Free songs

3 – COMO ESTÁ O SEU COMPROMISSO COM DEUS? – Reuniões Digitadas – Jovens Vol. VII. Reunião 15-11-2017 – Quarta-feira

3 – COMO ESTÁ O SEU COMPROMISSO COM DEUS?

A paz do Senhor esteja com todos. Amém!

Lucas 12:35-43

35)Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias.
     36)E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe.

    37)Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.

   38) E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos.

  39)Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria, e não deixaria minar a sua casa.

 40)Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais.

 41)E disse-lhe Pedro: Senhor, dizes essa parábola a nós, ou também a todos?

42)E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

43)Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.

Amém! “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe.

Naqueles dias, quando Jesus veio, ele falava das coisas concernentes ao Reino de Deus. Toda vez que alguém encontrava com Ele, o assunto Dele era o Reino de Deus. É assim que Ele quer que aconteça conosco, porque é uma maneira de nos proteger. Quando nós estamos sempre falando, quando você conversa com alguém em casa, no trabalho, onde você estiver, mesmo que o seu trabalho não tenha nada a ver com o Reino de Deus, mas a sua mente, o seu coração, a sua cabeça, estão ligados sempre.

24

Você aproveita todos os detalhes da sua vida para estar ligado ao Reino de Deus.

“Estejam acesas as vossas candeias”. Significa estar com os olhos abertos, atento, prestando atenção, falando, comentando daqui, comentando dali. Às vezes, como hoje, por exemplo, nós estivemos conversando em uma mesa, e tivemos ali uma visão interessante. A visão estava relacionada com o quê? Com o Reino de Deus. Porque nós estávamos ali falando sobre o Reino de Deus. E era uma conversa à mesa, não precisa ser isso aqui, não precisa haver um ritual, uma cerimônia, para você falar do Reino de Deus.

A sua vida, por si só, deve estar falando do Reino de Deus, falando com Deus. Paulo fala que nós somos a carta; o ideal seria que quando a pessoa nos visse, notasse alguma coisa diferente em nossas vidas. Notasse alguma coisa diferente no seu comportamento, nas suas atitudes. E, aí, quando você conversar, duas, três palavras, aquelas palavras que você falar ali, estarão sendo vigiadas pelos anjos, vigiadas pelo Espírito Santo.

 Seria muito importante que toda a igreja vivesse. Por isso que quando Pedro pergunta: “Senhor, é para nós? Para quem que é isso?” Ele não responde se é para um ou se é para outro. Essa parábola é para nós ou também para todos? Por acaso não somos nós todos, servos de Deus? Por acaso não somos nós todos, filhos de Deus? E como filhos de Deus nós não servimos a Deus?

Nós fazemos parte dessa mordomia, desse trabalho; todos nós fazemos parte desse trabalho. À hora que Deus, de repente, vir, é bom que Ele encontre você trabalhando para Ele. Que horas você acha que vai trabalhar para Deus? João Vitor, você trabalha para Deus, que horas? Que dia você começará a trabalhar para Deus? Quantos anos você tem, João Vitor? Catorze. Que dia você vai começar a trabalhar para Deus, ser servo de Deus? Então que dia nós começamos? Com quantos anos começamos? Você faz isso? Estou falando com o João Vitor aqui porque ele tem catorze anos e vai começar com quinze, dezesseis, dezessete, vinte, trinta, cinquenta… Você serve a Deus desse jeito? Trabalha para Deus desse jeito? Está servindo a Deus! você serve a Deus? Que dia você vai começar? Rafael, você serve a Deus dessa forma?. “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam…

Ele espera que a igreja esteja servindo, trabalhando para Deus o tempo todo.  E é uma garantia para nós. Por isso que nós somos fracos, por isso que nós caímos com facilidade, por isso que nós vacilamos muito. Uma hora nós estamos bem com Deus, outra hora estamos lá embaixo. Tem hora que nós estamos querendo arrancar o olho e dar para Deus, tem hora que nós estamos longe, envolvidos com as coisas do mundo. Frios, distantes…

