (Hebreus 5:7).

Cabe a nós, se quisermos vencer o diabo, vencer esse mundo tenebroso, esse mundo violento, esse mundo de pecado, você tem que ter arrependimento, você precisa ter vergonha de ser um pecador e dizer: ‘Não quero mais. Senhor, ensina o que eu tenho que fazer, me dá uma ajuda, se não há alguém entre nós, mande, Senhor Deus, um anjo do céu.’ Você sabia que os anjos de Deus estão ao nosso serviço? Eu duvido que uma pessoa carente, uma pessoa que precise, que queira, ore e não receba de Deus ajuda.

Nos dias dos Apóstolos, quantas vezes a pessoa chegava e dizia: ‘Eu vim te ajudar! O que você precisa?’ Amém!

Isto aconteceu conosco, já falamos, não custa falar de novo, quando eu passava perto da casa da Lázara e ela estava orando com o Ramiro. O Ramiro estava bêbado, e a Lázara estava orando, pedindo a Deus que mandasse uma pessoa para ajudá-la e eu estava passando na porta, na rua, achei por bem parar, e fazia muito tempo que eu não tinha contato com eles. Achei por bem parar e pensei comigo: ‘vou dar um alô para Lázara, quem sabe…’. Eu ia para casa da dona Jaci, parei toquei a campainha, ela falou: Quem é? Eu falei: o irmão Rossini. Ela respondeu: ‘Oi irmão, sobe aqui pelo amor de Deus, eu estava te esperando, já estava te esperando.’

Eu subi e foi a partir desse dia que eu assumi a Lázara e o Ramiro. Quanto tempo eu fiquei lutando com vocês, pelejando depois daquele dia? Umas duas semanas?

 Lázara: Irmão peleja até hoje.

Não foi um mês, dois meses, foi muito tempo. Eu lembro, quando eu estava no quartel, Eu lembro que eu saia para rua era difícil o dia que eu não passava na casa do Ramiro. ‘Lazara, como é que está o Ramiro?’

Ramiro: A semana toda o senhor passava lá em casa. Na terça senhor ia na casa do Sirlei, do Wellington, na dona Filó, aonde o senhor ia passava lá em casa. No dia que eu não queria eu escondia no lote vazio e na hora que o senhor ia embora eu saía.

Foi uma perseverança. Eu não tinha preguiça de ir lá no Parque Atheneu, onde você morava Homilde? Maísa, eu não ia atrás de você? Atrás do Chagas? Pois é, eu pelejo com você até hoje não é Homilde?

O que eu quero dizer para vocês… todos os lugares onde eu podia ir, lá na Ivanilde… por quê? Porque nós temos que apresentar a pessoa a Deus sem pecado, perfeita.

Eu vou chegar para Deus e dizer: ‘Eu lavo as mãos. Senhor, eu lavo as minhas mãos com a consciência tranquila de que eu fiz, corri, pelejei e me esforcei.’ Amém!

Nós não podemos ter uma igreja para assistir à reunião; nós queremos uma igreja que trabalhe… hoje eu já perguntei ao César, César como é que você está? Está precisando de alguma coisa? Ai você respondeu pra mim o quê?

César: mais ou menos, estou tentando.

Se precisar de qualquer coisa, César, não faça cerimônia, pode pedir. Tem qualquer um desses irmãos por aí ávidos para te ajudar. Amém!?

Eu lembro, ele não está no nosso meio, mas eu lembro de um rapaz, Amilce conhece, o Alisson deve conhecer, chamava-se Vanderlei, trabalhava no Adauto Botelho, mas ele bebia; o Vanderlei bebia que chegava feder, dava até mau cheiro de tanto que ele bebia, e a mãe dele era uma velhinha de cabeça branquinha, ela gostava demais de mim e o Vanderlei bebia. Ela mandava ir atrás de mim, quando não telefonava, ela  mandava recado pra mim, chamava-me de irmão, ‘Irmão Rossini o Vanderlei tá sumido, tá bebendo.’

