Free songs

4ª Reunião – A luta contra o pecado

4ª Reunião – A luta contra o pecado

Download – PDF

Link da página de áudio https://www.povodedeus.org/v5/?p=6886

O que que vocês pensaram, meditaram a respeito de ontem? Ou não pensaram nada? O que nós falamos ontem?

 Heloísa (Paraiso): Amém, o Senhor falou que o nosso problema é que a gente não escuta os nossos pais. Você falou que não tem como o pai chegar e falar o que ele tem que fazer, porque ele faz o que ele quer. E eu, às vezes, não penso que um dia eu vou ter uma casa, vou ter filho.

Então, eu estou tendo um tempo hoje para escolher o meu governo, escolher Jesus como meu governo, escolher o bem, a vida. O senhor fez a pergunta: a quem iremos obedecer? O ideal é que nós obedecêssemos a Jesus Cristo.

Então, por que a gente não obedece?

Heloísa (Paraiso): por causa da minha própria justiça. Um dia eu acreditei que poderia ser independente de Deus, de um Senhor.

Por que nós somos desobedientes? Nós temos dificuldade para obedecer aos pais? Tem, por quê? Você acha que o pai não tem razão, é assim?

Alguém: a gente tem dificuldade, porque quero ser o meu Senhor, eu quero fazer as coisas. Mas tem alguém que é mais experiente, que já viveu, não faz isso! Mas a gente não escuta, a gente quer mesmo fazer.

Amém! Você quer quebrar a cara.

Então por que não fazemos? O que você acha, Toninho? Por que temos dificuldade para obedecer, nós somos desobedientes?

Toninho: naturalmente, o ser humano, nós temos uma dificuldade muito grande para obedecer. E hoje, o mundo, ele tem incentivado demais a independência. Cedo 11, 12 anos a pessoa não obedece mais a ninguém mesmo.

 Então, o mundo tem incentivado a desobediência, como foi falado ontem. Deus está chamando a atenção da gente para, como o irmão estava falando ontem, apesar de ter 53 anos, o irmão com 70 anos, a gente não aprendeu, ainda tem dificuldade de obedecer a Deus, sempre vai ter.

Sempre vai ter! Theo, é assim?

Theo: é.

Por quê? Você acha que tem uma razão, qual o motivo, por quê? A hora que você converte, passa a obedecer?

Téo: eu acho que, além desses agravantes que os irmãos já falaram, a gente não escuta Deus. Deus fala, fala, e a gente não escuta.

 Na hora que converte, a gente passa a fazer tudo certinho?

Téo: tudo não, mas, pelo menos existe um esforço, tem que existir um esforço.

 Amém! Passa para a neguinha. É assim?

Neguinha: amém, eu acredito assim também. O fato de converter ou crer nesse evangelho, a dificuldade, muitas coisas, ‘Ah, eu gosto de fazer dessa maneira’, mas é o que o Senhor fala que deveria mudar. Então, encontro dificuldade porque eu quero fazer do meu jeito, porque eu acho que dá certo.

Mas, então, com a conversão, a gente passa a fazer certo?

Neguinha: é como o Téo falou, algumas coisas a gente encontra facilidade, mas naquilo que eu mais gosto e que eu quero fazer do meu jeito, encontro muita dificuldade.

Quando é que você vai fazer certo?

Jaqueline: eu acho que quando adquirir a consciência. Eu penso que, pelo menos, a consciência já é outra.

Antigamente, você fazia as coisas erradas e não tinha consciência; hoje não, você faz errado e tem consciência.

A conclusão a que chegamos é que a luta contra o pecado não terminou. A conclusão que você chega, tem que chegar é essa. Por quê? Porque você habita… Nós precisamos chegar a pensar que existem duas coisas: a carne e o espírito. Você não é só carne, você é carne e espírito. Então quando você fala, a carne está ligada ao Espírito, o espírito fala e a carne… Entendemos por causa da carne, como se fosse um representante. Quando o corpo morrer, o espírito não vai falar mais, o espírito não tem mais como se comunicar conosco.

Jesus saiu desse corpo e voltou três dias depois, no outro corpo, continuou se comunicando, continuou falando, continuou entrando em contato conosco, mas ele já tinha desfeito, largado o quê? O corpo do pecado. E o nosso caminho é esse, a nossa caminhada é essa, a nossa caminhada é a mesma que Jesus teve.