Parece que tiramos férias. “Não, amanhã eu vou fazer isso para Deus”. “Não, essa semana eu não posso porque eu estou ocupado demais”. Será que pode ser assim? Vocês acham que pode ser assim? Não pode, gente!  É uma vida, é uma pessoa. É o Reino de Deus na terra, constituído pelos filhos de Deus. Então qualquer hora que você encontrasse com Jesus, Ele era o filho de Deus na terra, falando só

25

sobre as coisas do Reino. Ele poderia conversar, como eu falei, será que Ele não trabalhou com José lá durante muito tempo na carpintaria? Será que ele não fez outras coisas? Fez. E mostrava. Jesus não era uma pessoa que não precisava comer, vestir. Mas qualquer hora que você encontrasse com Ele, Ele sabia falar sobre o Reino de Deus, Ele sabia conversar sobre as coisas de Deus. Sobre as coisas que pertenciam ao Pai. “Uma comida eu tenho que comer, que é fazer a vontade do meu pai” (João 4:32). Qualquer hora que você encontrasse com Jesus, Ele sabia falar sobre as coisas do Pai.

         Nós lutamos contra um sistema religioso, contra o espírito religioso que é a maior perdição que existe. Nós achamos que o fato de frequentar, de participar de uma religião é suficiente. E não é suficiente. Eu tenho certeza que não é suficiente. Cada um vai se apresentar diante de Deus com aquilo que fez. Fez para quem? Para Deus. “Quando você deu aquele copo d’água, foi para mim; quando você falou com aquela pessoa, foi para mim. Quando você fez isso, foi para mim que você fez” (Mateus 25:34). Nós trabalhamos para Deus, nós servimos a Deus. Amém? Isaías 58 fala em mandar embora livre os oprimidos, ajudar aquele que estiver aflito, socorrer o necessitado. Evangelizar, pregar o Evangelho, falar de Deus, nós temos muita dificuldade para isso.

 Existe um espírito religioso que combate o Reino de Deus, que nos coloca em uma situação como se bastasse assistir uma reunião e estaria resolvido. Então é por isso que nós somos fracos, por isso que não suportamos; por isso que nós caímos com facilidade. Por isso que nós, às vezes, ficamos até doentes com facilidade. É porque nós não assumimos.

Nós temos um compromisso. Não é com a religião, não é com a denominação. Por que nós nos esforçamos para não denominar, para evitar a religião? Para que o seu compromisso não fosse comigo, não fosse com a cooperativa, com a Associação, mas que o seu compromisso fosse com Deus.

 Agora, eu pergunto: COMO ESTÁ O SEU COMPROMISSO COM DEUS? Conversa com seu vizinho aí; como é que está o seu compromisso com Deus? Porque, se eu ficar aqui, vocês vão ficar olhando para mim e não vai resolver.  Vou lá para trás ficar lá. Você conversa com o Chequer sobre o seu compromisso com Deus e o Chequer vai falar com você sobre o compromisso dele com Deus.

Como é o seu compromisso com Deus? Você tem uma aliança com Deus? Você tem um compromisso com Deus? Você serve a Deus? Trabalha para Deus? Ou não? Você trabalha para ele? Hoje, por exemplo, você fez alguma coisa? Você prestou conta? Você imagina se Deus viesse hoje… Você iria prestar conta, sabia? Vamos dizer, se você morresse hoje, você iria prestar contas com Deus. Sobre o quê? Sobre tudo que você fez ou deixou de fazer para Deus. É assim!

Ele fala assim: “…acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam…” Pessoas que estão esperando alguma coisa, porque, qualquer hora termina o meu tempo na terra. Aí, quando terminar o meu tempo na terra, acabou. Eu não posso fazer mais nada, nem para Deus nem para o diabo. Eu

26

não posso fazer mais nada para ninguém depois que terminar meu tempo na terra. E aí eu vou me apresentar diante de Deus, prestar conta.