Eu insistia com Vanderlei. Nós só conseguimos encontrar quando ele vinha para casa trazido, às vezes pela polícia. As pessoas traziam o Vanderlei semimorto e jogavam na cama. Agora você já imaginou, pregar o evangelho para uma pessoa desse jeito? O que que você poderia fazer para uma pessoa desse jeito? O que você poderia fazer?

Eu vou resumir para dizer o seguinte; Amilce, o Vanderlei bebe hoje? Wolmer, você conheceu ele, ele bebe? Ele foi curado da pinga? Foi! Não sei se ele crê, se é crente o que que ele está fazendo, eu só sei de uma coisa ele não bebe mais.

Mas eu ajoelhava na cama, eu não sei se eu sou capaz de fazer isso mais, e eu chorava como se ele fosse alguém meu. Chorava por ele ali pedindo a Deus para libertá-lo daquilo, tirar aquele mal. O Vanderlei não bebe mais.

Eu andava em Pires do Rio e eu sabia que tinha um senhor que bebia e era marido da Dona Dília, chama-se Jesuíno. Eu nem o conhecia, ai um dia passei pela calçada e alguém dizia: coitado do Jesuíno olha a situação que ele está.

Eu perguntei quem é Jesuíno? É o marido da Dona Dília.

Eu não sabia, eu não conhecia o Jesuíno. Caído lá na calçada, onde ele estava, eu sentei com ele, você sabe o tanto que é difícil o bêbado. Resumindo, o bêbado Jesuíno não deixou de beber? Deixou de beber, abandonou a bebida.

O marido da Onilia, Leôncio, eu ainda estava na comunidade quando a Onilia me pediu para ajudar o Leôncio, que bebia, mas bebia mesmo de tal maneira que tudo que ele tinha gastava com bebida. Depois que ele bebia, perdia o dinheiro, roubavam dele, tirava dele.

Então eles viviam uma vida de miséria, ele era funcionário da Rede Ferroviária Federal, mas quando ele estava dispensado do serviço, ia para pinga. E bebia. Eles não tinham nada porque gastava tudo na bebida. Eu passei ajudar o Leôncio. Às vezes, eu tinha que ir na casa do Leôncio três vezes por dia. Às vezes, a Onilia me chamava à noite, altas horas da noite: Rossini, o Leôncio e tal…. também para resumir; o Leôncio não bebe mais. Hoje é outra pessoa, depois disso, adquiriu muitos bens, prosperou na vida etc. Amém!?

Reuniu conosco algum tempo e depois foi embora. Deus não quer saber meu irmão, se aquela obra que você fez, se a pessoa vai permanecer, se não vai permanecer. Deus quer saber que você fez!

Então eu lembrei aqui de algumas pessoas na área da bebida, mas eu tenho também nas outras áreas, também eu não preciso aqui ficar falando para vocês o que eu já fiz.

Wilmar: igual o Ramiro falou, eu também já fugi do Senhor muitas vezes e tudo. Mas foi através da perseverança da Dora, e Deus abençoou e o senhor que todo tempo, toda vida, eu sei que o senhor orou por mim, pela minha casa. Graças a Deus já fazem onze que eu não bebo e, pra mim, foi como se não existisse a bebida. Eu estou aqui, pensando, o senhor está falando e eu aqui lembrando de mim também. Igual a esse eu sei que ainda vai sair o resto que precisa sair.

Amém! Isso que é o nosso trabalho, salvar vidas, tirar vidas do poder de Satanás. Você pode tirar qualquer um. Mas não é isso? Eu encontrei esse moço aqui a primeira vez que eu encontrei? Não, eu não vou abrir o verbo.

Josias: Igual o senhor estava falando, eu me sinto orgulhoso quando Senhor fala, quando lembra eu fico olhando para trás, naquela época eu comecei a reunir aqui, e realmente é o que o senhor está falando.