Mas você ainda está no corpo do pecado. Então o que é que o seu corpo quer? Pecar. Você habita no corpo do pecado. Na verdade, não é o seu, é o corpo do Pecado. É por isso que existe essa desobediência, essa dificuldade, porque, você, lá no fundo, o homem interior quer obedecer, mas o corpo quer desobedecer. A carne quer fazer uma coisa e o interior quer fazer outra.

Quando Paulo fala assim: “o bem que eu quero eu não faço” (Romanos 7:19). Ele está se referindo ao homem interior, quem está falando é o homem lá dentro. “O bem que eu quero não faço, mas o mal que eu não quero esse faço; maldito homem que sou, quem me livrará do corpo dessa morte?” (Romanos 7:19).

Então, o problema nosso está onde? No corpo. E aí, Raquel, como é que a gente faz? Dá um cacete nesse corpo? O que é que você acha, Raquel?

Raquel: “uai” vô, eu acho que um vai ter que crescer, e o outro vai ter que diminuir.

Então, no começo, não somos só o homem interior, por causa do corpo, ele fala da sua falta de entendimento, consciência etc. ele também desobedece. Então, resistimos aos pais, resiste até Deus. Depois, quando você se converte, os seus olhos foram abertos, quer dizer, o homem interior acordou.

Conversão é abrir os olhos do homem interior, e, aí, esse homem lá dentro, o homem interior, a nova criatura passa a lutar contra a carne. Aí que você vai realmente definir que não é só o corpo, tem também uma alma, tem também um espírito.

O que vai ficar vivo é o espírito. Eu preciso cuidar, zelar dele, porque é ele que vai ficar vivo; porque a carne vai ser, de qualquer forma, eliminada.

Então, esse período que eu estou aqui nesse corpo é o tempo que Deus deu para eu me converter, regenerar e ficar apto, em condições de receber um novo corpo, ou seja, de continuar vivendo. É a vida eterna. Senão, a nossa vida vai terminar aqui. Amém!?

Se você não adquirir o direito de viver, a sua vida vai terminar aqui, com a morte. Será uma morte eterna, a segunda morte (Apocalipse 21:8). Vai ser lançado no lago de fogo etc. porque não esperamos coisa boa não! Só quem passou por lá que tem uma ideia. Porque, se fosse uma coisa boa, Jesus Cristo não tinha feito tanto esforço para não ir para lá. Porque Jesus Cristo passou por aqui, ele correu também o risco. Vamos ler Hebreus 5:7:

“O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia. Ainda que fosse Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem…” (Hebreus 5:7-9).

Livrar da morte? Mas ele não estava se referindo a morte da carne; ele não estava com medo da morte da carne. Ou estava? Muito pelo contrário, a morte da carne… ele queria que fosse rápido, o mais rápido possível. Olha só o quanto nós somos diferentes, queremos viver 80, 90. Jesus queria ir logo embora, já que estamos passando por aqui, vamos terminar isso logo, vamos acabar com isso logo.

Então, querer viver, isso é bom ou é ruim? Querer ficar na carne é bom ou ruim? É um mal. E por que queremos? Ignorância, falta de conversão, falta de Deus. É admitir que não está pronto, morre de medo de sair do corpo.

Então Jesus, nos dias da sua carne, fez orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, àquele que pode salvar, só tem um: Deus, só Deus pode salvar a alma, o espírito.

O corpo, ele queria o mais rápido possível… Ele falou assim: “eu tenho que passar por um batismo” (Lucas 12:50), era a morte, ele estava se referindo a morte. Ele falou: “O quanto eu anseio por isso! Até quando eu vou ter que aguentar essa geração, até quando vou ter que suportar?!”

Ele queria ir embora, por quê? Porque, na verdade, onde é que nós estamos? No corpo da morte, no exílio, sem Deus, uma casa estranha, no corpo que não é o nosso, no mundo. Por que queremos tanto isso aqui?

Não sei se vocês concordam, mas até as músicas são feitas para a carne. O louvor não é um louvor a Deus, é uma música que parece louvor a nós; “me ajuda a viver, eu quero viver. Me abençoa aqui, deixa eu ficar bem aqui”.

 Parece que fazemos o contrário. Engraçado, está ruim, está ruim, está ruim, mas, na realidade, isso não seria falta de Deus, falta de conversão? Não seria carnalidade?