Vocês concordam que os dias vão passando e, chega à tarde, à noite, e você pergunta: “O QUE EU FIZ PARA DEUS HOJE?”. Nada! Não lembra de nada. Ás vezes, você fez alguma coisinha, então lembra! você lembra de alguma coisa?

O samaritano podia muito bem, naquele dia, ficar feliz da vida porque ele fez uma ação, fez uma coisa para Deus. Então o Samaritano foi passando, viu uma pessoa doente ali, machucada, foi lá, atendeu aquela pessoa. Aí, ele fez aquele trabalho que ele tinha que fazer e foi embora. Eu acho que ele não saiu falando para ninguém, nem nada. Mas ficou nas escrituras a ação daquele Samaritano, considerada por Deus como uma coisa importante.

 Outra coisa também que parece não significar nada… A pessoa que estava doente, que era o servo do Centurião. Porque, normalmente, o patrão não interessa pela doença do funcionário. Normalmente o patrão quer lascar, oprimir o funcionário. O centurião tinha um trabalhador, um servo dele que estava doente e ficou sabendo que tinha ali na cidade uma pessoa que curava os enfermos, e que se chamava Jesus Cristo. O que o Centurião fez? Com pena do servo dele que estava doente e com medo do servo dele morrer, foi e pediu Jesus para fazer aquilo. Ou vocês acham que o Centurião estava andando atrás de Jesus o dia inteiro? Não, o Centurião encontrou com Jesus, ele achou Jesus porque o servo dele estava doente. Aí ele falou: “O Senhor não precisa… Eu não sou digno que o Senhor vá à minha casa. Eu só quero que o Senhor cure meu servo lá” (Mateus 8:8). Jesus considerou aquela ação como um ato de fé. Jesus considerou aquilo importante. Interessante que, depois que o servo foi curado, eu acredito que o Centurião tenha interessado muito mais pela vida de Jesus, tenha interessado muito mais pelas coisas de Jesus.

Quando você está servindo a Deus e alguma coisa acontece, reforça a sua fé, reforça sua vontade de trabalhar.  E quando você passa um, dois dias, uma semana, um mês sem fazer nada, parece que Deus nem existe. Então, Deus dá semente ao que semeia. Deus renova sua força. A planta, depois que começa a produzir fruto… Parece que Deus interessa mais pela planta que produz fruto. Ele interessa mais pela árvore que está produzindo fruto; aí ele poda a árvore, ele cuida daquela árvore com mais carinho para que aquela árvore produza mais fruto.

 É muito bom, para nós! Como eu estou falando aqui, o Centurião, eu tenho certeza que aquele homem, a partir daquele dia, as coisas mudaram na vida dele. Porque realmente ele presenciou o milagre. Agora, como que eu vou presenciar um milagre, como que eu vou tomar conhecimento do poder de Deus, se eu fico atrás da cortina? Se eu sou omisso?

O ideal é que nós estejamos… Estejam acessas as vossas candeias, estejam abertos vossos olhos, seja semelhante às pessoas que, quando Deus chegar, vai encontrá-las ativas, vai encontrá-las agindo. Se você, por exemplo, se dispor, e disser assim: “Senhor, hoje eu estou aqui à disposição, me manda em algum lugar. Será que não tem alguém precisando de mim?”. Você vai ficar surpreso com o que irá acontecer! Eu tenho certeza que, se você se dispor e disser: “Senhor, hoje é feriado,

27

ao invés de ir para a gandaia eu estou aqui à disposição do Senhor. Onde é que o Senhor quer que eu vá? Me mande a algum lugar, que esse dia seja um dia proveitoso, útil”, será que não acontecerá nada? Nós só vamos presenciar o poder de Deus, o milagre, as coisas acontecerem, se nós estivermos envolvidos vinte e quatro horas por dia. Eu tenho certeza que isso não atrapalha a nossa vida; nós continuamos vivendo, nós continuamos trabalhando…

Buscai antes o Reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33). Não temais, ó pequeno rebanho, porque à vosso Pai agradou dar-vos o reino (Lucas 12:32). O Reino de Deus foi dado a nós. Será que nós estamos cuidando disso com amor, com carinho, estamos gostando mesmo disso? “Está lá o irmão Rossini ‘pegando no nosso pé’ de novo! Mas toda reunião tem que estar ‘enchendo o saco’!” Vocês acham que é assim? Ou nós estamos aqui falando a verdade?