Eu não conhecia o Josias, aí uma festa na casa do Godoy, não lembro se era aniversário do Godoy, aí o Godoy falou assim: Eu queria que você conversasse com um irmão, tem um conhecido aí gente boa e tal etc. Eu não conhecia e o Godoy me levou lá para conversar com ele. Nós fomos pra uma sala, para um canto e conversar com Josias, não foi Godoy?

Gente, a gente não pode ter preguiça, medo, receio a nossa luta não é contra carne é contra os demônios.

Josias: Engraçado que quando o senhor falou comigo daquela vez eu estava tão possuído, carregado, que eu estava com a cabeça propensa a fazer besteira, até suicídio. À época, eu estava já a ponto disso, pensando besteira, extremamente perturbado, eu estava na escuridão mesmo. O dia estava escuro não estava enxergando nada.

Então, apresentar todo homem perfeito em Cristo. Claro que eu não posso ficar o dia inteiro atrás do Vilmar, do Ramiro, mas você encaminha. O Josias, depois disso, melhorou em todos os sentido a vida dele. Ou não? Você quer ser irmão dele? Ele melhorou em todos os sentidos.

Josias: alguma coisa vai fazendo, com certeza eu estava possuído; bebida, prostituição. Eu poderia estar envolvido nela hoje porque a minha cabeça ela estava para explodir. Então eu estava disposto a fazer qualquer tipo de coisa. O que que aconteceu…

Todo mundo presta atenção aqui

Josias: Eu estava com a cabeça cheia de coisa ruim. Dali para frente você não poderia esperar mais nada de mim não, o final poderia ser um suicídio. Eu ia prejudicar meus filhos, minha esposa. Meu irmão iria estar ouvindo alguma coisa de mim. Olha, o Josias aprontou alguma coisa. Aí você abaixa a cabeça… e hoje não, a caminhada ajuda a esclarecer, a pisar em terra firme a saber o que você vai fazer, pensar antes de fazer ajuda demais. Isso que o senhor está falando ajuda muito, a reunião que senhor está falando é isso ai, ajuda demais; porque hoje eu sei onde eu estou pisando, eu não vou sair fora porque sei que vou ser esmagado.

Amém!Um dia ele traz um irmão outro dia ele traz um outro irmão, outro dia traz uma irmã, outro dia ele traz uma filha.

Josias: Vejo o bichinho sofrendo, você está vendo o bichinho sofrendo e diz: Deixa-me levar esse homem para reunião que lá ele vai ver o que tá acontecendo, porque na verdade ele não sabe o que que tá acontecendo. Aí de longe você vê e diz: oh! meu Deus, igual o senhor falou quantas vezes o senhor chorou? Eu também choro. Nossa, aquele coitado você chega igual o senhor está falando, pregar para um bêbado, se pregar pra um sadio é difícil, imagine pra um bêbado?

Você sofre porque você chega lá o cara passou deu uma rasteira no coitado você chega lá e ele está até tonto. Aí você fala: meu filho vamos ali que você vai escutar e vai ver o que que está acontecendo, aí você vai saber o que que está acontecendo com você.

Doente mental, a pessoa pode ser doente mental pode ser o que for. O bêbado não tá ouvindo nada do que você tá falando não, mas você tá orando você está ali intercedendo por ele, clamando por ele, chora para quê? Para que nós vamos salvando um daqui, outro dali etc. A Nossa Alegria, Paulo falou, eu me regozijo, eu fico feliz, alegre de ver o resultado do meu trabalho.

Quando Josias não está aqui eu sinto falta, quando você não vem à reunião eu sinto falta. Amém!? Por quê? Porque eu temo perder você, porque eu sei o quanto você é precioso para Deus, o quanto é importante você para Deus.

Estou vendo aqui o Lucas e a Dani. se o Lucas faltar e a Dani aparecer vou perguntar para ela cadê o Lucas? Aí o Lucas está pescando, está bom. Pescando por enquanto, está bom. Fim de semana seguinte, cadê o Lucas? Pescando, aí já me assusta porque pescando toda semana.