Temos mania de dizer: “não, eu quero fazer a vontade de Deus”. Nós oramos para saber qual a vontade de Deus: se eu me caso com esse, esse ou esse. Eu estou orando para saber qual a vontade de Deus, se eu compro esse, esse ou esse. Eu estou orando para saber qual a vontade de Deus. Qual delas você acha que é a vontade de Deus?

Qual, Natali? Na verdade, se você quiser saber realmente a vontade de Deus, você vai ficar decepcionada. Eu tenho essa casa, tenho esse sítio, essa fazenda, o preço da casa é o mesmo preço do sítio, é a mesma fazenda etc. Eu não sei se eu faço isso ou aquilo. Amém!? Ora por mim. Você ora por mim, ora por nós, irmão! Para quê? Para ver, vamos orar, fazer vigília, entrar em jejum para saber qual é a merda que você vai fazer primeiro, qual é o mal que você vai fazer primeiro, não é assim? Então, é uma ignorância grande demais.

Aí aconteceu a conversão. O que é que foi a conversão? Nati, você acha que já converteu, ou ainda continua querendo saber qual a vontade de Deus? Você já converteu ou quer saber ainda qual a vontade de Deus? Se você faz isso, isso, isso, eu estou orando, tem muito tempo que eu estou orando etc., porque eu não sei o que Deus quer.

Você já descobriu qual é a vontade de Deus? O que queremos?

Na verdade, o Toninho se converteu, eu acho que o Júnior se converteu, eu acho que o Chequer também se converteu. Eu acho também que vocês se converteram. A Regina, que levantou quase o corpo, também eu acho que se converteu.

Que hora que você converte? É na hora que os seus olhos são abertos. (Nós estamos falando, ninguém está escandalizando, está todo mundo concordando.) Você viu, abriu os seus olhos, pegou a cruz e começou a caminhar.

Então você estava nessa direção, converteu. A conversão é a hora que você começa a seguir Jesus. Então, quem aqui acha que se converteu? Todo mundo se converteu? Nós estamos aqui não é porque nós estamos seguindo? Nós estamos aqui não é porque nós queremos? Então, como que não se converteu?

Eu estava nessa direção. Lá no quartel, tinha: conversão à direita, você segue para esquerda? Conversão à esquerda. Então nós nos convertemos ao evangelho, nós nos convertemos a Cristo. Amém!?

E aí Jesus falou: “Você renuncia a si mesmo, pega a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24). E você vai ouvir coisas ao longo do caminho, você vai escutar ao longo do caminho, você vai ver muita coisa, não é assim? Amém.

O apóstolo Paulo falou: “Corri a carreira que me foi proposta” (II Timóteo 4:7). Que horas que Paulo se converteu? Os olhos dele foram abertos, e Deus propôs para ele, pegue a sua cruz e siga-me. E ele então começou uma carreira, começou uma nova caminhada. Aí o que Deus propôs para ele? Isso. Ele pegou a cruz e começou a seguir Jesus.

O Rossini, será que ele converteu? Será que ele converteu mesmo? Quem falou para você? Eu poderia falar igual vocês, eu também não converti, igual à Regina.

 Como que eu me converti? Sabe como que Paulo entendeu que ele era convertido? Sabe por que Paulo entendeu que ele era um cristão? Porque ele era perseguido.

Então, por que eu sofro? É porque eu sinto a cruz. Por que eu sei que eu sou convertido? Por causa da perseguição. Eu sei que o inimigo me odeia. Eu sinto a cruz, eu trago no meu corpo as marcas.

Então é isso. Agora, a pessoa se converte e não quer ser perseguida. Ela se converte e não quer padecer!? “Ué”, meu filho, então pega a cruz e dá um pontapé nela, volta lá e acabou’. Você e o diabo vão ser um, igual o Ildeone fala: “eu e o meu pai somos um”. Pois é. Pronto, vai para a cachaça, vai fazer a vontade da carne e do pensamento, você e seu pai.

 Aí você trocou, pegou a cruz, claro que o mundo vai te odiar. Se o mundo te odeia, lembra que ele me odiou primeiro, e o seu sofrimento vai ser porque você continua querendo ainda, às vezes, fazer uma coisa aqui que não é mais para você. Amém!?