 Deus quis nos dar, nos entregar… Então o Reino de Deus na terra está com quem? Quem, na terra, fala sobre o Reino de Deus? Quem, na terra, anuncia? Quem, na terra, cura os enfermos, expulsa os demônios, socorre o oprimido, os aflitos? Quem, na terra, faz esse trabalho? Esse pequeno rebanho! Mas o diabo quer que nós ignoremos isso, vocês concordam? O diabo quer que você ignore, quer que você pense assim: “alguém tem que fazer isso, menos eu”.

Deus agradou, quis que o Reino de Deus, Ramiro, na terra, fosse entregue a nós. O Reino de Deus existe na terra? Sim. Nós ficamos com medo do diabo escutar, não é? O Reino de Deus existe. Agora, por que ele não existe ‘melhor’? Jesus cumpriu a parte dele, os apóstolos cumpriram a parte deles, tanto é que os apóstolos incomodaram o mundo. Nenhum deles teve vida fácil, eles incomodaram o mundo, eles honraram… “Por que, Senhor, o Reino de Deus é muito fraco, assim, praticamente não existe na terra?”. Mas vocês concordam que existem muitas religiões, muitas denominações? Mas pare e pense! O Reino de Deus mesmo, é fraco, praticamente não existe.  Mas poderia existir? Será que nós estamos aqui ‘fuçando’, tentando fazer com que isso aconteça no nosso meio, ou vamos renunciar também essa ideia maluca e vamos rezar? Que o Reino de Deus exista, que ele esteja entre nós. Que Deus faça alguma coisa e que faça através de nós!

 Você se dispõe: “Senhor, se for o caso, se o Senhor acha que eu sou digno de fazer alguma coisa, eu me disponho, Senhor. Me mande, usa-me. Eu quero ser usado”. Tem música nesse sentido? Tem. Amém!

  O quê que vocês acham que nos atrapalha a servir a Deus? Porque, na verdade, nós estamos chegando à conclusão aqui que nós não servimos a Deus, nós servimos a nós mesmos. “Tenho que fazer isso, isso, isso…”. Então servimos a nós mesmos. Quando você serve à Deus, você faz alguma coisa, não é que não seja para você, você não terá uma recompensa financeira, você não terá glória, não será nada… Como aquele samaritano, ninguém nem ficou sabendo, nem sei como foi parar na Bíblia. Mas é assim, quando você faz uma coisa para Deus, a recompensa será dada por Deus. “Comigo está o galardão, comigo está a recompensa”. Deus irá

28

recompensar a cada um de acordo com as suas obras, de acordo com o que você fez. Às vezes uma oração, uma visita, um conselho, um abraço e pronto.

Você diz: “deixa essa tarefa de abraçar para mim”. Tem que abraçar todo mundo, todos. O que nos atrapalha a servir a Deus? Interessante que a nossa vida, quando nós servimos a Deus, é outra coisa. Quando servimos a Deus, a nossa vida é boa. Quando você serve a Deus, a sua vida é boa. Amém? Experimenta para você ver se você, servindo a Deus, não é mais feliz! Amém? É muito mais feliz! Bem-aventurado, feliz é aquele que serve a Deus. Experimenta!

“Escutai vós, pois, a parábola do semeador. Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho. O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria; Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende; E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera; Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta. (Mateus 13:18-23).

A palavra do reino, ele explicou. “Explique para nós a parábola do semeador”. Aí ele falou: “a parábola do semeador é assim”. Ouvindo alguém a palavra do reino… Então, como que eu posso fazer para Deus, trabalhar para Deus, para o Reino de Deus, se eu não ouvir a palavra do Rei? Primeiro eu preciso ouvir a palavra do rei, eu preciso saber o que se faz. O que se faz no Reino de Deus? O que precisa fazer no Reino de Deus? Ouvindo a palavra do Reino… Como é no Reino de Deus? Jesus falou: “olha, mas no Reino de Deus não é assim. Você vê as pessoas fazerem isso, isso, isso, mas no Reino de Deus não é assim. Tem isso, isso, isso, mas no Reino de Deus é diferente”.