Então nós vigiamos uns aos outros, cuidamos uns dos outros. A ovelha ela acompanha uma a outra, quando Jesus chegou no aprisco ali ele falou: Chamou pela ovelha, ele disse as minhas ovelhas ouvirão a minha voz. Todas nós somos ovelhas de Deus e quando ele chama uma todas as outras se apresentam.

Então nós olhamos aqui de cima, aqui de baixo estou olhando vocês eu sei quem tá prestando atenção, eu sei que não tá prestando atenção. A gente deveria cuidar, às vezes vocês acham um exagero quando eu falo o Fulano, beltrano traz aquele que está lá fora aquele que você vê que está faltando a reunião.

Ora por ele, clama por ele, invoca a Deus por ele. Amém!? Por quê? Porque o trabalho da igreja é apresentar todo homem sem pecado, perfeito. às vezes nós estamos vendo a pessoa e viramos as costas. Estamos vendo a pessoa pecar, estamos vendo a pessoa sendo tomada pelo inimigo e nós viramos as costas fazemos de conta que nós não estamos vendo, isso não está certo. Se você viu vai, enfrenta mesmo que você seja maltratado, mesmo que você não seja recebido, vai.

Como o Wilmar falou; quantas vezes o Wilmar escondeu de mim, o Ramiro escondeu de mim, quantas vezes eu fui posto para fora de casa, mas eu dou graças a Deus pelo que eu faço pela igreja.

Então presta atenção. Se Paulo disse: regozijo-me agora, eu também posso dizer isso. e eu tenho certeza de uma coisa, em Mineiros tem que existir alguém, em Pires do Rio tem que existir alguém. Amém!?

Em Araguaína tem que existir alguém fazendo o quê? Amém!? Por que que, às vezes, eu chegava a Brasília e falava: aqui em Brasília não tem igreja, os meninos ficavam bravo comigo por quê?

Porque em Brasília tinha as pessoas, mas não tinha…. ninguém padecia, ninguém queria assumir, ser o tronco onde as pessoas pisam para subir, onde você descansa, onde você se esconde do sol. É preciso que haja, Deus disse: em cada cidade estabeleça um ou dois em cada cidade. Nós precisávamos de fazer isso, lutar pela igreja, amar realmente a igreja, entender o que é que significa a igreja e trabalhar por ela. Amém!?

A árvore que não dá fruto, a figueira que não dá fruto como você pode avaliar o trabalho, sentir? O prazer de salvar uma vida, tirar uma vida da perdição, se você não se propõe a isso, não se entrega, não se oferece a Deus. Senhor, veja o que eu posso fazer. Amem!?

Com certeza nós seríamos um povo mais bem sucedido.

“Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida.

No caminho da sabedoria te ensinei, e pelas carreiras direitas te fiz andar. Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e se correres não tropeçarás. Pega-te à correção e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.

Não entres na vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus”. (PV 4: 10-14).

É isso que você vai fazer com a pessoa. Eu esqueci também tem um outro aqui importante, tem uma outra pessoa importante do nosso meio que eu esqueci, o Assis. Vocês acham o Assis, hoje, uma pessoa importante no nosso meio?

Igreja: Amém!

Eu acho Assis uma autoridade! Tem homem melhor do que Assis? Você já ouviu alguém falar mal do Assis? Alguém aqui falar mal do Assis, que ele tenha deixado de ajudar?

 

Se você ligar para Assis a qualquer hora, não estou puxando brasa para sardinha não, mas qualquer hora que você ligar para Assis e precisar dele, ele estará ali. A família do Assis não é uma benção?

Igreja: Amém!

Tem um genro que a gente não pode garantir muito, cadê o genro dele? Está aí não?