Deu para entender o que é conversão? Conversão é isso. A carreira que Paulo, que Deus propôs para ele, pega a sua cruz e siga-me. E, aí, agora, ele abriu os olhos e falou: aqui é assim, você vai ter logo de cara: seus inimigos serão da sua própria casa, não confia em ninguém, não espera por ninguém. Amém!?

 O que você quiser para você, faz para os outros; se alguém tomar de você o que é seu, não reclama. É a regra. Não é fácil não! Você quer? A gente quer e é por isso que a gente sofre, porque a cruz incomoda. As normas, o evangelho não são para o mundo, é para mim, é para nós que estamos no caminho.

O Evangelho é a nossa constituição, de quem está no caminho carregando a cruz, estamos querendo mais rápido possível. Amém!?

Jesus se esforçou desde pequeno e, muito cedo, ele estava pronto. É porque demoramos a cair a ficha. Lá com 80 anos que vamos querer ficar livre do corpo dessa morte.

E aí ficamos orando para Deus nos ajudar, ficamos orando para Deus dar força? Então é, na verdade, muita falta de entendimento. Por mais que a gente pense e saiba, a gente não faz; falamos aqui, daqui a pouco esquecemos. Parece que esquecemos.

Então, Jesus Cristo foi a pessoa que entrou nesse mundo e entendeu. Presta bem atenção, Jesus Cristo foi uma pessoa igual a nós, só que ele, ao entrar no mundo, ele começou a olhar, pensar, a analisar. E ele começou a ver que isso não era vida. Ele logo entendeu que isso aqui não é vida.

Então, ele começou a observar as coisas, ver de onde não conseguimos ver. Então, Jesus viu uma coisa interessante, que isso aqui não era possível, tinha que existir uma vida e que isso aqui não era vida. Vocês acham que ele tinha razão? Ou vocês acham que isso que é vida? Não é vida. Isso aqui não é vida.

 Eu, por exemplo, estou aqui na marra, estou aqui agora na marra. Onde é que vocês acham que eu queria estar? Ontem eu fui dormir 1:00h, 1:30h, mais ou menos. Aí você pega um velho destruído, deita-se 1:30h para levantar-se cedo, para fazer isso aqui, ganhar o quê? Isso é vida? Aposentado, já trabalhou para danar, pelejou, onde é que vocês acham que eu podia estar agora? Porque imaginamos que a vida lá, mas lá também tem infarto, não tem? Quantos não têm infarto lá na pousada? Quantos não têm depressão lá? Quantos não têm dor de cabeça lá? Quantos não vomitam lá?

Lá também tem hospital. O pau cai a folha lá, aqui etc. Então, o mundo é um lugar de provação, é um lugar onde vivemos de teimoso. O mundo é um lugar que não é o ideal para nós não. Nós fomos colocados nesse mundo, você não pediu para nascer aqui, mas quando você acordou, você estava aqui.

 Tem um amigo aí que a esposa dele deu à luz duas meninas, esses dias, eles as apresentaram. Aí eu falei para os pais: “tenho dó de vocês, tenho pena de vocês”, delas também, mais dos pais, porque o que os pais sofrem por causa dos filhos! E os filhos? Depois vão sofrer pelos seus filhos.

Foi o que Jesus falou: “Chora pelos seus filhos, chora pela sua casa.” Porque, que coisa, como isso pode ser vida? Você deseja tanto a sua casa, um filho; quando nasce, depois torna-se seu sofrimento. Torce para que sua filha tenha um filho, que é o seu netinho, sua netinha etc. Depois vem o netinho, a netinha, e você?

 Tem alguma coisa errada aí. Vocês concordam que tem alguma coisa errada?

 Nós resistimos a Deus. Deus quer dizer para nós a verdade. Jesus falou: “Conheça a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32). Então, nós resistimos a verdade, a Deus. Deus quer mostrar para você a verdade! Parece que fazemos questão de ignorar. Tem alguma coisa errada, não é possível.

 O apóstolo Paulo, chegou um momento que ele falou: “Meu Deus, o bem que eu quero eu não faço, o mal que eu não quero eu faço, maldito homem que sou.” Que coisa, eu quero fazer o bem, mas por que eu faço o mal? Todo mundo quer fazer, por que faz o mal? Então tem alguma coisa errada. Amém!?

Não tem aquele negócio assim, pão-pão, queijo-queijo, converteu.