 Nós precisamos, primeiramente, tomar conhecimento de como funcionam as coisas no Reino de Deus. Como é que eu posso fazer alguma coisa se não tiver de acordo com a palavra do Reino? Tem que estar de acordo com a palavra do Reino. Mas aí acontece o seguinte: é que a pessoa, quando ouve a palavra, quando ouve a explicação, ela tem situações diversas. Às vezes, a pessoa não entende, aí mete os pés pelas mãos e faz uma lambança; não tem jeito. Outra hora, quando ela começa a servir a Deus, a fazer as coisas para Deus, vem os problemas. Claro! Claro que acontecem os problemas, as perseguições, a luta. Os apóstolos não tiveram muita dificuldade? A tendência, por causa da pressão, é você recuar e não fazer nada. Primeiro, gente, ouçam a palavra, vejam como é que funcionam as coisas no Reino de Deus.

Uma vez eu fui reclamar para Deus… Eu passava por uma situação e aí Deus falou: “o Reino de Deus é assim. Fizeram comigo, lenho verde. Se fizeram comigo, então, meu filho, no Reino de Deus é assim” (Lucas 23:31). Aí, às vezes, nós queremos servir a Deus, mas não sabemos como é que funcionam as coisas no Reino de Deus. Apela, se alguém chama atenção, ele apela! Aí você tem que estar atrás…

29

Apela com facilidade, mesmo estando errado. Apela, não aceita correção! Estou falando de nós que servimos, nós que estamos fazendo. Nós não vemos a necessidade, nós não observamos a necessidade. É muito fácil! Quantas coisas você vê, meu Deus! Está ali, na hora de fazer alguma coisa.

 O Samaritano, passando, ele viu alguém necessitado, precisando de ajuda. Aí nós não vemos nada para fazer, mas na hora que precisamos, ficamos pedindo para Deus. À hora que nós estamos precisando de alguma coisa, nós pedimos para Deus.

Dai e dar-se-vos-á, medida boa, recalcada… (Lucas 6:38). Dai e dar-se-vos-á. Aí, dificultou um pouquinho, nós vamos pedir para Deus. Gente, basta olhar para os lados, você verá quanta coisa precisa ser feita e pode ser feita. Nós já falamos aqui muitas vezes … Ana ia lá para o templo para limpar o templo. José de Arimatéia viu que Jesus estava precisando de um túmulo… Eu ainda não estou precisando … Mas quantas pessoas não estavam ali na hora e ninguém via que Jesus estava precisando de um túmulo. Amém!?

Se você olhar bem, você irá encontrar gente precisando de ajuda, pertinho de você! Não é fugir do problema, não é passar longe. “Meu Deus, essa semana, esse mês, eu não quero passar nem perto do irmão Rossini, porque… Nem telefone eu não quero atender”. Quantas coisas nós sabemos que estão precisando, Ramiro. Entre nós, temos um péssimo defeito, achar que quando eu precisar, eu peço para Deus e Deus me ajuda. Mas não, às vezes, nós precisamos servir a Deus, nós precisamos ser úteis para Deus.

 Tudo que se passa com a igreja é observado por Deus, eu tenho certeza disso. Tudo que se passa, as coisas erradas e as coisas certas. Tudo que acontece em nosso meio é observado por Deus. Ele observava as pessoas que estavam colocando as suas ofertas no gazofiláçio e ele viu quando uma viúva colocou uma moeda, ele observa isso.  E aí nós pensamos que ele não observa, que ele não vê, que ele não olha. Aí pegamos o dinheiro e ‘metemos no rabo do diabo’. Não é? E não vemos a necessidade de ninguém, às vezes, aquele pouco que você tem é muito para alguém que está precisando.