A família do Assis é uma benção. Dona Zefa, mas não seria uma judiação se o Assis continuasse a ser o que ele era no começo? Se continuasse, ele já teria sido expulso da corporação onde ele está, ele teria destruído toda essa família. Eu sei que talvez a Natiely não estivesse aqui bem casada. Porque a gente está falando aqui brincando, mas eu acho o Fernando, é muito difícil você arrumar um rapaz hoje que não mexe com prostituição, droga, que seja responsável, trabalhador, que chegue em casa todos os dias. É difícil minha filha, é como ganhar na loteria.

Agora começou lá atrás, alguém compadeceu do Assis, da situação dele, bebida. Tenho certeza de que, se ele permanecesse… gente nós não levamos para nenhuma casa de recuperação, para nenhum lugar especial, não ficamos pegando no pé, amolando, nada. Deus não fez? Não foi Deus que fez?

Se nós fôssemos mostrar cada coisa que Deus fez, e por que que você ainda não acredita? Por que você ainda é tímido? Por que que você ainda não dá um soco no ar e fala: Senhor, mande os bêbados, os oprimidos do diabo, manda, Senhor Deus, os que tiverem problemas de prostituição. Amém!? Os coxos, aleijados.

Estamos vendo que o poder do Povo de Deus está acabando, mas será que, se nós orarmos, vamos orar. Se o coxo continuar coxo, nós o carregamos. Amém!? Muitas vidas, muitas casas tiveram o prazer, quantas vezes Jesus falou: A salvação chegou a essa casa! A quantas casas a salvação chegou!

Chegou na sua casa, Dona Zefa? Não foi uma benção para a senhora? Amém!? Cida? Quandoconhhecemos a Abadia? E assim por diante.

“Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras…

Você é meu filho, minha filha na fé não me desobedece não! Eu estava até comentando, a pessoa não pode me desobedecer porque é meu filho, minha filha.

Paulo falou: vocês podem ter muitos aios, mas pai fui eu, que gerei vocês. Estamos aqui. A palavra foi falada em Pires do Rio de 15 em 15 dias, a palavra que está graças a Deus hoje através dos CD chegando. A pessoa que rejeita essa ajuda, eu não posso hoje, humanamente, não posso. Tenho 64 anos, não posso mais fazer o que eu fazia com 30. Amém! Mas a pessoa que rejeita a ajuda que Deus está dando através de vocês, daquele que está ouvindo o CD, lendo o livro… nós temos suficiente material para trabalharmos onde for. Vocês concordam?

Igreja: Amém!

Só nãotrabalha se não quiser fazer nada porque nós temos material suficiente para trabalhar. Se Deus lhe ensinou, você vai ensinar. Ensina, dai e dar-se-vos-á. Deus dá semente ao que semeia, se você propuser no seu coração: Deus, eu quero. Uma vez eu disse assim: é Deus, são os apóstolos, os profetas, os Evangelistas, os mestres, doutores, pastores etc. Esse povo tem que existir na igreja Deus. A igreja não precisa de apóstolo? Precisa de profeta, de Evangelista, de mestre, e doutores pastores? Precisa? A igreja precisa. Amém, André. E quem se ocupa com trabalho de Deus não tem tempo para pecar, quem se ocupa com a obra de Deus não tem tempo para pecar. Amém!? Para de pensar em bobagem, para de se envolver com o mundo. Pelo contrário, 24 horas é pouco para gente. E falta alguma coisa para nós? A nossa igreja não prosperou? A nossa igreja não ficou rica, olha o pátio aí, a nossa igreja não ficou rica? Rica, próspera. Amém!? Humbertinho tá rindo aqui, Humbertinho está de Tucson, você não tinha um cachorro, ele entrou aqui e não tinha um cachorro que puxava, não tinha nada.

Humbertinho: o Senhor estava falando do Ramiro, do Wellington, Fulano, beltrano, ciclano etc. Eu lembrei do Wender e lembrei de mim e assim como eu como o Wender, quantos outros estão aqui. A Paulinha, Roberta, o Júnior eu lembro quando eu cheguei lá no Vera Cruz uma vez.