Converteu! Não, não é isso. Na verdade, é um processo, é isso que ela quer dizer. Existe um processo, alguém me lembra de falar mais sobre isso na próxima reunião.

Alguém: eu realmente entendo que a gente se preocupa assim, ai, Senhor, qual lote eu vou comprar, qual casa eu vou comprar?

Então estaria errado eu perguntar para Deus, orar, perguntar sobre o casamento, se é uma pessoa que eu devo me casar, ou se eu tiver que mudar de cidade é uma coisa errada eu perguntar isso para Deus?

 Não, na verdade errado não é, mas o ideal é que você tenha a consciência. Não é errado você perguntar para Deus, eu tenho três pretendentes; então o que você deve fazer, pensar qual é a vontade de Deus? Na realidade, a vontade de Deus era nenhum. Então, se você insistir em saber qual a vontade de Deus, Deus vai dizer: eu não vou falar porque não vai adiantar, ela já botou na cabeça que ela quer um dos três.

Então, não adianta eu falar para ela que a vontade de Deus mesmo está lá nas escrituras, no evangelho. Minha filha, lê aqui: a vontade de Deus é que você não se casasse, essa era a vontade de Deus. Ele não quer nenhum dos três. Então pedir qual é a vontade de Deus, não deve ser. Qual deve ser?

Senhor, eu vou fazer uma merda. A vontade do Senhor é que eu não me case, mas eu não estou dando conta, eu quero me casar, o Senhor me perdoa, não leva a mal etc. e tal, mas eu quero me casar. Então, dirige o meu coração, abra os meus olhos para que, pelo menos eu me case com aquele que me quer bem, que realmente vai buscar o Senhor como eu busco, que vai querer o Senhor como eu quero, porque como que nós vamos andar juntos?

 A história já é outra, você já vai propor. Aí, Deus, vendo a sua aflição, vendo a sua luta, te ajuda. Ou então pega esses três e passa para lá e pega outro, pega um outro, às vezes pobre, feio, mas que vai te amar. Então o que você queria? Um bonito que põe chifre em você todo dia, um bonito que não te ama e que vai gritar com você e que vai fazer você sofrer? Ou uma pessoa normal, simples, comum, e às vezes até feio, mas que te ama, que cuida de você, que quer bem você?

Entendeu, gente? Vocês estão entendendo? Porque o que importa é isso, entendeu? Eu acho que muitas vezes falta entendimento, consciência. Mas na próxima reunião vamos falar um pouco mais sobre o quê? Conversão. O que é?

Como eu falei, o evangelho não é para o mundo. É uma constituição, é uma lei que não serve para o mundo, é completamente contrária ao mundo. O evangelho é uma doutrina, uma constituição, uma regra que só pode ser aplicada onde? No reino de Deus. Ela foi feita para funcionar no reino de Deus. Quando eu me converto, eu aceito o reino de Deus, eu aceito o governo de Deus.

 A conversão é isso, eu andava onde eu queria, eu não tinha governo, fazia a vontade da carne e do pensamento. Me converti ao Senhor. A partir daí, eu aceitei uma pessoa, um governo na minha vida, e ele então me propôs isso, o evangelho, a doutrina de Cristo etc. Só funciona aqui no reino de Deus.

 Temos uma coisa interessante, eu já observei isso lá no começo da minha conversão, eu pensava que Deus queria que o evangelho, que o mundo praticasse o evangelho. Claro que não vai! Não tem como o mundo praticar o evangelho. O Evangelho é uma loucura! Já pensou se a Globo fosse praticar o evangelho? Ela quebrava. Se o governo, a Câmara, o Senado, esse povo fosse agir de acordo com o evangelho? Se alguém te ferir aqui, vire ali; se alguém tomar o que é seu, não reclama; o que você quer para você, faz para o outro. Não funciona. Lá é pau, pau.

Aquele negócio de bancada evangélica, aquilo é uma piada. Bancada evangélica no lugar onde o evangelho não funciona, só se for para pegar o banco. Não funciona, não adianta você querer aplicar uma regra como é o evangelho, no mundo. Ninguém pode servir a dois senhores. Ou você quer uma coisa ou você quer outra.

Depois falamos mais. A participação sua é fundamental. Hoje já foi melhor.

Link da página de áudio https://www.povodedeus.org/v5/?p=6886

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

PovodeDeus.org
Enviar via WhatsApp