 É só pedir, é só querer que venha de cima para baixo… E passamos longe…  Vemos o doente, o enfermo, o necessitado, passamos longe, para não envolvermos com aquele lá. Não foi assim que o Samaritano fez. Não foi assim! Você tomou conhecimento de alguma coisa que você pode fazer, pode ajudar, ajuda! Faz! Amém?

O que é isso que eu estou falando? Eu estou falando sobre o Reino de Deus na terra, eu estou falando sobre as coisas concernentes ao Reino de Deus. Estou falando sobre o servo de Deus, eu estou falando sobre a igreja, estou falando sobre o povo de Deus. Um povo que não tem preguiça, um povo bem-disposto, um povo alegre, não é assim que nós somos? Não explora. Não precisa ter medo, porque o filho de Deus não explora ninguém não.  Se tiver alguém te explorando, perdoa. Mas pode deixar que Deus está vendo. Deus está vendo. Toda injustiça que eu cometo ou que alguém comete contra mim é pecado. As coisas que nos atrapalham a servir a Deus são essas, são essas bobagens.

30

Esse envolvimento nosso com o mundo é que nos torna duros, ruins, egoístas; de achar que o que nós estamos fazendo é muito. O que fazemos, fazemos muito. E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. Is 58:10. A alma aflita. Como é que ela pode ajudar? Ela não está em condições de ajudar. Ela precisa ser ajudada. Ela não está em condição, é uma alma aflita, é uma alma que está precisando de ajuda, é uma alma que você não pode ser cobrada. É uma alma que você vai chegar terra no pé, você vai cuidar daquela planta, porque, um dia, ela vai produzir.  Mas agora não, agora ela está aflita, ela está necessitada, ela está precisando de ajuda.

Como que eu vou cobrar o fruto, o resultado, de uma pessoa que eu vejo que está precisando de ajuda? Ela não tem condição de ajudar, é uma alma que precisa primeiro de ajuda. De ser tratada, de ser socorrida, amada. Aí, depois, você pode ter certeza que ela dará resultado. Interessante, você vê aqui, Versículo 10. “E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas…”.

 “A minha luz”, é a minha! A minha luz vai nascer nas trevas. O Versículo 11 fecha com mais propriedade, diz assim: “E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos”. Por quê? Porque eu fiz uma coisa boa. Por que Deus encheu para mim? Porque eu fiz uma coisa boa.  “E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos e fortificará os teus ossos”. Aleluia!

Como eu falei no começo? Por que a estamos fracos, doente? Por que nós estamos raquíticos? Porque fazemos pouco para Deus. Faz muito pouco para Deus. …e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam” (Is 58:11).  Aleluia! Dá vontade até de falar em línguas, não dá?  Dai e dar-se-vos-á… Se eu quero ser forte, eu quero ser abençoado… É sair da moita. Uma vez alguém teve uma visão assim: tinha muitas moitas… Lá no exército, quando uma pessoa não queria nada, ele era chamado de moita. Então, ‘o moita’, ele não quer aparecer, para ninguém mandar ele fazer nada, para ninguém pedir nada para ele.  Quando Deus deu essa visão… Nós fizemos uma pregação aqui que derrubou… Tinha umas vinte pessoas. Na próxima reunião só vieram três, caíram dezessete. Foi boa, nós estamos precisando fazer uma de vez em quando.

Qual foi a visão? É que um facão vinha nas moitas e saia arrancando as moitas. Na visão falava assim: “a moita é onde se esconde a cobra”.  E outra visão tinha uma trepadeira lá no lugar onde nós reuníamos. O lugar estava fechado com uma trepadeira. Mas, aí, quando comecei a pregar, a varinha começou a bater na planta, batia na trepadeira e as cobrinhas começaram a cair, e elas eram verdes. Então elas ficavam camufladas, mas ‘rumou’ a vara na trepadeira e as cobras caíram e foi possível matar as cobras.  Não sei se tem alguém aqui que se lembra. O Homilde lembra. Tem mais gente aqui, o Ramiro lembra. Foi a Lázara que teve o sonho. Eu fiquei muito chateado, eu me culpei. Eu fiquei chateado porque… Eu falei: “eu fiz uma lambança, eu bati em vez de soprar; eu bati e acho que eu fiz errado e tal, não sobrou ninguém”. Mas não, Deus estava dando a razão.