Eu saí do Vera Cruz com a intenção de fumar um, como dizem. Foi em 1996, eu saí um domingo de lá do Jardim Olímpico e fui para o Vera Cruz. Peguei o ônibus e fui para lá. Quando eu cheguei lá, estava o Wolmer, Paula, Roberta. Nem existia Dairel, nem Rafael ainda. Eu cheguei lá o povo brincando de bola etc. Eu fui com a intenção, foi em 1995. Quando eu vi aquilo tudo eu achei diferente e depois daquilo eu fui embora, mas eu fui embora com uma visão. Fui embora sabendo que aquele povo era diferente e, quando eu voltei, foi em 1996, eu decidi. Cheguei numa reunião de sexta-feira, acabei com a reunião do Wolmer, porque eu falei para o Wolmer. Naquele dia, Wolmer sabe disso, Janeiro de 1996 eu falei assim: Aqui eu deixo a minha vida, aqui eu sei que tem um povo de Deus, que busca a Deus e esse povo eu vou ser e depois desse dia nunca mais eu saí.

Para nós encerrarmos.

“Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida.

No caminho da sabedoria te ensinei, e pelas carreiras direitas te fiz andar. Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e se correres não tropeçarás. Pega-te à correção e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.

Não entres na vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus.” (PV 4: 10-14).

 

Então vamos dar ouvido a Deus, vamos acreditar, vamos trabalhar para Deus. Eu quero que você pense nisso, apresente aquela vida que você tem certeza que foi salva pela sua palavra, foi salva pela sua ajuda. Amém!? E sinta-se como Paulo; eu me regozijo. Sinta-se feliz, alegre. Eu ajudei a edificar a casa de Deus. Eu ajudei a construir o povo de Deus. Amém!

Você quer o seu nome lá na placa? Eu ajudei aí edificar a casa de Deus, eu ajudei a construir o povo de Deus, amém!? Existem muitos que vão se perder, mas muitos que nós vamos conseguir. Muita semente que jogarmos vai ficar pelo caminho, passarinho vai comer, mas, meu filho, se você não semear, não vai colher nada. Semeia, e eu tenho certeza que alguma semente vai cair em terra boa. Alguma semente vai salvar muitas vidas. Amém!?

Deus abençoe você. Vamos curvar nossas cabeças. Amém!? Lucas, precioso irmão Lucas, André precioso irmão André. Amém!?

Amém Jesus, meu Deus. Eu dou graças ao Senhor Jesus. Ninguém pode dar testemunho de si mesmo. Porque quem dá testemunho de si é falso seu testemunho. Na verdade, o que nós estamos querendo nessa noite é da mesma forma como nosso irmão lá pode se alegrar, eu também quero senhor me alegrar. eu quero regozijar lembrando das vezes, dos momentos difíceis pelos quais nós passamos. Mas hoje quando vemos o resultado, nós sentimos, lamentamos não fazer mais. Lamentamos, Senhor Deus, porque esquecemos de que é assim que se faz a obra de Deus, de que assim que o senhor quer nos ver.

Ajuda-nos, Senhor, a voltar aos nossos primeiros passos, primeiro amor, primeiras obras, crendo basta uma oração, basta uma mão misericordiosa estendida a um doente, a um oprimido, a uma casa em aflição, basta uma mão ser estendida para que o Senhor possa visitar, para que o Senhor possa realizar o seu trabalho. Que nós possamos ter compaixão, misericórdia para que da mesma forma o senhor tenha misericórdia de nós.

Obrigado Jesus! Ajuda-nos, ajuda a produzir muito mais do que eu tenho produzido, a fazer muito mais do que eu tenho feito. Eu sei que eu sou capaz, eu sei que eu posso, tudo eu posso naquele que me dá força, naquele que me dá sabedoria, naquele que me ensina. Eu posso. Aleluia Jesus!

É dando que se recebe. Amém! Jesus te louvamos.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

PovodeDeus.org
Enviar via WhatsApp