31

Mas está aqui, se eu fizer isso: E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desterrados? (Is 58:7). Aqui está falando, porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desterrados? E vendo o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti… (Is 58:7-8).

Muitas vezes eu li Isaías 58. Eu pensei comigo assim: “qual é a preocupação que eu tenho que ter? Eu tenho certeza que se eu fizer assim, a única forma da minha luz romper, da minha cura acontecer”… Mas eu não preciso preocupar com essas coisas. Deus falou: “e as outras coisas vos serão dadas”. Eu não preciso ficar preocupado se a minha luz brilha ou se a minha cura vai acontecer. Qual é a minha preocupação? Fartar a alma e fazer, dar a mão. Não ficar ocioso, esforçar, ter bom ânimo. Eu tenho certeza que essas outras coisas… Jesus viu Isaías 58 e ele entendeu também assim.

Faça de acordo com a sua possibilidade. Se você se dispor, irá acontecer, pode ter certeza que irá acontecer. Basta você… “Senhor, eu estou pronto, eu estou aqui em condições de ser enviado!”.  Vai aparecer alguma coisa que você terá que fazer. Amém? E as outras coisas? Amém?! O certo, não é dar testemunho próprio, nem ‘puxar a brasa para a minha sardinha’, mas eu precisava ser mais de um para fazer tudo que tem para fazer. Tanta coisa para eu fazer!

Você quer ser usado? Vira para o seu irmão da direita e fala: “eu quero ser usado”.  Mas na verdade é isso, tem que ser assim.  Parece que ficamos mais felizes, mais satisfeitos. Dá sentido. Eu, sinceramente, ficar assim, assistindo reunião como se estivesse assistindo missa, um negócio assim, nossa, eu não dou conta disso mais. Vocês dão? Eu não dou conta disso mais!

EU ACHO QUE EU PRECISO FAZER MAIS PARA QUE A MINHA LUZ SE ROMPA. Eu tenho certeza. Senhor, precisa romper a minha luz!  Eu não tenho dúvida! “buscar-me-eis e me achareis”; “dai e dar-se-vos-á”. Eu não tenho dúvida que a tua vida, a tua luz se levantará nas trevas, a tua vida vai ser diferente; do jeito que está em Isaías. Eu não tenho dúvida que é por aí.

Tem um começo, tem um dia que você pega a ferramenta, tem um dia, a primeira vez que você pegou a Bíblia, a primeira vez que você tomou conhecimento do Evangelho, a sua primeira oração, sua primeira experiência com Deus, o primeiro milagre que Deus fez através de você.  Não tem a sua primeira oração, não teve a primeira vez que você leu as escrituras? Não teve o primeiro dia que você socorreu alguém, que você viu, teve uma experiência com Deus?  Tudo teve um começo. Dali você foi caminhando, você foi subindo e subindo até chegar à estatura do varão perfeito, à plenitude do conhecimento de Deus.

 Moisés, subiu no monte e falou com Deus. Quanto tempo Moisés caminhou? Quanto tempo Moisés teve que se dispor ali, quanto tempo ali com o povo para chegar o momento em que ele fosse falar com Deus por causa do Povo? É isso, a árvore tem que produzir frutos. João Batista falou: “o machado está posto à raiz da árvore”. A

32

árvore precisa produzir frutos. Não tenha receio, nem medo.  Pequenas coisas, às vezes… eu fico olhando, assim, eu percebo que, às vezes, a pessoa tem medo ou então acha assim: “eu não posso fazer nada. Quem sou eu para fazer alguma coisa?”. Gente, tira esse copo daqui e passa para cá. Jesus falou: “um copo d’água, uma coisinha que você pensa que não vai ajudar…”. Uma coisa que você pensa que não tem sentido, mas tem sentido.

  Como eu falei, o servo e o centurião. Era o empregado dele, eu acho que não era da igreja. Era empregado dele e ele não queria que o empregado morresse, foi atrás de Jesus porque ele sabia que Jesus curava. Jesus atendeu o centurião. O que chamou atenção de Jesus foi a fé do Centurião, porque ele falou, elecura. Ele cura, eu vou lá porque eu tenho certeza que ele vai curar meu servo. Então a nossa função é essa, de ajudar, de produzir fruto, de passar isso que nós estamos ouvindo aqui para outras pessoas; é assim que Deus vai nos poupar, vai nos fortificar, vai nos ajudar.

 Igual o Senhor falou no começo, só vindo aqui, não tem muito… Aí, vai ser igual … normal das religiões, nós chegamos, sentamos, não fazemos nada, e vamos embora. E o tanto de gente do lado precisando de ser ajudado, de que falemos alguma coisa, ensinemos a pessoa a buscar Deus, fazer realmente valer a nossa fé, a nossa esperança…

A igreja reúne é para receber a semente, receber as armas, receber orientação, as ordens. A igreja reúne para saber como que ela viverá até quarta-feira; hoje é quarta, não é domingo. Mas como que nós vamos viver até a próxima reunião. Na próxima reunião já tem uma outra orientação, vem uma outra orientação. Cada reunião é um ensinamento, é uma orientação. É Deus que nos reúne aqui para nos dar as ordens, como se fosse um exército, uma patrulha, para receber as ordens do que nós vamos fazer esses dias agora.

Se nós soubermos aplicar direitinho, fazer até sábado… Sábado vem uma outra orientação; e essa daqui ninguém pode esquecer nunca, essa de hoje. Ninguém pode esquecer nunca Isaías 58. E sua vida levantará mais clara do que o dia, a tua luz romperá no meio das trevas se você guardar a alma aflita e fazer o que Deus está mandando. Amém?  E o Senhor te guiará continuamente! Amém? Vamos largar desse negócio de pensar só em nós. Dai e dar-se-vos-á. Faz para os outros e para você, você pode ter certeza que Deus vai estar fazendo.  Vamos parar com esse negócio de achar que temos que pedir Deus para resolver só os nossos problemas. Amém? Começa a estender a mão, fazer cumprir. Só não se canse, cuidado para não se cansar de fazer o bem, porque, senão, nós cansamos e não fazemos mais.

ORAÇÃO

 Amém, Senhor Jesus, Pai nosso que está no céu, Deus, nós te agradecemos! Que realmente nós consigamos, Jesus, dar ouvidos ao Senhor, entender a importância que tem. Porque a fé será, meu Deus, vivificada, ela será vista através das nossas obras. Com certeza, nada escapa aos olhos do Senhor. As escrituras nos falam de ações pequenininhas, de obras pequenininhas que foram feitas, mas os olhos de Deus estavam ali. Estavam ali quando o Senhor viu o velho Simeão preocupado, no templo, com a vinda de Deus.

33

Tinha um serviço para o velho, tinha um serviço para oficial do exército, tinha uma viúva pobre que também deu a sua ajuda. Tinha um rico que não deixou passar a oportunidade de dar também a sua contribuição, a sua participação no Reino de Deus. O Reino de Deus aqui, é o Reino de Deus que está aqui. É o Reino de Deus que pode ser tornar forte, que pode ser visto, notado, se nós entendermos, Pai, que é importante. Por mais simples que seja a nossa participação. Como foi dito, o velho Simeão, o que ele fazia? Ele estava ali esperando. Certamente, o Senhor exigirá do velho alguma coisa? Ele estava ali esperando a vinda de Deus. Mas o jovem, o jovem poderia fazer alguma coisa. Ajuda-nos, Senhor Deus, a sermos úteis, a sermos incansáveis. Ajuda-nos, Senhor Deus, a estarmos sempre dispostos, alegres, Senhor Deus, querendo servir ao Senhor! Amém!

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

PovodeDeus.org
Enviar via WhatsApp